O fracasso da "Operação Nadian Alves"

Hoje é o dia da expiação, é o dia do perdão, dia do julgamento divino...
Amigos briosianos, hoje eu não vou falar nada contra o Comandante Gilmar Batinga, nem contra as pífias estratégias que esta autoridade tem desprendido no sentido de fazer algo em prol da sociedade, pois estou estocolmizado com mais um fracasso de suas megaoperações à frente do CPC; a quinta, por sinal. Hoje, por ser o dia do perdão no calendário judeu, eu resolvi que não vou falar disso, ou seja, das ações do Comandante Gilmar, não no sentido de criticar, mesmo porque, como diz o matuto, "não se chuta cachorro morto". Eu vou falar de traição.
Hoje a nossa corporação realizou mais uma megaoperação, a maior desde que o Comandante Gilmar está à frente do CPC, a qual foi composta por 220 policiais, entre policiais militares da nossa Briosa Polícia Militar (representada pelo Bope e o seu canil, bem como a Radio Patrulha, Cavalaria e Batalhão Escolar) e da Força Nacional, e policiais civis do 7° DP, Tigre e DRN (Delegacia de Repressão ao Narcotráfico), além de 44 viaturas e 27 motos e um helicóptero. Tudo isso para localizar e prender os suspeitos no assalto que terminou com a morte da vendedora Nadian Alves e por decorrência prender os suspeitos de envolvimento em tráfico de drogas na região da Vila Brejal e no Bom Parto, assim como apreender material de procedência criminosa.
Mas, o que estaria por trás de tantos fracassos nas megaoperações orquestradas pelo Comandante Gilmar Batinga? Como se desenvolveu a "Operação Nadian Alves"?
Quando a Polícia Militar invocou para si a responsabilidade na elucidação do latrocínio ocorrido na Farmácia Pague Menos, tratou de designar a P2 do CPC para fazer o levantamento sobre a área onde o carro utilizado no roubo foi abandonado, sendo que com a apreensão do marginal alvejado na ocorrência chegou-se à confirmação que o fato tinha relação com o tráfico de drogas na Vila Brejal e no Bom Parto. Imediatamente os trabalhos de campo foram iniciados, como nas outras megaoperações, e à medida que os "investigadores" foram avançando no espaço geográfico, foram feitos relatórios dando dados precisos sobre o que foi levantado, isto é, sobre os nomes e endereços dos investigados. E assim, com base em filmagens, fotografias e relatórios, o Comandante Gilmar Batinga, que estruturou a ação desenvolvida na presente data, juntamente com as informações do pessoal da polícia civil, na pessoa do Delegado Denisson Albuquerque, encaminhou às autoridades competentes a conclusão minuciosa das investigações, alertando da periculosidade local e solicitando das mesmas os meios para que as providências cabíveis fossem tomadas, ou seja, que fossem expedidos os mandados de prisão, busca e apreensão.
O que Gilmar Batinga não sabe, é que em meio às guarnições em quem ele tanto confia, existe aqueles que fazem o jogo duplo. Gilmar é traído pelos seus próprios militares de confiança, e – ao que parece – ainda não se deu conta disso.
O resultado dessa operação, que foi denominada "Operação Nadian Alves" em homenagem à funcionária assassinada, foi a prisão de 04 pessoas, sendo uma mulher, bem como a apreensão de 01 pistola 765, 01 revólver calibre .38 e 50 pedras de crack. O fato curioso dessa operação é que o marido de Patrícia, que foi presa com a pistola em casa, Rogério Lamenha Lins, que trazia consigo R$ 9,6 mil, se entregou à polícia alegando ser o dono da arma (justamente para que a mulher fosse solta e não revelasse o que provavelmente sabe). Um outro preso, José Soares da Silva Júnior, "cochilou no ponto" e foi flagrado com as pedras de crack e alguns comprovantes de depósitos bancários totalizando algo em torno de R$ 10 mil. A prisão de David Liádico, o quarto elemento, ocorreu no Bairro Santo Eduardo.
Números quase idênticos aos das outras megaoperações. Algo que, na visão dos "críticos de plantão", soa como um verdadeiro desperdício do dinheiro público, um verdadeiro fracasso, ainda mais quando eram para terem sido presas 30 pessoas, diversas armas e quilos e quilos de drogas.
Em busca de informações sobre quem são os policiais de confiança do Comandante Gilmar, fizemos um levantamento dos membros que compõem a P2 do CPC, a qual é oriunda das unidades sob o seu comando, e descobrimos que existem alguns policiais que realmente abraçam a causa policial e a ideologia do seu comandante, mas também descobrimos que a P2 do Comandante Gilmar é composta por marginais que se transvestem de policiais. Isso mesmo: marginais que se transvestem de policiais.
Segundo o que nos foi informado sobre o remanejamento das P2 dos batalhões para o CPC, na visão estratégica do Comandante Gilmar: "a centralização das ações de inteligência poderia resultar num melhor emprego e coordenação das suas atividades". Pensando assim, foi que as P2 das unidades foram "deslocadas" para o CPC. Acontece que com a ampliação da área de abrangência desses policiais as suas ações criminosas também foram expandidas. E muitos destes policiais que sabidamente tem conduta criminosa não fazem questão de esconder dos seus pares o submundo escuro de suas ações, regadas a tortura, extorsão a traficantes das periferias, venda de informações sobre a "batidas" dos próprios colegas, bem como a retenção de produtos (dinheiro, armas e drogas, que normalmente ficam guardados em chácaras) das operações que realizam, ou então agindo como "independentes" (aqueles que adquirem a droga, direta ou indiretamente, e repassam a quem pagar mais), ou "os corres" (aqueles que adquirem comercialmente a droga de um grupo e repassam para outro).
Porém, engana-se quem pensa que seus feitos fiquem apenas nisso. Muitos destes mesmos policiais também prestam serviço de segurança do tráfico e "limpeza" (da "concorrência" e dos viciados não pagadores) das áreas onde atuam, conforme tivemos o prazer de informar à OAB recentemente. É por essa razão, ou seja, a de que existe uma investigação externa em curso, que – por hora – não vamos divulgar os nomes desses marginais, que fortemente atuam em Maceió, Arapiraca, São Miguel, São Sebastião e Teotônio Vilela, com ramificações em Águas Belas e Floresta, municipios do interior de Penambuco, assim como toda Zona da Mata, Agreste e Litoral Sul.
E para confirmar isto que estamos afirmando, vamos apresentar a alguns dados dando conta de "vazamento" de informações:
Fevereiro: Operação envolvendo 116 policiais, realizada na Favela do Galpão, no Vergel do Lago. Resultado:
40 mandados de prisão emitidos,
3 pessoas presas,
2 cobras jiboia apreendidas,
certa quantia em dinheiro (que não chegava em R$ 100 reais),
10 pedras de crack, e 23 bombinhas de maconha.
Abril: Operação envolvendo dezenas de policiais da PMAL e da Força Nacional, e bombeiros, realizada no Benedito Bentes. Resultado:
NINGUÉM FOI PRESO!
NENHUMA ARMA FOI APREENDIDA,
– O som de um cantor foi apreendido, por estar acima do limite auditivo permitido,
– Três bares foram fechados por não possuir Alvará de Funcionamento,
NENHUMA quantidade de droga foi apreendida.
Julho: Operação envolvendo algo em torno de 100 policiais, entre militares da PMAL e da Força Nacional, realizada em Rio Largo. Resultado:
26 mandados de prisão emitidos,
4 pessoas foram presas (uma delas, por ser a esposa do procurado),
Aproximadamente 1 kg de maconha,
– Uma balança de precisão,
Três cartuchos de calibre 12,
Sementes de maconha,
100 munições de arma calibre 22 (que estavam abandonados num terreno),
Uma espingarda de pressão (para matar passarinho),
Uma pistola enferrujada (sem condições de uso),
Um revolver calibre 38 (que ninguém da imprensa viu), e
NENHUMA QUANTIA EM DINHEIRO
Julho: Operação envolvendo 160 policiais militares, realizada, novamente, no Benedito Bentes. Resultado:
Algumas aves silvestres apreendidas,
CDs "supostamente" piratas,
Algumas máquinas caça-níqueis,
Várias bicicletas de origem supostamente duvidosa,
Um revolver foi apreendido,
NINGUÉM FOI PRESO!
O que reforça a nossa tese de que, dessa vez, a culpa (direta) não foi do Comandante Gilmar Batinga, e sim dos seus policiais de confiança; os quais, provavelmente, são os mesmos que nos enviam informações privilegiadas com detalhes precisos sobre o que ocorre nas reuniões do CPC, como, por exemplo: a informação de que o Comandante Gilmar tinha feito uma reunião com fotos do Google, mostrando os locais que deveriam ser policiados, o que nos levou a fazer uma postagem sobre a vulnerabilidade do BOPE conforme nos foi "sugerido" com o envio das fotos que usamos na postagem feita no mesmo no dia, horas depois; as megaoperações do CPC e o efetivo empregado, o que nos possibilitou acionarmos a imprensa nos exatos momentos dos deslocamentos para que ela fizesse o devido acompanhamento das ações; a bajulação do sargento que vive dizendo que o Comandante Gilmar deve ser o próximo Comandante Geral; os seus almoços com o governador; a falta de combustível nas viaturas; os "grampos" ilegais; as escalas de serviço do CPC (conforme mostramos em uma postagem sobre a RP) e o efetivo das unidades, dentre outros documentos, etc. Tudo isso, para arruinar o seu comando.
Pelo exposto, a culpa do Comandante Batinga consiste em manter esse pessoal sob suas ordens confiando cegamente neles, tendo-os como assessores diretos ou dando-lhes poderes, na condição de membros do serviço reservado, de atuarem às obscuras. Além do mais, não manter um serviço de contrainformação, tipo, uma P2 da P2, é "pedir para ser traído", como está acontecendo.
É por isso, Comandante Gilmar, e devido à crise da segurança pública em nosso Estado, algo que conta com a participação das mazelas do nosso meio, que hoje estamos nos mobilizando no sentido de melhorarmos o nosso ambiente interno, tentando coibir as coisas erradas que são de nosso conhecimento, seja criticando ou denunciando, ou até mesmo alertando, como estamos fazendo agora. Porque embora estejamos em um Estado pequeno, o que acontece neste pequeno pedaço de solo chega a ter em nossas vidas, e na vida dos nossos familiares, proporções maiores que os conflitos militares que estão ocorrendo mundo a fora. Por essa razão, parafraseando com o que vossa senhoria mesmo disse poucas horas depois da operação: "Quem pensar que vai fazer segurança pública, que vai combater [a violência e a criminalidade] com ações isoladas [...] não vai chegar em local nenhum. A ideia é justamente esta: é integrar. É envolver todas as pessoas que tenham interesse em ter uma Alagoas mais tranquila". É por isso que estamos te dando este alerta, Comandante.

29 comentários :

zorro de la rádio pancada! disse...

si,yo conoço una persona que se golpear el saco del batinga danifica todos los sus dientes,es una maricón grande e barricudo,un babón famigerado e sin escrupulos su apellido es "el dedéu",cuerno nojiento con su mujer muy esquisita!mas tengo pra mi que este no tiene esta capacidá,sólo es cuerno mismo!bien,os otros yo no tiengo idea,mas minas manos no irao ao fuego no.yo quiero manos saudables!

Anônimo disse...

Perguntem ao Deputado chefe do tráfico da região do vergel e vcs saberão quem vazou a informação

Anônimo disse...

Mais uma MEGA OPERAÇÃO DA SEDS 220 HOMENS, 44 VIATURAS E 07 MOTOS PARA PRENDER 04 PESSOAS, SENDO UMA MULHER, 01 PISTOLA 765, 01 REV. 38 E 50 PEDRAS DE CRACK. ISSO É QUE É DESPERDÍCIO DO DINHEIRO PÚBLICO. ERA MELHOR E MAIS BARATO DÁRIO, LULU E CIA IR NA BOCA E COMPRAR 1.000 PEDRAS DE CRACK E DEPOIS CHAMAR A IMPRENSA PARA NOTICIAR

Anônimo disse...

PM pobre que se vendem a quem dá mais dinheiro... São que nem prostitutas: abrem as pernas para quem dar mais. Aprendeu com os seus superiores, que vergonha, a safadeza vem de cima.

soldados da rp !qualquer um! disse...

não sei de quem diabos foi esse infeliz comentário"pm pobre que se vendem a quem dá mais dinheiro"?!!!em primeiro lugar,prostituta é a sua mãe.existem praças pobres e oficiais pobres,e muitos desses de bem e de vergonha,lave a boca antes de falar de qualquer um desses seu vagabundo!
agora,se você quiser alguma coisa mais sério,crie cunhão e venha conversar com a gente,nosso endereço é;r.princesa isabel s/n,no final da rua.será bem vindo.

Anônimo disse...

Qual semelhança é mera coincidência: "O INIMIGO É OUTRO"... Vá e vença e que por vencido não vos conheça!

Anônimo disse...

Antes a gente da PMAL pegava como exemplo o salário da PMDF. Depois ficávamos namorando o salário da PMSE. Hoje não precisamos ir tão longe não, é só invejarmos os salários da GM (guarda municipal de Maceió) que ganham, com justiça e dignidade, R$ 4300,00.

Adriano Soares de Lima disse...

O meu nome é Adriano Soares de Lima. Nascido em Viçosa, filho de Marcos Bentes de Lima e Maria Soares da Paz. Meu único patrimônio é meu nome, o nome de meu Pai e de minha Mãe. Tenho mais de 3 milhões de irmãos, se considerar a população do Estado de Alagoas, quase todos analfabetos e sem perspectivas de futuro, mas todos passivos da violência, motivo pelo qual jamais serei um cidadão tranquilo, muito menos feliz, pois sinto que os nossos governantes não se preocupam conosco.

Uma Policial disse...

Fogo amigo? Não! Isso realmente é pura traição.

Anônimo disse...

PQP. DEPOIS DESSA, QUERO VER COM QUE CARA O BATINGA VAI SE DIRIGIR AOS SEUS HOMENS DE CONFIANÇA NA SEGUNDA-FEIRA

Anônimo disse...

vocês foram londe de mais.

Anônimo disse...

"É melhor ter os inimigos atuando do nosso lado que contra a gente". Porém, "em certas ocasiões é melhor ter apenas inimigos que falsos amigos, pois assim fica fácil saber quem é quem".

Anônimo disse...

abre o olho, gilmar. pondera as suas veredas !!!

GRUPO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA - GPSEG disse...

Quando você não se envolve com as coisas da corporação você não sofre. Quando você tem informação, conhece os fatos, sabe dos enganos, dos absurdos deste comando, sabe dos desvios, das mentiras ditas publicamente e do faz de conta, ai você começa a ficar com muita bronca, não só por você (algo que envolve tudo que vai de encontro com o que você acredita), mas porque isso tem reflexos na vida da população, da qual a sua família faz parte. E por isso, para que não nos queimemos e não sejamos tragados pelo sistema, fingimos que somos enganados, agindo com uma aparente ignorância, muitas vezes fingindo ser como estas pessoas que não tem a capacidade nem mesmo enxergar as críticas que a imprensa lhe faz, chegando ao ponto de confundir crítica com elogio. Muitos representantes da sociedade estão abobados com o fato de não ter quem os proteja, pois há muito se deram conta que definitivamente não temos segurança pública. Somente com esta situação, já temos motivos mais que suficientes para querermos que pessoas qualificadas sejam postas nos lugares destes gestores que aí estão. Pois tudo que eles têm dito que fazem (?), de acordo com os índices de criminalidade apresentados, não passa de lorota.

Assessoria BEF disse...

Recebi a mensagem abaixo do SENASP, vai abrir a Bolsa Formação, porém conforme o Decreto 7.443 de 2302/2011, assinado pela Presidente Dilma, só quem vai ter direito é quem ganha até R$ 1.700,00 retirando somente a gratificação natalina e férias. Só os recrutas vão receber o auxilio do Governo Federal, parabéns você que votou na Dilma, isso que da votar mal.

"Informamos aos interessados, que obrigatoriamente atendam às condicionalidades do Projeto Bolsa Formação, que serão abertas as inscrições para o cadastramento do requerimento no Sistema Nacional do Projeto Bolsa Formação – Sisfor no mês de outubro do ano corrente."

Anônimo disse...

MG: Professora impede Soldado de assistir aula fardado


Professora da FUMEC impediu Soldado PM do 18 BPM, de assistir aula fardado na Faculdade FUMEC/ curso é Educação Física.

Alegou que o fato do militar estar fardado e armado a constrangia na sala de aula.
O militar se humilhou para assistir a aula , que autorizou após ele guardar sua arma.(Seu instrumento de trabalho).

A turma toda se revoltou contra a professora, que agiu com tamanha grosseria e falta de ética e conhecimento jurídico dentro da sala de aula.Quis impor sua autoridade na marra em desfavor do militar, que é jovem e foi surpreendido com esta barbárie, ficando estático no primeiro momento e sem saber o que fazer....

Após o fato (um dia depois) registrou om BO na Delegacia por "Constrangimento Ilegal".

Informou ao Coordenador do curso um CEL do EB da reserva e ainda não entrou na justiça contra a Faculdade e nem contra a Ditadora.(Mas irá tomar as providencias)

Não há nada na lei que proíba a condição do militar, bem como no regimento interno da escola, então o por que desta DITADURA CIVIL CONTRA NÓS POLICIAIS MILITARES.

Haverá um reencontro entre as partes neste sábado e o mesmo já foi orientado a não aceitar qualquer pedido de desculpas da professora, que deverá responder em juízo pelo seu ato criminoso e discriminatório.

LEIA O RELATO DO SOLDADO:

Renata, só retirei os nomes próprios para não atrapalhar caso mova ação contra a referida, vale lembrar que meus colegas de sala (os que presenciaram o fato, inclusive civis) desaprovaram a ação da professora, lembro também que em minha sala tem mais 6 PM´s,(que intercederam ao meu favor) e, que como é uma ação condicionada resolvi proceder desta maneira, agindo de cabeça fria e resolvendo de melhor maneira possível.

Como li em alguns comentários indagando o porquê estava fardado, diga-os que minha aula começa às 13:10h e acaba as 16:50, sendo que entro de serviço às 14:30, saio na metade da aula as 14h e por isso vou fardado, todo esse trabalho é para realizar outro sonho (pois o de ser policial militar e proteger a sociedade já é concretizado) de ser Educador Físico.


CHEGOU A ESTE DP O SENHOR **********, POLICIAL MILITAR ALEGANDO QUE NA DATA DE 03/09/2011 SABADO, POR VOLTA DAS 13:10H
ESTAVA NO INTERIOR DA UNIVERSIDADE ******, VESTINDO FARDA DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS E AO ENTRAR NA SALA DE AULA PARA
ASSISTIR A AULA DE ANATOMIA DO ********** PERIODO DE EDUCACAO FISICA, A SENHORA ****************** (PROFESSORA DA DISCIPLINA) TERIA
BARRADO SUA ENTRADA PELO MOTIVO DE ESTAR ARMADO E FARDADO, E QUE MESMO SE O MILITAR GUARDA-SE SUA ARMA (O QUE FEZ ASSIM QUE SOLICITADO, TENDO
QUE COLOCAR SUA ARMA DENTRO DE SEU VEICULO), NAO SERIA PERMITIDA SUA ENTRADA PELO MOTIVO DE ESTAR FARDADO, ALEGANDO QUE SE SENTIA INCOMODADA
COM UM POLICIAL FARDADO DENTRO DE SALA DE AULA E QUE NAO DARIA A AULA ENQUANTO ESTIVESSE PRESENTE EM SALA. O MILITAR ALEGA TER SIDO
CONSTRANGIDO NA PRESENCA DE SEUS COLEGAS DE DISCIPLINA, DISSE AINDA QUE PARA CONSEGUIR PARTICIPAR DA REFERIDA AULA, TEVE QUE IMPLORAR A
PROFESSORA PARA CEDER SUA ENTRADA EM SALA DE AULA, FALANDO QUE NAO TERIA COMO TROCAR DE ROUPA, E QUE TEVE QUE SE COMPROMETER A NAO IR MAIS
FARDADO A AULA. *********** DISSE AINDA QUE NA DATA DE HOJE, LIGOU PARA O COORDENADOR DO CURSO, SENHOR **********, PERGUNTANDO SE HAVIA ALGUMA
RESTRICAO DE SEU ACESSO A SALA DE AULA POR ESTAR FARDADO E ESTE TERIA AFIRMADO NAO HAVER RESTRICOES.

OS DADOS DOS ENVOLVIDOS NAO FORAM CHECADOS DEVIDO AO PRODEMGE ESTAR FORA DO AR.

Fonte: Blog da Renata

Assessoria BEF disse...

Ainda sobre a falta de combustível nas viaturas, "na data de ontem PAROU GERAL".

Anônimo disse...

porra de bolsa esmola!
Eu quero é salário digno!

militarismo podre e velho! Abaixo!

Anônimo disse...

Devido à falta de combustível, vejam só o que aconteceu:

Quatro assassinatos na noite de 6ª e madrugada de sábado em Maceió

Um homem de 26 anos foi executado com pelo menos 15 tiros, no final da noite da sexta-feira (7), na orla de Cruz das Almas, zona norte de Maceió. Adriano José da Silva, que morava no mesmo bairro, foi assassinado na Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, foi atingido por tiros em várias partes do corpo quando caminhava em frente ao Hotel Reymar. Testemunhas não souberam informar à polícia quem foi o assassino.

Mais cedo, no início da noite, na Levada, Luciano Santos de Amorim, 38 anos, que morava na Rua Cabo Reis, na Ponta Grossa, foi executado com vários tiros de pistolas calibres 380 e 9 milímetros. O crime ocorreu na Rua 15 de Março, perto de uma creche-escola na Praça Santo Antônio. A polícia também diz não ter conseguido informações sobre os assassinos.

Também por volta das 18 horas da sexta-feira foi morto o jovem Milânio Eugênio da Silva, de 21 anos. Ele morava no Conjunto Santa Helena, bairro da Cidade Universitária. Foi atingido por vários disparos de arma de fogo e a polícia não obteve pistas dos assassinos. O crime ocorreu perto do Mercadinho Econômico, no Tabuleiro.

E durante a madrugada outro jovem foi assassinado. O corpo de Nil Felizardo da Silva, de 20 anos, que residia na Vila Brejal, foi encontrado com dois tiros, em frente ao supermercado Bompreço da Levada. Como nos outros três casos, a polícia não conseguiu informações sobre os matadores.

Eduardo Lucena (Consultor em Segurança) disse...

COMO COMBATER O CRIME EM ALAGOAS

Vamos fazer uma análise partindo de estudos de diversos pensadores com Freud

A violência é um fenômeno social, e tem sido fruto de estudo de diversos pensadores ao longo da modernidade. Sempre existiu. A partir do momento em que o homem passou a coexistir, a violência apareceu. Ela existe e tem derivação intrínseca. Move-se pelo instinto, cabendo ao modo e a forma como lidamos com ele, ela poderá ser controlada ou não. Porém, estará sempre ali, dentro do ser humano, aguardando o momento para agir. Como podemos desprender, não é “privilégio” e nem exclusividade do Estado.

Sigmund Freud enfatizou que a civilização e seu caráter repressivo são os produtores de neuroses nas pessoas. Em sua análise, a não-satisfação do princípio do prazer pode trazer conseqüências nos níveis psíquicos e físicos. Neste sentido, Douglas Daniel de Amorim – Psicólogo clínico (Universidade FUMEC), pós-graduado em Psicologia Médica (UFMG), Mestre em Educação, Cultura e Organizações Sociais (UEMG), em seu Estudo sobre a violência doméstica, referindo-se ao grande pensador Sigmund Freud, diz o seguinte:

“...Descobriu-se que uma pessoa se torna neurótica porque não pode tolerar a frustração que a sociedade lhe impõe, a serviço de seus ideais culturais, inferindo-se disso que a abolição ou redução dessas exigências resultaria num retorno às possibilidades de felicidade.” (FREUD, 1929, p. 106)

O psicanalista, é claro, considera que a civilização nasce concomitantemente às regras e leis, que impedem que o ser humano seja plenamente feliz. Ao estabelecer regulamentos, a experiência irrestrita de prazer fica automaticamente anulada. Freud chega a afirmar que “a civilização é em grande parte responsável por nossa desgraça e seríamos muito mais felizes se a abandonássemos e retornássemos às condições primitivas” (FREUD, 1929, p. 105). Marcuse (1999) vai de encontro a essas idéias, no tocante ao adoecimento que a civilização provoca nas pessoas, principalmente quando percebe que não é mais possível se estudar os problemas psicológicos à luz de um psiquismo individual. Assim, de acordo com o frankfurtiano:

“Os problemas psicológicos tornam-se problemas políticos: a perturbação particular reflete mais diretamente do que antes a perturbação do todo, e a cura dos distúrbios pessoais depende mais diretamente do que antes da cura de uma desordem geral.” (MARCUSE, 1999, p. 25)

Bem, não querendo estender este debate, até porque não é o objetivo, e em razão de todo o enunciado, podemos entender que acabar com a violência é algo extremamente utópico. Mas, em contrapartida, poderemos conter ou prevenir seu principal efeito colateral: o crime.

Portanto, é a partir da prevenção e proatividade em relação ao combate e ao controle deste mal secular, que estaremos contendo ou reduzindo os índices de violência. No ensejo, vamos expor uma teoria que, acreditamos poderá ser de muita valia no conjunto da Segurança Pública.

Antes de qualquer coisa, devemos entender a mecânica do cometimento de um crime:

Teoria do Triângulo do Crime

Trata-se de uma planificação do que deve ocorrer para que possa haver o cometimento de um crime. Para que isto ocorra se faz necessário que estejam presentes três elementos essenciais:

1. Ação
2. Meio (Objeto)
3. Oportunidade

Continua no comentário seguinte

Eduardo Lucena (Consultor em Segurança) disse...

A (IN)SEGURANÇA PÚBLICA DE UM ESTADO DESOGARNIZADO

Índice de homicídios em Alagoas é alarmante, segundo a ONU.

Bem, tive a obrigação de dar uma pausa na continuação da postagem anterior, (Como combater o crime em Alagoas), em razão da grave constatação, desta vez por parte da ONU, da Epidemia de homicídios que acomete nosso Estado. Sem querer filosofar muito, estou republicando nosso primeiro post, atualizando os números da ONU e mostrando que a situação é ainda pior que o anunciado, corrigindo o índice de homicídios de 63 para 73 e lembrando que os “Boeings” continuam caindo aqui; terminaremos o ano, infelizmente, com cerca de 2.350 homicídios. Vejamos:

“A conhecida frase do economista norte-americano Jeffrey David Sachs “estado desorganizado, crime organizado” nos leva a uma reflexão do papel do estado e da polícia. A polícia é apenas um instrumento das políticas públicas de combate à violência e à criminalidade e não pode carregar o ônus de ser a responsável pelo controle criminal e social. Em Alagoas, infelizmente, este entendimento não pode ser alcançado pelos gestores da área de segurança pública.

Com isso, somos hoje o Estado com o maior índice de violência do Brasil em razão do alto número de homicídios e violência cotidiana não identificados e não analisados, sugerindo um estudo apurado de, no mínimo, cinco anos para se fazer uma análise criminal qualitativa, ou seja, uma radiografia social para ambientação e um entendimento adequado do que seja o crime e a violência em Alagoas.

Nos últimos quatro anos, no Estado de Alagoas, com cerca de 3.050.000 habitantes, aconteceram quase 9.000 homicídios! Segundo a Organização Mundial da Saúde O.M.S, para cada grupo de 100.000 Habitantes, até 10 Homicídios é um dado aceitável, para o período de um ano, valendo saber que acima disto já é considerado como Epidemia. No Brasil, a média atual é de 23 Homicídios para Grupo de 100.000 Habitantes.

Trazendo este cálculo para Alagoas, tivemos no ano de 2010 um total de 2.226 homicídios, o que nos dá uma taxa de 73 homicídios para grupo de 100.000 habitantes! Quando partimos para analisar os bairros de Maceió, no ano de 2010, encontramos localidades com taxas anuais beirando os 300 homicídios para grupo de 100.000 habitantes! De per si, temos já ai uma visão assustadora do que seja a violência cotidiana pois, de forma direta, Alagoas se encontra numa desenfreada rota vermelha, onde as ações de Segurança Pública têm se mostrado inócuas e ineficientes, baseadas principalmente em antigas e ultrapassadas estratégias importadas, mudando apenas de embalagem, mediante os conseqüentes governos e dirigentes que se sucedem.

Continua...

Eduardo Lucena (Consultor em Segurança) disse...

Continuação

Segundo Loïc Wacquant, em seu ensaio no livro “Punir os Pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos”, os gerentes se sucedem, mas as ações continuam as mesmas, senão vejamos:

“... Assim, as autoridades responsáveis pela ordem pública dos diferentes governos que se sucedem num determinado país ou em diferentes países, em um dado momento, combinam, todos eles, com o mesmo ritmo entrecortado e com apenas umas poucas variações menores, as mesmas figuras obrigatórias com os mesmos parceiros: fazer patrulha numa estação de metrô ou num trem de subúrbio, exaltando as medidas anti-crime; visitar, em cortejo, o posto de polícia de um bairro mal afamado; deixar-se posar numa foto coletiva de vitória após uma batida de drogas anormalmente grande; fazer algumas advertências viris aos malfeitores para que, de agora em diante, eles “se comportem bem”; e lançar os faróis da atenção pública sobre os transgressores reincidentes, os mendigos agressivos, os refugiados errantes, os imigrantes que aguardam ser expulsos, as prostitutas de calçada e outros detritos sociais que se acumulam nas ruas das metrópoles fin-de-siècle, para a indignação dos cidadãos “respeitáveis”.

Por toda a parte, ecoam as mesmas loas à devoção e à competência das forças da ordem, o mesmo lamento em relação à escandalosa complacência dos juízes, a mesma afirmação apressada em prol dos invioláveis “direitos das vítimas do crime”, os mesmos anúncios tonitruantes prometendo ora “fazer baixar a delinqüência em 10% ao ano” (promessa que nenhum político arrisca lançar em relação ao número de desempregados), ora restaurar o controle do Estado sobre as “zonas do não-direito”, ou ainda aumentar significativamente a capacidade das prisões, ao custo de bilhões de euros...”


Parece familiar? Sim, as ações se repetem mesmo; é muito mais fácil se investir em panacéias criadas com o intuito, puro e simples, de alardear supostos “atos estóicos”, como se o Governo estivesse realmente imbuído em reduzir os altos números de homicídios e crimes de demais montas, quando na verdade a preocupação é, tão somente, “parecer ser” em detrimento do “ser”.

Então, enquanto o (des)governo finge que se preocupa, nós, pobres mortais, fingimos que acreditamos, o sistema de defesa social finge que está tudo sobre controle e os criminosos, bem, os criminosos não estão nem ai para este circo e continuam aterrorizando os palhaços: “Nós (aqueles pobres mortais)”.

Eduardo Lucena
Consultor em Segurança

Cabo Êta disse...

A ideia é do texto foi justamente esta: EntRegrar.

ASCOM da PMAL disse...

Gecoc diz que responsáveis por vazamentos em operações serão punidos

por Emanuelle Oliveira

Possíveis vazamentos de informações acerca de operações policiais em Alagoas continuam sendo investigados por órgãos com o Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc).

Um dos indícios para a desconfiança é a fuga de alguns acusados que já vinham sendo investigados, como o prefeito de Traipu, Marcos Santos, que fugiu durante a operação Tabanga, da Polícia Federal.

O coordenador do Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), Luiz Vasconcelos informou ao Cadaminuto que caso sejam identificados os responsáveis pelos supostos vazamentos, eles serão punidos pela instituição da qual fazem parte. No entanto, ele lembrou que outras possibilidades não estão descartadas.

“Ainda não podemos afirmar que está havendo vazamento de informações, inclusive nesse caso, pois estaríamos colocando todos sob suspeita. Também vamos considerar se há falhas na execução das operações, para que isso seja melhorado”, ressaltou o coordenador do Gecoc.

Segundo Vasconcelos, no caso de Traipu, o prefeito pode ter ficado sabendo da movimentação de viaturas com destino à cidade e por já ter sido investigado em outras situações, se mantinha em alerta.

“Uma quantidade grande de viaturas foi deslocada para o município, passando por locais onde o prefeito poderia ter informantes, o que pode ter dado tempo para que ele fugisse. Não foi a primeira vez que ele foi alvo de investigações policiais”, destacou.

Anônimo disse...

ARMARAM UM CIRCO,ESSA É TODA A VERDADE.COMO PEGAR TRAFICANTE DA BREJAL, VIRGEM DOS POBRES E OUTROS,COM DEZENAS DE SIRENES ANUNCIANDO: "FIQUE AÍ,NOS AGUARDEM, ESTAMOS CHEGANDO".PACIÊNCIA, NÃO BRINQUEM COM NOSSA INTELIGÊNCIA. ESSAS DITAS OPERAÇÔES SÃO ESCALDALOSAMENTE ANUNCIADAS, E PONTO.

Anônimo disse...

GECOC CADÊ AS INVESTIGAÇÕES DA CÚPULA DA PC? A SOCIEDADE QUER SABER.

Anônimo disse...

A VIDA DE ALGUNS ORGÃOS DE SEGURANÇA PÚBLICA É CRITICAR A PC, MAS VAI TENTAR FAZER O TRABALHO DELA PRA DESCOBRIR COMO TUDO É MAIS DIFICIL. E OLHA QUE ESSE POVO QUE CRITICA TÊM A SUA DISPOSIÇÃO EFETIVO A VONTADE, DINHEIRO E MATERIAL (VTR'S + ARMAMENTO + COMUNICAÇÃO), SE DESSE A PC METADE DISSO ...

Anônimo disse...

COMO É QUE A POLICIA VAI FAZER UMA PRISAO DE UM BANDIDO, EM UMA CIDADE PEQUENA E FAZER UM DESFILE DE VIATURAS, ISSO É UMA ABERRAÇAO, ELE SOUBE DEVIDO A OPERAÇAO QUE FOI MAL FEITA OU JA FIZERAM ISSO PRA DÁ TEMPO DO BANDIDO FUGIR. ATÉ HOJE, NUNCA VI UMA FALHA GRITANTE COMO ESSA, DA OPERAÇÃO DE TRAIPÚ.

Anônimo disse...

A VIDA DE ALGUNS ORGÃOS DE SEGURANÇA PÚBLICA É CRITICAR A PC, MAS VAI TENTAR FAZER O TRABALHO DELA PRA DESCOBRIR COMO TUDO É MAIS DIFICIL. E OLHA QUE ESSE POVO QUE CRITICA TÊM A SUA DISPOSIÇÃO EFETIVO A VONTADE, DINHEIRO E MATERIAL (VTR'S + ARMAMENTO + COMUNICAÇÃO), SE DESSE A PC METADE DISSO ...

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver