Segurança em Debate: o alvo da SEDS

Há muito tempo o Programa Segurança em Debate (clique aqui), através de uma espécie de mesa redonda, vem discutindo sobre os problemas inerentes à Segurança Pública em Alagoas, o que tem causado uma certa polêmica. Em suas análises, são apresentados "vários conceitos de diversas tendências, crenças, opiniões" através de entrevistas.
A justificativa, conforme consta do site do programa, é: "trazer uma informação independente, fundamentada, profissional, com um olhar crítico e científico, objetivando discutir e apresentar propostas para melhoria das Políticas de Segurança Pública no Estado".
E o objetivo é: "discutir, de forma geral e científica, o cotidiano da Segurança Pública e da Política Alagoana. Repercutir todos os assuntos da área, de forma que o telespectador se envolva e se sinta informado sobre Segurança Pública". Sendo também objetivo do programa: "fugir dos paradigmas atuais, trazendo paralelos de eventos locais e externos".
Fazem parte da diretoria do programa: o TC PM Lucena, o agente de Polícia Civil Paulo Fábio Esperon, o agente penitenciário Felipe Campos e o delegado da Polícia Civil Leonardo Assunção.
Por decorrência desse programa e do desconforto que ele (assim como nós do BEF) tem causado à cúpula da SEDS, ao que se sabe, existem sindicâncias instauradas contra o TC Lucena pela simples transgressão de "discutir ou provocar discussões, por qualquer veículo de comunicação, sobre assuntos policiais militares, excetuando-se os de natureza exclusivamente técnica, quando devidamente autorizados".
Quanto aos demais membros, não sabemos precisar que tipos de perseguições os mesmos estejam sofrendo. Contudo, na semana passada o delegado Leonardo Assunção, grande crítico das atuações da SEDS, recebeu – por indicação de Dário, o César – a seguinte missão: "fazer milagre". Explicamos: com a retomada das investigações do "Caso Beto Campanha", o delegado Leonardo Assunção foi designado juntamente com outros dois colegas (que "coincidentemente" sairão de férias durante as investigações) para "tocar o novo inquérito", sendo que a sua atribuição é a de presidente da comissão de investigação, que conta apenas "com meia dúzia de papéis e um CD" para corroborar com as investigações. Inobstante a isso, o delegado Leonardo ainda tem de dar conta das duas delegacias que comanda.
Isso, caros briosianos, é uma forma de vingança orquestrada por Dário, o César, contra quem "ousa" falar abertamente da segurança em nosso Estado. Depois, ainda dizem que nós é que somos covardes e vingativos.

21 comentários :

Anônimo disse...

Se bater de frente com a Mafia Rosa a vingaça das bibas é maligna!!!! Ousar tocar nos calos da meninas é pecado e a punição e quase tão certa quanto o sol nascer.

Anônimo disse...

quem fala mal dos briosianos com certeza são tão quantos safados como esses que estão na cúpula majestosa do nosso estado...BEF vcs são nossos :olhos,ouvidos,fala....

Anônimo disse...

DONOS da segurança pública do estado de alagoas.. se vcs querem acabar com a segurança do estado conseguiram ,não só isso como ta conseguindo com que " toda,toda.." até aqueles mais apaixonados pelo serviço policial militar ta se esquive do serviço..pior de tudo isso é que nós próprios somos vítimas tanto quanto esses safados da cúpula..mas fazer oque é dormi em serviço e rezar pra deus nos proteger..

Anônimo disse...

esse tal de felipe é um comédia que nunca deu um dia de serviço em unidade prisional nenhuma
vivia se escondendo debaixo da saia das diretoras do santa luzia e agora é puxa-saco de ladrão pra ficar na boquinha de direção de presídio

Anônimo disse...

Também com um governo que não governa, um secretário de segurança atrapalhado e um comandante da PMAL lambe botas, vcs queriam o quê, algo semelhante ao da Rocinha np RJ, é? Ai vcs querem exigir demais de uns homens limitados desses.

Uma Policial disse...

Pelo que entendi, Dário César pôs o delegado em uma situação complicada, em um caso de difícil solução, para que o mesmo fique desmoralizado... É isso mesmo? Eu acho que o delegado deveria usar essa situação em seu favor, justamente mostrando "com as próprias dificuldades" que não há como se fazer segurança pública, cito, investigações, aqui no Estado, ainda mais com os "recursos" que nos são ofertados.

GREVE BRANCA disse...

Bandidos roubam Bradesco de Coité do Nóia a 15 metros da sede da PM

Grupo usou maçarico para abrir um caixa eletrônico e retirar o cofre

Um grupo armado composto por, pelo menos, sete homens invadiu e roubou o Banco do Bradesco do município de Coité do Nóia na madrugada desta segunda-feira (14). Os bandidos se posicionaram a 15 metros do Grupamento Militar e usaram um maçarico para abrir um caixa eletrônico e retirar o cofre do local.

Conforme relatório do 3º Batalhão, em Arapiraca, três criminosos desceram de um veículo modelo Hilux, armados com fuzis, em frente ao Grupamento da PM enquanto mais três homens retiravam o cofre do caixa eletrônico, acobertados por um veículo modelo Cross Fox, de cor prata e placa não identificada.

Os militares de Coité do Nóia acionaram o Pelotão de Operações Especiais (Pelopes) do 3º BPM, que fizeram buscas, mas não conseguiram encontrar os acusados. A ação do grupo teria durado, conforme a polícia, cerca de 20 minutos.

Professor Elezio disse...

Senão, vejamos:
O mesmo governo que investe fortemente numa política de encobrir suas falhas, muitas destas que oferecem um verdadeiro risco de vida aos profissionais de segurança pública, também é capaz de investir com todas as suas forças para tentar expor um profissional capaz como a pessoa do Dr. Assunção.
Situação crítica é esta que chegamos, onde 4 cidadães não mais podem expor a sua opinião técnica (salvo engano todos são pós graduados em segurança pública e entendem do que falam) pois os que estão a frente da pasta demonstram melindres por pura falta do que fazer.
De fato, não significa compromisso com a segurança, mas uma premente necessidade na manutenção do poder e das regalias.
E quem paga o pato é o povo. Nesta polarizada briga os foras-da-lei safam-se sempre.
Que maravilha seria se um governo como o da presidente Dilma tivesse vez em nosso estado, pois somente assim néscios e rábulas tais quais o Secretário da DS já teriam sido expurgados de seus cargos.
Quanta saudade da meritocracia.

Anônimo disse...

Caros editores do BEF, Vcs não acha que as autoridades de Alagoas deveriam ter um pouco mais de condescendência com a bandidagem e ao invés de por um secretário que por si só tropeça nas próprias pernas e atrapalha a todos, tanto os bandidos quanto a própria polícia? Dessa forma eles [os bandidos] teriam todo o tempo do mundo para sair roubar bancos à vontade, matar, sequestrar e fazer tudo tipo de crime. Que Tal?

Anônimo disse...

Imagine se o secretário soubesse o que os professores da UFAL falam sobre ele nas aulas. É de apedeuta para cima.
Se eu fosse algum destes diletos membros do conselho de segurança pública nem me abalaria com essas malandragens marotas do secretário.
Ele não tem poder de interpretação textual, vai ver é isso.

Briosa em Foco disse...

Conselho defende fechamento de delegacias ociosas

O presidente do Conselho Estadual de Segurança Pública, Paulo Brêda, afirmou, na manhã desta segunda-feira (14), que o colegiado vai encaminhar um projeto para o governador Teotonio Vilela Filho pedindo a reestruturação da Polícia Civil em Alagoas. Um dos principais pontos é o fechamento de delegacias em locais que registram um baixo índice de criminalidade e reforço no policiamento em áreas mais críticas.

Em entrevista ao Jornal Pajuçara Manhã sobre o grande número de assassinatos registrados em Alagoas, Paulo Brêda disse que, além do problema da falta de efetivo nas polícias Civil e Militar, ocorre também a má distribuição de policiais. "Será sugerida a divisão de Alagoas em áreas estratégicas e um reforço maior nas áreas com maior incidência de crimes. No entanto, ainda é preciso discutir amplamente essa mudança junto com os demais conselheiros e a sociedade", frisou.

Paulo Brêda disse não ser contraditório falar em aumentar a segurança sugerindo o fechamento de delegacias. "Hoje, temos cidades onde apenas policiais militares bastam para garantir a segurança. Os policiais civis seriam remanejados para outros locais", detalhou o presidente do conselho.

Devido à falta de efetivo na Polícia Civil, principalmente delegados, Brêda afirma que manter estas delegacias abertas faz com que os inquéritos dos poucos crimes ocorridos não tenham andamento. "Os delegados apenas passam por lá. Não têm como tocar as investigações e os casos terminam impunes", afirmou.

Segundo os números da Associação dos Delegados da Polícia Civil, Alagoas conta hoje com pouco mais de 70 delegados em atividade, só que o Estado tem 102 municípios e só em Maceió existem 12 delegacias distritais, além das especializadas, da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic) e dos cargos de direção na Delegacia Geral.

Para o presidente da Adepol, Antônio Carlos Azevedo Lessa, cerca de 30 delegados devem se aposentar nos próximos anos, o que vai aumentar ainda mais o défict. No entanto, o concurso anunciado pelo governo estadual é para 25 vagas. "O ideal era a contratação de pelo menos 100", frisou.

A previsão é que o concurso da Polícia Civil seja realizado no início do próximo ano.

Fonte: Tudo na Hora

Anônimo disse...

Esses caras ficam cobrindo o sol com a peneira. Em vez de acabar com as delegacias, porque não fazer concurso público para delegados e agentes. Brincadeira esse conselheiro!

Anônimo disse...

Extra Alagoas - AL
14/11/2011 - 11:26


Paulo Brêda: “Necessidades urgentes em segurança pública tiram foco do Conselho”

Presidente do Conselho de Segurança considera que é preciso realizar concursos, mas também é necessário rever estrutura das polícias em Alagoas

Victor Avner - victoravner@yahoo.com.br

Com índices cada vez mais alarmantes, a insegurança em Alagoas tem sido constantemente mostrada em periódicos nacionais e até internacionais. Foi em meio à crescente onda de violência que o Conselho Estadual de Segurança Pública foi criado, em maio de 2007, com o objetivo de criar planos para trazer o estado de volta à tranquilidade.

Entretanto, a sociedade ainda não consegue receber as respostas procuradas. De volta ao Conselho, Paulo Brêda assumiu a presidência do órgão no final de agosto. O advogado considera que a necessidade de soluções imediatistas prejudica a elaboração de um planejamento estratégico. “É muito difícil pensar na segurança pública daqui a 20 anos quanto você chega na segunda-feira de manhã com 14, 15 homicídios no fim de semana”, pontua.

Para Brêda, é necessário repensar as estruturas da segurança em Alagoas. “É uma mudança radical do funcionamento da Polícia. É o que nós estamos propondo e a Secretaria de Defesa Social já está trabalhando. Mas tem que vencer resistências enormes”, avalia.

Anônimo disse...

SEGURANÇA PÚBLICA. Bope e Força Nacional atuarão nas cidades a partir da primeira semana de dezembro

REGIÃO NORTE GANHARÁ REFORÇO POLICIAL

Por: SEVERINO CARVALHO – REPÓRTER

Maragogi – Oito municípios da região Norte de Alagoas vão contar, a partir da primeira semana de dezembro, com reforço no policiamento, que será feito pela Força Nacional de Segurança (FNS) e pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope). O anúncio de emprego das tropas foi feito ontem pelo comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM), tenente-coronel Neyvaldo Amorim, após reunião com o comandante-geral da Polícia Militar alagoana, coronel Luciano Silva.

A reportagem da Gazeta de Alagoas publicada na edição do último domingo motivou o encontro de ontem, ocorrido na sede do Comando Geral, em Maceió, entre os dois oficiais. Eles traçaram ações de combate ao crime na região Norte do Estado. A matéria mostrou a precariedade do aparato e o deficit no efetivo das polícias Civil e Militar. Em contrapartida, a criminalidade avança, impulsionada pelo tráfico de drogas, assassinatos, assaltos, furtos e arrombamentos ao comércio. “Vamos dar uma resposta com muito trabalho, como sempre fizemos. Estamos fazendo muito para o que temos, mas somos soldados dedicados. A tropa é boa. Com inteligência e o apoio do Bope e da Força Nacional, reforçaremos o policiamento em toda a área”, afirmou o comandante do 6º BPM.

Anônimo disse...

Não podemos deixar de agradecer os comentários sobre o PROGRAMA SEGURANÇA EM DEBATE,pois como foi enfatizado no texto acima,buscamos o merecido reconhecimento ao trabalho dos profissionais da Força Pública,do Brasil, em especial de Alagoas,de forma ética e "trazer uma informação independente, fundamentada, profissional, com um olhar crítico e científico, objetivando discutir e apresentar propostas para melhoria das Políticas de Segurança Pública no Estado".Gestores vaidosos e que não primam pelo bem estar dos integrantes de suas instituições,JAMAIS conseguirão mitigar os elevadíssimos índices da violência em Alagoas.Certamente,todos temos sofrido perseguições,mas a cada "castigo", ficamos mais FORTES.Para os que não coadunam com essa política de gestão de nosso aparelho policial, não deixem de assistir o nosso programa.
Gratos !

Assista no PROGRAMA SEGURANÇA EM DEBATE,de segunda(AO VIVO-Ligue e participe) a sábado,das 19:00 às 20:00hs no canal 12 da NET:

Nessa semana:

1- Debate;(A violência no trânsito do Brasil e em Alagoas)
2- Acerto/Erro no Alvo
3- Dica da Semana,onde você aprende a se auto proteger,contra crimes diversos;
... 4- Momento do 3° setor; com muita PAZ - MARISTELA POZITANO Conheça o trabalho do “Amor Exigente”- Entrevista com Lucia Predi

Visite nosso site: www.segurancaemdebate.com

Anônimo disse...

QUE PORRA É ESSA?!!!!! DAQUI A POUCO VEREI A FOGUEIRA DA INQUISIÇÃO NAS PRAÇAS DE MACEIÓ, E UM NOVO 'TORQUEMADA' PARA GARANTIR AS MAIS BELAS TORTURAS. ISTO TEM QUE SER DENUNCIADO! EXCOMUNGADO! BLASFEMADO!

Jenésio, o Pecador disse...

O Povo de Deus se escandaliza com essas coisas. Mas é cada figurinha que aparece aqui nas postagens, que só mesmo Deus para ter misericórdia dessas almas... Vamos orar por este capitão: "Deus, livre-nos dessa alma sebosa, amém!".

Anônimo disse...

CAD MINUTO
12/11/2011 05:41

“É mentira. Tudo aqui tem prestação de contas”, diz comandante do CFAP da PM

por Dulce Melo

Assessoria

A instauração de Processos Disciplinares Ordinários (PDO’s) determinada pelo Comando-Geral da Polícia Militar, conforme publicação no Boletim Geral Ostensivo (BGO) nº 182, de 28 de setembro de 2011, causou rebuliço no Curso de Formação Complementar de Praças (CFCP) para soldados, cabos e sargentos que acontece no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), no bairro do Trapiche.

Os PDO’s são para apurar o não pagamento de uma taxa de R$ 20,00 por alguns alunos. A denúncia é de que a cobrança do valor seria ilícita, mas o Comando garante que cumpre Decreto Governamental.

O Cadaminuto não conseguiu falar com o comandante-geral, coronel Luciano Silva, mas ouviu o subcomandante, coronel Dimas Barros Cavalcante, também a comandante do CFAP, tenente PM Ana Paula e estendeu o assunto ao comandante da Academia da Polícia Militar, coronel Paulo Sérgio.

Conforme o coronel Dimas,pelo Decreto Governamental, que engloba as duas unidades militares de formação – CFAP e Academia - para qualquer curso ministrado, o aluno tem por obrigação pagar uma taxa simbólica que serve para a manutenção.

“Não é ilícito, está lá no decreto. O dinheiro arrecadado, pelo que sempre todos souberam é para aquisição de material a ser usado pelos alunos. Se é uma determinação e foi descumprida, no nossa regime militar se trata de uma indisciplina que como qualquer outro caso considerado não grave, é apurada por PDO”, explica o subcomandante.

Os denunciantes alegam que só quem pode cobrar qualquer valor do servidor público é a Secretaria da Fazenda. Também questionam o não recebimento de um comprovante de pagamento e a não prestação de contas.

“É mentira. Fazemos a prestação de contas mensalmente, todos os alunos assinam que tomaram conhecimento. Tudo aqui é comprado com nota fiscal, voltado para a administração, para a manutenção do curso. Não sei mais o que falar sobre isso. Na verdade, acho que as pessoas vêm perdendo os valores morais. Filhos não aceitam mais a disciplina dos pais, outras pessoas não querem mais cumprir o que mandam as leis, os regimentos, mesmo sabendo que tudo faz parte do processo”, afirma a tenente Ana Paula.

Já que foram mencionadas as duas unidades militares, o Cadaminuto também manteve contato com o coronel PM Paulo Sérgio, comandante da Academia. Ele se disse tranqüilo no tocante ao assunto questionado.

“Nosso trabalho aqui é muito transparente. Tudo que fazemos os oficiais tomam conhecimento e é publicado no boletim interno. No curso de habilitação para oficiais, que é de subtenente a tenente, e também no de formação de oficiais, de cadete a tenente, tem uma pessoa responsável para fiscalizar cada centavo. Depois da prestação de contas, todos assinam. Logo, não há problemas”, enfatiza o coronel Paulo Sérgio.

Os oficiais afirmam que muitas denúncias já foram feitas e levadas, inclusive, ao Ministério Público, mas, ao apresentarem o decreto e também as documentações ficam respaldados.

Anônimo disse...

Se a mensalidade escolar é "legal", conforme o Cel Dimas disse na imprensa, quando chegou até a afirmar que "existe um decreto governamental que legaliza a cobrança", então o que justifica a seguinte publicação contida no BGO nº 215?

Vejam a publicação:

NP Nº 144/2011 – SEC/5º BPM - SOBRESTAMENTO DE PDO: O TC QOC PM Cmt do 5º BPM no uso de suas atribuições legais, em atenção ao Ofício s/nº/2011-PDO da lavra do Cap QOC PM HEATHCLIFF DAMASCENO GAMA, que fora designado para proceder PDO de Portaria nº 090/11-PDOSec/5º BPM, de 27 de outubro de 2011, sobresta o referido Processo Disciplinar Ordinário devido ao fato de encontrar-se aguardando resposta à solicitação nº 02/11-5º BPM, encaminhada ao Comando do CFAP, referente à legalidade da Taxa Escolar.

Anônimo disse...

GAZETA DE ALAGOAS 20.11.11
DINHEIRO FÁCIL. Empreendimentos estão na mira dos bandidos em AlagoasCorreios e loterias se tornam o alvo
Por: LELO MACENA - REPÓRTER
Locais de grande movimentação de pessoas e de quantias consideráveis de dinheiro, as agências dos Correios e as casas lotéricas de Alagoas se transformaram em alvo preferido dos bandidos. Os números confirmam: do início de março passado até o final da tarde da última sexta-feira, 18 casas lotéricas foram assaltadas em Alagoas. A situação dos Correios é ainda mais dramática. Somente este ano 34 agências foram atacadas e roubadas pelos bandidos, na capital e no interior. O número equivale ao dobro do total de ocorrências registradas no ano passado (17 assaltos) e coloca Alagoas no topo do ranking de estados com o maior número de assaltos a agências dos Correios.

Alagoas conseguiu esse título quando já registrava 25 assaltos, ainda em setembro, número suficiente para bater São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Distrito Federal. Os dados foram revelados durante seminário sobre segurança, pelo gerente corporativo do Departamento de Segurança dos Correios, Márcio Varallo Ribeiro.

De setembro pra cá foram mais 9 assaltos. A última “vítima” foi a agência dos Correios de Coqueiro Seco, invadida por cinco homens armados, na tarde da última quinta-feira. Um cliente chegou a ser agredido. Foi o quarto assalto à agencia somente este ano.

Descrentes na polícia, lotéricos se blindam

Invasão, troca de tiros e pessoas feridas. As cenas de violência deixaram sequelas nos funcionários da casa lotérica de São José da Laje, palco do mais violento dos 18 assaltos registrados a lotéricas, de março passado até agora.

Por volta das 10h, cinco homens armados invadiram o estabelecimento, renderam os clientes e iniciaram o assalto. Na fuga, os bandidos foram surpreendidos por policiais. Houve troca de tiros. Duas pessoas que passavam pela rua, uma senhora e um rapaz, rua foram atingidas. O pânico tomou conta das ruas da pacata cidade.

“A minha gerente está abalada até hoje, ainda não voltou a trabalhar. Os outros funcionários trabalham com medo”, diz o dono da lotérica, Reginaldo da Silva, ao relatar o clima de insegurança que vivem os donos de lotéricas do Estado.

Em Novo Lino, o dono da lotérica da cidade, Edvaldo Almeida, vive assustado.

Anônimo disse...

GAZETA WEB
20.11.2011 | 19h39

Jornalista da Gazeta tem carro arrombado na porta de escola

Severino Carvalho realizada prova do concurso do IFAL; câmeras flagraram ação

Janaina Ribeiro

enviar por e-mailimprimirTexto:A-A+
O carro ficou estacionado por poucas horas, apenas durante o tempo em que a vítima respondia às questões do concurso do IFAL. Mas o jornalista da Gazeta de Alagoas, Severino Carvalho, não esperava que, ao voltar, seu automóvel estaria arrombado. O criminoso levou vários objetos que estavam no interior do carro, todavia, ele só não contava com o fato de ter sido filmado pelas câmeras do circuito interno do Colégio Diógenes Jucá Bernardes, situado no bairro do Farol.

De acordo com o jornalista, que já registrou boletim de ocorrência na Central de Polícia, no Prado, o bandido furtou o pneu do step, uma máquina fotográfica Sony, um forno microoondas, um aparelho celular, uma pasta para notebook e o aparelho de som.

Toda a ação criminosa foi filmada pelas câmeras do circuito de segurança contratado pelo Colégio. O homem utilizou um Gol preto para chegar até o local. Em seguida, estacionou o automóvel atrás do Prisma de propriedade do jornalista e, ao descer do seu veículo, forçou o capô do carro e cortou o fio da bateria. Na sequência, arrombou uma das portas e começou a efetuar o furto.

O bandido estava usando uma camisa branca e uma bermuda branca. As imagens do circuito interno já foram liberadas pela unidade de ensino e foram entregues à Polícia Civil.

“Eu lamento que o nosso Estado esteja sem controle à violência. Sou jornalista e já fiz muitas matérias mostrando a situação da criminalidade e, quando nós escrevemos sobre o tema o governo sempre contesta e diz que está tudo bem. O que aconteceu é uma prova de que a situação é bem diferente da propaganda oficial”, desabafou Severino Carvalho.

Segundo ele, no primeiro dia do teste, em setembro, uma dupla de policiais militares até esteve nas proximidades do colégio, o que deu uma sensação razoável de segurança aos candidatos. “Mas, lamentavelmente, dessa vez, não havia nenhum PM. Sabemos que não existe efetivo para dar conta de uma população tão grande”, afirmou o jornalista.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver