A "SAIDINHA"

O comandante da unidade chega às 11h da manhã, como "de costume".
(Qualquer semelhança com TC Albuquerque (Adolf Hitler Jr.), Cel Luiz Carlos (alcunhado "tamborete de gandaia”), TC Fafá Escaliante (aquela bobinha que foi pra Israel encher os bolsos de dólares; dizem até – oh, adoráveis más línguas – que ela só queria receber diárias em Euros), Cel Sandro (O carrasco do 9º andar), Cel Mário de todas as Horas, e tantos outros, não terá sido mera coincidência).
Assim que entra na unidade, o comandante ordena ao soldado:
– Me chame o meu subcomandante!
– Sim senhor, meu chefe.
Minutos depois volta o soldado:
– Meu comandante, o subcomandante foi resolver um "probleminha".
– "Probleminha", sei... Tá certo. Então me chame o P/1.
– O P/1 precisou dar uma "saidinha", mas volta já, chefe.
Esse P1... Deve bem tá atrás de algum de rabo de saia.
– Me chame então o supervisor do Batalhão...
– Comandante, ele... Bem, ele foi...
– Já sei, precisou sair. Então me chame o auxiliar do P/1...
Um minuto depois, o auxiliar entra na sala do comando:
– Pronto, comandante.
– Sargento, alguma alteração no serviço?
– Sim senhor, diz o sargento.
– Qual?
– No serviço de hoje chegaram atrasados 4 soldados, por cinco minutos, dois cabos, por 10 minutos, e 3 sargentos que se atrasaram 15 minutos.
Atrasados? Não é possível - disse o comandante - comunique desses atrasos, e quem não justificar, vai ser punido.
Antes de sair da sala, o auxiliar, meio sem graça, resolve fazer um pedido:
– Comandante, meu auxiliar pediu pra sair 15 minutos mais cedo hoje, é que ele está com o filh...
Não, hoje não dá, você sabe, se eu começar a liberar essas coisas, fica complicado.
– Sim senhor, comandante.
– Aproveitando o ensejo, comandante, sua esposa ligou há pouco, antes de sua chegada, e disse que o senhor pegasse as crianças na escola com a viatura, pois ela só vai chegar em casa à tarde.
– Ela por acaso disse pra onde iria?
Bem, eh... Ela também mandou avisar que precisou dar uma "saidinha"...

18 comentários :

Anônimo disse...

a saidinha foi pra um motel,já que esses coroneis são todos cornos,eu inclusive já peguei a mulher de um.

zorro! disse...

??????cornutos!?de nuevo?!!!quantos cuernos tiene la pm?muchos no?!la maioria oficiales?estoy pasmo igual lo gato de la bocarra escancarada!seria esta la causa de la brabura??cornos?!yo voy divulgar en la reparticion...no quieres uevo!

Anônimo disse...

Ah comandante corno, kkkkkkkkkkkkkkkk... Quem fica muito se incomodando com os outros se esquece dos de casa: a mulher vai chifrá-lo, o filho vai fazer programa na boite gay, a filha vai pra casa do namorado fumar maconha e, bem vcs sabem o que quero dizer. Quem olha demais os dos outros esquece dos seus, por isso que tem uma infinidade, hoje, de noieiros.

Anônimo disse...

tem muito corno.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Eéas saidinhas da alegre Fafá é?

Anônimo disse...

uahsuauhsuhas, niguem sabe quem é essa peça lorde auhsuhaus muito bommmm.

Anônimo disse...

Diga se é justo conosco que trabalhamos dia e noite incansavelmente o que acabei de ler nos sites de informação que novos PMs irão para farça nacional nesse período em que mais precisamos de gente?
Enquanto isso eu fico aqui trabalhando por 2 e ganhando por 1 enquanto eles vão trabalhar por 1 e ganhar por 2 ( salário da PMAL + salário da força nacional)... Isso é justo?

Anônimo disse...

Anonimo, justo eu acho que é. O que nao é justo é que ainda tenha companheiro na rua fazendo alguma coisa.
Meu amigo, se vc nao gosta da sua folga, faca a sua folga. Se vc acha que 12 por 24 e 12 por 48 esta pesado, simples:
No dia das 24 horas de trabalho, va ao medico e adoeca. Pronto. assim vc trabalha a escala adequada. E o povo? O povo que se vire. Cada povo tem a policia que merece.
CUide de vc meu xapa.
Agora que é justo que os caras vao pra la é sim. Chega de sofrer, malandro.

Anônimo disse...

Moradores do Clima Bom denunciam abuso e truculência em operação da PM
20:24 - 14/10/2011
Josenildo Törres

Por que ninguém entra na casa do Secretário de segurança pública, algema, manda deitar no chão, chama de fila da puta, viado, etc etc...e depois diz q foi um engano!?

Ser pobre é um negocio de fila da puta mermo nesse mundo!!

Anônimo disse...

Gazeta 16/10/2011

Batalhão de Trânsito será extinto
Desmotivação da tropa e redução do efetivo se reflete nas ruas de Maceió

A notícia da extinção do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPtran) entra em rota de colisão com uma freada brusca nos índices de fiscalização e aceleração constante das mortes por acidentes de trânsito. A desmotivação da tropa e a redução do efetivo têm reflexos nas ruas de Maceió. A performance pífia do batalhão se traduz em apenas um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCOs) e 51 notificações por embriaguez entre os meses de janeiro e agosto de 2011, o que dá menos de duas multas da Lei Seca por semana.

O BPTran parou de divulgar os dados, mas a Gazeta teve acesso por fontes na própria Polícia Militar (PM). Comparando o período de janeiro a agosto deste ano com o do ano passado, o número de Autos de Infração de Trânsito (multas) despencou de 7.943 para 2.104, uma redução de 73,5%. A produtividade também sucumbiu de 1.885 veículos recolhidos para 507 (73,1%). Na apreensão de carteiras de motorista, a baixa foi de 599 para 160 (73,2%). As multas por consumo de bebida alcoólica caíram 42,1% (de 121 para 51).

Anônimo disse...

Esse Comandante da PMAL é um brincante, senão, vejamos: no jornal impresso da GAZETA (16/10/2011) ele, quando questionado sobre a desmotivação da tropa diz que "A MAIOR MOTIVAÇÃO DO POLICIAL É SERVIR A SOCIEDADE"... KKKKK ... A minha é ter comida e um bom plano de saúde pra mim, esposa e meus filhos. É D+, viu?
A tropa cansou e como não pode ir contra os superiores faz a greve branca pra ver quem cansa primeiro... Eu estou nesse tipo de greve há 2 anos.

Briosa em Foco disse...

NÃO TEMOS VAIDADES COM A INFORMAÇÃO

Em mais um de nossos feitos, procuramos os nossos contatos na imprensa e divulgamos com provas robustas o que sabíamos sobre a informação que reproduzimos a baixo:

Batalhão de Trânsito será extinto

Desmotivação da tropa e redução do efetivo se reflete nas ruas de Maceió

A notícia da extinção do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPtran) entra em rota de colisão com uma freada brusca nos índices de fiscalização e aceleração constante das mortes por acidentes de trânsito. A desmotivação da tropa e a redução do efetivo têm reflexos nas ruas de Maceió. A performance pífia do batalhão se traduz em apenas um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCOs) e 51 notificações por embriaguez entre os meses de janeiro e agosto de 2011, o que dá menos de duas multas da Lei Seca por semana.

O BPTran parou de divulgar os dados, mas a Gazeta teve acesso por fontes na própria Polícia Militar (PM). Comparando o período de janeiro a agosto deste ano com o do ano passado, o número de Autos de Infração de Trânsito (multas) despencou de 7.943 para 2.104, uma redução de 73,5%. A produtividade também sucumbiu de 1.885 veículos recolhidos para 507 (73,1%). Na apreensão de carteiras de motorista, a baixa foi de 599 para 160 (73,2%). As multas por consumo de bebida alcoólica caíram 42,1% (de 121 para 51).

Número de vítimas é cada vez maior

De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), o número de vítimas de acidentes não para de aumentar em Alagoas, todos os anos. Se em 2007, registrou-se 2.940 vítimas; em 2008, foram 3.180; em 2009, 3.411; e em 2010, 3.819. Uma escalada de 29,9%.

A evolução da mortalidade é ainda mais grave. No Instituto Médico Legal (IML), houve um aumento de 53,85% no número de mortos em acidentes de trânsito em Maceió, apenas entre os anos de 2009 e 2010. Foi um salto mortal de 143 para 220 vítimas que perderam a vida em ruas carentes de policiamento de trânsito. Em todo o Estado, o aumento foi de 603 para 788 mortos (30,7%).

Enquanto a PM fica se debatendo para reduzir os índices de homicídios e de criminalidade, o BPTran praticamente para de expedir TCOs e adotar outras práticas que reforçam o policiamento ostensivo, como revistas de veículos, autuações por crimes de roubo e apreensões de armas de fogo. O TCO é um instrumento da PM para registrar as ocorrências, que poderia desafogar o serviço acumulado nas delegacias.

Em rota de colisão

O Detran relaciona diretamente o baixo desempenho do policiamento de trânsito ao aumento dos índices de acidentes com mortos e feridos. Se as multas, apreensões de veículos e recolhimento de carteiras não chegam, também há perdas na arrecadação. Mas o diretor-presidente do órgão, Lúcio de Melo, prefere enfatizar que a pior consequência da queda de performance do BPTran é o avanço da violência no trânsito.

“A minha preocupação no Detran não é o ganho financeiro, o nosso foco mesmo é tornar o trânsito mais seguro”, explica o presidente, frisando que a receita com as infrações atinge apenas 2%. De todo modo, ele admite que o ganho indireto que a fiscalização traz com a regularização dos veículos é bem mais significativo, já que o órgão registra uma taxa de 35% de inadimplência.

Continua...

Briosa em Foco disse...

Continuação

Os gráficos do Detran demonstram que as infrações em 2011 caíram a menos da metade do registrado em 2010. Segundo Lúcio, as quedas começaram em 2009 e ficaram mais exageradas no ano passado, que começou com a aplicação de 1.010 multas no mês de janeiro e terminou com apenas 65 em dezembro.

Associações criticam remanejamento

As associações militares apontam a falta de efetivo como a raiz do problema das estatísticas do BPTran e criticam os remanejamentos que o comando faz nos batalhões. Nem os novos projetos da PM, anunciados como revolucionários para conter a criminalidade são poupados.

“Essa Ronda Cidadã está tirando os policiais de outros batalhões, eles descobrem um santo para cobrir o outro”, opina o presidente da Associação dos Oficiais Militares (Assomal), major Wellington Fragoso.

Para o oficial, a PM não deve abrir mão de fiscalizar o trânsito. “Estamos voltando para a Idade da Pedra, deixando de dar importância a um batalhão tão importante como o BPtran. Fazem isso porque acreditam que a Guarda Municipal vai cuidar do trânsito, mas eles não têm poder de polícia para apreender drogas, armas ou prender um suspeito”.

O presidente da Associação dos Praças de Alagoas (Aspra), cabo Wagner Simas, discorda da estratégia de deslocar a estrutura do BPTran para reduzir homicídios e outros crimes. “Quando o policial de trânsito está atuando, tira de circulação carros irregulares, armas, drogas e suspeitos. Quando você extingue uma unidade estabelecida há vinte anos, você reduz essa possibilidade”.

Comando considera mudança salutar


Mesmo com a extinção do BPtran, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Luciano Silva, garante que o policiamento de trânsito vai ser reforçado. “A gente vai operacionalizar, vai ter uma gestão mais forte nessa questão do trânsito, que hoje é municipalizado. Vamos adquirir mais equipamentos e haverá pelotões de motociclismo e de quatro rodas lotados nos batalhões de área”.

Sobre a baixa radical nos índices de fiscalização de trânsito, o comandante respondeu apenas que: “se houve essa redução, precisamos fazer um trabalho de gestão para identificar as falhas e corrigi-las”. Apesar do coronel não deixar claro que sabia da queda nas infrações, o presidente do Detran, Lúcio de Melo, informa que já tinha discutido esse assunto com ele.

Quanto aos problemas apontados pelas fontes da Gazeta, Luciano não quis polemizar. “Vejo como críticas boas, construtivas. Por causa disso, a gente transforma o batalhão em companhia na expectativa de melhorar a gestão administrativa para fortalecer o trabalho de trânsito”, afirma o comandante, lembrando que o BPtran hoje já faz o policiamento ostensivo. “Quando essa lógica foi implantada, algumas pessoas também se sentiram incomodadas”, completa.

Fonte: Gazetaweb

Afrika Korps disse...

O governador nao sabia que pode ser cassado pelo escandalo da ovelhal.
O vice nao sabia que precisava pagar as casas da caixa.
O secretario de planejamento nao sabia que nao podia fazer lobby no governo e nem desviar dinheiro.
O secretario de seguranca nao sabia que alagoas era o mais violento do mundo.
o comandante da pm nao sabia que o bptran estava acabando
o do cpc nao abia que nao tinha gasolina.
e nos, nao sabemos que precisamos trabalhar.
Simples assim.

BOICOTE GERAL E IRRESTRITO E ESSE SADAM LULU

Anônimo disse...

Esse era o BPTran antes de Lulú e Dário o Cesar
O Batalhão de Trânsito da Polícia Militar de Alagoas divulgou o balanço estatístico das ocorrências referente ao ano de 2010.

De acordo com o relatório apresentado ao comando da corporação, a atuação do BPTran na capital resultou nem 9.304 auto de infração notificados, 768 carteiras de habilitação apreendidas, 2.276 veículos recolhidos e 158 condutores notificados por embriaguez ao volante.

A compra do caminhão guincho do BPTran e a aquisição de dez viaturas para o batalhão foi um dos motivos apontados como sendo o responsável pelo grande número de ocorrências registradas.

Ainda, segundo o relatório, foram lavradas 127 prisões; 29 flagrantes por embriaguez ao volante; 19 flagrantes de acidente por embriaguez ao volante; 22 apreensões de armas de fogo; 14 autuações por crime de roubo; 9 por furto e 5 por entorpecente.

Desde dezembro do ano passado, quando o batalhão passou a ser responsável pelo policiamento ostensivo nas orlas de parte da Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas, o número de armas de fogo apreendidas subiu em relação aos onze meses anteriores, quando a unidade só estava focada nas autuações de trânsito na capital.
Topo da página

MEXER COM SOLDADO O QUE É QUE DA CORONEL disse...

Página Inicial Policial
15 de Outubro de 2011 - 07:25
Soldado mata comandante da Polícia Militar em Cassilândia
Cassilândia News

O soldado da Polícia Militar de Cassilândia (MS), Adriano Paulo da Silva, 34 anos, conhecido como Paulão é suspeito de matar à queima roupa o tenente Mário José Eufrásio da Silva, conhecido por Eufrásio, 49 anos, lotado também no batalhão da PM de Cassilândia. O crime aconteceu na madrugada de hoje (15).

O site Cassilândia News recebeu a informação preliminar de que os soldados Carapia e Bettiol e o cabo Caleghari foram acionados pelo 190 para atenderem uma ocorrência de violência doméstica. Ao chegarem ao local, notaram que tratava-se de uma briga entre o soldado Paulão e sua esposa.

Os policiais conseguiram levar a esposa de Paulão para o batalhão, com a finalidade de protegê-la, e ficaram na residência conversando e tentando acalmar o policial. O cabo Caleghari, inclusive, ficou segurando o filho do casal no colo.

O tenente Eufrásio, superior hierárquico, foi chamado pelos policiais para acalmar Paulão. Eufrásio, que estava de férias, chegou desarmado no local.

Segundo informações recebidas pelo site Cassilândia News, após uma breve conversa dentro da casa, Paulão pegou a arma e deu um tiro em direção a Eufrásio. O tenente desviou e não foi atingido. Em seguida, Eufrásio conseguiu fugir para trás da casa. Paulão ameaçou os três policiais e disse que se reagissem ele atiraria. Após ameaçar, Paulão também foi para trás da residência, onde encontrou o tenente e deu três tiros à queima roupa: dois no abdomen e um na cabeça.

Uma das hipóteses é que o tenente tenha ido para trás da residência, para poder entrar na casa e surpreender o policial por trás e assim desarmá-lo. No total, foram deflagradas 6 cápsulas da arma de Paulão, que pertence à Polícia Militiar.

Os policiais militares tentaram parar Paulão, dando dois tiros em direção à perna dele, porém nenhum o atingiu. Depois de atirar no tenente, eles conseguiram agarrar, desarmar e prender Paulão em flagrante.

Eufrásio chegou sem vida na Santa Casa. O corpo está no hospital e a Perícia Científica de Paranaíba (MS) e o médico legista Dairson de Castro estão fazendo o laudo necroscópico.

Paulão se negou a realizar o teste do bafômetro, porém, segundo policiais, ele aparentava ter ingerido bebida alcóolica.

O policial preso será encaminhado para Campo Grande (MS), onde responderará por crime perante a Justiça Militar.

AQUI NA PMAL O BICHO PEGA SE FOU FEITO disse...

Sábado, 15 de outubro de 2011
Corpo de Bombeiros e Governo de Minas terão que prestar contas de como foram aplicados mais de R$ 284 milhões arrecadados com a taxa de incêndio

O Governo de Minas e o Corpo de Bombeiros terão que prestar contas de como foram aplicados mais de R$ 284 milhões arrecadados com a taxa de incêndio no Estado desde o início dela, em 2004. A Assembleia Legislativa apura denúncias de que a metade dos recursos, que deveriam ser destinados exclusivamente para a compra de equipamentos para a corporação, teria coberto outras despesas. Recentemente, houve suspeitas de que a verba estaria sendo usada para o pagamento da folha de pessoal.

A hipótese foi levantada após o detalhamento do destino dos recursos, em 2010. No período, R$ 46 milhões chegaram aos cofres do Governo mineiro vindos da taxa. De acordo com a Lei 14.938/2003, 50% do dinheiro deveria bancar a compra de equipamentos e o restante seria direcionado à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). No entanto, apenas R$ 3,5 milhões do montante foram usados da primeira forma.

A quantia é menor do que os R$ 4 milhões aplicados no auxílio fardamento, e quase a metade dos R$ 6 milhões gastos com serviços de terceiros prestados por pessoa jurídica. Os dados constam do relatório de Execução Orçamentária da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), referente a 2010.

Outra suspeita de irregularidade é com relação ao valor que deveria ser encaminhado à Seds. Os R$ 23 milhões não teriam sido destinados à pasta, indo parar no caixa único do Governo.

O assunto foi debatido, nesta sexta-feira (14), em audiência pública na Assembleia Legislativa. As divergências sobre as aplicações dos recursos, no entanto, não foram esclarecidas pelo Corpo de Bombeiros e o Governo, de acordo com os deputados. Os parlamentares assinaram um pedido de detalhamento de toda a movimentação financeira desde a implantação da lei, ano a ano. O balancete será encaminhado ao Ministério Público.

Segundo o representante da Secretaria de Estado da Fazenda, o assessor de tributação Ricardo Luiz Oliveira, o Governo teria usado mais de 75% da verba na aquisição de unidades de resgate, caminhões de salvamento e outros equipamentos de combate a incêndio. Ele diz que houve um equívoco na publicação de um decreto que informou que a folha de pagamento seria custeada pela taxa, mas o erro teria sido corrigido no mês seguinte.

O representante da SEF afirma que a frota do Corpo de Bombeiros, que era de 355 veículos com idade média de 15 anos, passou para 1.067 viaturas com idade média de sete anos em 2010.

Conforme o diretor de Assuntos Institucionais dos Bombeiros, coronel Matuzail Martins, os recursos são aplicados corretamente, mas ele admite que é necessário definir o que deve ser pago pela taxa de incêndio e o que deve ser custeado pelo tesouro do Estado. O imposto é cobrado de estabelecimentos comerciais e industriais nas cidades com contam com unidades do Corpo de Bombeiros.

Fonte: Jornal HOJE EM DIA

Anônimo disse...

Estão atirando para todos os lados!

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver