Não paguem a taxa escolar - JANEIRO VERMELHO

Em continuidade ao movimento JANEIRO VERMELHO – uma clara alusão à primavera vermelha, que depôs os principais ditadores árabes e que nos foi exigida pela tropa – vamos traçar as novas diretrizes a serem somadas àquelas já implementadas quais sejam: a DESASSOCIAÇÃO EM MASSA e a RECUSA EM DIRIGIR VIATURAS que estejam em desconformidade com o CTB.
Sem firulas e nem mais delongas, vamos à segunda orientação relativas ao movimento JANEIRO VERMELHO.
Aos companheiros que estão em curso no CFAP, companheiros da turma de 2002, recomendamos que a partir de agora vocês devam suspender todo e qualquer pagamento da taxa acadêmica – não deve ser pago mais nenhum tostão à nenhum oficial ou tesoureiro responsável por arrecadar essa quantia, pois ela consiste em ilegalidade e extorsão praticada dentro de um quartel da PM.
Nos últimos meses soldados da turma de 2002 estão sendo compelidos, melhor dizer, extorquidos a pagar uma "taxa acadêmica" para frequência em um curso de habilitação militar, o Curso de Formação Complementar para Praças – CFCP. O comando amparam a cobranças da taxa na chamada "Lei de Ensino da Polícia Militar de Alagoas", a Lei Estadual 6.568, de 2005, cobrando dos alunos de forma insistente, tendo procedido inclusive até a abertura de procedimentos para punir aqueles que recusam-se a pagar em pecúnia a taxa, que é entregue em mãos aos oficiais do corpo de alunos do aludido centro.
Para o Comandante Geral e Comando do CFAP a hipótese de incidência desta taxa é a utilização potencial do serviço de ensino, bem como a manutenção material com relação a meios de limpeza e fornecimento de água potável para consumo, e os alunos são, para tanto, forçados a pagá-la com o emprego de ameaças e o uso da máquina pública para coagir mediante a abertura de processo administrativo que, via de regra, é extinto quando do pagamento do ilegal valor – sempre em dinheiro e sempre sem recibo – às mãos do oficial responsável pela arrecadação.
Ocorre que a cobrança dessa taxa, é ilegal e não possui amparo no ordenamento jurídico, violando grosseiramente as normas constitucionais e infraconstitucionais.
Ela não esta expressa na lei de ensino militar e nem nas leis que regem a Polícia Militar de Alagoas, e sim presente na portaria que regulamenta o funcionamento do CFAP que pode ser baixado do próprio site da PMAL (clique aqui) em seu artigo 61, que segue:
Dos Discentes
Art. 61  São deveres dos discentes, além de outros previstos em leis e regulamentos:
(...)
XIV  – efetuar mensalmente o pagamento da taxa escolar fixada pelo Comandante da Escola, recolhida à tesouraria do estabelecimento de ensino.
O Comando Geral, através da Corregedoria, está abrindo Procedimento Disciplinar Ordinário visando coagir outros companheiros que também recusam-se a pagar a ilegal taxa. Quando age desta maneira, o oficial está cometendo crime comum capitulado no Código Penal. Pois este valor é pago em dinheiro, sem prestação de contas, entregue na mão de oficias da PMAL que o desviam. Dinheiro este que não deveriam sequer receber, pois como dito: trata-se de um CRIME COMUM.
Da ilegalidade da taxa
A definição Jurídica é de que taxas são essencialmente tributos vinculados, ou seja, sua hipótese de incidência ou fato gerador é sempre uma atuação estatal.
A Constituição, em seu artigo 145, II, ampara a criação de uma taxa e a sua respectiva cobrança somente em duas hipóteses: o exercício do poder de polícia e a prestação de serviços públicos. O mesmo texto normativo está disposto no artigo 77 do Código Tributário Nacional.
É preciso também que para que seja feita a cobrança de uma taxa pública, que o serviço a ser prestado apresente duas características: especificidade e divisibilidade. Tudo isto é exigido pelo Código Tributário Nacional, em seu artigo 79, incisos II e III.
Além disso, a Constituição Federal de 1988 proclama o princípio da gratuidade do ensino público no seu art. 206, IV, que dispõe:
Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
(...)
IV – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
No mesmo sentido, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, no art. 3º, inciso VI, reproduz literalmente o disposto no texto constitucional:
Art. 3º. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
(...)
VI – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
Concluímos então que o CFAP trata-se de um estabelecimento oficial de ensino público, sendo seu ensino gratuito, e, portanto, é proibida a cobrança de qualquer espécie de taxa ou contribuição, como taxas de matrícula ou mensalidade.
Desta forma, orientamos que o princípio da gratuidade do ensino público deve possuir uma interpretação extensiva, pois a expressão "ensino" abrange todas as atividades que norteiam e propiciem o ensino, pois embora ensino seja o fim, os meios que possibilitam o acesso a ele, lhes são inerentes, pois servem de amparo, suporte e até condição para a concretização do acesso ao ensino público e gratuito.
O princípio constitucional da gratuidade do ensino público, previsto no art. 206, IV, da Constituição Federal de 1988 e no art. 3º, VI, da Lei n.º 9.394/96, veda a cobrança de qualquer espécie de taxa ou contribuição de matrícula ou mensalidade pela prestação do ensino público, bem assim, a fim de concretizar o direito e o acesso ao ensino público e gratuito, veda a cobrança de quaisquer outras taxas pelos serviços vinculados à atividade acadêmica, sob pena de inconstitucionalidade.
Este ensino público constitui atividade estatal de caráter uti universi, destinada a beneficiar a população em geral, indistintamente, devendo ser custeado por meio de impostos e não por meio de taxas, não podendo a PM instituir óbices financeiros e nem administrativos para o acesso ao ensino público e gratuito, com a instituição de taxas, sob pena de incorrer em inconstitucionalidade.
Dos crimes praticados pelos oficiais ao CFAP
Ao forçar o pagamento de um tributo ilegal, os oficiais do CFAP cometem o crime de extorsão, capitulado no Código Penal Brasileiro:
Art. 158 – Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar fazer alguma coisa:
Pena - reclusão, de 4 (quatro) a 10 (dez) anos, e multa.
...
§ 3º – Se o crime é cometido mediante a restrição da liberdade da vítima, e essa condição é necessária para a obtenção da vantagem econômica, a pena é de reclusão, de 6 (seis) a 12 (doze) anos, além da multa; se resulta lesão corporal grave ou morte, aplicam-se as penas previstas no art. 159, §§ 2º e 3º, respectivamente.
O que deve o aluno do CFAP fazer com relação a isto
– Suspender IMEDIATAMENTE o pagamento da taxa escolar, não pagando-a sob nenhuma forma.
– Copiar o Requerimento Anexo, inserir seus dados, imprimir em duas vias e protocolar no Protocolo Geral do Quartel Geral da PMAL.
– De posse da via recebida pelo QCG, ao ser extorquido cobrado pela taxa de ensino, deve exibir o requerimento protocolado ao oficial, informando-o que só fará o pagamento da taxa quando da resposta sobre o requerimento, procurando ter junto deste diálogo testemunhas, e se possível, gravando a conversa para uma  possível exibição em juízo.
– Se ainda assim, o oficial insistir em cobrá-lo ou usar de ameaça para cobrança, dirigir-se até a Central de Polícia e registrar Boletim de Ocorrência contra o oficial que esta realizando a cobrança, por caracterizar-se extorsão conforme disposto legalmente acima.
– De posse da cópia do Boletim de Ocorrência e do requerimento, dirigir-se ao Fórum Estadual, no bairro do Barro Duro, ao MP no Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial e ser ouvido em juízo, exibindo a gravação ou as testemunhas.
– Caso prefira, dirigir-se a OAB, Núcleo de Direitos Humanos, de posse de toda a documentação acima e peça providencias conquanto ao constrangimento que esta sendo submetido.
OBS: caso os militares do setor de protocolo rejeitem o recebimento dos seus ofícios enviem ao Comando pelo Correio, através de AR – Aviso de Recebimento.
Os companheiros não devem pagar sob nenhuma forma a taxa de ensino. O BEF conta com o apoio de todos os alunos do CFAP para mais esta continuidade do movimento.
Anexo
Modelo de Requerimento
Req. s/n (por iniciais do seu nome completo)
Quartel em (cidade do quartel), data
Do (seu nº e nome de guerra)
Ao Comandante do CFAP
Assunto: Amparo Legal da Taxa Escolar
(dar uns 5 espaços simples)
(seu nome, graduação, identidade, matricula, OPM), vem mui respeitosamente, por meio deste e com fulcro no art. 5, XXXIV da Constituição da República Federativa do Brasil c/c o art. 21 e seguintes do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar de Alagoas, solicitar a este Comando, por escrito e de forma oficial, esclarecimentos acerca da fundamentação legal, bem como o procedimento a ser tomado, caso exista tal preceito, sobre o pagamento da taxa escolar junto ao CFAP, pedindo que seja mencionado qual diploma normativo estabelece esta obrigatoriedade e, se houver, a sua consonância com a Constituição Federal, para que assim possa se exigível recolher tal tributo, ao qual farei na integralidade, mediante expedição por parte da autoridade recebedora do recibo de quitação do pagamento nos termos legais.
Sem mais,
(local e data)
 (seu nome completo – posto ou graduação e nº)

 

37 comentários :

Anônimo disse...

Eu jah imprimi o meu requerimento e protocolo amanha demanha, chega de farra com meu dinheiro, esses ladroes safados fdps nao vao mais compra herbalaife com meu dinheiro nao

Anônimo disse...

Vergonha.... vergonhaaaaaaa vergonha PM sem vergonha!
Vergonha demais essa pm é pior que casa de quenga so tem ladrao, imoral fora dalei, porque essa instituicao nao acaba ein?

Anônimo disse...

Caros amigos do BEF, não pago a taxa ecolar de forma alguma. No enteanto, com relação a aqueles que já pagaram, será que existe alguma forma de serem restituídos ? Janeiro vermelho neles !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

o mais vergonhoso é que quem deveria representar o alunos eram as associações e nada fazem,´ são ótarios e ladrões do próprio bolso todos os que ainda são associados.

Anônimo disse...

EXCLUSIVO: Greve da PM e Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro Postado em 10/1/12 as 11:39 • Categoria * Rio de Janeiro O Rio NEWS recebeu a informação de que a Polícia Militar e os Bombeiros, do Estado do Rio de Janeiro, com apoio da Polícia Civil, entrarão em greve no dia 10 ou 15 de fevereiro. A greve já é certa, só falta decidirem a data, entre as duas citadas.

Anônimo disse...

CAROS COLEGAS MILITARES, VEJAM O QUE FOI PUBLICADO NO BGO E OBSERVE A PREOCUPAÇÃO DO CMT DA 5ª CPM/I: BOLETIM GERAL OSTENSIVO Nº 007 DE 10 DE JANEIRO DE 2012 2. PORTARIA Nº 003/12 – Sec./5ª CPM/I – DESIGNAÇÃO DE OFICIAL – PDO: O Comandante da 5ª Companhia de Policia Militar Independente, no uso das atribuições e considerando o que prescreve o inc. V do Art. 11 do RDPMAL, aprovado pelo Decreto nº 37.042, de 06 de novembro de 1996, RESOLVE designar o 2° Ten. QOC PM Mat. 108924 ALVARO BRANDÃO RICART, para através de Processo Disciplinar Ordinário (PDO), apurar os fatos constantes na Informação nº 115-2011, datada de 01 de dezembro de 2011, referente à falta de pagamento da taxa escolar, em desfavor dos alunos do CFCP/2011 – B: JOSÉ HAILTON DO NASCIMENTO MAT. Nº 95717, GLEYKE GLAUDYSTONE DOS SANTOS SILVA MAT. Nº 95659 E KERMANE ANTÔNIO VIEIRA LINS MAT. Nº 95619, pertencentes à 5ª CPM/I. Em conseqüência, o Oficial designado compareça à secretaria da 5ª CPM/I para o recebimento da Portaria e demais documentos, em 48 horas, após a publicação em BGO. Fica estipulado para conclusão do presente procedimento o prazo de 15 dias, a contar da data do recebimento, podendo ser prorrogado por mais 08 dias, a critério deste Comando. PROCESSO NESSE COMANDANTE ARBITRÁRIO!!! VAMOS ENCHER ESSES CMTS BABACAS DE PROCESSOS E VAMOS "ARRANCAR" DINHEIRO DELES NA JUSTIÇA E MOSTRAR O CAPA PRETA QUEM SÃO FORA DA LEI - (OS CORONÉIS).

Anônimo disse...

Nao esculhambe assim as casas das quengas.

Sargento Gilberto disse...

Pessoal, vocês sabem informar se algum militar fez isso que vocês estão recomendando?

Anônimo disse...

ESSE COMANDO ESTÁ MAIS PERDIDO QUE CEGO EM TIROTEIO

Sócio da ASSOMAL disse...

Baslestreri defende retomada do Pronasci
O Programa é prioridade para segurança pública e Dilma é responsável pela extinção do programa
Para maiores informações clique aqui.

Sd Hailton disse...

Eitcha que eu num tinha nem visto isso ainda!!

Eu Soldado Hailton no uso de minhas atribuições, peço a quem quer que seja, o repasse integral da taxa escolar para minha conta pessoal. motivo: nasceu durante o curso de formação a minha 4ª filha e com dificuldades até para comprar fraudas necessito urgentemente desse dinheiro!!!

Sd PM Hailton Nascimento!!

Anônimo disse...

"Avaliação do nível de qualidade de vida dos Policiais Militares do Batalhão de Radiopatrulha"

Pode ser encontrado o resumo desse trabalho no BGO do dia 10 de janeiro de 2012.

Leiam atentamente!

Sd Hailton disse...

Agora o bicho vai pegar!!!

Anônimo disse...

Escalas de 36 horas semanais
Última atualização em Ter, 10 de Janeiro de 2012 20:55 Escrito por Administrator Sex, 15 de Janeiro de 2010 01:33
Militares pleiteiam escalas de 36 horas semanais A carga horária de trabalho dos militares alagoanos se tornou um dos grandes problemas do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. Hoje, o efetivo não supre a necessidade nas ruas de Alagoas e a mesma tropa acaba trabalhando mais de 64 horas semanais. Os comandantes de Policiamento da Capital e Interior submetem a tropa a escalas desumanas sem folga proporcional ao trabalho que exerce.
Com a intenção de mudar esse quadro, representantes da Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (ASSMAL) entregaram ao Chefe do Gabinete Civil do Governo, Álvaro Machado e aos gabinetes dos deputados estaduais um projeto de lei que fixa a carga horária dos militares em 36 horas semanais.
"A Constituição Federal é clara ao dizer que as leis do país, independente quais sejam elas, se submetem a todos. Os estatutos e regulamentos - em hipótese alguma - podem ferir alguns artigos da CF, tornando-se nulo qualquer regulamento, lei ou estatuto que o faça", explicou o presidente da ASSMAL, sargento Teobaldo de Almeida.
A situação é mais precária em algumas unidades como 1º BPM, 4º BPM, BOPE, BPTran, BPE, 8º BPM, batalhões do interior e GSA. Nestes locais, os militares trabalham em escalas de 24 por 48, totalizando 60 horas além dos expedientes e escalas extras sem remuneração.
Nas corporações, os problemas administrativos – como baixo efetivo – são refletidos na tropa, que abre mão de sua qualidade de vida e de sua família para corrigir os erros da administração e suprir as carências de 10 anos sem investimentos.
www.assomal.com.br

sd Araújo disse...

E cada dia, cada vez mais, vão se acumulando as injustiças, assim como demonstrações de autoritarismo e abusos cometidos dentro da PMAL.

Ainda em relação à condição dos recrutas, existem cerca de 20 (vinte) recrutas 2011, que foram lotados no BPRP, os quais estão tirando PO armados como se fossem PMS de 2ª classe, contrariando o que diz o art. 5° do Estatuto da PMAL. Causa estranheza o fato dos soldados terem concluído o curso, mas terem sido promovidos.

Em resumo à situação dos novos soldados, e ratificando o que foi dito anteriormente, os mesmo estão:

Trabalhando nas ruas amados (muitas vezes sem um antigo para comandar);

recebendo como aluno 800,00 reais;

exercendo as funções, como se estivesse formado.

É “interessante” como o Coronel Luciano foi capaz de colocar esse pessoal nas ruas, nas condições citadas acima, mas sem a promoção a SD 2ª classe; UM ABSURDO!

Acho que qualquer um desses soldados deveria processar o Comando da PMAL, novamente, por descumprimento de ordem judicial, pois estes soldados foram incorporados por força de decisão judicial, devendo gozar de todos os efeitos como os demais.

Anônimo disse...

FICA NA TUA, ARAÚJO, SE NÃO VAI SOBRAR PARA VOCÊ!

sd Araújo disse...

Amigo, obrigado pelo conselho. Mas se alguem quizer me perseguir, eu também "persigo", só que de outra forma. E digo mais: soldado, sim - com muito orgulho, pois ninguem me deu esse emprego; covarde e sujeito passivo de quem ganhou o emprego de governos passados e hoje se confia em pedaços de latas penduradas nos ombros, NÃO! Quem me conhece sabe do que eu sou capaz.

Anônimo disse...

Sobre a polêmica entre o Papa e o Deputado Jean um comentário inreressante, veja o que disse um internauta: Deputado olhe o respeito com a entidade maior e predominate que é a religião católica , se Deus gostasse dessas presepadas ele não fazia adão e eva e sim adão e ivo kkkkkkkkkkkkk

Sócio da ASSOMAL disse...

Mais uma vez fomos humilhados:

Reunião entre a Segesp e associações militares foi adiada para o dia 26

Escrito por Deisy Nascimento

A reunião que havia sido marcada para esta quarta-feira (11) entre a Secretaria de Estado da Gestão Pública (Segesp) e as entidades militares, sendo uma delas a Associação de Cabos e Soldados em Alagoas (ACS/AL) e que tem como finalidade a implementação do acordo firmado em junho do ano passado, foi adiada para o dia 26 deste mês, às 9h, na secretaria.

A ACS/AL juntamente com as demais entidades militares cobram o cumprimento do acordo e traçam metas para a correção do quinquênio salarial pela data base no mês de abril, como também almejam a reposição da inflação por meio de uma política de ganho real nos salários, a partir do crescimento da receita.

Segundo o vice-presidente da ACS/AL, cabo BM Rogers Tenório, a expectativa acerca da reunião é boa, pois ao ter esta reunião adiada para o dia 26, espera-se que o secretário Alexandre Lages já venha com uma resposta concreta com relação à aplicabilidade do quinquênio. "Contamos com esta resposta para repassar aos nossos associados a resolução deste acordo que foi firmado há pouco mais de seis meses e necessita ser documentado", ressaltou Tenório.

"Tendo em vista que a reunião foi remarcada, pois o secretário terá uma audiência com o governador Teotônio Vilela Filho na próxima quinta-feira (12), desejamos que ele já apareça munido de documento com o acordo concretizado e a tabela de negociação encaminhada. Esperamos mais objetividade na reunião com o Alexandre Lages que está por vir", finalizou o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas, major PM Wellington Fragoso.


OBS: não faço parte do coro que pede a desassociação, mas a continuar assim, com tamanha fraqueza, infelizmente, terei de pedir desligamento.

Anônimo disse...

FRAGOSO, RESPEITE OS ASSOCIADOS. FAÇA VALER O SEU MANDATO, OU SENÃO PODE ESQUECER A SUA CANDIDATURA PARA VEREADOR.

Anônimo disse...

FEVEREIRO PRETO: PM E PM PARALISAM ATIVIDADES NO CARNAVAL; E O GOVERNO QUE AGUENTE. UM COISA EU DIGO, FN E EB, NÃO VAI RESOLVER.

Anônimo disse...

FEVEREIRO PRETO: PM E PM PARALISAM ATIVIDADES NO CARNAVAL; E O GOVERNO QUE AGUENTE. UM COISA EU DIGO, FN E EB, NÃO VAI RESOLVER. VAMOS PARAR TUDO, A MORAL É NOSSA. SE O GOVERNO NÃO RESOLVER A SITUAÇÃO ATÉ LÁ, A AVALANCHE VAI CAIR. CUIDADO! SEDS.

Anônimo disse...

Tava na hora de rolar uma cadeiazinha na baxa pro coronel luciano nera? ele tá todo salientezinho.
Uma cadeinha boa num instante ele se aquetava aquela franga

Anônimo disse...

Quero denunciar comandantes de opms do interior que estao assediando moralmente seus soldados que estao se recusando a dirigir viatura e se isso acontecer novamente vamos dar nome aos bois, inclusive denunciando as falcratruas dos desvios de viaturas para fazer escolta de onibus que vao a divisa com comerciantes para fazer compras em caruaru e pagam por isso enquanto a cidade fica sem viatura e ja aconteceram dois homicidios e disseram que a viatura estava na cidade mas esperaram ela voltar da divisa para poder apresentar a ocorrencia.
Se esse assedio continuar eu vou denunciar esse tenente coronel, com nome e tudo.

Cabo Esperto disse...

deixa de ser besta, parêa. diga logo que é o comandante do 10º bpm e que você é um soldado... kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Saragento silviani saia desse emprensado de ta dando parte nos cara por conta de taxa escolar, saia desse emprensado, vai sobrar pra vc

Anônimo disse...

Rapaz, palmeira e alagoas sao os lugares de tudo que nao presta, num ve que ate o tulio veio jogar no cessié.
So o que nao presta vem praca

Anônimo disse...

Será que é perseguição? A terceira turma do CFCP, vai fazer o curso de condutor, publicdo no BGO de 06/01/2012; e advinhem quem faz parte desta turma????
O Luiz Alves!!!!
Q coincidencia, depois de preso, e de verem que foi abusivo, foi publicado que a turma vai para o curso de condutor!
E ontem o BGO publicou a transferencia dele para o 1°BPM, será perseguição ou uma grande coincidencia?
Vcs da BEF deêm uma corbetura a esse caso, e nos respondam se somos realmente obrigados a participar do curso, e se após o curso somos legalmente obrigados a dirigir!
Obrigado!

Anônimo disse...

Pessoal, andei pesquisando e segundo a lei de ensino 6.568 que rege o ensino na policia militar, o Curso de Condutores nao faz parte da grade curricular e nem é pre-requisito de conclusão do curso, sendo uma armação imposta pelo comando para que os alunos dos cursos CFP e CFCP o fizesse, depois da paralizacao ocorrida em Sergipe.
Para tanto, foi publicado no BGO 237 de 29 de dezmebro de 2010 o curso de condutor, que é um curso a parte e nao faz parte da grade do CFCP. Portanto, é obrigação sim se submeter ao curso, mas não vincula ao curso, isto é: se vcs forem reprovados no curso ou pedirem desligamento por não terem interesse no curso ou ainda mostrarem que incidem em alguma das circunstancias que exclui do curso, vcs estao livres desse curso opressor.
Leiam o BGO 237 de 29 de dez de 2010 juntamente com a lei de ensino e sejam reprovados em massa nesse curso seboso.

O JANEIRO VERMELHO CONTINUA

Anônimo disse...

Companheiro, como o curso é para "melhoramento" do serviço prestado a sociedade, vc não pode se negar. Pois nenhum funcionario publico pode se negar em fazer curso de aperfeiçoamento para o serviço, contudo, este curso de motorista de nada tem validade se não for colocado na CNH e se não for reconhecido pelo DETRAN.

Sócio da ASSOMAL disse...

Sugestão: como se trata de um "curso", e como "vão" sejam instaurar procedimento para quem não for fazê-lo, proponho que os alunos "obrigados" sejam reprovados. Uma boa ideia, não acham?

Anônimo disse...

KKKKKKKKK, sou do 10º e estava de serviço no dia dos homicídios! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....

R LESS MARKETING disse...

NÃO PAGO E NEM VOU PAGAR, JÁ PAGO MAIS DE 40% EM IMPOSTOS - IPASEAL - IMPOSTO DE RENDA - ASSOCIAÇÃO MALDITA - E AGORA TIRAR DO MEU POBRE SALÁRIO DE SOLDADO DINHEIRO PARA CUSTEAR FALTA DE VERBA DO ESTADO PARA REFORMAR CENTRO DE FORMAÇÃO. TENHO A FICHA LIMPA E DIGNIDADE. ESTOU SENDO HUMILHADO NO CFAP PQ MEU NOME CORRE NAS LISTAS COMO INADIMPLENTE - NAO SOU VELHACO.

Anônimo disse...

Aonde fica o MP,será que essa contribuição é dividida com o MP.São coisas que a sociedade e em particular a PM não entende,determinação judicial, chamado do MP etc não é para ser comprida, esse comando tá cagando e andando para essas ORDENZINHAS desmoralizando o judiciário,se é que tem moral, ela ( lei ) só serve para os cidadãos comum, aí sim mete a caneta com força fazendo valer a bendita LEI ou então para suprir a desmoralização das outras que os cidadãos incomuns não cumpri.

Briosa em Foco disse...

Caro leitor que falou sobre o MP,

A quarta foto de cima para baixo tem um link para a página de denúncias do MP. Faça as suas queixas lá, e recomende aos seus amigos. Quanto a nossa parte, nós te asseguramos que toda semana enviamos diversas denúncias para as contas de e-mails dos promotores responsáveis pela atividade policial, bem como para o responsável pelos direitos humanos, assim como os membros do CONSEG. Se eles não nos ouvem porque as nossas denúncias são anônimas, então nós recomendamos que os incomodados façam as suas denúncias com os seus respectivos dados, e posteriormente cobrem as obrigações deles.

Atenciosamente, Assessoria Briosa em Foco.

2002-lado negro da força. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jenésio, o Pecador disse...

Durante a sua passagem pelo CFAP o Povo de Deus não pagou a taxa escolar... foi extorquido!

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver