Palavras de um COVARDE

Passados os momentos de euforia – poeira assentada – venho me reportar aos senhores sobre os fatos de ontem e hoje.
Pela manhã, retornei do HEMOAL, onde fiz a minha doação de sangue. Informei por escrito ao comandante do meu batalhão e estou devidamente desaquartelado, conforme deliberação de ontem. Apoio irrestrito ao movimento: é o que estamos vendo sem distinção em todas as unidades da PMAL.
Hoje eu quero falar sobre o insensato e ditador Dário, o César. Fiquei estarrecido com seus comentários desastrosos na mídia (mídia é com ele mesmo) e penso que nosso supremo chefe está sofrendo de alguma perturbação mental (ou seria dispepsia mental?). Pois só isto justificaria o seu comportamento arrogante e prepotente neste momento.
Calçado em que, o senhor Dadá, do alto da sua empáfia e insensibilidade, acredita que vá punir a todos nós, e confiando-se em quem o senhor secretário acredita que terá a força para atuar contra nós? O que o faz pensar, senhor comandante da SEDS, que o senhor comanda ainda alguma coisa depois da manifestação de ontem? Com qual exército o senhor há de se servir para sustentar as suas bravatas?
Cuidado, secretário! Respeitamos a instituição militar, e por conta disso não invadimos ontem o Quartel do Comando Geral, e nem o Palácio dos Martírios. Não invadimos, não por respeito às pessoas dos senhores Chefes do Executivo, mas sim pela Polícia Militar de Alagoas e pelo Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, que são instituições muito maiores do que os seus comandantes e das quais o senhor não está à altura! Cuidado, secretário: os discursos que o senhor anda fazendo sem medidas estão insuflando a já irritada tropa. Respeite os servidores, respeite as Praças e Oficiais que estiveram ontem presentes e que não aceitam mais o seu chicote e as migalhas que o Estado está a nos dar. Não somos palhaços, senhor secretário.
A sociedade, e agora a imprensa, está conosco. Os reais jornalistas sérios não estão contra o povo, basta ler outras notícias, Dadá, que não escritas pelo “alegre” (em inglês) jornalista Pedro Oliveira (quem é mesmo esse João Ninguém?) seguidor do seu twitter, a segurar seu charuto com uma das mãos e a bajular o senhor com a outra, nem as escritas pelo senil Roberto Villanova no site oficial do governo, a saber:
"A insubordinação de não terem ido trabalhar no aeroporto, prejudicando o povo, deve merecer punição radical e exemplar porque o militar é para cumprir ordens e não para promover desordens. Não quero com isso dizer que a reivindicação deles não seja justa, mas é preciso entender que o militar pertence a uma categoria de servidor público diferente porque detêm o privilégio de portar armas.
Um lembrete: o militarismo não é emprego nem função. O militarismo é vocação e missão, porque uma farda e uma arma nas mãos de quem não tem vocação é uma ameaça à sociedade e às instituições. Ontem foi o prédio da Assembléia Legislativa e o Palácio do Governo, e amanhã pode ser o prédio do Tribunal de Justiça, do Ministério Público e quem sabe uma invasão ao Supremo Tribunal Federal?" Roberto Villanova, Cada Minuto
"@dariocesar_ É preciso rigor nas punições secretário. Esses caras afrontaram uma sociedade e praticaram vandalismo." @PedroOliveiraAL, via Twitter
"Gente amiga estou saindo. Cuidar da vida que é trabalho.Deixo com vocês um bando de babacas revoltados com minha opinião. Pobres coitados!" @pedroOliveiraAL, pelo Twitter
Mas sim as verdadeiras notícias de um jornalismo correto, centrado e apartidário, que relatam o que realmente aconteceu ontem e o que esta para acontecer:
"Ora, um movimento sob o comando do PT e da CUT tem tudo para arregimentar muito mais do que um pequeno grupo. Se quiserem, os líderes podem levar um exército para o meio da rua. Mais do que nunca, o poderio de mobilização dos companheiros é algo sem limites, inédito na história do País." Blog do Célio Gomes – Gazetaweb
"Não justifica, porém, que alguns líderes de servidores desconsiderem que os policiais – civis e militares – formam categorias diferenciadas entre os servidores públicos: eles usam armas, o que pode se tornar, em um momento de tensão, um risco para o conjunto da população. Mesmo que as lideranças – e assim creio – evitem portar seus instrumentos de trabalho nas manifestações, quem já participou de qualquer movimento de massa sabe que é impossível controlar o coletivo, quando ele se enfurece.
Lamentavelmente, em todos os episódios mencionados não apareceu absolutamente ninguém, nem qualquer entidade ou instituição, que se propusesse a intermediar uma trégua.
É uma omissão pela qual podemos pagar todos nós." Ricardo Motta – Tudo Na Hora
O senhor deve recuar agora, para evitar um confronto de proporções catastróficas para o Estado e para os senhores mesmos. O senhor viu o que uma marcha pacífica de pouco mais de 2.000 servidores aos quais o senhor humilhou, difamou, desrespeitou, é capaz de fazer? Todo poder emana do POVO, secretário, e nos somos o povo! Quem é o senhor para descredenciar e chamar o POVO de vândalos? Quem é o senhor? Um vagabundo que mamou nas tetas estatais, que mal tirou serviço na PMAL e já está reformado. O senhor não tem a mínima envergadura moral para sequer dirigir-se a nós.
Prepare-se, depois de amanhã daremos ao senhor uma resposta à sua altura e assim o senhor saberá o que todos já sabem: que o senhor não tem mais o respeito da sua tropa e nem o domínio de seu cargo.
Não iremos jamais permitir que nos insulte desta maneira:
A SEXTA-FEIRA PROMETE SER QUENTE!

15 comentários :

Represália (parte 01) disse...

BOLETIM GERAL OSTENSIVO Nº 088 DE 11 DE MAIO DE 2011

Portaria nº 032 - IPM-CG/CORREG, de 11 de maio de 2011.
O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas
atribuições e considerando o que prescreve o Art. 10, letra “b”, do CPPM, RESOLVE designar o Oficial
abaixo para, através de IPM, apurar suposta prática de crime militar por Integrante(s) desta Corporação,
conforme demonstra documentos em anexo.
Oficial Designado: Ten Cel Mat 79547 THULIO ROBERTO EMERY DOS SANTOS
Indiciado: Maj QOA Mat 73919 WELLINGTON RODRIGUES FRAGOSO
Documentos Anexos: Parte 002/2011-GSCG; Parte nº 446/11-CIODS; Of. nº 122/11-1º BPM; Parte
nº 164/11 – Gab Oficial de Dia do QCG; Informes da PM/2; Matérias em jornais eletrônicos; Recortes de
jornais locais; 02 DVD’s e 01 CD contendo fotos, vídeos e áudios.
Em consequência, o Encarregado pelo IPM compareça à Corregedoria no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, para o recebimento da Portaria e demais documentos.
Publique-se.
Cumpra-se.

Represália (parte 02) disse...

BOLETIM GERAL OSTENSIVO Nº 088 DE 11 DE MAIO DE 2011

Portaria nº 033 - IPM-CG/CORREG, de 11 de maio de 2011: O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições e considerando o que
prescreve o Art. 10, letra “b”, do CPPM, RESOLVE designar o Oficial abaixo para, através de IPM, apurar suposta prática de crime militar por Integrante(s) desta Corporação, conforme demonstra documentos em anexo.
Oficial Designado: Cap QOC Mat 80027 MARCELO DA FONSECA CARNAUBA
Indiciado: Cb Mat 78009 WAGNER SIMAS FILHO
Documentos Anexos: Parte 002/2011-GSCG; Parte nº 446/11-CIODS; Of. nº 122/11-1º BPM; Parte nº 164/11 – Gab Oficial de Dia do QCG; Informes da PM/2; Matérias em jornais eletrônicos; Recortes de jornais locais; 02 DVD’s e 01 CD contendo fotos, vídeos e áudios.
Em consequência, o Encarregado pelo IPM compareça à Corregedoria no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, para o recebimento da Portaria e demais documentos.
Publique-se.
Cumpra-se.

Sócio da ASSOMAL disse...

Após dar início ao desaquartelamento que ocorreu às 19h00 desta terça-feira (10) e irá se prolongar até quinta-feira (12), os líderes militares começaram a passar em todos os quartéis com a finalidade de impedir pacificamente, por meio do diálogo, que os companheiros de fard a trabalhem durante as 48 horas. E, este posicionamento dos militares já mexe com o funcionamento de vários órgãos que necessitam da contribuição do Estado, entre eles o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares.

Dezenas de militares estiveram no Quartel Central Geral do Corpo de Bombeiros, situado no bairro do Trapiche para conversar com alguns bombeiros que chegaram para trabalhar a fim de buscar a adesão de todos ao desaquartelamento. De acordo com a soldado do CBMAL, Stephany Domingos, que chegou ao quartel para saber se trabalhava ou não, o movimento é legítimo e a adesão de todos é necessária para que o Governo do Estado saiba que ninguém está de brincadeira. “A gente precisa se unir em prol do benefício de todos, pois o reajuste salarial é uma reivindicação geral”, disse Domingos.

Para maiores informações, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000383

Sócio da ASSOMAL disse...

Na tarde desta quarta-feira (11), o principal assunto relatado pelos deputados, em sessão na Assembleia Legislativa de Alagoas foi à manifestação ocorrida ontem (10), na qual alguns servidores públicos que participavam do movimento derrubaram grades, jogaram bomba e atingiram janelas da Casa Tavares Bastos em tom de revolta devido o aumento do salário que os deputados aprovaram para si mesmos, de 9,6 mil para 20 mil reais .

Judson Cabral, deputado do PT, foi o primeiro a falar acerca do ocorrido. Ele pediu que os líderes das associações militares fossem recebidos pelos deputados que integram a Mesa Diretora.

Para maiores informações, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000386

Anônimo disse...

Estamos REVOLTADOS!

As palavras do secretario so fazem aumentar a nossa furia.

Vamos invadir a secretaria e colocar ela de la pra fora aos pontapes

quero ver expulsar a todos.

COMPANHEIROS QUE ESTIVEREM DE SERVICO: NAO SE ENVOLVAM!!!! Nao queremos confronto.

Sd 2010 formado em direito sabe mais que coronel fechado disse...

Senhor vagabundo que atende pelo nome de Dário César:

Tenha vergonha! Uma faculdade de direito, 30 anos como PM e o senhor ainda não sabe o que é um crime militar?

Mas roubar voce sabe, nao sabe?

Leia o artigo 9 do Codigo Penal Militar, seu anta! Especificamente o item II. Assim voce perceberá nobre RÁBULA, que o crime que o senhor esta tentando enquadrar os militares, é impossivel no CPM (que significa código penal militar, para o senhor saber caso nao saiba o que é CPM e confunda com o colegiozinho da Fatima Escaliante), pois so pode ser praticado contra admnistracao militar ou lugar sujeita as mesmas.

Procure seu lugar, seboso!

Mar menino, repara só, um coroné de pulicia que num sabe nem das suas proprias leis, precisa o sordado 2010 ensinar, tô morto!

Represália (parte 01) disse...

BOLETIM GERAL OSTENSIVO Nº 088 DE 11 DE MAIO DE 2011

Portaria nº 032 - IPM-CG/CORREG, de 11 de maio de 2011.
O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas
atribuições e considerando o que prescreve o Art. 10, letra “b”, do CPPM, RESOLVE designar o Oficial
abaixo para, através de IPM, apurar suposta prática de crime militar por Integrante(s) desta Corporação,
conforme demonstra documentos em anexo.
Oficial Designado: Ten Cel Mat 79547 THULIO ROBERTO EMERY DOS SANTOS
Indiciado: Maj QOA Mat 73919 WELLINGTON RODRIGUES FRAGOSO
Documentos Anexos: Parte 002/2011-GSCG; Parte nº 446/11-CIODS; Of. nº 122/11-1º BPM; Parte
nº 164/11 – Gab Oficial de Dia do QCG; Informes da PM/2; Matérias em jornais eletrônicos; Recortes de
jornais locais; 02 DVD’s e 01 CD contendo fotos, vídeos e áudios.
Em consequência, o Encarregado pelo IPM compareça à Corregedoria no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, para o recebimento da Portaria e demais documentos.
Publique-se.
Cumpra-se.

Represália (parte 02) disse...

BOLETIM GERAL OSTENSIVO Nº 088 DE 11 DE MAIO DE 2011

Portaria nº 033 - IPM-CG/CORREG, de 11 de maio de 2011: O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições e considerando o que
prescreve o Art. 10, letra “b”, do CPPM, RESOLVE designar o Oficial abaixo para, através de IPM, apurar suposta prática de crime militar por Integrante(s) desta Corporação, conforme demonstra documentos em anexo.
Oficial Designado: Cap QOC Mat 80027 MARCELO DA FONSECA CARNAUBA
Indiciado: Cb Mat 78009 WAGNER SIMAS FILHO
Documentos Anexos: Parte 002/2011-GSCG; Parte nº 446/11-CIODS; Of. nº 122/11-1º BPM; Parte nº 164/11 – Gab Oficial de Dia do QCG; Informes da PM/2; Matérias em jornais eletrônicos; Recortes de jornais locais; 02 DVD’s e 01 CD contendo fotos, vídeos e áudios.
Em consequência, o Encarregado pelo IPM compareça à Corregedoria no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, para o recebimento da Portaria e demais documentos.
Publique-se.
Cumpra-se.

Anônimo disse...

Faltou incluir o Soares e o Teobaldo!

Soldado Mei Doido e Doido e Meio disse...

Vejam bem, esses caras da PM2 não tem juizo. Eu ja fiz parte de lé e sei quem são os militares que lá trabalham. Se eu os encontrar fotografando quem quer que seja, vão pro cacete e vou atirálos à tropa enfurecida, como foi feito com Daniel, na cova dos leões. Lembrem-se que lá os leões dormiam, aqui a tropa ruge ( de fome, contas atrasadas, salário indigno, entre outras ofensas dessa corja de FDP que acha que comanda a segurança). Senhores comandantes parem de inflamar a tropa, vai ser pior pra voces...
Ontem o Comandante do 4º BPM disse que nao pegaria ninguem à força pra trabalhar, resultado, os caras ficaram com medinho e entraram de serviço. Uma renca de praça, que como Dadá e Lulú nao honram as calças que vestem. Cuidado mais uma vez...
Quem avisa amigo é. Estava calado até agora, mas com meu atestado de insanidade posso me " INSANIZAR" dentro do qcg e fazer um favor a muita gente. Vixe que bixiga de Cmte. frutinha...

Anônimo disse...

Vamo chamar a atenção como foi feita com os companheiros do CB que servem no aeroporto, vamos parar o Estado por uma tarde em algum setor que traga bastante prejuizo aos bolsos dos governantes. Reflitam...

Moraes Júnior disse...

Deputados saqueiam cofres, mas vândalos são os manifestantes

O escárnio da Assembléia Legislativa de Alagoas, do governo Téo Vilela e da imprensa alagoana com o povo é algo surreal. Destacar a revolta de trabalhadores como "vandalismo" é cínico, muito cínico. Em plena manifestação dos servidores da segurança pública por reajustes salariais, os parlamentares do legislativo estadual votaram a derrubada do veto do Governo alagoano ao reajuste salarial de 109% concedido pelos deputados a si mesmos. Agora pense que você é um servidor público que põe sua vida em risco diariamente, ganha pouco e ainda recebe 5,9% de reajuste salarial em duas parcelas. Que enquanto o Governador se nega a negociar melhores condições, a Justiça cassa o teu direito de greve. E no momento em que você protesta em frente ao parlamento, dito "a casa do povo", os deputados se presenteiam com um reajuste salarial de 109%. Com um detalhe, você não é um inseto e, portanto, não tem sangue de barata. O que você faria? Pois é. Foi exatamente isso o que os trabalhadores ali fizeram. Reagiram indignados com tanto desrespeito. Mas, dia seguinte, a imprensa subserviente de Alagoas estampa o suposto "vandalismo", a "violencia" dos manifestantes. Vandalismo, não,

direito de defesa. Se alguém entra na sua casa e tenta te agredir ou te roubar e você reage é direito de defesa. E Alagoas é propriedade dos alagoanos. A Casa de Tavares Bastos deveria ser a "casa do povo", conforme já dissemos, e essa casa foi roubada em R$ 300 milhões até onde a Polícia Federal apurou. E mais, a sangria continua. São centenas de apadrinhados empregados com o dinheiro público. Ninguém, absolutamente ninguém sabe quando ganha e quanto gasta um Deputado Estadual alagoano. Ou seja, nós continuamos assistindo a "nossa casa" sendo vilipendiada. Sem reação? Não. Finalmente alguém reagiu. Lamentavelmente não conseguiram ocupar aquele prédio histórico, mais uma vez, e por contra a parede os desqualificados que estão a tripudiar da miséria do nosso povo. Pena mesmo que não vimos se repetir o agosto de 1997 quando o povo encurralou seus algozes e pôs para fora Divaldo Suruagy.

Moraes Júnior disse...

O escárnio da Assembléia Legislativa de Alagoas, do governo Téo Vilela e da imprensa alagoana com o povo é algo surreal. Destacar a revolta de trabalhadores como "vandalismo" é cínico, muito cínico. Em plena manifestação dos servidores da segurança pública por reajustes salariais, os parlamentares do legislativo estadual votaram a derrubada do veto do Governo alagoano ao reajuste salarial de 109% concedido pelos deputados a si mesmos. Agora pense que você é um servidor público que põe sua vida em risco diariamente, ganha pouco e ainda recebe 5,9% de reajuste salarial em duas parcelas. Que enquanto o Governador se nega a negociar melhores condições, a Justiça cassa o teu direito de greve. E no momento em que você protesta em frente ao parlamento, dito "a casa do povo", os deputados se presenteiam com um reajuste salarial de 109%. Com um detalhe, você não é um inseto e, portanto, não tem sangue de barata. O que você faria? Pois é. Foi exatamente isso o que os trabalhadores ali fizeram. Reagiram indignados com tanto desrespeito. Mas, dia seguinte, a imprensa subserviente de Alagoas estampa o suposto "vandalismo", a "violencia" dos manifestantes. Vandalismo, não, direito de defesa. Se alguém entra na sua casa e tenta te agredir ou te roubar e você reage é direito de defesa. E Alagoas é propriedade dos alagoanos. A Casa de Tavares Bastos deveria ser a "casa do povo", conforme já dissemos, e essa casa foi roubada em R$ 300 milhões até onde a Polícia Federal apurou. E mais, a sangria continua. São centenas de apadrinhados empregados com o dinheiro público. Ninguém, absolutamente ninguém sabe quando ganha e quanto gasta um Deputado Estadual alagoano. Ou seja, nós continuamos assistindo a "nossa casa" sendo vilipendiada. Sem reação? Não. Finalmente alguém reagiu. Lamentavelmente não conseguiram ocupar aquele prédio histórico, mais uma vez, e por contra a parede os desqualificados que estão a tripudiar da miséria do nosso povo. Pena mesmo que não vimos se repetir o agosto de 1997 quando o povo encurralou seus algozes e pôs para fora Divaldo Suruagy.

NOTA DE REPÚDIO disse...

Nota de repúdio dos servidores públicos estaduais de Alagoas

O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais de Alagoas repudia veementemente as atitudes do secretário de Defesa Social Dário César Barros Cavalcante e do Comandante Geral da Polícia Militar de Alagoas, Coronel Luciano Silva pela forma ameaçadora, abusiva e arbitrária em desfavor dos líderes militares, especialmente ao Major Wellington Fragoso (presidente da ASSOMAL), sargento Teobaldo de Almeida (presidente da ASSMAL), Cabo José Soares (presidente da ACS), Cabo Wagner Simas (presidente da ASPRA).

Para ler toda nota de repúdio, clique: http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000387

Uma Policial disse...

Realmente, Dário César: "Os fins não justificam os meios! Todos temos direitos e obrigações".

Mas "quando o direito ignora a realidade, a realidade vira-lhe as costas".

Traduzindo: quando as obrigações não são cumpridas pelos governos e os direitos não são respeitados por vocês, em especial você e o luciano, temos como consequência a situação que se manifestou em 10/05/11, uma data que vai entrar para a história.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver