Como se chegou a este ponto?

Esta pergunta, que aparentemente é despretensiosa, é dirigida não apenas ao atual Comando da PMAL como também aos anteriores.
Segundo as publicações do Diário Oficial do Estado, a PM recebe, regularmente, algo em torno de R$ 900 mil/mês. Como já foi dito há alguns anos por um grande jornalista da nossa capital, "não é o ideal, mas tem sido o suficiente para haver sobra de caixa". Portanto, é inaceitável que policiais de todos os Batalhões e Cias Independentes deixem de trabalhar na área fim, ou devidamente uniformizados, por falta de fardamento.
E entra comando, sai comando, milhares de conjuntos de uniformes são adquiridos, muitos deles com licitações feitas às pressas, todavia o material não tem chegado aos seus destinatários. E olha que a PM apenas possui 2.696 cabos e 2.292 soldados (obs: em menos de um ano a PM terá menos de 2.000 soldados; quem viver, verá).
Há que se admitir que os problemas inerentes à burocracia são dos mais variados, e que isso reflete significativamente na área fim, ou seja, no policiamento apresentado nas ruas. Tanto é que mal foi inaugurado o "Projeto Ronda Cidadã", pouco tempo depois quase 200 viaturas estavam paradas por não estarem chipadas falta de gasolina. Mesmo com a maior parte de sua frota constituída por viaturas locadas, os poucos veículos que restam à corporação estão se deteriorando por falta de manutenção ou prestes a bater o motor por falta de óleo. Coisa que uma simples troca periodicamente resolveria. Além do mais, muitas outras situações simples, eu diria, estão acabando as nossas viaturas. São situações que até dão vergonha de comentar, pois deixar uma viatura baixada por semanas, meses, por falta de uma correia dentada ou um estepe para que a mesma possa rodar é um absurdo. Assim como também é um absurdo ver que no BGO (de hoje, 04/08/2011), está sendo destinado consideráveis cotas de combustíves para viaturas que estão quebradas ou que não fazem parte da frota da unidade. Pelo exposto, quem dera os problemas fossem apenas "falta de gasolina"...
E o Ronda Cidadã e as Bases Comunitárias, em meio a todos os nossos problemas institucionais, tanto os de ordem interna quanto os de ordem externa, se apresentam como "a solução". Também, com tantos investimentos que chegam à casa dos milhões, quem ousa sequer imaginar que tudo isso não dará certo? Não sou nenhuma pessimista, nem torço contra, até mesmo porque quem está nas ruas, nas linhas de frente sou eu, que posso ser a próxima vítima ou então alguém da minha família, porém não acredito que estes projetos venham resolver coisa alguma, ainda mais da forma como estamos sendo conduzidos pelas atuais "cabeças" responsáveis pela Segurança Pública em Alagoas.
Essas tais "Ronda Cidadã" e "Bases Comunitárias" não passam de uma enganação febril para que sejam alocados recursos do Governo Federal, sendo que as Bases Comunitárias não passam de uma nova roupagem dos antigos PM/BOX, marca registrada da gestão do Comandante Ronaldo dos Santos. A propósito, foi na gestão deste comandante que as atuais ROCOMs (Rondas Ostensivas Comunitárias) foram criadas; e se mantém "vivas" até a presente data.
Hoje, tanto ao inaugurar mais uma Base Comunitária quanto o (primeiro) Núcleo Ressocializador do Sistema Prisional, o governador destacou a importância dos projetos idealizados pela SEDS e pela PM, dando ares de que "estes projetos estão resolvendo os problemas da Segurança Pública"...
Poucas horas após às inaugurações, eis que um taxista foi baleado em um estacionamento (por ironia do destino, em frente à Secretaria Municipal de Saúde) no Centro de Maceió, maior reduto comercial do Estado, onde – pelo jeito – a Ronda Cidadã não passa "nem de passagem". E pelo que podemos vislumbrar, devido às vaidades das nossas autoridades e aos problemas citados que as mesmas insistem em não reconhecer, a segurança em nosso Estado continuará sendo um problema gravíssimo.

11 comentários :

Anônimo disse...

Bote parrombar, Aninha.

Anônimo disse...

Tô morto com um polícia dessa...

Assessoria BEF disse...

"Combate à criminalidade em AL é feito no improviso", afirma Pedro Montenegro

Gazetaweb encerra série "Problemas Urbanos" ouvindo especialistas em segurança.

A Gazetaweb encerra, nesta sexta-feira (05), a série especial Problemas Urbanos mostrando que a violência está batendo a porta de escolas, postos de saúde, Correios e postos bancários. Mais que apresentar dados massificados, a reportagem traz a visão de especialistas sobre o assunto e alternativas para minimizar os problemas que tornaram Alagoas o estado mais violento do Brasil e Maceió uma das capitais mais perigosas para jovens.

PROJETO DE MONITORAMENTO É ABORTADO PELA PREFEITURA

O advogado Pedro Montenegro é enfático quando diz que em Alagoas, os gestores "improvisam" quando o assunto é segurança pública. Segundo ele, falta planejamento, ciência, informações capazes de fomentar um planejamento realmente eficaz de combate à violência no Estado.

Seguindo esse raciocínio, ele tentou, sem sucesso, implantar em Maceió um antigo sonho, o Observatório da Violência, durante os quase dois anos em que comandou a Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Segurança Comunitária e Cidadania (Semdisc).

Orçado em aproximadamente R$ 300 mil reais – numa etapa inicial – a prefeitura ofereceu a Montenegro meros R$ 40 mil. O ex-secretário diz que o município não aceitar bancar nem a despesa irrisória com a contratação de acadêmicos do curso de Ciências Sociais da Ufal. Sem recursos, o projeto nunca saiu do papel

CONTRATAÇÃO DE SEGURANÇA PRIVADA CRESCE 20%

No vácuo do número insuficiente de militares para o policiamento ostensivo, vem crescendo a contratação de vigilância em empresas especializadas. De acordo com um levantamento do Sindicato dos Vigilantes de Alagoas (Sindvigilantes), hoje são 4.500 homens fazendo vigilância em residências e estabelecimentos comerciais no Estado.

José Cícero da Silva, presidente do Sindicato, diz que o setor tem crescido, diante da deficiência flagrante do efetivo de policiais em darem conta do avanço da criminalidade. "Fizemos um levantamento recentemente, e constatamos um aumento de 20% nesse último ano no número de vigilantes contratados. A cidade está muito violenta e o governo do Estado tem um efetivo reduzido. A sensação de insegurança da população é muito grande. O policiamento no centro da cidade é pouco, nos bairros nobres também. Isso tudo só faz crescer a procura pela vigilância privada", avalia o sindicalista.

ESTRATÉGIAS EM ANDAMENTO

Para conhecer as estratégias do governo para o combate à violência, a Gazetaweb conversou com o coronel Carlos Alberto Mendonça, diretor de Prevenção à Criminalidade, setor criado recentemente na Secretaria de Estado da Defesa Social, na tentativa de conceber iniciativas de forma mais planejada, como tem sido cobrado pelos especialistas.

Um dos avanços, afirma o coronel, são as bases comunitárias. No Conjunto Selma Bandeira, a redução das ocorrências policiais foi drástica, em torno de 70%, garante o coronel. Até agora já contam com o projeto os bairros do Osman Loureiro e Jacintinho, além do Selma Bandeira. O Vergel do Lago será o próximo a contar com esse tipo de policiamento.

O sucesso, diz o coronel, se deve não apenas às rondas constantes, mas também à filosofia da aproximação dos policiais com a comunidade. "Temos as rondas constantes, que devolve à população a sensação de segurança, e isso tem reflexos muito importantes. Eventos, e qualquer tipo de aglomeração também são monitorados pelas equipes. Mas também tem sido salutar essa aproximação do policial e a comunidade. De conhecer os problemas de perto. Os policiais fazem visitas domiciliares onde ficam conhecendo as famílias, e nestas visitas, muitas vezes, são detectados problemas, como violência doméstica, crianças fora da escola, drogas, entre outros", explica o coronel.

Continua...

Assessoria BEF disse...

O TRABALHO DA POLÍCIA

O comandante do Policiamento da Capital (CPC), coronel Gilmar Batinga, diz que ações como a ofensiva no conjunto Carminha, realizada nessa semana, é uma forma eficaz de atuação da polícia. Para ele, esse trabalho ostensivo precisa ser resguardado por um conjunto de outras ações do poder público, na área social e numa legislação mais eficaz.

"Nosso trabalho é combater os efeitos. É o policiamento ostensivo, de forma planejada, para garantir o melhor possível a segurança da população. Agora ações como a que fizemos no Carminha precisa de um respaldo dos governantes, com projetos sociais, que possam tirar o jovem das drogas, colocá-los na escola. O que mais vai acontecer com um jovem pobre que acorda e não tem uma ocupação? É inevitável partir para o lado errado", afirma o coronel.

"Também é preciso o suporte de uma legislação mais efetiva. Hoje o crime é alimentado pela certeza da impunidade. Fazemos o nosso papel prendendo, apreendendo. Mas é preciso que isso tenha uma continuidade", conclui Batinga.

BALANÇO DE ASSALTOS

A sensação de insegurança começa quando entra em um coletivo. O Ministério Público Estadual constatou que, nos últimos dois anos, foram 777 assaltos a ônibus, e que nenhuma delas se transformou em inquérito. Em maio, em um dos assaltos, o cobrador José Noberto dos Santos, 58, acabou morto depois de ser atingido por dois tiros.

Saindo do ônibus e entrando na escola o perigo não diminui. Os estabelecimentos de ensino são outro alvo de assaltantes, além do comércio de drogas, que vê nos jovens em crescimento um potencial usuário de entorpecentes. Algumas escolas ultrapassaram a marca de uma dezena de assaltos e arrombamentos. Em junho, o diretor da Escola Mota Trigueiros, no Santo Eduardo, pediu exoneração à Secretaria de Educação, depois que a escola foi assaltada pela 10ª vez.

Somente este ano, até março, nove agências bancárias foram assaltadas no Estado. O ação mais recente dos assaltantes foi à agência do Banco do Brasil, da cidade de Pilar. Dois caixas eletrônicos foram arrombados com maçaricos. No ultimo dia 27 de julho, um assalto à agência dos Correios e Jequiá da Praia alcançou a marca de 20 assaltos nesse tipo de estabelecimento somente em 2011. O cálculo da criminalidade é da própria instituição.

Nem a proteção divina segura a onda de criminalidade no Estado. Em Maceió, igrejas têm sido alvo da cobiça dos assaltantes. Em uma das ações, num templo evangélico no bairro da Jatiúca, três homens armados levaram computadores e dinheiro.

Na onda de assaltos que varre a cidade, os postos de saúde, que possuem estrutura precária, ficam ainda mais desfalcados. No bairro do Jacintinho, O posto de saúde Doutor José Araújo Silva já foi alvo de assaltos cinco vezes. Na mas recente, em março deste ano, foram levados aparelho de TV, computadores e até um tubo de oxigênio.

"Combate à violência é feito no improviso", afirma Montenegro. Você concorda?

Sócio da ASSOMAL disse...

"Não nos anteciparemos antes do fim da investigação", diz Fragoso

A Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal) aguarda o final da apuração das denúncias contra o Coronel Neitônio, comandante do Corpo de Bombeiros, para definir que medidas serão tomadas. De acordo com o major Wellington Fragoso, presidente da entidade, é preciso que o oficial tenha o direito de defender-se e contar sua versão dos fatos.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Anônimo disse...

Essas associações tbm deixam muito a desejar na 'aplicação' dos recursos dos militares! Caixa Beneficente nem se fale! Só a misericórdia de Deus! E ainda são tão santos postando isso...

Thiago disse...

Um velho sargento, voltando de uma extra, pede carona a um Vtr que passava pelo ponto de ônibus onde ele se encontrava.

Percebendo que se tratava da Vtr do supervisor de área, ele expõe que estava saindo de serviço e solicita que o oficial o leve para sua residência.

No caminho o sargento pergunta se o oficial poderia ser testemunha dele, pois suspeita que sua esposa está tendo um caso com um político e pretende flagrá-la no ato.

O oficial concorda e ao chegarem silenciosamente à casa, sobem pé ante pé até o quarto. O sargento acende as luzes, arranca o cobertor e lá está a esposa dele na cama com um político conhecido.

O sargento, sequioso por justiça, coloca a arma na cabeça do homem nu.

A esposa grita:

- Não faça isso! Esse homem tem sido muito generoso com você ao longo destes anos! Quando você fez o concurso para ser soldado foi ele quem deu um jeito para que você constasse na relação de aprovados e, anos depois, para que você fosse tido como aprovado na prova para ser cabo. Foi ele quem desenrolou para que você fosse promovido na prova para sargento, e por escolha nas graduações seguintes, bem como o responsável pelas indicações nos cursos dentro e fora da corporação onde fez fortuna com diárias. É ele quem vem pagando a escola das crianças, bem como foi ele quem financiou a entrada da casa que compramos pela Caixa, e o responsável pelo arquivamento de todos os seus procedimentos ao longo da sua carreira.

Perplexo, o sargento abaixa a arma, olha para o taxista e pergunta:

- Meu chefe – dirigindo-se ao oficial - o que você faria?

O oficial responde:

- Coloca logo o cobertor, antes que a nossa autoridade pegue uma gripe.

Uma Policial disse...

Parabéns pela postagem, cara colega. São matérias são de uma profunde e sensibilidade muito grande.

CBMAL disse...

Governador exonera comandante do Corpo de Bombeiros de AL

Sub-comandante Luiz Antônio Honorato assume interinamente

Gazetaweb - com Roberta Batista

Uma reunião, na noite desta sexta-feira (5), entre o governador Teotônio Vilela Filho(PSDB),o secretário de Defesa Social, Dário César, e o secretário do Gabinete Civil, Álvaro Antônio Machado, resultou na exoneração do comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Alagoas, coronel Neitônio Freitas. O atual subcomandante do CB, Luiz Antônio Honorato da Silva, assume o cargo interinamente.

Em nota, o governo de Alagoas confirma a exoneração e informa que um procedimento adminstrativo foi instaurado para apurar possíveis irregularidades oriundas do comando da corporação. E que a decisão será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), na próxima segunda-feira (8).

A Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) manifestou a insatisfação com a permanência do coronel Neitônio no cargo. Nesta quinta-feira, o representante da OAB/AL encaminhou ofício à presidência do Conselho Estadual de Segurança (Conseg) sugerindo ao governador suspensão ou afastamento temporário do comandante do CB.

O advogado Marcelo Brabo explicou que o governo do Estado precisava se posicionar sobre as denúncias veiculadas na imprensa contra o então comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas.

O ofício foi enviado ao presidente do Conseg, Paulo Brêda, após a veiculação da matéria em que quatro coronéis do CB acusavam o coronel Neitônio Freitas de falsificar uma ata de uma reunião para promoção de um capitão.

Em julho, uma matéria da Gazetaweb revelou o comandante do CB autorizou a liberação de uma viatura e de um militar para um evento religioso na cidade de Porto Seguro, na Bahia. A viatura foi cedida ao promotor de Justiça Sidrack Nascimento.

Donativos

Em julho do ano passado, o Ministério Público Estadual (MPE) e a Polícia Civil iniciaram investigação um suposto esquema de desvio de donativos por bombeiros de Alagoas.

Em dezembro de 2010, um incêndio destruiu donativos para desabrigados da enchente de junho do mesmo ano. Roupas, barracas e colchões estavam armazenados num galpão utilizado pela Defesa Civil, em Jaraguá. Após o episódio, várias críticas foram direcionadas ao comando geral do CB.

Anônimo disse...

[ten Teles-bambi e ten Regina-tanajura continuem assim, botando pra arrombar nesse cmd!!! vcs sim são oficiais pensantes e decentes! Formadores de opinião compromissados com a nossa realidade!] concordo! são jornalistas formados e além disso oficiais! quem conhece o trabalho deles entende

Assessoria BEF disse...

E para reforçar que a “Ronda Cidadã” não está onde a população precisa, vejam só o que aconteceu no segundo maior centro comercial de Alagoas:

Homem é assassinado na Rua do Sol

por Ailton Avlis
06/08/2011 • atualizado às 19:09


Um assassinato foi registrada na tarde de hoje, às 13 horas, na Rua do Sol, movimentada rua do comércio de Arapiraca.

Populares ligaram para o Copom, relatando que ouviram barulho de tiros. Uma guarnição foi deslocada e encontrou a vítima já sem vida.

De acordo com as primeiras informações passadas pela PM a vítima não tinha qualquer documento para identificá-la, mas é do sexo masculino, mais ou menos 28 anos, de cor morena e trajava camisa branca e bermuda branca com detalhes pretos. É possível que seja um morador de rua.

O caso já foi entregue à Polícia Civil. O cadáver foi trasladado para o IML.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver