A reunião geral da cúpula

Certa vez os oficiais da cúpula da PMAL, que sempre se reúne para deliberar sobre as diversas ações que a Polícia Militar deve adotar, resolveram fazer uma reunião para encontrar um jeito de resolver o problema da escassez de policiais nas fileiras da Corporação e com isso dar uma solução para as escalas de serviço e acabar com aquele transtorno.
Muitos planos foram discutidos e abandonados. No fim, um jovem coronel levantou-se e deu a ideia de reduzir a folga da tropa apertando ainda mais a escala de serviço para que fossem criadas mais guarnições e com isso fazer com que os policiais que trabalhassem fizessem também os serviços dos que não trabalhavam ou que não podiam ser empregados por motivos diversos.
Assim, várias guarnições seriam criadas e como os policiais estariam sempre empregados nos serviços da Corporação, estariam minimizados outros problemas, tais quais o dos policiais que usavam a folga para ir "tira o bico", assim como os dos policiais que usavam o seu tempo livre para "outras finalidades".
Todos os demais coronéis bateram palmas: o problema estava resolvido. Ao analisar aquilo tudo que lhe fora exposto pelo seu superior hierárquico, ainda mais com tamanha euforia estampada na face, um cabo velho que trabalhava como motorista do oficial idealizador da ideia, ao conduzir a referida autoridade para a sua residência, depois de certa apreensão resolveu manifestar-se ao seu superior a respeito do fato.
O cabo falou que o plano era muito inteligente, que com toda certeza as preocupações dos oficiais tinham chegado ao fim. Só faltava uma coisa: de onde seriam retirados os militares para trabalhar no lugar dos que passassem a apresentar problemas de saúde decorrentes da escala permanentemente apertada?
Moral da história: Inventar é uma coisa, fazer é outra. A teoria é muito diferente da prática.

12 comentários :

Sócio da ASSOMAL disse...

Militares se reúnem com o Governo para cobrar execução de acordo

Líderes de associações militares se reuniram na manhã desta terça-feira (12) com o secretário de Estado da Gestão Pública, Alexandre Lages, para cobrar a execução do acordo com relação às punições de alguns militares que participaram do movimento unificado dos servidores públicos ocorrido nos últimos meses e estão respondendo por Inquérito Policial Militar (IPM) e sindicância.

O acordo foi firmado entre o Governo do Estado, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e demais servidores públicos no dia 10 de junho deste ano, por meio do ofício nº 110/2011 – SEGESP/GS para não punição dos militares que participaram dos atos ligados ao movimento grevista reivindicatório, exceto aqueles que ocorreram na Secretaria de Estado da Fazenda, Quartel Geral do Comando da Polícia Militar e Assembleia Legislativa de Alagoas.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Assessoria BEF disse...

Estado faz jogo de empurra e não diz quando pagará reajuste aos servidores

Governo não anuncia data de pagamento e militares se reúnem com Segesp


A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e da Gestão Pública (Segesp) não souberam informar com exatidão quando, de fato, será pago o reajuste salarial de 7% aos servidores públicos estaduais. Aumento proposto pelo governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) e aprovado pela Assembleia Legislativa, no dia 22 de junho, não tem previsão de quando será pago e se transformou num verdadeiro jogo de empurra.

A reportagem da Gazetaweb entrou em contato com a assessoria das duas secretarias (antes já havia tentado falar com os secretários). A primeira informação é de que a folha suplementar poderia ser paga na próxima sexta-feira (dia 15), mas depois a Segesp informou que todos os procedimentos foram cumpridos pela secretaria – arquivos de crédito e ofício teriam sido encaminhados à Fazenda, ou seja, que sua parte teria sido feita e agora o pagamento ficaria a cargo da outra pasta. A Sefaz, por sua vez, informou através de sua assessoria que a superintendência do Tesouro Estadual está aguardando a folha que será enviada pela Segesp.

A previsão inicial de pagamento do reajuste com retroativo referente ao mês de maio seria na segunda quinzena de junho.

Outra versão sobre o atraso foi apresentada às Associações Militares nesta terça-feira. Segundo o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos, Teobaldo Almeida, os militares se reuniram com o secretário de Gestão Pública, Alexandre Lages, e no encontro o titular da pasta informou que o pagamento será efetuado entre os dias 20 e 22 de julho.

O atraso no pagamento, segundo informação passada pelo secretário aos militares, se deve a um “erro” na confecção da folha. É que parte dos servidores da saúde não teriam direito a esse acréscimo. “A nossa expectativa é que o que foi dito hoje pela manhã seja cumprido pelo Governo”, disse o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos.

O reajuste foi aceito pelas categorias da educação e segurança pública, que chegaram paralisar as atividades em protesto contra a falta de negociação com o governo.

Reivindicações

Em uma reunião ocorrida na manhã desta terça-feira (12), líderes de associações militares cobraram do secretário de Estado da Gestão Pública, Alexandre Lages, a efetivação do acordo firmado quanto às punições de alguns militares que participaram do último movimento dos servidores públicos.

O presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), major Wellington Fragoso, explicou que se faz necessário documentar todos os contratos firmados entre o Governo e os militares. “Sabemos que os acordos feitos serão cumpridos, mas tudo que não é documentado pode acarretar problemas”, disse Fragoso.

Já o secretário Alexandre Lages garantiu que vai elaborar um decreto de regulamentação, referente à mesa de negociações. “Na próxima semana, levaremos para o Gabinete Civil e começaremos a trabalhar para dar andamento às tratativas do acordo e tudo que já foi definido durante nossas reuniões”, explicou Lages.

A ansiedade em constituir uma mesa de negociações é grande entre os militares, entre eles, o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar (ACSPMBMAL), cabo José Soares. “Queremos dar início à mesa de negociação o mais rápido possível. Este decreto deve sair logo para que possamos conversar acerca dos quinquênios e outros direitos que possuímos. O secretário se mostrou receptivo e esperamos que este canal possa nos levar a conquistar nossos objetivos”, disse Soares.

Fonte: Gazetaweb - Regina Carvalho

Amanda disse...

Ufa, que bom que vocês voltaram a postar. Pensei que aquela história da "investigação da PF" tivesse deixado vocês com medo. Espero que nada lhes aconteça, para que possamos sempre contar com as postagens que tem feito uma verdadeira revolução na nossa corporação, o que tem sido motivo de temor para muitos oficiais que "não cortam certo".

andreiabrasil disse...

pessoal vamos ajudar o capitão bonfa estar quebrado ele não ta mais vendendo gasolina que recebia de doação(furada) das prefeituras na area do 8ª batalhão e vendia pela metade do preço. tenente que trabalhou no 8ªbpm e que gosta do bonfa e que ver ele lascado

andreiabrasil disse...

BRIOSA EM FOCO EM CADA BATALHÃO E CIAS TEM UM MENBRO E FISCAL SEM SER REMUNERADO E VOLUNTÁRIO DA NOSSA BRIOSA EM FOCO BARABENS POR EXISTI

andreiabrasil disse...

BRIOSA TEM UM CORONEL DO BOMBEIRO QUE ESTAR FAZENDO ELE MESMO DOAÇÃO DA GASOLINA DA VTR PARA O CARO DELE DEPOIS EU VOU BOTAR A PLACA DO CARRO DELE EU VOU TIRA FOTOS DEPOIS EU MANDO

andreiabrasil disse...

PARABENS PRA REGIMENTO DE CAVALARIA MONTADA, DEIXARAM DE TIRAR GASOLINA DA QUELA D20 VELHA QUE FOI PARA O LEILÃO QUE SÓ SERVIA PARA ABASTECE E TIRA O OURO PARA QUEM ERA O COMBUSTIVEL VC SABE?

Uma Policial disse...

Essa postagem é bem a cara do Mário da Hora ou então do Luciano, ou seja, é bem a cara dos dois.

...Eu também estava com saudade das postagens.

Sócio da ASSOMAL disse...

PEC 300: Votação só em agosto

Rio - O presidente da comissão especial que debate o piso salarial de policiais e bombeiros, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), afirmou ontem que as Propostas de Emenda à Constituição (PECs) 300/08 e 446/09 não serão votadas até sexta-feira. Com isso, os textos só voltam à pauta em agosto.

O parlamentar informou aos servidores que foram ao Congresso Nacional ontem que era importante “não vender ilusão a ninguém”. Segundo o deputado, o plenário da Câmara não tem pauta deliberativa nesta semana.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Maria Isabel disse...

Essa postagem me faz lembrar uma fábula. No caso, a fábula sobre "a reunião dos ratos".

Jenésio, o Pecador disse...

Perdoai-os, Pai, eles não sabem o que fazem. Eles também têm família, e por isso demonstram que a sua incompetência não é tão por mal. Afinal, seus parentes também estão inseridos na sociedade, e podem acabar sendo vítima de seus atos (desastrosos, omissivos ou incompetentes).

Anônimo disse...

DAQUI A POUCO VAO TENTAR JOGAR XADREZ SEM OS PEOES KKKK

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver