Proibido Adoecer

Recebemos dois e-mails solicitando nossa ajuda contra "supostos" abusos dos Comandantes do 6º BPM e do BPTran. Para preservação das identidades dos nossos colegas substituímos todas as palavras que pudessem identificá-los. O texto a seguir é praticamente desnecessário, pois as fotos falam por si só.
Boa Tarde, gostaria de pedir apoio de vocês para divulgarem o que está acontecendo na minha unidade, pois vocês são a nossa voz contra os abusos que estão sendo cometidos em diversas unidades da PMAL. Assim como os colegas que aparecem com os nomes na foto, eu adoeci e tive de "repor" o dia não trabalhado sob a ameaça de responder um PDO e ser punido com quatro dias de prisão. Eu acho isso um absurdo, pois estão, de certa forma, querendo nos provar até do direito de adoecer. Eu nunca vi em minha vida essa de o comando da unidade IMPÔR uma ordem na qual o policial que por ventura sofrer alguma moléstia e não puder trabalhar na sua escala ordinária naquele dia (militar faltar serviço e pegar atestado medico) seja obrigado a ter de cumprir expediente no dia seguinte e ainda pegar serviço extra. Tenho pensado seriamente em levar essa situação ao MP, assim como também à imprensa, mas temo por represálias, com certeza serei perseguido pelos superiores se isso ocorrer, por isso optei por escrever para vocês, a quem solicito: DIVULGUEM ESSA SITUAÇÃO.
Na minha unidade tem muitos militares com problemas de saúde e que já estão com uns 4 ou 5 serviços extras para tirar. E se os mesmo faltarem a estes serviço irão responder ao procedimento diretamente.
Eu pergunto: onde estão as associações nessas horas? O que será preciso acontecer para que alguma autoridade ou algum presidente de associação se mobilize a respeito?
O P1, quando indagado sobre a legalidade dessa situação, disse: "você só não poderia cumprir a ordem se ela fosse ilegal, (...) você ganha o seu salário para trabalhar a sua carga horária semanal, se estiver achando ruim vá para justiça, ou então saída da PM".
Um total desrespeito, um absurdo. Nem edital do concurso, nem no Estatuto da PM existe essa previsão de que devamos repor o dia que não trabalhos por motivo de doença. Acho que isso configura abuso de autoridade e falta de humanismo por parte dos comandantes.
Divulguem este relato para que possamos revogar esses tipos de atitude arbitraria.
Deus proteja todos vocês.

O espaço está aberto para que o Comandante do 6º BPM (mais uma vez), assim como o comandante do BPTran se manifestem sobre o assunto.

7 comentários :

sd vinícios disse...

o pior é que até doar sangue é proibido...

Dr Júlio disse...

Se o capitão não sabe, a ordem que ele deu não é só imoral, mas também ILEGAL. O servidor com dispensa médica não está obrigado a repor os dias de dispensa. A doença é uma situação que se sobrepõe à vontade humana, e não se relaciona com "falta" ao trabalho. Sugerimos ao colega que procure o MP, mesque que anonimamente, para denunciar o abuso. É bom ainda que se noticie o fato ao Conselho Regional de Medicina. Afinal, os comandantes militares de Alagoas estão querendo acabar com a profissão de médico.

Anônimo disse...

Vamos ser coerentes também companheiros, a folga é inerente ao dia trabalhado, então, se não trabalhou, não há folga é o lógico, não vamos só criticar, vamos dar a César o que é de César, eu não estou falando do SEDS!!!

Anônimo disse...

E agora Lulú e Dadá:
O desembargador Eduardo José de Andrade, integrante da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), manteve decisão de primeiro grau que determinou a participação do policial militar Arthur Levy Brandão no curso de mestrado na Universidade de Coimbra, em Portugal, sem prejuízos de seus vencimentos.Em sua decisão, Eduardo Andrade afirmou que o Estado de Alagoas teria que desembolsar menos de R$ 2 mil para sustentar o requerente durante o mestrado, e que isso não seria motivo de causar grave lesão e de difícil reparação à Policia Militar de Alagoas (PM/AL).

Alegou, ainda, que a não concessão do pedido poderá acarretar em prejuízo irreversível ao policial, que não se matriculando dentro do período adequado, não poderá mais participar do mestrado.

“Ademais, entendo que a conclusão do curso de mestrado será útil à Polícia Militar de Alagoas, tendo em vista que representa investimento na qualificação dos professores que lecionam nos cursos da PM/AL”, asseverou o magistrado.

Arthur Levy Brandão, policial militar, pleiteou junto à Justiça, a concessão da liminar que garantia sua participação pelo período de 1 ano e 6 meses no curso de mestrado da Universidade de Coimbra, em Portugal, sem prejuízos em seus vencimentos.

O militar, em suas alegações, afirmou que a conclusão do mestrado seria, inclusive de interesse da corporação, uma vez que, entre outras disciplinas, é instrutor de Cultura Jurídica Comum, Cultura Jurídica Militar, Direito Penal Militar, Direito Processual Penal Militar e foi selecionado para ministrar um curso promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP).

Assessoria do TJ/AL

2.5.11

Anônimo disse...

Eu achava que PMs não eram nada, agora tenho certeza.

Anônimo disse...

NÓS QUE NÃO ATESTAMOS ESSES FALSOS LÍDERES (Maj QOA Fragoso, ST PM TEOBALDO (Gente esse homem é um subtenente), Cb PM Wagner Simas e Cb PM Soares) vamos levar essa situação ao Ministério Público. Isso não existe. Ninguém fica doente porque quer. Escalar de Extra o homem que ficou doente no mínimo é um abuso. Esse Cmt de Batalhão tem que ser exonerado e responder pelo abuso, bem como o P/1. Vamos votar em candidatos de associações fichas limpas. Vocês falsos líderes estão sendo investigados. Quem viver verá! Quem viver verá! Quem viver verá! Foa Maj QOA FragosO! Fora ST PM Teobaldo! Fora Cb Wagner Simas! Fora Cb PM Soares! FORA! FORA! FORA!

Anônimo disse...

as horas de trabalho no contra-cheque são de 40 hrs semanais. a policia é que nos deve. em uma escala de 24 por 72 ainda perdemos, sem contar nas horas extras que o estado não paga. MANDA DISCONTAR A FALTA, DAS ESCALAS EXTRAS QUE TIREI ATÉ HOJE.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver