7% para os "Palhaços"?

Hoje à tarde, numa reunião para apresentar a nova empresa de consultoria contratada por cinco milhões de reais, o (des)Governador Téo Vilela, DEBOCHOU DE TODOS OS SERVIDORES DO ESTADO DE ALAGOAS, em especial os da Segurança Pública, ao se referir ao "aumento" que nos ofertaria, para encerrar a crise instalada com as nossa manifestações. Vejamos na matéria do site Gazetaweb:
Ainda de acordo com Teotonio, empresa de consultoria priorizará a otimização das ações em três áreas consideradas essenciais: Saúde, Educação e Segurança Pública. "Todos os secretários terão uma visão sistêmica das ações", emendou o governador, desconversando, no entanto, quando perguntado se o Governo terá a mesma pressa para garantir um reajuste maior (de cerca de 7%) aos servidores públicos estaduais, já que são várias as categorias, a exemplo dos policiais civis, que permanecem em greve.
"Eu irei me pronunciar sobre este assunto, com muita disposição, nesta quarta-feira. Tenho me preocupado sempre com isto", comentou o governador, após sonora gargalhada, afirmando ainda que as cobranças por parte do funcionalismo público seriam fruto de uma política nacional de reajuste, com base no IPCA. Vilela, apesar da insistência dos jornalistas, não adiantou se irá de fato fazer uma nova proposta aos servidores.
O deboche explícito com que o governador nos trata merece uma resposta rápida e a altura:
Convocamos, portanto, TODOS OS SERVIDORES FEITOS DE PALHAÇO para se fazerem MAIS UMA VEZ presentes na quinta-feira, na praça Deodoro, às 15 horas, para iniciar o MOVIMENTO DE REVOLTA POPULAR e destituir definitivamente aquele que riu de nós! Vamos mostrar a nossa força!
O BEF conta com o apoio de vocês, compareçam!

14 comentários :

Sócio da ASSOMAL disse...

Reajuste salarial de 7% não é aceito pelos militares

Líderes de associações militares, bombeiros, policiais e oficiais militares, além de Izac Jackson, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Josimar Melo, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol) se reuniram na tarde desta terça-feira (17), no Clube dos Subtenentes e Sargentos, localizado no bairro do Trapiche da Barra para decidir se aceitam ou não a proposta sugerida pelo Governo de reajuste salaria l com percentual de 7% pago em duas vezes, como também deliberar ações para a próxima assembleia que ocorrerá na próxima quinta-feira (19).

Durante a reunião os militares se dividiram em grupos para sugerir ações em prol de toda categoria, além de analisar a proposta enviada ao Governo, onde foi solicitado o abono de faltas, os 7% de aumento, uma mesa permanente de negociação e uma política salarial para o próximo ano. De acordo com Thaisa Moretti, soldado do CBMAL, 76 bombeiros estão sofrendo processo administrativo disciplinar e suposto crime militar após participação nas assembleias, mas mesmo com tais punições ela afirma que a tendência é de não aceitar o percentual de 7% de aumento. “A luta atual é pelo piso salarial de 3.100 mil reais. Nos Estados de Pernambuco, Sergipe e Amazonas o aumento foi conquistado e em outros Estados os militares estão parados para ver se conseguem o reajuste e em Alagoas não pode ser diferente”, disse Moretti.

Para maiores informações, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000398

Praça Antenado disse...

Entidades de militares reclamam que não foram chamadas para negociar

Os líderes das associações de policiais militares e bombeiros estão em compasso de espera, aguardando um pronunciamento do governo do Estado sobre os salários, prometido para esta quarta-feira (18), mas reclamam que não foram convidados para dialogar.
“Ainda não temos nada na mão como proposta. Não sentamos com ninguém do governo”, disse ao /tudo na Hora o presidente da /associação dos Oficiais Militares (Assomal), major Wellington Fragoso, depois de uma reunião com as lideranças das associações militares.
Fragoso disse ter conhecimento de que o governador Teotonio Vilela Filho poderá anunciar amanhã uma decisão, considerada definitiva, de reajuste de 7%, dividido em duas parcelas, pagas em maio e novembro.
“Se o governador anunciar, é como se eu conhecesse a minha noiva no dia do casamento”, comparou Fragoso. “Vai anunciar sem falar conosco? Nós temos assembleia marcada para quinta-feira. Esses 7% estão aquém do que nós precisamos. A mobilização vai acontecer, anunciando ou não reajuste. E serão ações para chamar a atenção, já que no Judiciário não temos solução, nem no Legislativo e muito menos no Executivo”, avisou o oficial.

Anônimo disse...

ÉÉÉHHH... DIFINITIVAMENTE AGORA FOMOS TRATADOS COMO PALHAÇOS...

BM INDIGNADO disse...

E para os que querem ouvir a sonora GAITADA do Exmº Sr Governador, aqui vai o link com o vídeo. Já no final da matéria é que ele esbanja seu "bom humor" qdo se fala em reajuste dos servidores!!! Pessoal, depois dessa vamos comparecer em peso amnhã na Pça Deodoro!!! Qto mais pessoas arrastarem, mais o governo será pressionado. Não podemos deixar que o TEONÓQUIO zombe de nossa classe desse jeito! Segue o link: http://gazetaweb.globo.com/v2/videos/video.php?c=10724

Sócio da ASSOMAL disse...

“Está empurrando de goela a baixo”, diz Fragoso sobre ultimato

“Depois da gargalhada do governador, eu não espero mais nada dele”. Foi dessa forma que o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), major Wellington Fragoso, recebeu a notícia do ultimato que o Teotonio Vilela Filho deu aos servidores.

O governador disse que os servidores têm até o próximo dia 30 para dizerem se aceitam ou não o reajuste de 7%. Caso recusem, eles terão aumento de 5,91% anunciado em abril pelo Governo. “Ele sabe muito bem que os policiais militares têm o resíduo de 7%. Isso que ele está anunciando está ignorando tudo o que os policiais têm direito: correção de quinquênio, datas-bases, que ele deixou de cumprir seis”.

Para maiores informações, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000403

Sócio da ASSOMAL disse...

Vilela dá ultimato aos servidores: ou 7% ou recua na proposta

Caso servidores não aceitem nova proposta, governador garante que será aplicado primeiro valor anunciado

O governador Teotonio Vilela Filho deu um ultimato aos servidores estaduais na manhã desta quarta-feira (18). De acordo com ele, os servidores têm até o próximo dia 30 para dizerem se aceitam ou não o reajuste de 7%. Caso recusem, eles terão aumento de 5,91% anunciado em abril pelo Governo.“Caso não sinalizem positivamente, assinarei o reajuste de 5,91%. A primeira metade já será paga em maio. Acredito na aceitação dos servidores e sempre estive aberto ao diálogo”.

Quanto à punição dos militares que participaram do desaquartelamento, Vilela disse que não abrirá mão da punição. “Agirei dentro da lei, pois as instituições já existem há anos e não vai ser agora que vou quebrar o regulamento”, disse ele, que está tratando as reivindicações por melhores salários como indisciplina.

Para maiores informações, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000402

Anônimo disse...

ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃO MESMO!!!

Caros companheiros da PM e BM de alagoas não queremos nada mais do que o Sr. Téo Vilela sancionou em 13 de Julho de 2007.

LEI Nº 6.824, DE 13 DE JULHO DE 2007.

DISPÕE SOBRE A FIXAÇÃO DOS SUBSÍDIOS DOS SERVIDORES DA CARREIRA DOS MILITARES ESTADUAIS, INTEGRANTES DA POLÍCIA MILITAR E DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, ATÉ O POSTO DE CAPITÃO, COM BASE NO REAJUSTE CONCEDIDO AOS OFICIAIS SUPERIORES PELA LEI Nº 6.715, DE 4 DE ABRIL DE 2006.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS

Faço saber que o Poder Legislativo Estadual decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Os subsídios dos servidores da Carreira dos Militares Estaduais, integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Alagoas ficam fixados na forma dos Anexos I a XI desta Lei.
Parágrafo único. Os Anexos a que se refere o caput deste artigo reajustam os subsídios dos servidores militares do Estado de Alagoas, até o posto de capitão, com base no maior índice concedido pela Lei nº 6.715, de 4 de abril de 2006, deduzida a média dos índices concedidos pela Lei nº 6.698, de 27 de março de 2006, fixada em 11%.

Art. 2º Os percentuais fixados nos Anexos I a XI desta Lei aplicar-se-ão exclusivamente nos subsídios das praças, cadetes, aspirantes e oficiais militares até o posto de capitão.

RP, BOPE, 5º BPM, 3º BPM e DEMAIS UNIDADES disse...

“O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem-caráter nem dos sem-ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons”. (Luther King) - Os bons somos todos nós que lutamos, não por nós mesmos, mas por nossos filhos que pedem pão. Sou PM, estou triste.

Anônimo disse...

Vamos amanha pra manifestacao na praca e quebrar tudo!!!!!!

Anônimo disse...

O que acontece é que temos muitos companheiros "furões", não de greve, mas dos bolsos dos cidadãos... infelizmente esse tipo de companheiro não vai participar do movimento, pois iria perder o apurado do dia... é uma raça peste!!!

Sócio da ASSOMAL disse...

Servidores consideram gargalhada de Teo um deboche
Durante assembleia na SEDS o trânsito ficou congestionado e, logo em seguida servidores se encaminharam para ALE, depois foram para a SEFAZ e ocuparam secretaria


O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais se reuniu mais uma vez na Praça Deodoro, situada no Centro de Maceió nesta quinta-feira (19), às 14h, para repassar, em assembleia, as deliberações das categorias após declaração e gargalhada do governador Teotonio Vilela Filho que, de acordo com os servidores agiu de forma desrespeitosa e impondo suas condições de reajuste salarial.

Durante assembleia representantes dos sindicatos, associações militares, servidores da saúde, educação e segurança pública mostraram-se revoltados com a gargalhada intitulada como “debochada” do governador de Alagoas.

Para Izac Jackson, presidente da Central Única de Trabalhadores (CUT), o Governo até agora não sinalizou nenhuma proposta concreta e os 7% de reajuste salarial foi rejeitado por todas as categorias, mesmo com a pressão do governador em querer recuar com o aumento. “Pedimos agora muita unidade, luta, coragem e compromisso para poder tomar algumas atitudes acerca da postura desumana do Governo”, afirmou.

Para maiores informações, cliquehttp://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000407

Seu Madruga disse...

Na hora da invasão à SEFAZ, ainda deu para ligar para casa e mandar um beijo para esposa... hehehehem

Seu Madruga disse...

Ligar dos telefones da recepção da SEFAZ, claro!!

Uma Policial disse...

Este é um bom espaço para (que cada um que faz comentários) propor, sugerir, trazer ideias, mas ninguém fala nada nesse sentido, muito pelo contrário, apenas avacalha. Todos nós sabemos que é fácil criticar e apontar os defeitos ou erros, mas também é fácil termos ideias (construtivas) e apresentá-las aqui. Assim sendo, eu proponho que se formos - de fato - fazer aquartelamento, que isso seja feito pelos intatos, e que isso seja feito dessa forma: depois que for declarado pelas associações o aquartelamento, o pessoal dos inativos devem esperar a mudança de turno das principais unidades da capital (1º, 4º e 5º BPM, juntamente com o BPRp e o BPE), montar barracas na frente da Unidade obstruindo a entrada dos militares que eventualmente queiram sair para trabalhar; estando à frente da Unidade, é só levar cadeiras, mesas, água e lanche, baralho ou dominó (para quem queira jogar), e se for o caso as esposas com as suas panelas. Feito isso, com a paralisação das Unidades da Capital, é só esperar que o Governador chame para "negociar". Duvido que ele fique uns 2 dias sem fazer tal negociação. Ah, enquanto isso, caso venha o BOPE, será que os militares das Unidades "fechadas" vão deixar que os bons velhinhos sejam MASSACRADOS POR UM COISA QUE É BENÉFICA PARA ELES também?
No mais, a outra ideia que trago, e essa até seria uma ação de repercussão internacional, é que os militares (policiais civis e bombeiros também), peguem as viaturas e estacionem na pista do aeroporto e não saiam de lá, até que o governo chame as lideranças para "negociar".
Viu só como podemos fazer coisas construtivas aqui, ao invés de ficar escrevendo um monte de coisas ridículas sobre pessoas que eu nem conheço?
Gente, é difícil suportar todas essas situações que nos oprimem, mas fazer coisas que não nos edificam não nos leva a lugar nenhum, ainda mais quando somos perseguidos; por outro lado é doloroso vermos fortunas sendo gastas com propaganda em detrimento do bem estar do povo, em especial do servidor público, mas como eu disse lá no início "é fácil criticar e apontar os defeitos ou erros, mas também é fácil termos ideias (construtivas) e apresentá-las aqui".

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver