União dos militares em defesa do nosso respeito!

Dia 06 de abril na Capital Alagoana, o Governador divulgou o percentual do reajuste para os Servidores Públicos do Estado, ignorando assim, no caso específico dos militares, o resíduo dos 7% de uma lei que ele mesmo criou. Esse percentual, que segundo o Governador é com base em "medidores oficiais", reflete a fraqueza dos nossos representantes nas Associações de Classe. O valor anunciado será parcelado em duas etapas, metade em maio e a outra metade em novembro. O que, no caso do soldado, corresponderá a menos de R$ 50,00 divididos em duas vezes. Uma verdadeira humilhação.
Mais uma vez, e agora não restam dúvidas, essas medidas tiveram como foco as nossas fraquezas. As lutas encabeçadas pelas nossas associações, que "por fora" "receberam" doações, revelam o quanto estamos desamparados no que se refere à representatividade. Por isso eu me convenço cada vez mais que esses caras que estão ai (em todas as associações) só estão preocupados com duas coisas: a mensalidade dos sócios (que não se sabe para onde vai), e as vantagens que eles puderem tirar do cargo.
Independe de quem nos representa a nível de associações, temos de criar uma comissão de representantes a qual deverá apresentar uma pauta de reivindicações envolvendo os nossos anseios em amplo sentido, tomando uma atitude que estes pseudos presidentes classistas não querem tomar.
Precisamos de lideranças, precisamos mostrar ao governo a nossa força. Porém, enquanto apenas uns gatos pingados se apresentarem nos movimentos que forem idealizados, estaremos fadados a cada vez mais sermos relegados a último plano. Precisamos nos mobilizar, precisamos concentrar esforços para que tenhamos o respaldo da maioria dos milicianos. Contudo, tal mobilização deverá ser despolitizada, para que não fiquemos à mercê desse ou daquele político ou então desse ou daquele partido. Temos voz, temos força, mas ainda não tivemos vontade.
Através da nossa força e da nossa organização, podemos mobilizar várias lideranças da nossa corporação. O que mais está faltando para que sejam convocados os nossos verdadeiros líderes para que os mesmos sejam as nossas vozes perante o comando e o governo?
Teobaldo, Fragoso, Simas e Soares já se mostraram incompetentes com as suas reuniões, além do que os mesmo já mostraram falta de compromisso com os anseios das tropas tanto da PM quanto do CBM. Em que momento de suas gestões algum desses demostrou prioridade na discussão e na resolução dos problemas que afligem ambas as tropas? Suas reuniões, seja com os respectivos comandos ou com os governos, se mostraram verdadeiras "palavras ao vento", pois não trouxeram nenhum resultado.
É precisamos debater com a tropa, e não a portas fechadas, os questionamentos sobre a defesa dos planos e projetos do governo estadual inerentes à segurança pública, mas é de fundamental importância que fique o tom dos nossos anseios. Chegou a hora de exigirmos uma maior atenção para o que queremos.
Vamos mobilizar cada companheiro, boca a boca, assim como por qualquer meio que nos for possível, para que nos façamos presentes nas reuniões dos demais servidores públicos que se mostrarem contrários aos ditames desse governo que não nos respeita. Vamos mobilizar cada militar deste Estado. As lutas recentes dos nossos irmãos em outros Estados mostram que se tivermos disposição nada resistirá à nossa vontade.
Precisamos resgatar o respeito que conquistamos num passado de lutas, através não só de enfretamentos a bandidos como também em mobilizações concretas em defesa da cidadania e contra medidas arbitrárias como as que têm sido impostas (não apenas pelo governo como também pelo nosso próprio comando), medidas estas que nos enfraquecem em amplo sentido. Senhores, isso que estamos vivenciando tem ocorrido em vários Estados do Brasil. E em todos os lugares a luta contra esse tipo de opressão tem sido vencida. Nós somos piores que os demais Estados em quê? Nós mesmos já mostramos a um governo (há pouco mais de uma década) do que nós somos capazes, ou será que isso foi esquecido?
Estamos vivenciando um momento que explicitamente caracteriza o descompromisso do governo com os Servidores Públicos Estaduais, e em especial com a sociedade. Isso precisa ter um basta.
Precisamos vivenciar realmente o que cantamos em nossa canção, o que no caso é: "o lema da Polícia Militar, quer na paz quer na guerra é lutar". Lutemos, companheiros, o momento é esse; caso contrário, amargaremos mais quatro anos de descaso e com a situação cada vez pior, em amplo sentido.
Assina, Soldado PM 2006

6 comentários :

Anônimo disse...

Enquanto o comandante trocar a honra por um cargo comissionado, seremos sempre enganados e humilhados. Vejam que todos os ex comandantes ganharam um gordo CC após saírem do comando. Em troca só tiveram que se vender durante a passagem pelo comando.

Anônimo disse...

O termo mais apropriado seria "prostituir-se".

Aperto oficial via BGO disse...

Saiu no BGO 063, de 04/04/11, página 33:

Of. Circular GC-SC n° 2/11.10.1
Maceió, Al, aos 18 de março de 2011
A Sua Exa. o Senhor DÁRIO CÉSAR BARROS CAVALCANTE – Cel. PM
Secretário de Estado da Defesa Social

Maceió

Senhor Secretário,

Ao cumprimentá-lo cordialmente refiro-me à necessidade de um melhor ordenamento das relações interinstitucionais do Poder Executivo de Alagoas, especialmente no tocante à articulação com órgãos da esfera federal.
Nessa perspectiva ressalto como fundamental que toda e qualquer audiência com Ministros de Estado seja efetivada por intermédio do Gabinete do Governador, tendo em vista a análise e avaliação junto à Chefia do Gabinete do Governador quanto à importância e viabilidade da participação do Governador Teotónio Vilela Filho em tal ocasião.

Por outro lado, com relação à emissão de convites para reuniões e solenidades de iniciativa dessa Secretaria, destaco que a inclusão do nome do Governador no texto do convite somente deverá ser efetivada após a expressa aprovação e autorização da Chefia do Gabinete do Governador.
Atenciosamente.

Álvaro Antônio Machado
Secretário-Chefe do Gabinete Civil


*******************

Em bom e claro português, a mensagem acima quer dizer o seguinte:
"Escuta aqui, ô, Dadá. Você até podia ser o cara na sua PM, mas aqui você tem de se enquadrar e rezar na minha cartilha, na qual tudo que você for fazer tem que me avisar previamente para que eu decida se autorizo ou não, pois aqui quem manda sou eu, o Secretário-Chefe do Gabinete Civil. Outra coisa, nada de usar o nome de sua santidade Don Teotônius."


*******************

Se liga, Dadá, se não vai (da)dá tudo errado e você vai ficar marcado como o secretário que menos tempo passou na SEDS.

Estamos de olho.

Anônimo disse...

E agora olulu quer punir os militares que fizeram o protesto na frente da segesp ma eh cada uma va esfregar o seu numa pedra lulu duma figa!!!!

A gente vamos invadir esse quartel geral e vc se que se aguente!!!

Anônimo disse...

"Mobilização em frente à Segesp abre sindincâncias na Polícia Militar."

Esse Cel Luciano é RIDÍCULO (além de outras coisas mais).

Uma Policial disse...

Vamos nos aquartelar de uma vez. Eu quero ver se esse governo não vai nos respeitar como profissionais diferenciados. Precisam de tratamento e salários diferenciados. Que me desculpem as demais categorias, mas nós que fazemos parte da segurança pública precisamos ter mais incentivo e salário digno, pois sem segurança nada flui e a economia também sofre os efeitos.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver