União: uma cidade em Estado de Sítio

"Logo logo União vai virar uma zona de guerra, com a população fazendo justiça com as próprias mãos." (palavras de um morador de União dos Palmares)
Esta situação motivou a Tribuna União publicar a seguinte matéria:
Onde de assaltos e delitos torna União uma cidade em estado de sítio
Antônio Aragão
Um fato pelo menos inusitado tem sido registrado nas noites de União dos Palmares o que levou a comunidade a formar uma comissão (cujos integrantes pediram para não ser identificados) e procurar na tarde desta quinta feira 20 a redação deste portal para solicitar fosse veiculado um apelo veemente as autoridades policiais de Alagoas no sentido de ser tomadas enérgicas providências para dar um basta na violência que assola as famílias o que por certo encerrará o estado de sitio a que a sociedade está submetida e sem ter a quem recorrer.
A solicitação do povo diz respeito à constância de assaltos em sua maioria praticado por menores – quase sempre integrantes de gangues chefiadas por marginais maiores – que tem praticado todo tipo de arruaça após o entardecer, desde arrastões para roubar celulares e bolsas, livre consumo de drogas nas ruas, porte acintoso de armas, excessos na utilização de aparelhos sonoros e por incrível que pareça – até pratica de tiro ao alvo.
As reclamações fazem sentido mesmo porque é sabido que o efetivo policial a disposição do 2º BPM que jurisdiciona mais 6 cidades é de 12 homens diariamente subdivididos em equipes de quadro (centro pacificador do Bairro Sagrada Família, PELOPES e RP), e que além da dificuldades de comunicação por telefone com a sede da instituição militar, quando este atende, existe demora na presença dos militares no local da ocorrência.
Na Polícia Civil, embora as carências sejam diferentes, mas os agentes civis não dispõem sequer de uma viatura para diligenciar e apurar os crimes, sendo ressalvado que existe apenas um carro de passeio comprometido pelos anos de uso e o desgaste da eficiência mecânica, já tendo sido visto pela população os próprios policiais empurrando pelas ruas da cidade o que para as autoridades da segurança alagoana é tratado como “viatura”. Isto, sem falar no resumido grupo de agentes que acumulam a função de guardas penitenciários, o que os obriga durante a noite a se revezarem em turnos de duas horas para inibir a fuga dos detentos, encarcerados em celas insalubres, úmidas, pequenas e insuficientes para o numero de presos.
Para agravar mais o quadro, a cada dia novas inquéritos são abertos, superlotando o Cartório da Regional que além da oitiva dos envolvidos em delitos e testemunhas dos fatos policiais ainda têm que lavrar os BOs, em sua maioria inadiáveis, pois a maior parte os que procuram a Delegacia extraviaram seus documentos.
Em locais mais afastados do centro, os fatos se agravam a exemplo da Fazenda Frios onde residem mais de 200 famílias e hoje é considerado lugar extremamente perigoso, ao ponto de nenhum taxista ou mototaxista aceitar corrida após as 18:00 horas. Lá é cobrado depois de certas horas da noite pedágio para ir e vir, e agora, uma novidade: os donos de sítios e chácaras praticam tiro ao alvo livremente qualquer hora do dia ou da noite. Repetimos que solicitar a presença da policia é perda de tempo.
Bairros de grande concentração populacional como o Conjunto Padre Donald e os Barros Roberto Correia de Araujo (cuja população estimada é mais de 13 mil habitantes, o que o torna o mais populoso do interior alagoano), e Nossa Senhora das Dores, a droga, os tiroteios e a marginalidade é quem dita às normas. Ninguém ousa sair ou pelo menos fica na porta de casa após as 18:00 horas. Os estudantes noturnos, religiosos ou quem necessita circular a noite só anda em companhia de mais pessoas. Todos sabem que parte da culpa destes desmandos é a impunidade em sua maior parte estipulada na própria Lei vigente.
Durante o dia a comunidade enfrenta o transito caótico e perigoso. Condutores de motos em sua grande parte inabilitados conduzindo crianças ou até três passageiros ultrapassam carros pelo lado direito, carros em alta velocidade, auto cargas estacionados onde bem os motoristas querem – fazem parte do dia a dia do povo de União dos Palmares.
Embora desde o Prefeito do Município e os Vereadores residam na cidade sendo, portanto, cidadãos identificados com esta série de problemas, o detalhe deixa o povo a perguntar por é que a omissão? Medo? Ou será que aguardam que um seu ente-querido seja uma vitima da violência para então as providencias serem tomadas? O povo merece este estado de coisas, já que é quem paga as contas através dos exorbitantes impostos, ou nós vivemos um estado de guerra civil e o estado que devia ser nosso aparelho repressor e defensor está fragilizado? Ou o povo só serve para votar?

E para completar tudo isso, caros briosianos, o comandante do 2º Batalhão de Polícia – juntamente com outros tantos oficiais da referida unidade – desta cidade há mais de um mês não comparecem na OPM, algo que pode ser comprovado se entrarem em contato com os PMs locais.

15 comentários :

Anônimo disse...

Gosto muito do blog...mas acho que deveria usar uma imagem menos discriminatoria...porra...o ladrão tem q ser caricaturado como sendo Negro? bota um cara de gravata ai pow...tipo...bota a foto do AA, do F. tenório ou o próprio governador...esses são assaltantes.

fui!

Anônimo disse...

O problema é que o 2º BPM está sem comando, pois como diz na reportagem, faz mais de um mês que o Cmt não aparece no BPM, como se diz o ditado, casa sem dono, os bandidos tomam conta, e no caso de União, já tomaram conta há bastante tempo. No mutirão, Vaquejada e no Morro das cobras, a polícia só entra se pedir autorização aos traficantes e bandidos. Durma com um barulho desses...

Anônimo disse...

Segundo uma fonte confiável, o cmt do 2º BPM é peixe do atual cmt Geral e ele só sai se o Cmd cair tambem, diante disso cidadãos de União se preparem pra um longo periodo de escuridão...

Anônimo disse...

Polícia
Anestesista será indiciado pela Polícia Civil
Audir Marinho de Carvalho Filho foi o responsável pela dosagem de anestesia que resultou em choque anafilático na vítima

23/11/2011 12:46
Ana Paula Omena

Versão para impressão

Tamanho da letra A+ A-

Foto: Arquivo Pessoal
Gisela Patrícia antes da cirurgia

Gisela Patrícia antes da cirurgia

O anestesista Audir Marinho de Carvalho Filho será indiciado pelo delegado Robervaldo Davino, titular do 4º Distrito Policial, por negligência médica. Desde abril deste ano, a professora de inglês, Gisele Patrícia Campos de Oliveira, de 34 anos, deu entrada no Hospital do Açúcar para ser submetida a uma cirurgia de varizes e sofreu um choque anafilático em decorrência de uma dosagem elevada de anestesia.

O noivo de Gisela, Carlos André Severino dos Santos, confirmou a informação ao portal Tribuna Hoje e frisou que o delegado esteve na residência da vítima para dar a notícia pessoalmente. Robervaldo Davino teve que recorrer a Justiça já que, segundo o noivo de Gisela, o Conselho Regional de Medicina de Alagoas (CRM/AL) e o Hospital do Açúcar negaram o acesso aos prontuários da paciente.

“O absurdo é que o próprio anestesista se incrimina alterando o peso de Gisela em 11 quilos, justificando assim a alta dosagem de anestesia para o procedimento cirúrgico”, disse Carlos André. “Pior disto é saber que este anestesista ainda está em atividade colocando a vida de outros pacientes em risco. Houve outros casos, mas as pessoas não têm coragem de denunciar como a gente fez”, acrescentou.

De acordo com o delegado Robervaldo Davino, o indiciamento do anestesista Audir Marinho de Carvalho Filho tem como base a negligência médica, haja vista que o especialista é o guardião do paciente e lamentavelmente ele se ausenta da sala, quando o mesmo é obrigado a ficar na sala até que o paciente acorde.

A defensora pública Norma Negrão entrou no caso e por meio de uma ação deve punir todas as entidades envolvidas na situação de Gisela, além de pedir pensão para a paciente e reparação de danos pelo sofrimento da família.

Conforme o noivo da vítima, Gisela encontra-se em estado vegetativo, apenas movimenta os olhos, mas aparentemente ainda está inconsciente. “Às vezes ela tenta olhar, movimenta as pontas dos dedos, mas não sabemos se é reflexo ou se Gisela tenta responder algo...”, contou.

Gisela Patrícia Campos de Oliveira está em casa e tem um técnico de enfermagem 24 horas, em dias alternados recebe a visita de um médico, um enfermeiro e um nutricionista.

Anônimo disse...

Durma com esses números Alagoas
Fora DADA, FORA LULU, ACORDA TEO

Contador de Homicídios no estado de Alagoas
Dia Mês Ano
1 94 1440
Fonte alagoas24horas 23/11/2011

Ananindeua Charles disse...

Nada é pior do que as propaganda da SEFAN, secretaria executiva de fantasia e suas chamadas nas emissoras televisivas:
Alagoas, uma semana e muito trabalho.

ME ENOJA

Anônimo disse...

Vamos falar do décimo terceiro, ninguem fala. Vamos falar de aumento, todos os funcionarios publicos de Pernambuco tiveram aumento ontem (dia 23/11) de 10% . Façam uma materia a este respeito.

Anônimo disse...

Saiu no Cadaminuto

Alagoas tem quase o dobro de homicídios do que em outros Estados

http://cadaminuto.com.br/noticia/2011/11/24/na-lideranca-alagoas-tem-quase-o-dobro-em-numero-de-homicidios-de-segundo-lugar

Anônimo disse...

24/11/2011 11:08
Associações criticam Governo e dizem que faltam investimentos na segurança

por Jonathas Maresia

O resultado do relatório da 5ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, realizada pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública em parceria com o Ministério da Justiça, que aponta Alagoas como o Estado mais violento do Brasil foi duramente criticado por associações dos servidores da segurança pública no Estado.

Para o presidente da Associação dos Delegados da Polícia Civil de Alagoas (Adepol), delegado Antônio Carlos Lessa, o resultado negativo já era esperado. “A quantidade de delegados em todas Alagoas é insuficiente. As delegacias não têm estrutura para fornecer aos agentes um local ideal de trabalho e apresenta inúmeros problemas estruturais. Se faz por bem, mais do que nunca, uma ação enérgica do Estado”, colocou.

Ainda segundo ele, além de contratar, remanejar e preparar os agentes da segurança, o Executivo tem por obrigação fornecer políticas públicas que possibilitem aos jovens um amanhã de paz. “Infelizmente, a maioria dos assassinatos no estado tem ligação com as drogas. É importante o trabalho ostensivo da Polícia Militar e o investigativo da Polícia Civil”, ressaltando – por diversas vezes na entrevista – que um programa de ‘políticas públicas’ pode trazer o resultado desejado por toda sociedade.

O Presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar de Alagoas, Major Fragoso, também comentou o resultado da ONG e lamentou o sofrimento do ‘povo alagoano’. “Colocar apadrinhados políticos para gerir pastas importantes só pode resultar nesse triste relatório. A corporação da PM apresenta um grande déficit nos seus quadros e desta maneira a tendência é só piorar”, pontuou.

Em entrevista ao CadaMinuto, Fragoso disse ainda que o projeto apresentado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) que pretende trazer 800 militares da reserva para o serviço burocrático na segurança pública não vai funcionar. “Quem se encontra, hoje, lotado no serviço burocrático têm suas ‘indicações políticas’, problemas de saúde ou são importantes neste setor. Com isso, tudo vai continuar na mesma ”, esclareceu.

O militar colocou ainda que os investimentos na segurança pública são insuficientes. “É só observar os resultados, um relatório atrás do outro apontando Alagoas como o estado mais violento, é lamentável. Precisamos mudar essa realidade, a sociedade não suporta mais”, disse.

Segundo o relatório, o problema é que todos os outros “concorrentes” apresentaram diminuição nestes índices. Paraíba, Pernambuco e Rondônia, segundo, terceiro e quarto no mesmo ranking, aparecem com 38,2%, 36,4% e 35,1%, ou seja, praticamente a metade dos números apresentados em Alagoas.

Alagoas mantém a liderança em outros índices, como os crimes violentos letais intencionais. Aí o Estado chega a 70% de mortes por 100 mil habitantes, contra 38,8% da Paraíba, 38,1% de Pernambuco e 38,0% de Sergipe.

Apenas o 12° em gastos com a Segurança Pública

Mesmo com estes números Alagoas é apenas o 12° lugar do Brasil com gastos em Segurança Pública. Em relação aos números do anuário de 2009-2010 a situação de Alagoas também impressiona. Houve um crescimento da população carcerária em 51,3% e o aumento no número de homicídios dolosos chegou a 42,8%.

O levantamento da ONG, divulgado na tarde desta quarta-feira, 23, em Brasília, faz um Raio X da segurança pública brasileira e é relativo ao ano de 2010. O anuário reúne dados sobre homicídio doloso (incluindo homicídio culposo), latrocínio, crimes violentos letais intencionais (incluindo homicídio doloso, latrocínio e lesão lorporal seguida de morte), roubo de veículos, roubo (total), tráfico de entorpecentes, posse ilegal de arma, estupro, lesão corporal dolosa, gastos com a segurança pública, população carcerária, criminalidade juvenil.

white power. disse...

esse que disse que a imagem é discriminatória deve ser algum negão complexado.porra,do jeito que é branco poderia ser negro,ou amarelo,ou quem sabe,verde.mas era...negro.
ei oque é um ponto negro num milharal?emílio santiago...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.e sabe por que deus fez o mundo redondo?depois eu falo.

Anônimo disse...

O crime aumentando, o sangue dando na canela, a droga invadindo tudo quanto é residência e o Comando do 2º BPM (Comandante e Subcomandante) só se preocupa com as quentinhas que leva para casa e com a faxina do quartel.
União dos Palmares vai cirar uma favela carioca. Prestem atenção no que digo.

Anônimo disse...

O crime aumentando, o sangue dando na canela, a droga invadindo tudo quanto é residência e o Comando do 2º BPM (Comandante e Subcomandante) só se preocupa com as quentinhas que leva para casa e com a faxina do quartel.
União dos Palmares vai cirar uma favela carioca. Prestem atenção no que digo.

Anônimo disse...

http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=245459

Olhe ai galera! Cap. Audir

Tenente Stive disse...

O que o comando da unidade local está fazendo está influenciando o comportamento dos subordinados, a começar pelos subalternos...

Anônimo disse...

white power (força Branca) ...seu alienado do caralho...vá ler um livro seu racista...falta de respeito da porra a um comentário.

Esse blog é democratico ou é pior que a PMAL?
Força branca ...qual a força branca que vc tem? Seu alienigena. Por isso q a PM é desse jeito...um monte de gente alienada e burra. POr isso recebe salario baixo, leva toco de oficial, e depois fica reclamando da vida!

Falta de respeito da porra a um comentario!

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver