Nós apoiamos o "Bico Legal"

Audiência pública discute a legalização do "bico" dos policiais em Maceió
Plenário da Câmara estará aberto à população para a discussão do projeto
Acontece nesta sexta-feira (5), a partir das 9h, no plenário da Câmara Municipal de Maceió, uma audiência pública para discutir o "Bico Legal", projeto de iniciativa do vereador Galba Novaes (PRB). Conforme o projeto, policiais militares podem trabalhar legalmente por até 6 horas, durante seu período de folga, prestando serviços de segurança em órgãos públicos e recebendo adicionalmente por isso. Os adicionais variariam entre R$ 800 e R$ 1.200, de acordo com a patente do militar.
O projeto é inspirado em uma iniciativa que existe em São Paulo, onde a violência diminuiu em decorrência desta regulamentação do "bico" dos policiais. Segundo o vereador Galba Novaes, o "bico" é uma atividade que existe, mas que agora pode ser legalizada, para que funcione em favor da segurança pública do Estado.
"Alguns policiais chegam a trabalhar desarmados e à paisana por até 20h durante uma folga de 36h, colocando em risco a própria integridade física desses PMs. Esse projeto pretende apenas legalizar uma situação que existe", afirma o vereador.
Toda a sociedade pode participar da audiência pública que acontecerá na manhã desta sexta-feira (5), onde o consultor jurídico Reinaldo Jabas Takarabe e o major Walter Rodrigues, que participaram da experiência em São Paulo, falarão sobre o projeto.
Havendo o convencimento do plenário, a proposta será encaminhada ao prefeito para que o Executivo crie o projeto de lei.

28 comentários :

Anônimo disse...

Para que esse projeto seja implantado de forma correta, tem que primeiro ajustar a escala de serviço. Dessa forma em que está, torna-se inviável. 24x72 no interior já!!!!

Anônimo disse...

Essa proposta não passa de campanha política. O que o municipio precisa fazer para ajudar a segurança pública, é realizar a sua tarefa constitucional, que é gerar emprego e renda, dar educação, saúde e lazer para a população. Com isso, geraria menos violência. O Estado, por sua vez, precisa assumir sua responsabilidade e pagar salários dignos aos policiais, gerar emprego pra população, dar saúde, educação, etc. Se cada um dos entes fizessem sua parte, não estaríamos neste caos. Mas repito, esse projeto é apenas para fazer político aparecer e desviar dinheiro pra alguém, pois podem ter certeza, ou só vai trabalhar os peixes, ou o dinheiro vai sumir!!!!
Temos é que pressionar para a provação da PEC 300.
Vamos a luta

Anônimo disse...

só vai beneficiar os peixes,os babões ou quem der uma parte do dinheiro para o comandante ou o p/1.

Anônimo disse...

Bico Legal NÃO!!

SÁLARIO LEGAL SIM!!!

Vamos parar de compartilhar pela exploração do trabalho policial!

Anônimo disse...

vixe! ai só vai ganhar dindim o velames, e o ivon.

Anônimo disse...

Ao meu ver, o interesse do município é a verba oriunda do pronasci,nada mais.

Sócio da ASSOMAL disse...

Militares participam de audiência pública sobre “Bico legal”

Na manhã desta sexta-feira (05) diversas lideranças militares se reuniram na Câmara Municipal de Maceió com vereadores, em audiência pública para discutir a implantação da Atividade Delegada (Bico Legal), que é um projeto que teve a iniciativa do vereador Galba Novaes (PRB). De acordo com o projeto, militares podem trabalhar legalmente durante o período de folga, prestando serviços de segurança em órgãos públicos recebendo por seus trabalhos um valor adicional no salário.

Segundo Galba Novaes (PRB), este projeto está sendo colocado para que a sociedade analise e veja os seus benefícios. “Quero a Polícia Militar ganhando o mesmo que o Guarda Municipal, cada um com suas respectivas funções. A Câmara abriu o debate para a sociedade, após a discussão veremos o que iremos fazer acerca do projeto e sua aplicabilidade de acordo com a realidade de Alagoas”, disse Novaes.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Anônimo disse...

'Nós apoiamos' nada! Ninguém aqui quer esmolas! Salário digno e carga horária exequivel JÁ! PEC 300!!!

Anônimo disse...

ten Teles-bambi e ten Regina-tanajura continuem assim, botando pra arrombar nesse cmd!!! vcs sim são oficiais pensantes e decentes! Formadores de opinião compromissados com a nossa realidade!

cap bonfa disse...

Governador exonera comandante do Corpo de Bombeiros de AL

Sub-comandante Luiz Antônio Honorato assume interinamente

Anônimo disse...

Tenente Teles-bambi, tenente Regina-Tanajura????? isso quer dizer o que???? faça isso nao!!!!!!!!! Respeite esses profissionais, bando de invejosos.

Anônimo disse...

kkkkk! que site fuleiro é esse! já tão querendo desviar a responsabilidade. Sai dai Ivon e velames. vcs são o mal da PM. Esse ivon é um cara de cacete mesmo. Tá sempre aonde não é chamado. Ninguem gosta de tu não homi. Tu é mais sujo que pau de galinheiro. E ainda tem um azar danado. eita peste. Tudo que faz da errado até nas amizades.

Thiago disse...

Eu não vi, mas pelo que fiquei sabendo via o "BGO das Praças", o famoso "boca miúda", que o Velames foi aplaudido de pé depois do que ele falou lá na Câmara de Vereadores de Maceió, inclusive depois da sua fala foi até apoiado por um capitão que quebrou o protocolo da casa e a Audiência Pública mudou de rumo quanto ao que estava sendo dito como forma de defesa para a aprovação do “Bico Legal”. Segundo quem um colega que assistiu a Audiência Pública pela TV por assinatura, o Velames fez graves denúncias como forma de alertar para o apadrinhamento que pode ocorrer caso este projeto seja aprovado. Quem não deve ter gostado disso foi o Coronel Luciano, que - não estranhem- já deve ter aberto outra sindicância contra este “valoroso guerreiro” (conforme defendeu o capitão após a sua fala).

Uma Policial disse...

Eu também assisti a audiência pública no canal da TV Câmara, e penso que se o Velames fosse o presidente da ACS muita coisa seria diferente. O que ele falou impressionou profundamente a quem viu, isso porque mesmo carregado de emoção ele foi capaz de mostrar que, ao contrário do que falam a seu respeito, ele se preocupa com a corporação, além do que a sua história de dor, perseguição, e vontade de que as coisas erradas sejam modificadas reflete o anseio de muitas pessoas. Acho que isso daria uma boa matéria.

GRUPO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA - GPSEG disse...

A conclusão a ser feita sobre toda essa conjuntura construída a respeito do tema “Bico Legal” é que estamos diante de uma situação meramente política, onde a má remuneração do policial – e aí inclua-se os demais agentes que compõem a segurança pública – é a “saída” para que os grupos de oposição ataquem a situação, para quem os altos índices de violência é a “pedra no calcanhar”. Nesse liame, é fácil compreender que lideranças políticas, tais quais o deputado Jéferson Morais, que é do partido do vice-governador e que é nome certo na corrida à Prefeitura de Maceió em 2012, endosse o corro de que esse projeto encabeçado pelo vereador Galba Novaes seja uma “aberração, um anomalia”, pois o policial, na visão do governo e das pessoas ligadas ele “já ganha bem”, ou então que “o governo tem feito tudo que pode”, o que não justifica tantas reclamações. Em uma análise fria dos fatos, é de se concluir que essa situação meramente política poderia ser mais “aprofundada”, ou seja, para que algo aconteça, pois só assim as coisas seriam mais “exitosas” e “profícuas” para a segurança pública, senão dizer para a sociedade em geral. Um última observação: Galba Novaes também é candidato na corrida à prefeitura de Maceió.

Anônimo disse...

Quero lá saber de merda de bico-legal!!! E o PM quando estiver doente???!!! E quando for transferido para reserva ou reforma???!!! Temos que lutar por salário dígno!!! E os PPMM dos municípios onde não existir o bico-legal???!!! Vai existir duas polícias???!!! A da capital(ganhando mais, com o bico-legal) e a do interior(ganhando menos). É idéia de girico!!!

CBMAL disse...

ASCOM divulga resultado do Projeto Pergunte ao Comandante

Entrevistas estão postadas na intranet da Corporação

Sd BM Thássia Santos

A partir da necessidade de promover uma maior aproximação entre Comando e tropa, garantindo uma interação positiva no âmbito da comunicação interna da Corporação, a Assessoria de Comunicação do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL) desenvolveu o Projeto Pergunte ao Comandante, onde o Comandante Geral responde perguntas enviadas pelos bombeiros sobre assuntos inerentes tanto à área operacional, como administrativa da instituição bombeiro militar.

O Projeto teve início no último mês de julho, quando foi aberto um novo canal de comunicação para envio de perguntas endereçadas ao Comandante Geral. Concluído este momento, a ASCOM analisou todas as perguntas, as quais foram respondidas na íntegra pelo Coronel, demonstrando seu interesse em sanar toda e qualquer dúvida dos bombeiros.

Pergunte ao Comandante foi desenvolvido em uma dinâmica de entrevistas televisivas, realizadas em diversos ambientes do Quartel do Comando Geral do CBMAL, com base no tema das perguntas. Gabinete do Comando, alojamento em reforma, refeitório, viaturas operacionais, serviram como plano de fundo para a realização deste projeto pioneiro.

Segundo o Comandante Geral do CBMAL, Coronel BM Neitônio Freitas dos Santos, esta foi uma ótima oportunidade de poder estar falando com sua tropa e apresentar o que ele está fazendo pela Corporação. “O Comandante que não tem este feedback nunca vai sentir como é que a Corporação está recebendo as mudanças, as dificuldades, as conquistas”, ressaltou o Coronel, frisando a importância em poder levar para a tropa e para a sociedade alagoana o que pensa o Comandante, o que ele tem que fazer e o que está fazendo em prol da evolução do CBMAL.

As entrevistas, que foram divididas em seis vídeos, estão disponíveis na intranet da Corporação, bem como no site de hospedagem de vídeos Youtube, podendo ser encontradas através das palavras-chaves: pergunte ao comandante, ascom cbmal, corpo de bombeiros militar de alagoas; e pelos links listados abaixo.

CBMAL: Pergunte ao Comandante:

Julho Parte 1/6

Julho Parte 2/6

Julho Parte 3/6

Julho Parte 4/6

Julho Parte 5/6

Julho Parte 6/6

Anônimo disse...

https://www.facebook.com/profile.php?id=1583840487

https://www.facebook.com/profile.php?id=100002460468558

https://www.facebook.com/profile.php?id=100002391040588&sk=info

providências já!!!

Assessoria BEF disse...

Comissão Especial da PEC 300 é golpe‏

Autor: Capitão Assumção

Criada no final da legislatura passada por intervenção dos deputados federais aliados do governo, mais precisamente do deputado Cândido Vaccarezza (PT/SP), a desditosa Comissão Especial formada para analisar todas as proposições relativas à segurança pública que tramitavam na Câmara, e com o objetivo de emperrar a votação em segundo turno da PEC 300, ganhou rapidamente a alcunha de “Comissão Especial da PEC 300”.
Reunidos quarta (04) os membros dessa Comissão acabaram cancelando a reunião por falta de quorum mas o presidente dos trabalhos, deputado Arnaldo Faria de Sá, que inclusive é o autor da PEC 300/2008, encaminhou ofício aos governadores para que fosse informado à Câmara sobre o valor do salário inicial dos bombeiros e policiais. Em reportagem à Agência Câmara o parlamentar estabelece o prazo de até duas semanas para que haja manifestação por parte dos entes federativos sobre o impacto que a implantação poderá causar em cada estado.

Conforme a matéria, somente após o recebimento dessas informações, elaborará um estudo técnico para buscar um acordo para encerrar a celeuma da votação em segundo turno da PEC 300. Diz o ditado que de boa intenção o i****** está cheio. Imaginem esse documento chegando nos respectivos Estados. Os governos que já possuem opinião formada sobre o assunto protelarão o tanto que quiserem. Não há nada que imponha aos governos estaduais o fornecimento desses dados a qualquer tipo de Comissão Especial na Câmara. Mas essa informação, nesse momento, é irrelevante, pois o que tem que ser feito é unicamente concluir a votação em segundo turno da PEC 300.

Isso é golpe. A própria criação da Comissão Especial, que é prevista em regimento interno, diga-se de passagem, é fruto de uma famigerada armação para colocar no mesmo balaio a PEC 300. Essa trama armada no meio do caminho surge justamente no momento em que os valorosos bombeiros e policiais se organizam para uma grande manifestação no Congresso Nacional para tão somente pressionar a Câmara a votar o segundo turno da PEC 300 nesse dia 9. O único interessado em manter essa melancólica Comissão Especial de pé é o governo federal.

Não há mais nada a ser debatido tanto na Câmara quanto nos estados. Já existem requerimentos de parlamentares componentes dessa errante Comissão solicitando audiências públicas em seus estados para debater a questão. Para que? As audiências públicas e marchas populares já aconteceram em todos os estados. Os bombeiros e policiais brasileiros não querem mais firulas. Querem passar dessa fase. Querem ver a PEC 300 em pauta, votada e aprovada no dia 9 de agosto. O resto é conversa fiada.

Quanto a essa questão de repercussão financeira é um assunto que deve ser tratado sim. Mas pelo governo federal, que, por leniência, já deveria ter feito esse estudo se assim o quisesse. Não quer. Prefere destilar veneno apregoando falsa repercussão financeira nos meios de comunicação corporativos. E mesmo que o governo não queira fazer isso agora, não há importância.

A PEC 300 ainda vai ser votada mais uma vez na Câmara dos Deputados, duas vezes no Senado, será promulgada em ato simbólico no Congresso Nacional e o governo terá até 180 dias para fazer esse estudo e apresentar à Câmara. Até o dia 9 muita coisa vai ser armada para impedir a organização dos bombeiros e policiais em Brasília. Aguardem.

Cb Ademir disse...

E o salário das forças de segurança quando vai ter dignidade? E o adicional noturno? E a periculosidade? E o pagamento de horas-extras? O não pagamento desses direitos também é "ilegal" como o bico é "ilegal".

Anônimo disse...

Velames vc pensa que vai ficar rindo das difamações dos homens da PM sem ter um arranhão. Vá pensando moleque!

Andressa Carvalho disse...

Ao “anônimo” acima.

Você, covarde, não tem 1/3 da coragem do Velames. Você só sabe falar mal escondido no anonimato. Nem coragem para assinar o seu nome você tem. Sua presença na corporação deve ser tão apagada quanto é a sua coagem. Velames pode ter os seus defeitos, como todos nós temos, mas foram as suas ações que melhoraram e muito o quesito “direito das praças”. E você, o que fez? Antes de procurar falar mal de alguém, procure ao menos ser tão qualificado quanto esta pessoa.

Sargento Gilberto disse...

Ao otário “anônimo” que atacou covardemente o Velames...
Você, covarde, pensa que o Velames é igual a você? Se você for um praça deve estar com inveja dos companheiros que conseguem se destacar perante a tropa. Se você for oficial, deve ser mais um desse que fica muito puto de raiva porque o Velames levou muito conhecimento à tropa e nos insuflou a buscarmos os nossos direitos, fato que nos engasgou durante anos.
Velames é marco na PM, é um “divisor de águas”, pois depois dele a PM nunca mais será mesma. Eu, que sou sargento, não tenho nenhum constrangimento em reconhecer isso. Falem mal dele o quanto quiserem, mas no fundo vocês terão de admitir uma coisa: ELE É O CARA.
Aposto que você, idiota que morre de medo de enfrentar uma ocorrência de vulto, é um desses que gosta de babar ovo do superior, por isso que não tem coragem de aparecer nem mesmo como autor do que escreve.

Maria Isabel disse...

Pô, cheguei tarde do PO e perdi a audiência pública! kkk Queria ter participado. Soube por um colega que o Velames tinha falado e o que ele falou deixou a todos impressionado. Infelizmente como nossos horários estão cada vez mais apertados, não dá nem pra ter algum tipo de vida social!!! rsrs Do jeito que a coisa está, num vejo a hora de sair da PM, mesmo estando precisando deste salário para pagar a minha faculdade. Por isso, de antemão já digo aos colegas: ADEUS, PM, ATÉ NUNCA MAIS! Os oficiais sepultam qualquer sonho que criamos em relação à PM quando tornam nossas vidas na corporação um pesado. E aí daquele que ousar se expressar contra o sistema...

Sd PM 2006, que trabalha com um deputado disse...

pô, dona maria, logo agora que vai ser aprovado o "bico legal"? fica mais um pouco, mulher. essa corja que se encontra no poder logo vai sair. segundo o político pra que eu trabalho, o téo está pra sair... e por consequência toda essa cúpula da segurança pública. e pelos informes, acho que não chega a novembro!!! sai não, dona maria! ei, tua foto me fez lembrar a mona lisa... kkk

Anônimo disse...

É Çargentu Gilberto, depois que o Velames for expulso a BRIOSA POLÍCIA MILITAR nunca mais será a mesma. Concordo com você. kkk kkk kkk

Anônimo disse...

Rapaz..compareci a audiência e não vi ninguém ser ovacionado...o que vi foi um Capitão com conduta torta e que tem ligação com o Velames apoiar seu discurso...na verdade, foi criado um clima de constrangimento devido as asneiras que ele falou. Mas vamo lá: Velames candidato a alguma coisa em 2012!!!!!

GM Ferreira disse...

Na Verdade, o interesse do nobre vereador é transformar policiais militares em chumbeta de Guarda Municipal, pois o importante é que o Estado ofereça melhores condições salarias aos policiais seja eles civis ou militares e não venha com propostas para legalizar o "Bico" já realizados por muitos policiais. Pra mim, isso é uma forma de desviar os policiais de suas funções e usá-los como caapangas, faxineiros, caseiros, meninos de recados etc. dentro de suas fazendas, sítios, mansões, casas de praias e estabelecimentos comerciais diversos. Pena, que muitos aceitam essa forma de humilhação e também uma forma de fazer que os policiais acostumem com essas situações, ou seja, não vá a luta pelos seus direitos, condições de trabalho, salarias etc. No fundo, tão querendo mascarar a crise em que se encontra a Polícia de Alagoas.
GM Foxtrot

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver