Injustiçados: sd foi expulso e sgt está pra ser

Caros companheiros,
Venho através desta, humildemente pedir a todos o engajamento nesta luta contra o abuso de autoridade do Alto Comando da Polícia Militar para com a tropa e com os verdadeiros policiais que se dedicam à justiça e à ética.
Nos últimos anos de minha carreira militar me dediquei com extremo apego a segurança pública e ao Batalhão de Radio Patrulha, ao qual tenho imenso orgulho de ter servido juntamente com diversos companheiros leais e dedicados. Durante o meu serviço, nunca, em hipótese alguma, aceitei qualquer tipo de ilegalidade, nem tão pouco permiti que companheiros meus se declinassem a tal conduta.
Porém no infortunado ano de 2009, pela insistência de um comandante de guarnição em liberar um dos indivíduos de prestar depoimento na delegacia, apesar de ter sido alertado por mim para que o mesmo reportasse ao oficial supervisor do Batalhão de Radio Patrulha sobre a sua decisão, o referido comandante de guarnição disse que fez contato por telefone com o oficial e nos informou que o mesmo havia dado permissão para a liberação do individuo, assim como nos informou – ainda – que havia informado ao escrivão da Deplan II que existia somente um autor [na ocorrência] e que o segundo nada tinha a ver com o caso em questão.
Mediante os fatos, e por ninguém mais ter questionado a atitude, aceitei como procedimento normal, e após a confecção de três COP's, o individuo foi liberado pelo comandante da guarnição que não tomou nem o cuidado de apresentar o individuo como testemunha.
Diante de tudo isso, todas as guarnições envolvidas na operação ficaram presas no Presídio Militar pela acusação de Associação ao Tráfico, Corrupção Passiva e Tráfico de Entorpecente.
O Comandante da Polícia Militar, o então Cel. Luciano, para se auto promover, convocou a impressa para uma coletiva, para divulgar os nomes dos policiais presos.
Confiram essas informações nos seguintes links:
Após 6 meses detido no Presídio Militar, com o GCOC como denunciante e a 17ª Vara julgando, contudo, fomos inocentados, devido falta de provas e diversos depoimentos contraditórios dos acusadores.
Seis policias foram submetidos ao Conselho de Disciplina e foram inocentados.
BOLETIM GERAL OSTESIVO Nº 101 DE 1º DE JUNHO DE 2010
Dois policias foram submetidos a Sindicância. O comando resolve: isentar o Sd PM nº 10387.06 Marcelo Pereira Nicolau de qualquer responsabilidade administrativa pela ausência de provas de sua participação nos eventos motivadores da presente Sindicância. E resolve LICENCIAR A BEM DA DISCIPLINA o Sd PM nº 9307.02 Cristiano Manoel de Souza Cavalcante.
BOLETIM GERAL OSTESIVO Nº 073 DE 18 DE ABRIL DE 2011
Caros companheiros, me ajudem a entender – haja vista que todos fazem parte do mesmo processo – por que SOMENTE EU FUI EXCLUÍDO da PM? Por que o Comando resolve excluir um PM, sendo ele inocentado diante de justiça?
Caros companheiros, humildemente peço-lhes uma ajuda financeira para que eu possa entrar com uma ação na justiça para reparar esse dano.
O advogado Cristiano Barbosa é um excelente profissional e os custos cobrados pelo mesmo foram de R$ 5.000,00. Sendo que R$ 2.500,00 de entrada, ficando parcelado o restante para quando eu retornar; ou, então, R$ 3.500,00 à vista.
Aos companheiros que acreditam na minha ilibada conduta, favor fazer deposito na CONTA POUPANÇA  141142-3, agência 1020, operação 013, nome: CRISTIANO MANOEL DE SOUZA CAVALCANTE. OBS: a minha conta corrente ainda tem débito com os empréstimos, caso seja feito deposito na conta corrente, as operadoras de empréstimos irão retirar a parte delas.
Os companheiros que quiserem ser reembolsados, favor entrar em contato comigo pelo telefone (82) 8837-3783.
Nota da BEF: O relato acima é de um companheiro nosso que muitos conhecem por Balboa, C. Cavalcante, Popó... Enfim, o companheiro que entra(va) na ocorrência pra resolvê-la e nunca deixa(va) os colegas sozinhos.
SARGENTO LUTA PARA PERMANECER NA CORPORAÇÃO
O sargento José Braz do Nascimento, da Polícia Militar (PM) é lotado no Centro Integrado de Operações da Defesa Social (CIODS), onde trabalha como adjunto do coordenador, luta para permanecer na corporação.
Em maio de 2003 ele foi reincorporado à tropa, após uma decisão do Tribunal de Justiça que considerou injusta sua saída da corporação em janeiro de 2001, decorrente de uma sindicância por indisciplina interna, quando o procedimento adequado para a expulsão de um militar dá-se, segundo o regimento interno da PM/AL, pela decisão de um conselho de disciplina. À época, ele tinha a patente de cabo. Em 2007, Braz foi promovido a sargento.
O governo de Alagoas recorreu da decisão de reincorporar Braz à tropa e o advogado do militar não apresentou a defesa dentro do prazo nem depois dele. Segundo o militar, que desconhecia que o Estado havia recorrido, ele tomou conhecimento do recurso e da perda do prazo durante uma ida ao fórum para depor sobre uma prisão que havia sido efetuada por ele, ação rotineira entre os policiais.
Com a perda do prazo, ele corre o risco de ser excluído novamente da PM/AL. "Tenho 20 anos de polícia, uma vida inteira dedicada a este ofício, cuido da minha mãe, que é viúva e doente, e sustento cinco filhos. Conto com a confiança irrestrita dos meus superiores e as indisciplinas atribuídas a mim são de uma época em que não se cumpria a rigor o regimento da corporação e as punições eram dadas ao bel-prazer dos superiores, o que já não acontece hoje. Fui expulso por uma sindicância, quando deveria ser por um conselho de disciplina, por ai já pode ser visto que o regimento não era respeitado naquela época", defende o militar, atribuindo o risco de deixar as fileiras da PM pelo descaso de seu defensor.
Confiram essas informações no seguinte link:
Nota da BEF: O sargento Braz gostaria de um apoio, pois já sofreu bastantes punições quando tinha 09 anos de efetivo serviço na corporação, razão pela qual pediram o seu licenciamento, conforme exposto. Hoje, pai de família, à beira de ser excluído em questão de dias, por conta de supostas indisciplinas, nada do que ele fez em sua vida profissional está sendo considerado; nem mesmo a dedicação à sociedade, em nome de quem o mesmo realizou várias prisões, bem como prestou socorros e partos. Tudo com relevantes serviços, prestados com dedicação e amor à CAMISA MILITAR.
Pelo exposto, caros leitores, de um lado nós temos um soldado que foi expulso com 09 anos de serviço, vítima de uma armação que todos nós abemos como aconteceu e quem foi o culpado; e de outro, temos um sargento que tem 20 anos de caserna e se encontra à eminência da exclusão, sendo que este é vitima do – ainda em vigor – Rquero. Uma das finalidades da nossa existência, ou seja, a existência desse blog, é justamente isso: tentar coibir que coisas assim continuem acontecendo. Por isso, divulguem esta página perante os seus colegas, comentem nas suas unidades, tragam-nos tudo de errado o que vocês souberem sobre a nossa corporação, para que possamos tentar fazer da PMAL uma instituição melhor a cada dia.

15 comentários :

Amanda disse...

NÓS SOMOS OS INDESEJÁVEIS, CHEFIADOS PELOS INCOMPETENTES,
FAZENDO O INDISPENSÁVEL PARA OS INGRATOS. (TEN CEL FERNANDO PRÍNCIPE - EX COMANDANTE DO BOPE, RJ.)

Assessoria BEF disse...

Folha suplementar: servidores seguem sem data definida para receber

Secretaria de Gestão Pública chegou a prometer pagamento para primeira quinzena deste mês de julho

Os servidores públicos estaduais ainda não sabem quando finalmente deverão receber o reajuste salarial de 7% prometido pelo Governo, após meses de negociação com o funcionalismo público. A reportagem da Gazetaweb manteve contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Gestão Pública (Segesp) e foi informada que o pagamento pode vir a ser realizado ainda na primeira quinzena deste mês.

Contudo, a Segesp afirma agir com cautela no que diz respeito ao anúncio, para não criar falsa expectativa, visto que muitas pessoas já começam a programar despesa com a garantia de incremento salarial.

Para a implantação do reajuste – retroativo ao mês de maio –, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), responsável pelo pagamento, aguarda o envio dos dados relativos ao quadro de servidores.

No último dia 30, o Governo iniciou o pagamento referente ao mês de junho, liberando os vencimentos de até R$ 2 mil – o que representa 72% do funcionalismo. Já os salários da segunda faixa – abrangendo os que recebem acima deste valor – deverão ser pagos no próximo dia 11 de julho.

Fonte: Gazetaweb

Sócio da ASSOMAL disse...

Morre 1º tenente da PM, Marcelo Silva, vítima de infarto

É com pesar que a diretoria da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal) informa o falecimento do 1º tenente PM do BPGD, Marcelo Silva, ocorrido na última quarta-feira (06), vítima de infarto.

A entidade informa também que o corpo está sendo velado na Colônia de pescadores, situado no bairro do Pontal da Barra.

O enterro será às 16h, no cemitério da Piedade no bairro do Trapiche da Barra.

Toda diretoria da associação lamenta a morte prematura do oficial e engrandece o trabalho dele em prol da segurança pública.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

ROTA disse...

Este é um dos blogs extra-institucional mais interessantes que vi até agora no BLOGGER. E o melhor, é que é genuinamente alagoano, guerreiro como o povo de Alagoas. Parabéns!

Assessoria BEF disse...

Caos na segurança em Maceió volta a ser destaque na mídia nacional

Matéria exibida nesta quarta-feira no Jornal da Record coloca, de novo, Alagoas na lista dos estados mais perigosos para serem visitados por turistas. Com oito minutos, a reportagem produzida pela TV Tribuna de Recife, com o jornalista Rodrigo Vianna, mostra a história de "seu" Sebastião dos Santos, que procura, desde 2004, o corpo do filho, José Carlos, desaparecido do Instituto Médico Legal (IML).

Endossando a situação de caos na segurança pública, o diretor do IML, Gerson Odilon, mostra a falta de condições do instituto: falta de geladeiras (precisaria de 40, só tem oito), não há raio X, exames importantes têm de ser feitos fora de Alagoas por falta de equipamentos.

Dados do Ministério da Justiça mostram que Alagoas é o Estado mais violento do Brasil e Maceió, a capital mais violenta.

Fonte: Odilon Rios - Do Repórter Alagoas

Assessoria BEF disse...

Policiais definem estratégias para aprovar PEC 300

Lideranças dos policiais e dos bombeiros apresentaram à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado algumas estratégias consensuais que pretendem colocar em prática nos próximos dias.

Eles decidiram criar um material didático para esclarecimento e publicidade dos reais objetivos do movimento em defesa das PECs 300/08 e 446/09. Eles vão estabelecer um dia D, com data ainda não definida, para a vinda a Brasília de caravanas de policiais e bombeiros a fim de pressionar o Congresso e o Executivo a votarem o segundo turno das propostas que tratam do piso nacional dessas categorias.


Os policiais decidiram também apoiar a comissão especial, criada recentemente pelo presidente Marco Maia para reanalisar a PEC 300, desde que seja mantido o texto aprovado em primeiro turno no Plenário da Câmara e sejam contemplados os interesses de inativos e pensionistas.

Impacto financeiro

Os manifestantes também vão criar uma comissão de estudos atuariais para calcular o real impacto financeiro que o piso salarial de policiais e bombeiros teria nas contas dos governos estaduais. Esse ponto específico é para impedir que ministros da área econômica e governadores apresentem contas diferentes em relação a esse impacto.

Os policiais ainda vão organizar um fórum para esclarecer os objetivos da PEC 300 e do Fundo Nacional de Segurança Pública, que seria criado com recursos do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Eles também vão continuar a buscar a assinatura de todos os líderes partidários para que as propostas sejam colocadas em votação em Plenário imediatamente.

O presidente da Comissão de Segurança, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), informou que até agora, apenas os líderes do PT, PSDB e PMDB ainda não assinaram o requerimento para a votação imediata da matéria. Mendonça prado acredita em uma solução conciliada para votação da matéria em Plenário.

As lideranças dos policiais continuam reunidas com integrantes da Comissão de Segurança no Plenário 6.

Fonte: Agência Câmara

Assessoria BEF disse...

Comissão trabalha para votar PEC 300 após recesso

O presidente da comissão especial destinada a debater novamente o piso salarial de policiais e bombeiros (PECs 300/08 e 446/09), deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), afirmou há pouco que o colegiado trabalha para votar a proposta em segundo turno no Plenário após o recesso de julho. "Infelizmente, algumas entidades que não têm o comprometimento total e dizem que temos de votar imediatamente. Votar já é votar nada", declarou, na saída de uma reunião com o presidente da Câmara, Marco Maia.

Faria de Sá ressaltou que o atual embate para definir a data de votação é conseguir o apoio de todas as instituições que representam os policiais militares, civis e bombeiros. O parlamentar destacou ainda que é preciso ouvir os governadores para saber o impacto financeiro da proposta para cada um dos estados e, a partir daí, propor a criação de um fundo constitucional que garanta a sustentabilidade do piso salarial.

Também presente à reunião com Marco Maia, o presidente da Associação dos Cabos e Soldados das Polícias Militares e Bombeiros Militares do Brasil, Leonel Lucas, concordou com a proposta da comissão de fazer um estudo técnico para estabelecer a divisão de recursos do fundo. "Até agora, os governadores alegam que querem saber quem vai pagar essa conta. A votação das PECs não vai sair enquanto não houver uma definição. Então, esse estudo vai dizer quem vai pagar a conta", disse.

Constitucionalidade

Faria de Sá ressaltou também que o desafio de provar a constitucionalidade da proposta de piso salarial para policiais e bombeiros já foi superado. "O Supremo Tribunal Federal (STF) em matéria análoga, o piso nacional da educação, já declarou sua constitucionalidade", argumentou.

Fonte: Agência Câmara

Uma Policial disse...

Deputado é feito refém em loja de produtos agropecuários

16:36 - 07/07/2011 Josenildo Torres

O deputado estadual Luiz Dantas (PMDB) foi feito refém, na tarde desta quinta-feira (7), quando se encontrava em uma loja de produtos agropecuários. Ele foi assaltado por três homens armados, que roubaram R$ 400 que ele portava, além de um celular. O assalto ocorreu quando o parlamentar chegou até a loja para entregar uma encomenda. Neste momento ele foi abordado junto com a esposa. Os assaltantes o interceptaram e o levaram para uma sala situada nos fundos da loja onde havia um cofre. Além de Luiz Dantas, outros clientes da loja também foram feitos reféns e assaltados. Os bandidos também roubaram todo o dinheiro que estava no cofre do estabelecimento comercial. "Foi tudo muito rápido e me senti impotente diante daquela situação. Mas felizmente eu e minha esposa estamos bem", disse em entrevista ao Tudo na Hora. Luiz Dantas não prestou queixa à Polícia Militar. "Acho que não vai adiantar nada. Mas liguei para o secretário de Estado da Defesa Social [Dário César] e fiz o relato. Além disso, cobrei mais policiamento nas ruas", frisou.

COMENTÁRIO: A PM não conta nem com metade do efetivo que deveria contar, conforme a lei, e ainda assim – ainda mais nestes tempos – anda expulsando ou querendo expulsar o seu efetivo. Resultado: altos índices de criminalidade (que também decorre de outros fatores, é bem verdade; mas a falta de policiamento é fator preponderante). É bom que as nossas autoridades sintam na pele o que a sociedade há muito tempo já vem sentindo, pois somente assim as mesmas acordarão para a realidade, uma triste realidade.

Assessoria BEF disse...

Diretor da Perícia promete explicações após 'dossiê' entregue ao MP

por Jonathas Maresia

O diretor da Perícia Oficial de Alagoas, do Instituto de Criminalística de Alagoas (IC), Coronel Liberato dos Santos, prometeu, em entrevista ao Portal CadaMinuto, rebater em breve todas as acusações de desvios de funções citadas por seus subordinados em um ‘dossiê’ assinado por peritos do órgão.

No último dia 28, os peritos protocolaram junto ao Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) e a Corregedoria da Polícia Militar de Alagoas um 'dossiê' contendo todas as informações e os desvios questionados por eles.

O relatório aponta que Liberato exerce a função de plantonista no Hospital São Vivente de Paulo, localizado na cidade de União dos Palmares, e atua também como plantonista na Unidade de Emergência de Penedo com carga horária de 24 horas.

Segundo o militar, não existe qualquer tipo de desvio e os verdadeiros fatos serão divulgados após um relatório da Secretaria de Estado de Gestão Pública (Segesp). "Assim que estivermos com o documento em mãos, prometo me pronunciar oficialmente sobre o fato. Até lá, fico em silêncio", relatou o diretor geral.

Por último, o relatório detalha que o militar trabalha como médico no Programa de Saúde da Família (PSF) na Unidade da Saúde Família Dr. Arthur Camelo Veras, da Prefeitura Municipal de São José da Laje, também com carga horária de 40 horas e ainda exerce a função de médico examinador de aptidão física e mental de condutores de veículos automotores.

O documento foi construído baseado em informações de pesquisa na internet realizada no site do Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Cnesnet e foi localizado como profissional cadastrado e ativo em três estabelecimentos hospitalares, sendo dois como clínico geral e um como médico do PSF, totalizando uma carga horária de 88 horas.

Os peritos salientam que o cargo ora ocupado como diretor geral da perícia oficial é de dedicação exclusiva e carga horária mínima de 40 horas e que o regulamento disciplinar da Polícia Militar do Estado de Alagoas, em seu título II, das transgressões Disciplinares, art.321, especifica que o policial militar da ativa não pode participar fora da corporação de atividade ou emprego remunerado em firma comercial ou industrial e assim acontecendo à compatibilidade de horário prevista na Constituição Federal não está sendo respeitada pelo PM.

As cópias do documento foram enviadas, também, à Polícia Federal, Ministério da Saúde, Secretaria Estadual da Saúde, Corregedoria Geral de Justiça, Gabinete Civil do Governo do Estado, Gabinete Militar do Governo do Estado, Ouvidoria Geral, OAB/AL, Conselho Estadual de Segurança e Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal).

Os peritos prometeram ainda entrar com um mandado de segurança para garantir que a solicitação do pedido exoneração da diretora do Instituto de Criminalística de Alagoas (IC/AL), Rosana Coutinho seja atendido. Ela solicitou ao ser informada que um militar seria diretor do instituto.

Os peritos questionam uma suposta 'ingerência' do militar em um órgão que há tempo era administrado por civis.

Fonte: Cada Minuto

andreiabrasil disse...

Deputados federais devem visitar Alagoas para verificar condições de militares

por Assessoria

Deputados federais devem visitar Alagoas para verificar condições de militares

Lideranças militares de Alagoas se reuniram esta semana com a deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB/RS), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara Federal. O objetivo era pedir o apoio da parlamentar ao Projeto de Lei 5799/2009, que estipula carga horária semanal para operadores da segurança pública.



Durante o encontro, realizado na sala da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, em Brasília, Sargento PM Teobaldo de Almeida (Presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos de Alagoas e Vice-Presidente do Conselho de Direitos Humanos e Segurança Comunitaria de Maceió), Subtenente PM Nilson Santos (Diretor da ASSMAL) e o Cabo BM Rodrigo de Oliveira (Diretor da ASPRA/AL) solicitaram uma visita da Comissão de Direitos Humanos a Alagoas.



Na ocasião, o assessor da deputada Manuela D’Ávila – Elder Santos – informou que a comissão fará uma diligência em Alagoas para verificar as condições de trabalho, formação profissional e carga horária dos militares. Além disso, pretende apurar possíveis abusos de autoridade, assédio moral e especialmente os desusos do Art 5º da Constituição Federal.



A ASSMAL encaminhará um ofício solicitando a deligência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados para o mês de setembro ou outubro.



“Hoje temos uma portaria interministerial SEDH/MJ n° 2, que estabelece as diretrizes nacionais de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para os agentes de segurança pública que não é respeitada. A liberdade de expressão, carga horária justa, hora extra, condições dignas de trabalho, direito a voto e salário digno são condições básicas para a dignidade dos militares estaduais. Como pode um militar não ter direito a um final de semana (sábado e domingo) com a família. Eu pergunto a sociedade alagoana, é justo?”, concluiu sargento Teobaldo de Almeida

Briosa em Foco disse...

Esta página está à disposição de todos aqueles que quiserem revelar o que acontece nas suas unidades, em especial em suas vidas no âmbito da instituição. Tragam-nos tudo de errado o que vocês souberem sobre a nossa corporação, assim como as perseguições que por ventura estejam sofrendo, para que possamos tentar fazer da PMAL uma instituição melhor a cada dia.

Doutor Prevenildo disse...

senhores da briosa em foco os nossos cmt ta cortando um prego estão com medo de tudo até a quelas doação (corrupção ) eles não tão madando mas o oficio a qui em novo lino o dinheiro das usinas e etc. vão pegar só de boca nada de oficio determinação dos nossos corruptos

Doutor Prevenildo disse...

BRIOSA EM FOCO É A NOSSA VOZ DOS INJUSTIÇADO como foi que ficou a quela alteração que a PRF deu com o nosso santinho que era pra ta no oratorio da capila no lugar de são jorge o capitão bonfa que é peixe do secretario e disse que não ia da enada já saiu a solução do PDO ele comenta com muito que não vai da em nada sera!

ASCOM da PMAL disse...

Para secretário, PMs devem ser punidos

Informação de que seis policiais militares teriam envolvimento com a morte da universitária provocou indignação em Dário César


| MARCOS RODRIGUES – Repórter

A repercussão provocada pelo possível envolvimento de seis policiais militares no desaparecimento e morte da estudante Gio-vanna Tenório provocou indignação do secretário de Defesa Social, coronel Dário César. Ontem, ao comentar o assunto, mesmo sem ter sido comunicado oficialmente sobre a investigação, ele foi enfático:

"Vejo qualquer envolvimento de agentes da segurança pública, seja policial civil ou militar agente penitenciário, se existir, como um delito muito grave e muito triste. Isso porque esses profissionais são pagos com os tributos da população para cumprir a lei, não para afrontá-la. Quem age assim é pior que o bandido comum. Deve ter, inclusive, uma pena mais severa", disse Dário César.

Ele também reagiu à informação de que não há prazo para que se analise os vestígios, que podem ser de sangue, nos veículos pertencentes ao casal.

Jenésio, o Pecador disse...

O C Cavalcante era um cara disposto. Espero que ele seja reincluído, e que tenha aprendido a lição, ou seja, de que não vale à pena tanta dedicação a esta corporação, que por qualquer motivo banal te põe para fora sem dó nem piedade, para tristeza do Povo de Deus.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver