Não temos porque parabenizar o CFAP

Outro dia eu fiz uma matéria falando sobre o absurdo de terem nos colocado pra cantar um hino na hora da chuva, no CFCP, mas com certeza o que o CFP 2010 passou e o que o CFP 2011 tem passado, o que na verdade é uma retratação do que passei no meu curso de formação de soldado há alguns anos, é coisa bem pior e ninguém viu nada!
Muitas têm sido as situações que estão levando os alunos a buscarem, de vez em quando, o auxílio da OAB ou então do MPE. Quando isso acontece, e a autoridade a quem foi feita a reclamação se faz presente ou manda apurar a denúncia, isso resolve o problema por dois ou três dias. Mas depois... Tudo voltava à "normalidade". E então, novas queixas são feitas...
Que os cursos (CFP ou CFCP) são desgastantes, disso não que se reclamar. Ruim mesmo, por exemplo, é quando chove, e alguns idiotas "inventam" de fazer alguma coisa debaixo de chuva. Tem lugares na frente do prédio onde entramos em forma que fica cheio de água, e mesmo depois da minha postagem ainda há quem faça questão de colocar os novos soldados para marchar nas poças simplesmente para ver molhar o coturno.
Por falar em chuva, desde que comecei esse curso, perdi a conta de quantas vezes ficamos a formatura matinal toda na chuva. Às vezes por longos minutos com a leitura do BI, que não diz nada de interessante para gente. Fora isso, perdi a conta de quantas vezes tivemos de fazer ordem unida com equipamentos que não utilizamos no nosso dia-a-dia, bem como de quantas vezes tivemos de ficar marchando rumo a lugar nenhum.
No final, principalmente os recrutas do CFP, se alguém passa mal em forma é sempre punido, principalmente com pernoite. E "eles" usam os motivos mais absurdos para punir. Sobre os hinos, tivemos que aprender e reaprender tantos que parecia que iríamos gravar um CD. Teve um dia, conforme testemunhou uma colega de um dos CFP citados "tivemos de cantar quatro hinos várias vezes para sermos liberados, o que somente ocorreu à noite". Isso tudo sem falar nas "revistas" e punições do final de semana.
No que se refere às revistas, no começo do curso elas só tinham hora pra começar e iam até quase 23 horas, mas o TC Aleixo (quando ainda estava por lá) ficou sabendo e estipulou que seria até às 21 horas, como se fosse fazer muita diferença, pois ninguém que estava de revista até este horário ia para casa. Infelizmente, depois que ele saiu do CFAP, e a TC Ana Paula assumiu o Comando, tudo voltou a ser como era antes: "as revistas sem hora pra acabar, pelotões inteiros de Licença Cassada (sendo que não tinha lugar no alojamento pra todos os alunos, e muitos ficaram dormindo na sala de aula), tirando pernoites sem motivo, mesmo quando não estavam de serviço", confirma um aluno formado este ano.
Com a vinda de uma mulher ao comando do CFAP euzinha até acreditei que algo fosse mudar, pois imaginei que a presença feminina fosse ser mais sensível às nossas situações. Na verdade todo mundo sabia que embora a TC Ana Paula estivesse no comando, quem mandava mesmo era o Maj Valdécio. Uma pessoa que se apresentou como sendo boa, mas que depois se revelou como "Maldécio".
Como eu disse lá no início, a situação de quem está se formando é pior de que a de quem está se reciclando...
Teve um dia que a Comandante disse em forma que o CFAP "ia diminuir os copos que eram fornecidos para os alunos", pois estávamos bebendo muita água e gastando muito copo. O que ela não revelou, na verdade, é que em todo Pelotão tinha a "cotinha do mês pra comprar materiais de limpeza, bem como copo descartável, e coisas para lanchar", o que deveria ficar por conta da Unidade Escolar, e que isso tudo que estava sendo usado ficava por nossa conta, sendo que os oficiais, Comandantes de Pelotão, faziam questão de intermediar a angariação desses recursos, que nunca tinham as contas devidamente esclarecidas.
Por falar nos oficiais, os Comandantes de Pelotão, existe um "clamor" unânime perante todas as turmas, seja do CFP ou do CFCP, que o Ten Arandas é um dos piores que já passou por esta Unidade de Ensino. Teve várias ocasiões, quando o mesmo acumulou o comando de dois pelotões, que ele colocava um Pelotão de frente pro outro e ficava falando sempre a mesma coisa, não para ensinar, e sim para irritar mesmo. E era comum, ele fazer isso sempre na hora de liberar, bem dizer à noite. Pense na raiva que ele despertava nos alunos que viam todos os outros pelotões indo embora e ficavam apenas os dele, ouvindo a mesma coisa de sempre: apenas besteiras que o tornaram perante a gente como um cara muito mal quisto.
Certa vez teve um "Corridão do Faustão", que inventaram por lá, para que os alunos que estivessem fora de forma ou que tinham algum problema pra correr entrassem em forma. E isso ficou estabelecido que ficaria de segunda a quinta, sempre depois da formatura de liberação. Normalmente ia até depois da 20 horas, e quando o aluno estava de revista ficava com o uniforme de TFM mesmo porque nem sempre dava tempo pra trocar de roupa.
As mensalidades, essas eram sempre incógnitas indecifráveis: para onde vão? Onde são investidas? Que história é essa de que toda turma que chega tem de comprar o ar-condicionado? Mensalmente tínhamos que pagar R$ 20,00. E o prazo vai até 3 dias depois do receber o salário. E quem não paga...
Quanto à água, ainda hoje o CFAP usa do mesmo "procedimento" que usava quando da minha formação, ou seja, a água (aquela que vem da caixa no fundo da APM que quase sempre fica esborrando) é desligada todo dia "coincidentemente" nos intervalos das aulas e no horário do almoço. Como se já não bastasse alguns alunos passarem o dia todo no CFAP, e no final não ter como tomar banho, pior é sentir vontade de ir a algum dos banheiros e os encontrar sujos, nojentos, podres. Ah, mas não é só isso não. Existe horário para fazer uso dos banheiros, os quais só podem ser utilizados nos seguintes intervalos: pela manhã (de 09h30 às 09h45) e à tarde (de 15h30 às 15h45), como se as necessidades fisiológicas tivessem hora marcada para acontecer. Em meus tantos anos de polícia, nunca soube realmente porque "eles" desligavam a água quando mais se precisava dela. Se alguém souber o motivo, deixe um comentário a respeito.
Uma das coisas que não entram na minha cabeça é porque temos sempre de andar correndo no CFAP. Isso qualifica em quê a formação? É um absurdo punir o aluno que é pego andando pelo CFAP. Eu sei que o programa de atividades tem um cronograma que tem que ser seguido, mas o mesmo não é afetado se o aluno simplesmente "anda". E se o aluno é visto "andando pela unidade", normalmente isso ocorre quando mesmo não está em aula. Além do mais, não há como obedecer aos horários, ainda mais nos intervalos, quando os alunos tem arriscar tentar fazer uso do banheiro e ficar sujeito a uma punição. Além do que, quando se consegue chegar à satisfação das necessidades, tudo tem que ser "sempre correndo", e ai de quem não anda precavido. Vai ficar refém da precariedade da falta de "material" higiênico.
Quando o tempo dos intervalos não diz respeito aos banheiros, tome sair correndo para o CPM em busca de um lanche melhorado. Em resumo a questão dos intervalos é assim: tem de escolher entre lanchar e usar o banheiro, porque não dá tempo para os dois.
Foi justamente numa ocasião em que estava fazendo um lanche (eu realmente estava no lanche, e não no banheiro), fiquei sabendo de uns fatos que ocorreram com um dos pelotões comandados pelo Ten Arandas, fatos estes que depois se estenderam para o outro pelotão. No caso, o que chegou ao meu conhecimento foi o seguinte:
"Um dia, depois que os alunos voltaram do horário do almoço, ficaram em forma como em qualquer outro dia, e depois foram pra sala. Mas o Ten Arandas, haja vista que não tinha instrutor para ministrar a aula prevista, mandou todos irem pra reserva de armamentos e se armarem com o 'fuzil' e depois entrar em forma na quadra. Ordem obedecida, e sem que ao menos fosse feito algum tipo de alongamento nem nada, o tenente simplesmente colocou os alunos para correr debaixo de um no sol forte, isso por volta das 14h30. Quem não conseguiu correr, porque passou mal ou algo do tipo, teve um 'presentinho': todos os dias, antes de almoçar, deveria dar duas voltas no CFAP, sendo que à noite, antes de liberar, os 'presenteados' deveriam dar três voltas. O detalhe era o seguinte: o Pelotão só sai completo. Depois de uma semana, esse 'presentinho' se estendeu para o outro Pelotão comando pelo Ten Anrandas. Pouco tempo depois, ele disse em forma que 'como o Pelotão estava se esforçando pra correr, ele iria aliviar um pouco'. Então ele mudou o número de voltas, que de duas passou para três (antes do almoço)."
Essa parte foi revelada por uma colega que se formou – há alguns meses – numa terça-feira, ocasião em que comemorou muito mais a "saída" do CFAP, que a formatura em si. É, amiga, mal a sua turma saiu do CFAP e já no dia seguinte vocês estavam de volta para saberem em quais unidades estavam lotados. E já na quinta e na sexta, sem nem ao menos terem um intervalo após a conclusão do curso (conforme só acontece nos cursos dos oficiais que até viagem de comemoração fazem, muitas vezes até para outros países), na quinta e na sexta lá estavam todos vocês de PO, fardados e desarmados, prontos para trabalhar. E para completar, nem férias completas vocês terão este ano.
Não sei se este é o pensamento das demais pessoas, mas para mim o CFAP é um lugar onde aprendemos muitas coisas... Como, por exemplo, perder dias inteiros sem faze nada... Ser levado ao limite sem motivo algum... Ser tratado mal e até nas músicas devolver isso para a sociedade (quantas foram as vezes em que cantei coisas tipo: "eu pego o inimigo e bato nele até matar", devolvendo em forma de canções o rancor e ódio que sentimos de muitos comandantes de Pelotão).
Apesar de tudo, só foi bom pelas amizades que fizemos com os colegas, porque fora isso...

27 comentários :

Sócio da ASSOMAL disse...

Brilhante texto. Parabéns!

Anônimo disse...

Para esse tal Ten Arandas:

Caro "companheiro" de farda, tome muito cuidado com o que o sr anda fazendo aí no CFAP certo, eu to torcendo muito pra o sr vir trabalhar no interior que eu trabalho, fica na capital não... "por favor!!!" Só tome cuidado na sua vida por que esses que vc está provocando, com suas "putarias" e "frescuras" de militarismo exacerbado sem necessidade, estes é que irão pra linha de frente com o sr Tenente, espero trabalhar com o sr um dia e quando o "bicho pegar" o sr grite pelo "soldadinho" aqui da guarnição pedindo "help", aí eu acho que ajuda vai chegar... em passos de "tartaruguinha" ok!

Espero muito que o sr leia.

Ass: Sd Cefapeano

Motociclista da Briosa disse...

Esse Ten Arandas é o "cara" mal do CFAP né? Poxa Ten, depois que o curso terminar e o senhor for pra uma unidade operacional eu quero ver se o senhor é bom mesmo!!!

Anônimo disse...

Pô BEF posta uma foto desse Ten Arandas aê pra gente ver???

Anônimo disse...

Maj Valdécio deve ta puto da vida pq vai pagar mais uma pensão pra uma praça la do 4 BPM.

Anônimo disse...

Excelente texto!!!! Os Magistrados ao invés de estarem preocupados com os PMs gordinhos, deveriam estar preocupados com esta formação idiota que é dada aso militares e com as escalas de serviços e qualidade de vida dos policiais. Deveriamos ter uma preparação profissionalizada para que fossemos cobrados como profissionais, mas o que vemos é uma formação que nem de longe pode ser chamada de amadora, mas sim de imbecil, pois não forma profissionais de segurança, mas sim homens que se não viram macetosos, por verem que o sistema é inútil, viram homens violentos e sem noção de que do outro lado está uma sociedade que precisa do serviço de segurança. Cabe a nós mesmos acabarmos com este ciclo vicioso e lutarmos como os bombeiros do Rio, para que o sistema mude.
O que o BEF está fazendo já é um grande passo, mas é preciso que estas informações sejam divulgados na imprensa aberta, para que toda a sociedade saiba os motivos de nossa segurança pública ser tão ineficiente.
Não podemos viver no faz de conta, como no CFCP (curso de faz de conta da policia), pois nada aprendemos durante os 5 meses em que lá estivemos, a não ser que a polícia não tem compromisso com nada, nem com a sociedade, nem com o policial.
Vamaos lutar para mudar!!!

Anônimo disse...

pois, os oficiais passam 3 ou 4 anos na academia, aprendendo como complicar uma situação, era muito mais produtivo para os oficiais tirarem serviços nas ruas, demostrando toda essa disposição em prol da sociedade. qdo entrai na pm em meu estado, só faltava pagar pelo oxigênio que respirávamos, pois tudo era pago pelos alunos, notei que logo logo um temente que fazia parte do corpo de alunos, trocou seu carango por um carro novo. ou seja o cfap só serve para enriquecer pequenos grupos. hoje no cfap os oficiais andam pianinho pq a maioria dos recrutas que estão engressando na pm, possui nível superior e sasbe todos os seus direitos, até se for chamado a atenção na frente de outras pessoas, eles procuram logo o min público para denúncia. os recrutas que passarem por estas situeções narradas acima, devem fazer denúncias ao min público. só tirava pernoite se fosse publicado em bgo

Anônimo disse...

quem diz que a polícia militar de ALAGOAS precisa de mais policiais NUNCA entrou no CFP e viu um BATALHÃO de oficiais recém formados (2008), tudo amoitado, sem trabalhar de VERDADE, tudo com função de director de não sei o que, massacrando os alunos e sem JAMAIS irem pra rua pegar bandidos!

Anônimo disse...

quem acredita que a PMAL precisa de mais políciais nunca pisou no CFAP, pois lá temos uma penca de oficiais recém formados (2008) que não sabem o que é ser polícial, vivem amoitados recebendo salários de Capitão com suas funções de diretor de num sei o que, para TUDO que vc imaginar existe a função de diretor para amoitar oficiais no cfap. nunca pisou no CFAP, pois lá temos uma penca de oficiais recém formados (2008) que não sabem o que é ser polícial, vivem amoitados recebendo salários de Capitão com suas funções de diretor de num sei o que, para TUDO que vc imaginar existe a função de diretor para amoitar oficiais no cfap.

Anônimo disse...

Não concordo com as atitudes sem motivo algum,pois uma coisa é instrução com o intuito educativo outra coisa é fazer uma ação simplesmente por maldade perversidade, que venha a ferir o princípio da dignidade da pessoa humana, contudo não pode dixar de levar em conta que a formação militar necessita de uma formação difenciada da formação civil, de um grupo de escoteiros, etc, mas é claro tudo dentro do limite, observando os princípios constitucionais.

Sócio da ASSOMAL disse...

Comando da PM ignora governador e não cumpre acordo com militares
Após diversas reuniões realizadas entre os líderes de associações militares e demais sindicatos de servidores públicos que estavam em busca de melhoria salarial e valorização profissional para a categoria e os representantes do Governo do Estado, sendo um deles o secretário de Estado da Gestão Pública, Alexandre Lajes, ficou acordado segundo documento assinado entre ambos que às punições dos militares e servidores que participaram do movimento unificado dos servidores públicos ocorrido nos últimos meses e estão respondendo por Inquérito Policial Militar (IPM) e sindicância serão retirados.
O acordo foi firmado entre o Governo do Estado, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e demais servidores públicos no dia 10 de junho deste ano, por meio do ofício nº 110/2011 – SEGESP/GS para não punição dos militares que participaram dos atos ligados ao movimento grevista reivindicatório.
PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Anônimo disse...

PM do Vinco:
Eu fui bem formado no tocante a vinco em calça jeans (isso mesmo caro leitor-VINCO EM CALÇA JEANS), foi só o que me ensinaram durante meses e não vou nem falar na ordem unida... Me digam pra que serve vinco em calça jeans e ordem unida pra proteger a população? Essa PMAL é uma piada...kkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

O CFAP é uma piada...passei esse curso 2010 só cantando e entrando em forma...entra em forma pra chegar, entra em forma pra cagar, entra em forma pra sair...entra em forma pra cuspir...entra forma pra correr, entra em formar pra beber...nunca entendir porque tanta continencia ...kkkkkkkkk, passava 30 vezes pelo mesmo cidadão lá...e tinha q dar as 30...quando só basta 1. Mas o cara quer ir pra casa ver o filho, a esposa, pai, mãe e etc...tem q dar a porra da continencia!
Militarismo é uma merda!!!

Anônimo disse...

Sem falar dos assedios!!

Anônimo disse...

inicialmente queria fazer uma única pergunta...pra que serve o MILITARISMO numa POLÍCIA? já sei até as reposta de alguns...mas isto se vê na PF, PRF E PC não?

Anônimo disse...

As escolas de formação militar organizam suas atividades de modo muito exigente: formaturas, aulas, reuniões, manobras, exercícios físicos e inspeções. Uma programação que começa, diariamente, às 06:00 hs da manhã com a "alvorada" e termina (supostamente) às 22:00 hs com o "toque de silêncio". A maior parte delas funciona em regime de internato.
Não se trata, apenas, de uma situação acadêmica, em que, terminada a aula, ou mesmo antes, o aluno retira-se para sua casa ou para onde lhe aprouver. Durante todo dia, estão presentes os encargos e deveres, as condições de disciplina e a exposição aos riscos do treinamento militar, em qualquer nível.
Os alunos de uma escola militar são submetidos a rigorosos testes de avaliação, que abrangem os campos intelectual, psicológico, físico, moral, disciplinar e de aptidão específica para a carreira militar.
Os valores e as atitudes próprios do militar e a necessária capacitação profissional serão desenvolvidos por meio do serviço diário, da orientação constante, de um cuidadoso e realístico programa de ensino e de instrução, que abrange aulas, conferências, exercícios práticos e manobras, em que o risco estará sempre presente, como em qualquer atividade militar.
O início, no entanto era difícil. Para se tornar um aluno pleno, o novato precisava passar por um rito de passagem. No começo, enfatizava-se a separação do mundo no qual o indivíduo vivia antes de ingressar na Escola Militar: suas roupas civis eram trocadas por um uniforme, sendo-lhes atribuídos um nome-de-guerra e um número. Com o ingresso na Escola Militar, ele passava também a viver em regime de internato, com horários de saída previstos e alojamentos e refeições compartilhados CASTRO (1995, p. 34).
O trote era considerado, assim, uma ‘instituição democrática’, que a todos nivelava, sem considerar atributos de distinção social da vida dos novatos antes do ingresso na Escola. Todos eram inicialmente considerados impuros – ‘bichos’ – e, através dos trotes, provariam ser dignos de ingressar no ‘Tabernáculo da Ciência’. Além disso, não se deve esquecer que todo ‘bicho’ poderia potencialmente tornar-se, alguns anos mais tarde, um veterano trotista CASTRO (1995, p. 35).
O ponto focal de todo o processo ritual pelo qual passa no Colégio, de calouro a veterano, é a identidade militar: o aluno aprende o que significa ser um militar. Trata-se, portanto, de um processo eminentemente pedagógico, e a minha tese principal é a de que o trote, como um elemento específico do ritual, é fundamental no aprendizado e construção desta identidade. O trote é a dramatização daquilo que estrutura o estilo da vida militar: a hierarquia CASTRO (2009, p. 589).

O ingresso na carreira militar ocorre mediante concurso público, sendo assim e parafraseando o Comandante do BOPE na abertura do COE – PMERJ no filme TROPA DE ELITE 1, eu digo: “Os senhores não foram convidados e os senhores não são bem vindos aqui, entreguem suas almas pois os seus corpos já nos pertencem ... NUNCA SERÃO!!!!!!!!”

Referências
CASTRO, Celso. Os militares e a República: um estudo sobre cultura e ação política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1995.
CASTRO, Celso. “O trote no Colégio Naval: uma visão antropológica”. Antíteses, vol.2, n.4, jul.-dez. 2009, p. 569-595. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses

Anônimo disse...

Gostei da explanação do Sr acima...muito bem colocada. Mas como o próprio texto enfatiza, ela se remete a atividade militar, podemos entender como, exercito, marinha e aeronautica. No nosso caso, policiais, ela não se encaixa, por se tratar de uma atividade de policiamento ostensivo. Quando vamos às ruas, vamos realizar policiamento ostencivo, e não policiamento ostensivo militar.(ver definição no site:

http://capnight.vilabol.uol.com.br/po.htm)

Depois da constituição de 1988 não vi policiais militares realizando manobras militares ou coisa do gênero. Pensar o policial militar como um soldado, é pensar de forma primitiva, é retroceder no combate a criminalidade e nas garantias do direitos humanos.
Vivendo numa sociedade moderna, se não dizer, pós-moderna, fica praticamente impossivel admitir determinados pensamentos como o acima citado por um anônimo.

“Os senhores não foram convidados e os senhores não são bem vindos aqui, entreguem suas almas pois os seus corpos já nos pertencem ... NUNCA SERÃO!!!!!!!!”

Se analisarmos essa frase podemos encontrar varios paradigmas arcaicos e ao mesmo tempo recorrente em nossas policias. Dizer que as pessoas não foram convidadas é uma mera relação ao regime de alistamento, e não da forma democratica e moderna do concurso público; dizer que as pessoas não são bem vindas...se remete a questão da própriedade privada, nesse caso a policia não é de ninguém, é pública e administrada pelo Estado. (apesar de perceber que muitos oficiais acham que são dono da PM)
Enfim, são elementos arcaicos e que quando temos pessoas destacando essas coisas como forma de legitimação de determinados comportamentos, que certemente deve ser um oficial superior, só podemos no minimo refutar.

abraço a todos e todas!
Mais policia, menos militarismo!

Uma Policial disse...

Uma das coisas que não foi falado, colega, é o assédio que quase todas nós estamos sujeitas. Mas no geral é isso mesmo, o texto é bem claro sobre o nosso cotidiano enquanto alunos do CFAP.

Sierra Delta disse...

As FEMs sofrem assédio,porém há as que assediam também...rsrs

Anônimo disse...

o serviço de polícia é por natureza civil! VER EXEMPLOS EM OUTROS PAÍSES! o militarismo na polícia funciona pra retirar direitos constitucionais principalmente para os de baixa patente! evidentemente não exclui os de alta patente...ABAIXO AO MILITARISMO NAS POLÍCIAS BRASILEIRAS! A POLÍCIA FEDERAL TEM HERARQUIA E DISCIPLINA E NÃO PRECISA DO MILITARISMO! A FORMAÇÃO DE UM PM COMO ESTÁ SENDO NO CFAP É UMA ABERRAÇÃO!KD OS SENHORES DA OAB. MINISTÉRIO PÚBLICO E ETC? SOCORRO, NOS AJUDEM PELA MOR DE DEUS!!!

Anônimo disse...

Sem contar meus caros, que achando pouco tudo isso ai comentado, por muitas vezes logo apos o horário do almoço, quando aqueles que levavam almoço de suas casas para diminuir os gastos e descansar em sala de aula,o que eles faziam? Simplesmente mandava-se que desligassem os condicionadores de ar sobre o argumento de economia de energia elétrica, Como se na sala onde se encontrava um oficial fosse desligado os aparelhos, aparelhos estes comprados por nos com a taxa escolar paga fielmente todo mês por cada aluno, como se eles pagassem energia. Pois é tinhamos que descansar naqueles fornos que eram aquelas saladas de aula.
Alguém ai já fez prova de direitos humanos numa sala que se encontrava do lado do sol, com as janelas e portas fechadas e o aparelho de de condicionar o ar desligado? Achando pouco ainda escutando musica de celular de oficial? Resumindo nada se aprende no CFAP, so serve mesmo para se humilhar o cidadão, cidadão este que estudou prestou concurso e ser obrigado a passar por estas situações por necessitar do emprego.

Anônimo disse...

Os grandes super-herois do CEFAP ( major Valdecio, ten. Nayron, ten Arandas e ten Ricart) lá dentro mandam e desmandam e ai daquele que ao menos olhar nos olhos deles... tomara que todos que passarem pelo CFAP ñ esqueçam, pois um dia quando ele precisar de mim na rua eu ñ vou esquecer ñ. Nesse dia o super-heroi vai virá franguinho.

Motociclista da Briosa disse...

Muito bom a dos super-heróis do CFAP!!! "A Liga da injustiça" Será que sabem alguma coisa de rua esses aí??? Tamo de olho...

Anônimo disse...

Caros colegas, estou no CFP que está para se formar agora. Digo agora, mas não sei quando, porque não há mais instrução e não sabemos o que ainda estamos fazendo lá, a não ser ser humilhados por esses oficiais.
O texto está brilhando, mas discordo um pouco quando fala da TC Ana Paula. Ela tenta "melhorar" as coisas, mas não consegue porque o sistema (cap. Eraldo, cap. Mascos Sampaio, os tenentes e alguns sgts) não deixam.
Não falemos somentos dos oficiais (não sei pq eles dessejam tanto em serem odiados!), mas tb de alguns sgts. Por exemplo: tem uma baixinha (sgt. Silvani) que se fosse mais alta seria a boba; a sgt flavia (aquilo não é gente), ela faz questão de ser detestatada. Coitado do aluno que passar por ela é não prestar continência, esse tá lascado.
Mas nem tudo está perdido, tem alguns sgts que são legais, ou pelo menos se comparado aos outros. Sgts Eronildo e Helder nos ajudam muito, nos orientam para não sermos punidos.
Sim, tem uns "modernos" que estão a disposição do PAA. Coitados, além de não estarem em instrução, não saberem quando vai começar a instrução tem que ficar correndo (literalmente) para fazer as benditas missões. Eles devem correm vários km durante o dia, mas sem sair do CFAP. Em fim, COMEMORAR O QUE?

Anônimo disse...

[b]Faltam colocar o seguinte: Soldados 2010 não recebem 1/3 de Férias! O Comando Rasgou o Estatuto...


TÍTULO IV
DOS DIREITOS E PRERROGATIVAS, DEVERES E OBRIGAÇÕES E ÉTICA DOS MILITARES

CAPÍTULO I
DOS DIREITOS E PRERROGATIVAS

Art. 30. Os direitos e prerrogativas dos militares são constituídos pelas honras, dignidade e distinção devida aos graus hierárquicos e cargos exercidos.

§ 1º São direitos e prerrogativas dos militares:

XV - férias anuais remuneradas com vantagem, de pelo menos, um terço a mais do que a remuneração normal;


TÍTULO IX

DOS AFASTAMENTOS TEMPORÁRIOS, DAS LICENÇAS E DAS RECOMPENSAS

CAPÍTULO I
DOS AFASTAMENTOS TEMPORÁRIOS

Art. 89. São considerados afastamentos temporários os seguintes: Férias, Núpcias, Luto, Instalação e Trânsito.

SEÇÃO I
DAS FÉRIAS

Art. 90. O período de férias anual é um afastamento temporário do serviço, obrigatoriamente concedido aos militares para descanso, a partir do último mês do ano a que se
refere e usufruído no ano seguinte.

§ 1º Os policiais militares têm direito por ano de serviço, ao gozo de trinta (30)
dias de férias remuneradas com pelo menos 1/3 (um terço) a mais da remuneração correspondente
ao período e paga até a data do início do período de repouso.

Anônimo disse...

tem fem que consegue o que quer lá no cfap, é só falar miando.

Anônimo disse...

Mudando um pouco de assunto,a alimentação da polícia Militar está cada vez melhor,hoje dia 26/10/2011,os policiais militeres foi servido com cangasso de galinha no almoço,oferecido aos policias pela cozinha que tem no hospital da "polícia militar" na minha consepição,deve ter feito uma cataçãosinha da parte da carne do frango e o que sobrou "os ossos" deixaram para os soldados. De uma coisa eu tenho certaza,que o comandante da polícia não está sabendo de uma trajedia dessa.será???.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver