Valeu, Aloísio

Nem mesmo o relatório da ONU que apontou Alagoas como o lugar mais violento do país foi capaz de abalar o "sono do justo" Secretário de (in)segurança. De sexta-feira até o dia de hoje, os acontecimentos que permearam a nossa linda terra também não se mostraram suficientemente preocupantes para o incompetente – intitulado por ele próprio – gestor.
Hoje o que Dário gerencia são mortes. Cadáveres que se amontoam. Até mesmo nos lugares aonde a salvação de sua falsa gestão – a ronda cidadã – atua os homicídios não tiveram fim. Na quinta-feira um cidadão foi executado a luz do dia enquanto estava sentado numa banca de jogo do bicho, na gruta de Lourdes – um dos bairros cobertos pelo lançamento da semana passada da "RC". Sobre isso, o secretario foi silencioso, nem uma palavra a relatar.
Sábado, a execução de um homem na Av. Durval de Góes Monteiro, continuidade da Fernandes Lima, a maior avenida da cidade também não mereceu crédito para o Secretário – afinal o que ele quer é curtir as benesses do cargo – e a sociedade que se "lixe" (ele é "gestor", um "estudioso").
Diante do assassinato da 20ª vitima moradora de rua no domingo a tarde, que vem a somar-se com as 31 executadas no ano passado (clique aqui), mais uma vez o silêncio.
Dário faz parte da pior extirpe de pessoas que existem na terra: o demagogo. Aliado a este fator, por si só já preponderante, some-se a incapacidade de gerenciar qualquer coisa que seja, desde uma banquinha na extinta feira do passarinho até mesmo as empresas do Senador Fernando Collor, com o qual nutria amizade fraterna e que, de uma hora a outra, houveram as rusgas mortais. "Traidor" – é o que ele foi – vendendo o ex-patrão em épocas de campanha, tal qual Judas fez com Cristo, e hoje tem como a paga a cadeira que ocupa.
Trabalhar não foi seu forte. Na verdade nunca ficou bem explicada a "mutretagem" que houve no período onde passou cinco longos anos desertor. Longe da polícia e sem dar um murro numa broa, foi "salvo" pelo procurador do estado a época, logo após ter sido "convocado" pelo comandante geral para retornar – mas, sábio e desenrolado, Dário arrumou logo um pé de meia fora da Briosa da qual ele sempre nutriu horror. E agora, aparece com  desagradável pecha de "gestor". Salvo se a palavra gestão tenha a conotação de porcaria, é uma desonra tanto para os militares trabalhadores e honestos quanto para os gestores de verdade. Uma piada de mau gosto explícita todos os dias na nossa TV e jornais. Um desagrado, uma vergonha.
Despreparado, desarticulado, inábil em ações tanto com palavras. Estas "qualidades" ficam mais evidentes quando pronuncia-se à imprensa. Em sua mais recente coletiva podemos aferir a terrível tentativa de ludibriar os repórteres, com frases desconexas ou contraditórias, conforme podemos observar no vídeo abaixo:
E sobre as mortes e a "onda azul" da violência que vem manchar de vermelho as já enlutadas famílias alagoas, Dário finalmente veio a se pronunciar, via "twitter", neste domingo:
A resposta do Secretário de Defesa Social, do Estado com os índices de violência e homicídios mais altos do País, citado num relatório da ONU como o mais violento lugar do mundo (clique aqui), pior até que o Afeganistão e o Iraque, num final de semana onde o sangue "deu na canela" em matéria de homicídios, é a debochada frase: "Valeu Aluísio!"  em alusão à vitória do time de futebol que ele torce (?). Alagoas está no caminho errado e o Governador já está passando da hora em demiti-lo, já que o mesmo não terá a hombridade de fazê-lo por meio da digna renúncia. Alagoas EXIGE e NECESSITA de alguém com competência para estancar estes indicies inaceitáveis.
Este "homem" é realmente um gozador a debochar de nós, Alagoanos.
Durma o "sono dos justos", Dário, pois você – devido à capacidade de chegar onde chegou – merece. E nós, ao acordarmos, esperamos despertar deste pesadelo que tem sido a sua patética e atrapalhada gestão e ter definitivamente nos livrado de sua desastrosa "gestão".

11 comentários :

Anônimo disse...

Ele pode inventar a "ronda cidadã do quadrado poligonal hexagonal hiperbólico trapezial parabólico redondo do dirrepentelho pitagórico piramidal", mas se não valorizar o PM, o ser humano, vamos continuar esse boicote, essa greve branca, até que se tenha aqui uma intervenção federal... VCs acham que arrocham a tropa, né, mas o praça é que nem gato, só cai em pé, seus bando demanés, kkkkkkkkkkkkkkkk

Galo da Praia disse...

Eu acho que ja esta na hora desse PALAHÇO desse Dário O Cesar cair pra série B.

Anônimo disse...

VALEU ALUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIISIO

Cristina disse...

Mulher é sequestrada e estuprada em seu veículo

Crimes aconteceram no bairro do Farol

Uma mulher de aproximadamente 30 anos, cuja identidade foi preservada pela polícia, foi vítima de sequestro relâmpago seguido de estupro no começo da tarde desta segunda-feira, 17, em Maceió.

Segundo informações de agentes da Central de Polícia, a mulher estacionava seu veículo em um ponto comercial na Avenida Fernandes Lima, no bairro no Farol, quando foi abordada por dois homens armados, que entraram no veículo da vítima.

Ainda de acordo com a polícia, os acusados seguiram com a mulher - que até então imaginou estar sendo vítima de um roubo - até o Tabuleiro do Martins, onde a estupraram. Em seguida, eles fugiram deixando o carro e levando o computador portátil, dinheiro, documentos e outros objetos da vítima.

Bastante abalada e acompanhada de familiares, a mulher prestou queixa na Central de Polícia e foi encaminhada para realização de exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). A polícia deverá confeccionar um retrato falado para ajudar na identificação dos estupradores.

Anônimo disse...

Sobre o estupro o secretario tem a dizer: VALEU ALUISIO!

Uma Policial disse...

Eu mal acreditei quando ouvi: "Eu quero que vocês me entendam mal, eu quero que vocês me entendam mal" (aos 3:09 min do filme). Isso, claro, fora um monte de coisas ininteligíveis. Meu Deus, a julgar pelo que o secretário fala, se o governador conhecesse alguns soldados que eu conheço, os quais tem um QI acima da média, rapidamente qualquer um deles seria o novo secretário de Segurança Pública de Alagoas. E por que não? Afinal, a CF/88 não que “todos são iguais perante a lei”?

Jenésio, o Pecador disse...

Eu não entendi nada do que ele falou!
Tu entendeste?
Ele mesmo não se entendeu!
Nós não o entendemos.
Vós entendestes?
Será que "eles" entenderam (essa crítica)?

Anônimo disse...

Para os policiais de Alagoas, o Governo não aposta na modernização das policias Civil e Militar. Faltam investimentos em estruturas modernas para o atendimento ao cidadão e condições de trabalho para os agentes da segurança pública. Nos estados vizinhos – Sergipe e Pernambuco – a segurança pública passou por uma evolução. Sergipe é o estado nordestino que mais investiu em segurança além de ser referência nacional na política salarial dos policiais e bombeiros. Já em Pernambuco, a tropo foi motivada com incentivos financeiros e escalas dignas.
Com o tempo e reformulação das policias, os índices de violência diminuíram nesses estados. Em Alagoas, a situação é diferente. A violência aumenta a cada dia e os profissionais não são valorizados. Nas corporações, os problemas administrativos – como baixo efetivo – são refletidos na tropa, que abre mão de sua qualidade de vida e de sua família para corrigir os erros da administração e suprir as carências de 10 anos sem investimentos.
“Não temos uma política de valorização. A polícia pode até ser mais equipada do que quando o atual Governo assumiu. Mas não é mais a mesma, pois não temos uma carga horária justa. Não podemos ir para reserva ao término dos 30 anos, que não seja pela via judicial. Os cursos de aperfeiçoamento estão sendo suprimidos. Não temos alojamentos dignos nas unidades. Éramos a 3ª polícia mais bem paga do Nordeste e hoje, as remunerações não condizem com a responsabilidade, perigo e esforço da função que exercemos”, disse Almeida.

REGATIANO disse...

Até o Secretário é Regatiano! rsrsrs
O dono do blog, deve ser azulino...

Highlander disse...

Valeu aloísio !!!!!!!!!

Anônimo disse...

O teto continua a desabar

Nem só as escolas e delegacias estão caindo aos pedaços em Alagoas. Parte do teto do Instituto Médico Legal (IML) de Maceió desabou sobre móveis e equipamentos do setor de protocolo. Nenhum funcionário morreu ou saiu ferido porque o problema aconteceu durante o fim de semana, fora do horário de expediente. Uma reportagem da Gazeta já alertava, em outubro do ano passado, para os riscos da estrutura quase esfarelada do prédio.

Não faltaram inspeções do Ministério Público (MP), correições do Conselho Estadual de Segurança e vistorias de órgãos fiscalizadores para apontar os problemas na sede envelhecida. De nada adiantou.

Também não se vê nenhum avanço na prometida obra de construção da nova sede da Perícia Oficial, que vai abrigar o IML, Instituto de Criminalística e Instituto de Identificação, no Tabuleiro do Martins. Há cerca de dois anos, o Estado já tinha garantido a liberação de R$ 4 milhões para a construção, mas até hoje sequer foi aberto o processo de licitação.

Na velha sede do IML, a servidora Maria das Graças Omena ficou chocada quando abriu a velha porta do setor de protocolo, atacada por cupins. “Fiquei sem saber o que falar, pensei que a gente pode morrer aqui dentro e agora vamos trabalhar pensando que o resto do teto pode cair”, afirma.

A mesa mais atingida pelos escombros é ocupada pelo funcionário Merivaldo Nicolau, todas as manhãs. “Eu fico sentado aqui o tempo todo; se fosse no horário de trabalho, tinha caído em cima na minha cabeça”, comentava o servidor público, com os olhos arregalados, sem parar de mirar o teto cheio de mofo e infiltrações.

Fonte: Blog do Célio Gomes

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver