"Cabueta"

Cenas de horror, monstruosidade e intolerância foram registradas na madrugada deste domingo, 24, no Conjunto Carminha, no bairro do Benedito Bentes, em Maceió. Uma mulher foi arrancada de casa, enquanto dormia junto com seus filhos, e foi esquartejada na principal avenida do conjunto.
A barbárie aconteceu durante a madrugada, enquanto a doméstica Maria de Lourdes Farias de Melo, 27, dormia em sua residência, localizada na quadra N, nº 23. "A porta foi arrombada e provavelmente os assassinos a tiraram da cama enquanto dormia, junto com dois filhos. Ela foi assassinada há pouco mais de 200 metros de sua residência. Os vizinhos chegaram a ouvir dois tiros", disse o tenente Celso, do 5º Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, junto com equipes do Batalhão de Polícia de Rádio Patrulha.
A cena é monstruosa. Na avenida que liga o conjunto ao Aterro Sanitário, principal via de acesso, o corpo da mulher sangrava bastante, visto os membros amputados. Ela estava deitada, com o ventre para cima, sem a cabeça e o braço esquerdo decepado, ao lado do corpo. A cabeça estava há pouco mais de 20 metros do corpo. "Também encontramos um revólver municiado ao lado do corpo. Quem fez isso deve ter se assustado com alguma movimentação e saiu às pressas", disse o oficial.
Como se não bastasse a crueldade do assassinato, os monstros que fizeram o crime bárbaro ainda usaram um dos membros da vítima para escrever na parede da residência que fica ao lado onde o corpo foi encontrado as palavras "CABUETA". A polícia suspeita que o nome tenha sido escrito com o braço da vítima. Os assassinos tentaram colocar a cabeça de Maria de Lurdes em uma estaca, lembrando outro crime ocorrido no mesmo local, na páscoa deste ano.
2º ESQUARTEJAMENTO DE MULHER
Não é a primeira vez que uma mulher é esquartejada no Conjunto Carminha. Em outubro do ano passado, precisamente no dia 22 de outubro de 2010, outra doméstica, Valderez Nascimento de Sena, 41, também foi brutalmente assassinada, dias depois de ter denunciado um vizinho, por tráfico de drogas. Em cima de seu corpo, os assassinos deixaram um bilhete com a mesma palavra "CABUETA".
Um crime brutal, que se repete, e precisa ser esclarecido com urgência pelas autoridades competentes.
OBS: Assim que soube desse crime macabro, a cúpula da segurança pública tratou de abafar o caso determinando que o corpo fosse recolhido rapidamente, tentando evitar que o fato fosse divulgado amplamente pela imprensa. Porém, como nem todos coadunam com as "políticas" adotadas pelos nossos gestores, alguém tratou de contribuir com a divulgação deste episódio, mesmo após a "advertência" de que não acionassem a imprensa. Afinal, para uma "meia dúzia", a quem só interessa as situações "profícuas", não é bom que as verdades venham à tona!


18 comentários :

Uma Policial disse...

Essa é uma prova "profícua" de como anda a nossa segurança pública.

Seu Madruga disse...

O que quer dizer "profícua"?

Uma Policial disse...

"Profícua" quer dizer: "proveitosa", "que se pode tirar proveito".

Seu Madruga disse...

Ah, tá! Obrigado, mocinha.

Uma Policial disse...

De nada, disponha!

Anônimo disse...

Que vergonha, o mesmo crime duas vezes. Maceió como a cidade mais violenta do Brasil! Me da medo de voltar para aí. Espero, mas sei que não vai acontecer, que quando eu tentar voltar, as coisas tenham melhorado muito. Dificil quem está no poder querer o bem geral. Quem está no poder tem medo de perde-lo e faz tudo para mante-lo (palavras do professor do Darth Vader na série guerra nas estrelas).

Célio Gomes disse...

A lei do mais forte

por Celio Gomes

Parece coisa do Rio de Janeiro, com favelas ainda dominadas pelo tráfico, nas quais o poder público não entra. Nesses locais, os moradores não têm liberdade; seguem as regras impostas por bandidos que não toleram o passo fora da linha. Todo aquele que venha a se colocar no caminho das quadrilhas, assina a própria sentença de morte.

Aos desavisados, sim, pode parecer que estamos falando mesmo do Rio, mas essa é a realidade na periferia de Maceió – e não é de hoje. Neste domingo (24), a notícia de um crime brutal – a vítima foi esquartejada – mostra qual é a lei que vigora: a lei do mais forte.

Na manhã desta segunda-feira, sabe-se que a família da dona de casa assassinada abandonou o endereço. Assim, os criminosos alcançam o objetivo completo; além de eliminar uma suposta denunciante, põe os demais “suspeitos” para correr.

É a vitória do submundo sobre o estado de direito. O governo estadual aposta na chamada polícia comunitária para reduzir os casos de violência nos bairros. Por enquanto, uma frente de ação ainda incipiente, com resultados invisíveis.

Anônimo disse...

com essa gestão a segurança pública está de vento em polpa...

Assessoria BEF disse...

Dona de casa decapitada no Carminha conhecia criminosos, diz delegada

Polícia Civil começou a tomar os depoimentos dos vizinhos da vítima

Gazetaweb - Regina Carvalho

A Delegacia de Homicídios começou a investigar o assassinato da dona de casa Maria de Lourdes Farias de Melo, 27 anos, esquartejada e decapitada na madrugada desse domingo, no Conjunto Carminha, no Benedito Bentes. A sessão de tortura teve início fora da residência da vítima e foi presenciada pelo marido. Deram um tiro na cabeça e seguiram com ritual macabro.

A delegada Sheila Carvalho começou a tomar os depoimentos e o serviço de inteligência da Polícia Militar iniciou os levantamentos sobre o caso que chocou os alagoanos. "A gente já tem algumas informações sobre o crime, estamos iniciando as apurações", declarou a delegada.


A vítima, segundo a Polícia Civil, deveria conhecer os criminosos, que poderiam até frequentar a casa dela. Cinco praticaram o crime, segundo informou a delegada. "Ano passado tivemos um caso semelhante a esse, quando um homem foi decapitado. A princípio não há relação entre os dois crimes", acrescentou Sheila Carvalho.

O que teria feito a dona de casa para ser morta dessa forma? A polícia investiga se Maria de Lourdes teria denunciado traficantes da área, considerada a mais violenta na região, isso porque os assassinos escreveram no muro de uma casa a palavra "cabueta". "Os moradores comentam aqui que ela teria feito denúncia, mas não temos nada confirmado", afirmou o comandante do 5º BPM, tenente-coronel Dorgival Ferreira.

O medo de ser a próxima vítima do grupo criminoso pode atrapalhar as investigações. Até o marido e os filhos da dona de casa não foram mais encontrados.

O objetivo de tal ritual macabro, de acordo com a delegada Sheila Carvalho, é de chocar a sociedade e impor medo. A arma de fogo usada no crime foi localizada.

Anônimo disse...

É assim que os bandidos julgam, condenam e executam seus "criminosos". Dai vem tanto medo das populações periféricas (esquecidas) em denunciar o mal que os cercam.

Meu Blogger disse...

A culpa se atrela as leis brasileiras...

Anônimo disse...

alguem sabe imformar se foi algum intrigante dos direitos humano na residencia da familia, comserteza naão mais na hora que esses fdp forem pegos ai eles aparecem.

Assessoria BEF disse...

Medo e terror imperam no Carminha

Dois dias após esquartejamento de dona de casa, silêncio toma conta de conjunto, onde população vive à mercê dos traficantes

| BLEINE OLIVEIRA - Repórter

Dois dias depois do bárbaro assassinato da dona de casa Maria de Lourdes Farias de Melo, de 27 anos, ninguém que não seja morador entra no Conjunto Carminha, na região do Benedito Bentes, sem ser interceptado pelo tráfico. “É muito perigoso. Basta não ser daqui e os marginais ficam de olho”, disse o cabo Vital, que comandava a viatura da Polícia Militar (PM) durante ronda na comunidade, à equipe da Gazeta de Alagoas que foi, ontem, ouvir moradores sobre a violência de que estão sendo vítimas.

Alegando questão de segurança, o militar desaconselhou nossa entrada no conjunto. Diante da insistência, prontificou-se a entrar com nossa reportagem. Os próprios policiais enfrentaram dificuldades para obter informações sobre a localização da casa onde Maria de Lourdes residia. Dois ou três jovens que foram parados na rua pelos militares se recusaram a levá-los à rua onde a dona de casa morava até ser sequestrada e morta, no último domingo (24).

Ninguém se atreve a abrir as portas

Ainda em maio, uma operação comandada pelo Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público, também levou à prisão, pela segunda vez, Adriano Henrique da Silva Santos, apontado como braço direito de Dionísio, e Valdemir Rodrigues da Silva, o ‘Branco’, acusados em vários crimes de homicídio. Segundo os policiais, Valdemir costuma esquartejar suas vítimas. Quando foi preso, além de um revólver 38, ele estava com um facão.

Mesmo com essas prisões a onda de violência na comunidade não diminuiu. De dentro do sistema prisional, o chefe do bando continuou controlando o tráfico, por meio de parentes, e dando ordens para matar supostos inimigos.

Anônimo disse...

Vale salientar, que há depoimentos de testemunhas, de que a vitima havia feito uma denúncia a um policial, e que o mesmo a entregou para os traficantes...gostaria de que vcs apurassem ou falassem a respeito.

Anônimo disse...

Ontem: tiraram os PMs do Carminha e colocaram no centro: estrangularam a moça. Hoje:Tiraram os PMs do centro e colocaram no Carminha: assaltaram o centro. Amanhã: só Deus sabe. E vai ficar nessa roda gigante, tira daqui, põe ali... E os alagoanos morrendo. Até quando?

Anônimo disse...

quer ver o direitos humanos aparecer, é só a polícia investigar os assassinos e passar o rodo, num instante aparece um bando de fdp aproveitador, quem não pode ver uma camera ligada q quer dar entrevista dizendo q a polícia é arbitrária e ilegal, e q os responsáveis devem ser punidos, o negócio é vestir balaclava, pegar um carro de placa fria e derrubar esses fdp que fizeram isso, a polícia tá ficando de graça...

Jenésio, o Pecador disse...

O Povo de Deus está horrorizado e compadecido com esta situação!

Vamos orar:

Deus, tira logo essa cúpula da segurança pública dos seus atuais cargos e, Deus, conforte a família da finada Maria de Lourdes Farias de Melo! Amém!

Anônimo disse...

Este é o Estado da Barbarie total: A impunidade é a Lei e esses badidinhos covardes que matam uma mulher aprenderam a lição com os bandidos grandes de Alagoas que há anos matam, estupram , esquartejam a sociedade alagoana com os desvios de milhões e milhões e a Justiça corrupta que só pune os bandidos da periferia que já sabem que com um pouco de dinheiro saem da cadeia e voltam cada vez mais barbaros. Daqui a pouco vão começar a comer os pedaços de suas vitimas. Che Guevara pegava esses vermes e metia-lhes no paredão, por que se não serve para a revolução é melhor meter chumbo nesses matadores de XANA.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver