Fardas diferentes, problemas idênticos

Ainda é difícil de entender o que se passa na cabeça de nossos companheiros que fazem parte das Unidades Especializadas da PMAL, como por exemplo, o BOPE e a RP. Não entendemos como é possível esses nossos irmãos de farda ainda estarem leais a essa cúpula que tomou de assalto a PM e a Segurança Pública alagoana, fazendo dela uma "esculhambação", conforme bem qualificou o desembargador Washington Luiz. Não entendemos como, apesar de sofrerem inúmeras injustiças por parte desses amadores (Dadá, Lulu e Gilmar), ainda assim essas tropas em sua maioria não se juntaram ao restante da Corporação nas buscas pelos seus direitos.
A lealdade dos comandantes dessas unidades é fácil entender, pois muitos querem estar ao lado do Comando, defendendo-o com unhas e dentes, pois isso pode render ao final das manifestações uma boa promoção e na pior das hipóteses um "carguinho" comissionado, quem sabe até um CSP em outro Estado com diárias a mil...
Mas entender a submissão dos nossos companheiros do BOPE e RP, sem mostrar em nenhum momento indignação com as humilhações por nós (e por eles) sofridas e que são infligidas pelo governo, SEDS e Comando Geral, isso é dificílimo de se entender.
Vou contar uma pequena história, a qual pode servir de exemplo aos que ainda estão submissos a este comando farinha azeda. Era o ano de 2009, em um Estado pertinho das Alagoas, mais precisamente em nosso vizinho Sergipe. Começara o Movimento Polícia Legal da PMSE, muitos motoristas de diversas unidades da capital e interior entregaram as chaves e recusaram-se a dirigir as viaturas, pois muitas apresentavam irregularidade previstas no CTB e os motoristas não tinham curso para dirigir Vtrs. A repercussão já era grande em todo o Estado de Sergipe, contudo o Comando e o governo achavam que tinham um trunfo em suas mãos, pois acreditavam na lealdade cega das unidades tidas como de elite. Afinal, os "comuns" pararam, mas ainda tinham os "homens de preto" e a onipresente Rádio Patrulha. Ledo engano... Seguindo os passos de seus irmãos de farda e corporação, os policiais das especializadas da PMSE seguiram o mesmo caminho do restante da Corporação entregando as chaves e recusando-se a fazer o policiamento motorizado, e até a Companhia de Operações Especiais (COE), o suprassumo da tropa de confiança do comando, entrou de corpo e alma no movimento. De oficiais a praças, todos cansaram das humilhações e da má remuneração, e mostraram que as Unidades de Elite eram de elite, e deram o exemplo para um governo que não valorizava o Profissional da Segurança Pública. Simplesmente o governo viu que tinha perdido a sua última linha de defesa, seu último baluarte, e teve que ceder, vindo a negociar o histórico aumento de nossa coirmã, onde hoje na PMSE, um soldado recruta não ganha menos de R$ 2.400,00.
E nós em Alagoas, até quando iremos esperar nossos irmãos das especializadas aderirem ao movimento? Ou será que por causa da roupa preta ou do braçal suas famílias estão passando menos dificuldades e necessidades, ou estariam os senhores satisfeitos com o salário estagnado nesses últimos 5 anos?
Esperamos que nossos companheiros tenham a consciência que essa luta é por todos, e que todos devem aderir, não importando a cor da farda. Praças ou Oficiais, digo-lhes para terem amor próprio, pois as poucas migalhas lançadas pelo Comando (cursos, indicações para FN, diárias) não valem nada comparado com a honra em saber que não se venderam e lutaram por uma PM melhor para TODOS e não apenas para seus benefícios particulares.
Vejam o vídeo e sigam o exemplo desse policial do Choque da PMSE, onde ele desabafa: "Chega de humilhação!"

19 comentários :

Cabo Marcos disse...

Vejam (no link) como até o governador Téo Vilala é "bem acessorado" pelos seus indicados para a Segurança Pública.

Link: http://3.bp.blogspot.com/-RBwM1Sabm4k/TeEuDdI62zI/AAAAAAAAALg/AtH6AM5lTLU/s640/mal+acessorado.jpg

Sd PM 2006 disse...

ESSA INFORMAÇAO SAIU NO SITE DA GAZETA DE ALAGOAS

Anônimo disse...

Stive! a cada dia que se passa, sou mais seu FAN!!!!!


Continuem denunciando as falcatruas desses malandros!

Welton Roberto disse...

A Contabilidade Maléfica do Governo do BEM

Servidores públicos em revolta, população à míngua, dignidade em decadência.

Gostaria imensamente de escrever o contrário, mas o cenário atual do desgoverno instalado no Palácio República dos Palmares não me permite.

Triste sina de quem não intenta maldizer, mas é obrigado por consciência cidadã a se indignar.

Ou nos unimos enquanto adoradores deste solo sofrido das Alagoas, ou condenaremos nosso futuro à penumbra, à inanição, ao descompasso.

Reitero: acredito que o senhor governador do Estado é até bem intencionado. Mas seus gestos e os atos de sua equipe desabonam qualquer referência de apreço ao bem coletivo.

Seu sorriso de escárnio enluta nosso coração, avilta nossa auto estima, faz-nos menor por quem nos deveria engrandecer.

O mote dito e transcrito feito mantra diabólico seria compreensível, se não fosse contrastante com a realidade matemática.

É claro que não vivemos na Suiça, não temos a industrialização paulista nem a pujança regional da economia de Pernambuco. Mas negar reajuste ao funcionalismo alegando de modo simplório a Lei de Responsabilidade Fiscal ou a austeridade financeira não se harmoniza com os dados, os números, as estatísticas.

Seria vil alegar que sobra dinheiro, mas é pertinente constatar que os recursos dos cofres públicos estatais são mal gerenciados, mal aplicados, desfocados de seu objetivo principal como alardeado na propaganda empreendida pelo senhor secretário de comunicação: gente que faz pela gente.

Vejamos: em 2010 cerca de R$ 15 milhões de recursos oriundos de convênios foram devolvidos. Sim, parece que vivemos em um estado milionário, que não precisa de "esmola" na casa de mais de milhão!

O desgoverno DO BEM gasta R$ mais de 500 mil com empresa de táxi aéreo (sim, majestades alagoanas e sua nobreza não voam de classe econômica, em tarifa promocional, de madrugada...) enquanto custeia em armas para nossa polícia parcos R$ 380 mil (depois a culpa da violência é do crack, e ponto final!).

Dados chocantes e vergonhosos como estes estão no Portal da Transparência do Desgoverno. Sugiro uma visita e uma prova de virtude cívica na checagem dos dados: o endereço é www.transparencia.al.gov.br .

Esta é parte da contabilidade do governo do AI 45. Mas o principal e o mais dolorido não são os indicadores da má gestão, e sim os indícios claros e explícitos de descaso para com os servidores públicos (e por tabela com a sociedade em geral).

É como se eles pensassem assim: “só pago na minha ilustre ‘política de reajuste’ menos de 6% de aumento. E se lambuzem com esta benesse da gestão pública alagoana. Se vocês recebem R$ 1 mil reais, ganharão quase R$ 60 de reposição. Reclamar para quê? Este dinheiro é suficiente para o servidor vândalo que o estado ainda tem que suportar! Ahhhh, não aceitam? Querem discutir, debater, dialogar? Não pago mais! Serve 7%? Quem sabe, mês que vem, implantamos este montante estupendo em 1000 parcelas...”

Alagoas tem pressa e por isso come cru e quente, há anos atolada em descaminhos.

Servidores públicos, não desanimem! Agrupem-se em movimentos ordeiros, respeitosos, e em especial bravos e destemidos em busca do respeito que vocês merecem.

E não se curvem à ditadura tucana das contabilidades maléficas.

Sigam-me: twitter.com/weltonroberto

Uma Policial disse...

O problema da não adesão dos militares do BOPE e da RP não é por falta de coragem, muito pelo contrário, mas sim por falta de apoio na "retaguarda", pois depois que a caneta começa a vadiar, e a movimentações são a forma branda de punir, não aparece nenhuma associação com os seus advogados para apoiar os perseguidos. Ou alguém se esqueceu do que aconteceu em 05 de maio de 2009, onde mais de 50 militares foram punidos e as associações não defenderam ninguém?

Anônimo disse...

[O problema da não adesão dos militares do BOPE e da RP não é por falta de coragem, muito pelo contrário, mas sim por falta de apoio na "retaguarda", pois depois que a caneta começa a vadiar, e a movimentações são a forma branda de punir, não aparece nenhuma associação com os seus advogados para apoiar os perseguidos. Ou alguém se esqueceu do que aconteceu em 05 de maio de 2009, onde mais de 50 militares foram punidos e as associações não defenderam ninguém?]


É COMPANHEIRO... PRA MIM, VOCÊ QUASE TEM RAZÃO (SEM QUERER DESRESPEITAR SUA OPINIÃO, CLARO). EU FUI UMA DAS PESSOAS PUNIDAS NAQUELA ÉPOCA, E ESTOU DANDO A CARA A TAPA DE NOVO. SEGURAMENTE, MINHA FAMÍLIA MERECE MAIS DO QUE AS CONDIÇÕES DE LOGÍSTICA QUE OFEREÇO, E PRINCIPALMENTE, EU MEREÇO TRABALHAR COM O MÍNIMO DE DIGNIDADE E RESPEITO. OS QUE NOS CERCAM NÃO PRECISAM GOSTAR DA GENTE, MAS TÊM QUE NOS RESPEITAR! E OS QUE DETÉM O "PODER-DEVER" DE NOS REMUNERAR, QUE O FAÇAM BEM FEITO, MAS ISSO SÓ ACONTECERÁ SE MANIFESTARMOS NESTE SENTIDO - SIM, QUERO E MEREÇO RESPEITO PROFISSIONAL! E LUTAREI POR ISSO SEMPRE, SEM MEDO E SEM DESRESPEITAR NINGUÉM, POIS SE PEÇO RESPEITO, ASSIM DEVO RESPEITAR.

E AO SAUDOSO DOUTOR WELTON ROBERTO, UM GRANDE ABRAÇO!

Anônimo disse...

Tmbem fui um dos punidose novamete estou botando a cara a tapa, desaquartelei e jah abriram um PDO contra mim, so que desta vez eu meto na justica.

OBS: Anonimo, companheirao, porque saudoso welton roberto? ele morreu? kakakakakakka

brincadeira meu chapa, fui!

Jenésio, o Pecador disse...

Essa saudade deve dizer coisas que certamente devem deixar o povo de Deus horrorizado!

Anônimo disse...

jenésio, tu é mala mesmo... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Jenésio, o Pecador disse...

Eu só não sou santo!!

Anônimo disse...

Jenesio, pelo menos vc adimite que nao é santo. pior sao nossos comandantes, em especial dario cesar e luciano, que nao sao santos, pelo contrario, sao demonios e pregam e pagam de santinhos....

indignado disse...

O problema é que os nossos companheiros do BOPE e da RP tem mania de superioridade.Fazem questão de não se identificarem com o restante da tropa ,que na boca deles, são os batalhões de simples PMs.outra coisa é o medo de perderem a farda preta e o braçal.Diante disso,duvido muito da adesão deles no movimento.

Uma Policial disse...

Outro dia eu propus que fosse fechado o aeroporto e os batalhões de área como forma de pressionar o governo a negociar conosco... Pois bem, andei pensando sobre isso, e, que tal se incluíssemos também o PORTO? Pense no "baque" que seria para a economia se houvesse um "fechamento" do aeroporto, do porto e dos batalhões e área. Isso aqui ficaria pior do que já está, além do que seria sentido com mais "facilidade", haja vista que causaria impacto nas arrecadações tributárias do Estado.

OBSERVADOR (parte 01) disse...

Nomeação de coronel da PM abre crise

Decisão representa retrocesso para investigações e gera repúdio nacional ao governo de Alagoas

| FELIPE FARIAS – Repórter

Dirigentes do Conselho da Associação Brasileira de Criminalística informaram aos colegas alagoanos que nos dias 6 e 7 de junho haverá uma assembleia em Alagoas. Mas a reunião não vem revestida do clima de evento ou convenção: tem o caráter pesado de convocação extraordinária, dessas feitas a propósito de crises, e é motivada pelo que a Secretaria de Defesa Social fez com a perícia oficial do Estado.
A exoneração da ex-chefe do setor e a nomeação de um coronel da Polícia Militar para o lugar dela foram tachadas de retrocesso, de militarização de uma área que precisa ter autonomia e motivaram críticas e notas oficiais levadas a público e remetidas ao governo de Alagoas por associações de classe dos peritos de todo o País.
“Não questionamos o ato da exoneração em si, porque não existe o apego aos cargos. Questionamos a nomeação de alguém estranho à atividade de perito. Isso fere a autonomia da perícia e que é recomendada pela ONU, por órgãos de defesa dos direitos humanos e tem sido uma tendência já adotada pela segurança pública de todo o Brasil”, disse Rosana Coutinho, diretora do Instituto de Criminalística (IC).

Um passo à frente e dois atrás
A nomeação do coronel Roberto Liberato para o cargo de perito-geral deu início a uma sucessão de reações que emprestaram tom de crise ao episódio. Mas, antes dele, a mudança realizada pelo governo foi, ao contrário, muitíssimo bem recebida pelo segmento.
Publicada na edição de 9 de abril deste ano do Diário Oficial, a Lei Delegada nº 44 criou, entre outros órgãos, a Perícia Oficial do Estado de Alagoas (PO/AL).
Entre diretores, coordenadores, gerentes e funções gratificadas, há um total de 107 cargos. Alguns deles com salários de R$ 7 mil a até mais de R$ 10 mil.
Além de cargos ligados a setores de Material, Patrimônio, Transportes e Informática, presentes em qualquer outra repartição ou empresa, a lei criou gerências de Perícia de Trânsito, Núcleo de Balística, de DNA Forense, de Fonética Forense, Fotografia e Desenho e de Custódia de Vestígios. Ou seja: dá estrutura administrativa a um órgão totalmente voltado para o trabalho de perícia.

Luta por autonomia prevalece
A sucessão de episódios que transformaram a mudança no comando da Perícia Oficial de Alagoas numa novela digna de série de televisão começou pela forma como se deu a exoneração da diretora do extinto CPFor: Ana Márcia Nunes Mello Mattos (assim como todos os demais peritos) soube da mudança pelo Diário Oficial, depois que a alteração já estava consumada.
Por estranho que pareça, isso pesou pouco na reação. Nas declarações e notas oficiais (daqui e de peritos de outros Estados) não há menção ao detalhe.
O que pesou mesmo foi a identificação de quem era citado na portaria de nomeação publicada na mesma edição do Diário Oficial que trouxe a da exoneração dela: um oficial da PM.
No mesmo dia, os diretores do IML e do Instituto de Criminalística entregaram seus cargos e a categoria fechou questão em torno da atitude que deveriam ter médicos-legistas e peritos criminais a partir dali: ninguém aceitaria os cargos vagos.

OBSERVADOR (parte 02) disse...

TEXTOS ENVIADOS POR PERITOS DE TODO O BRASIL AO GOVERNADOR

TEOTONIO VILELA FILHO
Após saberem da mudança, peritos de todo o País trocaram mensagens eletrônicas conclamando reação ou manifestando-a em textos ácidos. Nas primeiras, havia o endereço virtual do gabinete do governador de Alagoas, para onde os textos foram endereçados. A Gazeta teve acesso a alguns deles. Vejas trechos abaixo.
“Certamente Teotônio Vilela (pai), onde esteja, está envergonhado da atitude do seu filho Teotonio Vilela Filho, governador de Alagoas, por atitude tão antidemocrática e ditatorial ao ver seu nome sendo chafurdado na lama dos prepotentes”
Celito Cordioli
Perito criminal e presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais de Santa Catarina(Sinposc)

“Retrocesso na Segurança Pública, ou dizer, coronelismo atuando na área da Perícia Criminal”
“É, pois, um flagrante retrocesso e que, se não me falha a memória, não se viu nem na época dos anos de chumbo!!!”
Décio de Moura Mallmith
Perito criminalístico e presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais da Área Criminal do RS (Acrigs)


“Faltou àquele que aceitou tal encargo aquilo que se espera de um bom profissional: reconhecer a capacidade dos outros profissionais e, antes de tudo, restringir-se à atribuição do seu cargo de oficial da Polícia Militar, prevista constitucionalmente, que é o policiamento ostensivo”
Miguel Alves da Silva Neto
Perito criminal e ex-diretor do Instituto de Criminalística do Maranhão


“Mais sério que ser secretário de Segurança Pública, é um policial militar comandar ou gerir um Instituto de Criminalística Estadual, tal funcionário nunca executou um Laudo Pericial, quiçá, leu alguns. Então? Como terá o respeito dos colegas? Só se for à força”
“Por que não invertemos o raciocínio e admitimos um perito criminal comandar a Polícia Militar do Estado de Alagoas?”
A. Carlos de Castro Barreto
Perito (DF)


“Essa atitude vai na contramão de qualquer Estado Democrático de Direito e na reversão do processo de consagração e desenvolvimento da Perícia Criminal de todo o País”
Eliane Baruch
Perita (SP)


Organismos internacionais recomendam autonomia
No período de 2003 a 2009, o advogado alagoano Pedro Montenegro respondeu por dois cargos na Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República: ouvidor-geral e coordenador-geral de Combate à Tortura – no ano de 2006 acumulou ambos. Condições que o habilitam a cobrar a separação entre perícia e polícia.
“Uma perícia malfeita, que não significa nem que isso seja por má-fé, pode induzir o julgador – juiz, jurados, Ministério Público e até os advogados – ao erro”.
Ele admite que, na prática, há diferenças entre os tipos de prova, no curso de um processo: “No nosso sistema jurídico, não há valoração das provas, ou seja: uma prova testemunhal tem o mesmo peso de uma prova científica. Mas é indiscutível que existe a tendência de se dar mais valor à prova pericial porque a prova testemunhal sempre representará o ponto de vista de alguém, enquanto que a prova técnica, não. Por isso, a tendência é de dar mais valor à prova pericial”.

Não pedi para assumir, diz coronel
Nomeado por indicação pessoal do secretário de Defesa Social, coronel PM Dário César, o novo perito oficial-geral, coronel PM Roberto Liberato, diz que não pediu para assumir o cargo.
“Não pedi para assumir. Foi-me formulado um convite pela Secretaria de Defesa Social por conta da situação vivenciada por mim na corporação [Polícia Militar]. Nos 8 anos em que atuamos como subdiretor e diretor de Finanças fizemos várias gestões que dinamizaram o custeio da corporação. Por conta dessa atuação, nas áreas administrativa e operacional, e por ser médico, foi-me feito o convite”.
Ele fez um apelo para que a situação seja contornada. “Eu vim para agregar. Não quero dividir. O que quero é dar condições para que os órgãos que compõem a Perícia Oficial possam trabalhar, funcionar bem e prestar um bom serviço”.

Seu Madruga disse...

Diante das palavras do coronel PM Roberto Liberato, que disse: “Eu vim para agregar. Não quero dividir. O que quero é dar condições para que os órgãos que compõem a Perícia Oficial possam trabalhar, funcionar bem e prestar um bom serviço, nós podemos concluir que o mesmo disse que antes da sua chegada NÃO HAVIA CONDIÇÕES PARA QUE OS ÓRGÃOS DA PERÍCIA OFICIAL PUDESSEM TRABALHAR, FUNCIONAR BEM E PRESTAR UM BOM SERVIÇO.

Diante disso, pergunto: E VAI SER ESSE CIDADÃO QUE VAI SER O "SALVADOR DA PÁTRIA"?

Por fim, um conselho: coronel Liberato, se o senhor quer mesmo agregar e se realmente não quer dividir, PEÇA PARA SAIR!

Anônimo disse...

JESUS DISSE: UM REINO DIVIDIDO NÃO SUBSISTE, TEMOS UMA POLÍCIA DIVIDIDA(FRACIONADA)FALO A RESPEITO DE UNIFORME,NÃO SEI PRÁ QUE TANTA FARDA, BOPE É PRETO OU CAMUFLADO, CAVALARIA OUTRO, FLORESTAL OUTRO UNIFORME, É POR ISSO QUE FALTA POLICIAIS NAS RUAS, SR. CMT ACABE COM ESSA SALADA DE UNIFORME NA CORPORAÇÃO E FAÇA UMA POLÍCIA SÓ PARA COMBATER O CRIME EM ALAGOAS, DEPOIS QUE INVENTARÃO ESSE TAL,PELOPES, QUE NÃO SAI DOS QUARTEIS, DIMINUIU O EFETIVO NAS RUAS, ENQUANTO UMA VIATURA CHAMADA DE R/P FICA NA RUA DOZE HORAS COM CINCO OU MAS OCORRÊNCIAS COM DOIS OU TRÊS PMs, FICA O PELOPES NUM QUARTEL DORMINDO, AS VEZES QUANDO SAI, FAZ UMA RONDA DE CINCO MINUTOS E VOLTA PARA O QUARTEL, O MELHOR É ACABAR COM ESSES UNIFORMES, SER UM UNIFORME PADRÃO PARA TODOS OS BATALHÕES E ACABAR COM OS PELOPES, A SOCIEDADE PENDA QUE O PELOPES É OUTRA POLÍCIA, SE ACEITA MEU CONSELHO,BEM IRÁ, E SABERÁ QUE A MINHA CRÍTCA TEM FUNDAMENTO, OS QUE VESTEM FARDAS PRETA OU OUTRA, QUEREM SER MELHOR QUE OS DEMAIS, SE NÃO SABE, A POLÍCIA DE SÃO PAULO ACABOU COM ESSA SALADA DE FARDAS, O BOPE É O UNIFORME DOS DEMAIS, ESPERO VÊR ESSA POLÍCIA COM UM SÓ UNIFOME.

Anônimo disse...

Se todos os nossos problemas se resolvessem por causa de uma troca de uniforme... rapaz, não quero saber se o cara veste preto, caqui, rajado, pode até vestir rosa (o sonho do Bomfa!), mas que seja bem remunerado e valorizado, com viaturas, coletes, armamento e apoio de quem está lá em cima. No mais, para quem se acha melhor do que os outros pq usa preto ou braçal, só tenho a dizer que sinto pena de vcs (Ouviram Major Jairisson embusteiro e capitão Braga SWAT telecurso 2º Grau)

Anônimo disse...

[Tmbem fui um dos punidose novamete estou botando a cara a tapa, desaquartelei e jah abriram um PDO contra mim, so que desta vez eu meto na justica.

OBS: Anonimo, companheirao, porque saudoso welton roberto? ele morreu? kakakakakakka

brincadeira meu chapa, fui!]

HIHIHIHIH ESSA FOI BOA!!!
É QUE ELE FOI MEU PROFESSOR EM 2004 (EU ACHO) E DESDE ENTÃO NÃO O VI MAIS. UM DOS POUCOS PROFESSORES REALMENTE INTERESSADO NO TRABALHO QUE FAZ. MUITO EMPENHADO PARA QUE APRENDÊSSEMOS.

VALEU PELA BRINCADEIRA! :D

.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver