Infelizmente, a PM não é um time

Já falamos em outras ocasiões sobre as doutrinas que o Gilmar Batinga tem adotado à frente do antigo CPC, onde numa das ocasiões foi mostrado o antes e o depois da sua presença no Comando de Policiamento da Região Metropolitana.
Sabemos o quanto é difícil a tarefa de comandar uma unidade, ainda mais diante de parcos recursos, e, principalmente, comandar o policiamento da capital mais violenta do país. No entanto, mesmo com toda a sorte contrária e as adversidades que são de conhecimento de todos, era para o Batinga – no mínimo – ter mantido os índices que vinham se apresentando em comandos anteriores ao seu; isso porque, teoricamente, ele é o mais qualificado de todos os comandantes que já passaram pelo CPC. Infelizmente a PM não é um time, pois se fosse, este "técnico" já estaria fora do comando há muito tempo.
Hoje, nós não vamos falar muito sobre as ações do Gilmar, que (depois da "aquarela" das áreas violentas) esta semana idealizou a "a intensificação das rondas nos locais de comércio" e propôs que os comerciantes "mudassem de rotina para evitar os constantes assaltos".
Sendo assim, vamos apenas refletir a respeito do que o Batinga disse pouco mais de uma semana antes dos noticiários da imprensa que trazemos nesta postagem, que revelou que cada vez mais está aumentando o número de assaltos a coletivos, conforme será mostrado nos textos e vídeos a seguir:
A Gangue da Escopeta cometeu mais um assalto. Quatro jovens armados com uma escopeta calibre 12, assaltaram rodoviários e passageiros a empresa Real Alagoas, placa NLZ 8266/AL, que fazia a linha 700, Sanatório/Ponta Verde.
O assalto aconteceu na Rua Luís Riso, por volta das 19 horas, na última viagem da noite. "A gente estava na última viagem. Os três jovens entraram no bairro do Jacintinho e quando chegou na rua, próximo ao terminal, eles anunciara o assalto. Dois deles usavam brincos e um estava com a espingarda escondida no casaco", informou o cobrador, que pediu anonimato.
Além dos rodoviários, dois passageiros também foram assaltados. O caso será investigado pelos agentes da delegacia do 4º Distrito Policial.
Parece reprise, mas não é. A Gangue da Escopeta voltou a atacar um coletivo em menos de uma hora do primeiro assalto. Os marginais novamente pegaram o ônibus no bairro do Jacintinho e seguiram para a Cambona, onde foi realizado o assalto.
Era por volta das 20h30, da noite de quinta-feira, quando o assalto foi realizado. Desta vez o coletivo pertencia à empresa Veleiro, de placa MUN 2314/AL, que fazia a linha 107, Cruz das Almas/Trapiche. "Subiram três jovens, bem vestidos e dois deles usando brincos. Um deles estava com um objeto escondido dentro de uma caixa. De repente ele tirou a espingarda calibre 12 e anunciou o assalto. Levaram vários objetos pessoais dos passageiros, meu celular e o apurado da empresa", lamentou o cobrador, que pediu anonimato. Cerca de quinze pessoas que estavam no coletivo também foram assaltadas.
Diante do exposto, deixo no ar duas perguntas: "Por que as teorias do Gilmar Batinga não dão certo na prática? Será que dessa vez as ações do Gilmar (finalmente) surtirão algum efeito?"

12 comentários :

Ricardo Santos de Almeida disse...

Desde quando crime tem hora, local e perfil de vítima?
Céus, estamos (população) entregues ao Deus dará...

Rafaela de Almeida disse...

Depois do "teórico" Mário da Hora, agora é a vez do também "teórico" e ao mesmo tempo ineficiente Gilmar Batinga. Volte para ALE, Gilmar, volte a carregar mala de deputado que o melhor que você sabe fazer.

Uma Policial disse...

Enquanto a população clama por segurança, o comando da Polícia Militar vive elaborando "estratégias" que somente depois que o idealizador da ideia está distante do cargo é que todos nós nos damos conta que não passa de medidas ineficazes, algumas vezes até paliativas, mas em geral sem o efeito esperado. O que todos nós já sabemos, é que independente de ações ou estratégias que por ventura venham a ser adotadas, o problema maior é que a PM não tem efetivo suficiente. Este é o ponto crucial.

Jenésio, o Pecador disse...

"Intensificação das rondas nos locais de comércio"...

Proposta para que os comerciantes "mudem a rotina para evitar os constantes assaltos"...


Só mesmo Deus nessa causa!

Ricardo Santos de Almeida disse...

Nem Deus Janésio, nem Deus...
Como pode a bandidagem começar a comandar o que vai ou não funcionar e a que horas. Só na cabecinha de gente assim. Céus, ser passivo demais nessa situação piora a vida dos alagoanos cada vez mais.

Andressa Carvalho disse...

Um colega ligou pra mim avisando que aqui tinha um vídeo do Gilmar falando besteira, mas num é que verdade? Cara, toda vez que eu entro de extra é só para falar do BEF, pois no serviço todo mundo já comenta. hihihi

Seu Madruga disse...

Gilmar é um interesseiro, só sabe trabalhar à base da motivação financeira, mas nem assim, mesmo à frente do CPC e do aopoio dos seus peixes junto ao governo, está conseguindo mostrar serviço.
Eu acho bem feito.

Assessoria BEF disse...

PM alagoana adota novo modelo de policiamento para combater assaltos

A Secretaria da Defesa Social (Seds) irá combater a incidência de roubos e assaltos na capital com um novo modelo de policiamento adotado pela Polícia Militar. O lançamento do Ronda Cidadã ocorrerá no próximo dia 15. O projeto foi apresentado esta semana pelo secretário Dário Cesar a empresários do ramo de bares, restaurantes e hotéis. O grupo elogiou MAIS UMA INICIATIVA para reduzir a criminalidade.

Inicialmente, o Ronda Cidadã irá contemplar três áreas da parte baixa e mais três da parte alta da cidade, incluindo os bairros de Ponta Verde, Jatiúca, Mangabeiras, Gruta, Pitanguinha e do Conjunto Benedito Bentes. A proposta é implantar um policiamento permanente nas áreas comerciais da capital, que vêm sendo alvos da ação de bandidos.

Cada área ganhará um reforço na segurança formado por uma viatura monitorada com dois militares e mais duas motos. Além de rádios transceptores, os policiais terão um celular para que os comerciantes e moradores possam acioná-los para atender qualquer ocorrência, reduzindo tempo de resposta da PM.

Denominado também de policiamento por quadrante, o novo modelo de segurança ficará responsável pelo patrulhamento no raio de até 2,5 quilômetros, dando uma maior visibilidade à população e aos comerciantes. Por serem monitoradas, as viaturas não poderão sair da área delimitada.

"Esta medida representa uma grande conquista para os empresários da capital", comemorou o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Júnior Brandão. Segundo ele, o Ronda Cidadão é um projeto que dará mais tranquilidade aos comerciantes, pois poderão trabalhar com mais segurança.

"Com o Ronda Cidadã, teremos um melhor enfrentamento às ocorrências policiais na capital, cuja violência se caracteriza pelo envolvimento, cada vez mais, de jovens com o tráfico de drogas", ressaltou o secretário Dário Cesar.

No encontro com os empresários, foram apresentados também outros projetos da área de segurança, como a implantação das delegacias especializadas de Roubos e de Proteção ao Turista , além do Observador Avançado, que visa coibir os assaltos contra taxistas.

Tecnologia - Além da implantação de novos modelos de policiamento ostensivo, a Defesa Social vem trabalhando no combate à criminalidade utilizando meios tecnológicos que venham garantir resultados na segurança pública.
"Pretendemos dar um salto de qualidade no combate à violência, investindo também em tecnologia, que hoje é uma grande ferramenta para alcançarmos melhores resultados", afirmou Dário Cesar em reunião com dirigentes da Black Bee, empresa especializada em softwares para a área de segurança pública.

Segundo o secretário, a Secretaria da Defesa Social vem se estruturando para desenvolver suas ações a partir de um planejamento estratégico e operacional com o auxílio da tecnologia. "Segurança pública se faz COM INVESTIMENTOS EM TODAS AS ÁREAS, incluindo tecnologia da informação. Só assim teremos como retorno a redução da criminalidade de forma eficiente", afirmou.

Na reunião, o diretor da Black Bee, Robson Moraes Andrade, apresentou um levantamento das necessidades existentes nos órgãos componentes da Defesa Social com foco nas áreas de gestão, informação, análise criminal, estatística e perícia forense.

por Agencia Alagoas - Mosael Henrique

ASCOM da PMAL disse...

Começa operação para inibir assaltos

Passageiros são abordados e revistados


O combate a ações violentas nos coletivos vai contar com uma antiga estratégia: a abordagem e revista dos passageiros. Teve início ontem a denominada de "Operação Ônibus Seguro", que irá focar o tráfego de coletivos nas áreas consideradas de risco da capital. O objetivo é surpreender indivíduos armados ou portando drogas ilícitas.

De acordo com o comandante do Policiamento da Capital, coronel Gilmar Batinga, a ação foi planejada mediante a análise dos locais e horários das ocorrências. "Foram mapeados os locais que são considerados os pontos de risco", confirmou o militar informando que a ação envolverá toda a polícia.

Conforme os dados apurados pela PM, em abril foram registrados 13 assaltos, enquanto em maio foram notificadas 17 ocorrências. Já no mês de junho foram 10 as ocorrências.

A expectativa do comando é que a intensificação das ações, possa intimidar as abordagens que costumam pôr em risco passageiros e funcionários.

Maria Isabel disse...

Polícia Militar, inquietação nos quartéis.

Militares não podem fazer greve. Em qualquer parte do mundo, quando o colapso tiver se abatido sobre os demais setores ainda restarão os militares para socorrer e apoiar a população. É com base nessa tradicional verdade que o governo do Rio prendeu 439 bombeiros que, em protesto por melhores salários, ocupavam a sede da corporação. A operação, realizada pelo BOPE (Batalhão de Operações Especiais) foi cinematográfica e indevida, principalmente em se tratando da repressão entre duas forças co-irmãs, cuja natureza das missões as obriga a trabalhar unidas. O uso político-trabalhista de uma delas criou seqüelas que dificilmente serão superadas, maiores até do que as resultantes do confronto entre policiais civis e militares paulistas, ocorrido anos atrás nas proximidades do palácio do governo, cujas dores até hoje são sentidas por ambas as partes.

Sabedores de que os militares não podem fazer greve – e se o fizerem ficam sujeitos às punições disciplinares e até à demissão – governantes têm sido negligentes com os salários da classe. Isso tem produzido extrema inquietação nos quartéis e prejuízos incalculáveis à segurança pública e outros serviços essenciais sob responsabilidade militar. Não podendo manter um padrão de vida razoável, parte dos militares baixa o padrão de vida, outros recorrem ao “bico” e uma pequena parcela se entrega à corrupção e ao crime. E quem perde é a sociedade, que paga impostos para ter segurança e não a tem no nível e na medida esperadas.

O quadro salarial dos policiais e militares da maioria das unidades da federação é tão defasado que os governos, sem força moral para fazer cumprir os regulamentos, faz vistas grossas ao “bico”, permitindo que o policial, formado e permanentemente treinado com recursos públicos, nas suas folgas, em vez de descansar, vá utilizar sua força profissional como porteiro ou segurança de estabelecimentos, motorista de executivos ou outras atividades de alto risco onde muitos deles já perderam a vida. Agora inventa-se a tal “atividade delegada”, onde as prefeituras contratam policiais de folga e lhes complementam o deficiente salário pago pelo Estado.

Durante toda a nossa trajetória, mantivemos uma posição legalista, combatendo as propostas de greve entre os militares. Os episódios do Rio, no entanto, conduzem ao raciocínio de que o limite de tolerância parece ter chegado ao fim. Os militares grevistas e o governo carioca caminham para um sério impasse, e o movimento pode alastrar-se para outros estados com o mesmo problema salarial. Seria mais econômico e menos sofrido se os governos atendessem, pelo menos parcialmente, as reivindicações da classe antes da chegada da avalanche...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) aspomilpm@terra.com.br

Sócio da ASSOMAL disse...

Em SP, \'bico oficial\' vai pagar mais do que a PM

Trabalhar no horário de folga poderá ser mais lucrativo para parte dos policiais militares do que cumprir o expediente normal se o prefeito Gilberto Kassab (sem partido) aprovar o reajuste do valor pago aos soldados, cabos e sargentos que atuam na Operação Delegada, apelidada de bico oficial. Especialistas na área da segurança definiram a situação como “absurda”. Procuradas pela reportagem, a PM e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) não se manifestaram.

O bico oficial surgiu em dezembro de 2009, como parte de um convênio entre a Prefeitura e a SSP. Os policiais assumiram o combate aos ambulantes em situação irregular, tarefa antes efetuada por guardas-civis metropolitanos. A fiscalização teve início na região da Rua 25 de Março, principal centro de comércio popular da cidade, e foi expandida para outros bairros.

Em maio deste ano, Kassab enviou o Projeto de Lei 241 para a Câmara Municipal. Propôs aumento de 60% aos PMs que aderiram ao bico. Assim, a gratificação por hora para soldados, cabos e sargentos passará de R$ 12,33 para R$ 19,70.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Assessoria BEF disse...

PM aumenta policiamento em áreas críticas de assaltos em Maceió

A Secretaria da Defesa Social irá lançar na próxima segunda-feira (18) o Ronda Cidadã, novo modelo de policiamento da Polícia Militar para combater roubos e assaltos na capital. O projeto visa a redução dos crimes contra o patrimônio. O lançamento será realizado às 9h no hotel Ponta Verde, com a presença de empresários de diversos ramos comerciais.

O anúncio foi feito pelo secretário Dário Cesar durante reunião nesta terça-feira (12) com o deputado federal Rui Palmeira, que conheceu os projetos que vêm sendo desenvolvidos na área de segurança pública para combater a criminalidade em todo o Estado.

Em uma primeira etapa, o Ronda Cidadã irá contemplar três áreas da parte baixa e mais três da parte alta de Maceió, incluindo os bairros de Ponta Verde, Jatiúca, Mangabeiras, Tabuleiro e no Complexo Benedito Bentes. A proposta é garantir um policiamento permanente nas áreas comerciais da capital para coibir os roubos e assaltos.

Cada área ganhará um reforço na segurança formado por uma viatura monitorada com dois militares e mais duas motos. Além de rádios transceptores, os policiais terão um celular para que os comerciantes possam acioná-los para atender qualquer ocorrência.

Denominado também de policiamento por quadrante, o novo modelo de segurança será responsável pelo patrulhamento 24 horas no raio de até 2,5 quilômetros. Além do Ronda Cidadã, as áreas continuarão sendo policiadas normalmente pela PM.

Segundo o secretário da Defesa Social, o primeiro município a ser contemplado com o novo modelo de policiamento deverá ser São Miguel dos Campos, cuja prefeitura já demonstrou interesse em implantar também o projeto de Base Comunitária de Segurança.

Na reunião, o deputado Rui Palmeira defendeu a parceria entre a prefeitura e o Estado na área de segurança, visando à redução da criminalidade. Palmeira se comprometeu em procurar empresários locais para ajudar na construção de uma base comunitária e do Ronda Cidadã naquele município, que também contará com um sistema de videomonitoramento, formado por 10 câmeras a serem instaladas na entrada e saída da cidade.

Além de São Miguel dos Campos, serão contempladas com bases comunitárias Arapiraca, Palmeira dos Índios, Marechal Deodoro e Campo Alegre. A Defesa Social garantiu ainda para Maceió mais cinco bases a serem implantadas em áreas da periferia da capital.

Fonte: Agência Alagoas

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver