Valorização profissional

Alguns policiais desempenham as suas atividades acreditando que o trabalho na Polícia Militar seja ruim, face às condições que nos são ofertadas, ou que qualquer serviço seja motivo de reclamação, ainda mais se for um serviço extra; um sentimento decorrente da forma como somos empregados nas atividades do dia-a-dia, algo que é fruto das estratégias de policiamento dos nossos comandantes. E este sentimento, o de que os nossos comandantes são os responsáveis pelo resultado como o policiamento é desenvolvido, é comum a quase todos os policiais.
As formas de policiamento orquestradas pelos comandantes, se não forem corrigidas, continuarão alimentando a crença de que devamos apenas cumprir a carga horária, ou então que devamos fazer de tudo para boicotar as estratégias apresentadas, seja fazendo corpo mole, seja protelando, seja simplesmente afugentando os "malas", seja "metendo" dispensas médicas, seja da forma que for.
O grande problema, caros comandantes, é que os senhores insistem em nãos nos ouvir, pois apenas o que os senhores idealizam sobre policiamento é o correto, nos obrigando a cumprir as suas formas de policiamento, fazendo prevalecer as suas ideologias com o rigor do RDPMAL. E o resultado, é o fracasso de quase todas as estratégias de policiamento que são criadas.
O grande segredo, e isso ao que parece os senhores ainda não se deram conta, é fazer as pessoas sentirem que a sua atuação diária como policial, por mais simples que seja a missão que lhes é atribuída, é importante para a Polícia Militar, e sobre tudo para a sociedade. Não adianta dar aperto, cobrar, exigir, punir. Isso não resolve. Só cria antipatia, só faz com que a tropa crie mecanismos para se eximir das atribuições e com isso ridicularizá-los internamente ou perante a sociedade.
Ao invés te de ficar "cobrando PB", cumprimento de "cartão programa", apresentação de "mapa de abordagens" (que em 90% são forjados), impondo sucessivos serviços extras, por que não agir com simpatia e respeito pelo policial, qualquer que seja a sua atribuição? Por que não "repartir o bolo"?
Eu tenho certeza que a Polícia Militar só teria a ganhar se valorizasse devidamente a sua tropa, ao contrário de tratá-la a "ferro e fogo". Um dos maiores exemplos de desvalorização e dedicação que podemos citar é o do Soldado Lucas, que não faz muito tempo foi vítima "do sistema", quando foi punido por ter disparado acidentalmente (dentro da caixa de areia destinada para tal fim) uma arma que ele não tinha a habilidade necessária para manusear; justamente porque desempenha as suas atividades como músico, enaltecendo o nome da Corporação perante a sociedade. E olha que o Lucas até entrou com a Reconsideração de Ato, mas não obteve sequer resposta. Um tremendo desrespeito.
O Soldado Lucas, como tantos outros militares, (ainda) é um exemplo de dedicação, mas está estudando para sair da PM porque está "triste" com muitas coisas. Ele estará fazendo aniversário no próximo domingo, dia 18. Então, por que não homenageá-lo na semana que vem, por tudo que ele tem feito enaltecendo o nome da Corporação? Isso é o mínimo que a PM pode fazer por este policial. Parabéns pelo seu aniversário, Lucas Rojas Alvez Feitoza.

16 comentários :

Anônimo disse...

A criminalidade está em alta. Comandante Opressor = Polícia Desmotivada. Só a maioria dos recrutas é que estão trabalhando atualmente, pois entre os antigos esse "fenômeno" é inverso. Policiais desmotivados, desrespeitados, sem ninguém para os conduzir para as valorizações, e assim a criminalidade "deita e rola", mas na verdade o que a marginalidade faz é: "mata e rouba". Parabéns, coroneis, o senhores tem parcela significativa em toda essa situação, seja direta ou indiretamente.

Quanto ao Lucas, espero que ele saia da PM o quanto antes, até mesmo para não ser vítima novamente de outra injustiça.

Jenésio, o Pecador disse...

O Povo de Deus parabeniza o Soldado Lucas pela sua data natalícia.

Anônimo disse...

lucas parabens pelo seu aniversario, mas se o batinga souber, ele vai te escalar de extra.

Anônimo disse...

Se eu fosse ele me recusava em tocar naqueles "eventos" que o quartel manda que ele faça.
Aquelas babacoes de ovo do comandante geral e secretario, quem quiser tocador de sax que pague e pague caro.
Parabens Lucas

SD PM 2002 disse...

PARABÉNS, LUCAS, VC É O CARA. A TURMA 2002 NÃO PERDE PRA NINGUÉM.

Sargento Gilberto disse...

Para os não-iniciados no tema: "chefia e liderança", essa situação do soldado Lucas é um exemplo de como a PMAL não reconhece e nem valoriza a sua tropa. Um chefe, bem dizer, apenas administra e ordena aos que estão sob as suas ordens, ao passo que o líder se preocupa com os que estão ao seu redor, fazendo com que (naturalmente e sem nenhuma opressão) as pessoas o sigam, aceitando espontaneamente as suas orientações, abdicando de suas próprias vontades. Isto explica porque muitos líderes tenham pessoas/seguidores que se sacrifiquem por eles. Eu estava ainda nos primeiros anos de corporação, época da prisão do TC Cavalcante, quando o Comandante da PM promoveu por bravura um soldado de mesmo nome do referido oficial apenas para deixar a seguinte mensagem: "nem todos os Cavalcante são iguais" e "a Polícia Militar [de Alagoas] sabe reconhecer os seus bons exemplos". Essa simples ação, que pode ter sido motivada apenas para "fazer raiva", motivou os praças de tal maneira que muitos policiais que faziam corpo mole nas ocorrências passaram a adotar uma postura operacional proativa. É bem verdade que com o passar dos meses após esse fato tudo voltou ao que era antes, mas isso tem uma explicação: a PM não tratou de adotar atitudes semelhantes à que motivou a tropa. Um outro exemplo, e este é também real e foi ilustrado no filme "Círculo de Fogo", revela-nos que estando à eminência da perda de terreno para os alemães, e conseqüentemente da guerra, pois aquela era uma batalha decisiva, a (ex)URRS tratou de criar um herói nacional, o que fez com que muitos jovens se influenciassem e se motivassem na figura daquele soldado, o soldado "Vazile"; algo que fez com que a Segunda Guerra tivesse outro rumo (ao menos para a URSS). Mas porque coisas semelhantes não acontecem por aqui? Isso tem uma resposta. Os nossos oficiais não foram preparados para serem líderes e sim "gestores públicos", e – raramente – comandantes. Ademais, não foram preparados para pensar em estratégias voltadas ao público interno. A bem da verdade os nossos oficiais em sua maioria só pensam "com os ombros". Isso explica porque em meio às situações desencadeadas pelos soldados das turmas mais recentes o comando não tenha sabido como agir. Hoje vemos muitos soldados qualificando-se intelectualmente não para prestar um bom serviço à sociedade em nome da instituição a que pertence, e sim para dar o fora assim que for possível. E cada vez mais os novos soldados estão "percebendo" que não vale à pena dedicar-se ao serviço policial na área fim, onde ele está exposto e sem nenhum apoio. "Para quê sacrificar-me nas ruas, se onde estou eu ganho o mesmo salário e não corro nenhum risco", perguntou-me um recruta que nunca nem mesmo férias tirou na PM. E o recruta ainda completou: "SE AO MENOS A GENTE TIVESSE ALGUM RECONHECIMENTO, MAS SÓ QUEM LEVA O MÉRITO É O OFICIAL DE OPERAÇÕES, QUE A MAIORIA DAS VEZES SÓ APARECE PARA DAR A ENTREVISTA OU ENTÃO PARA COLOCAR O NOME NO BO E GANHAR O ELOGIO". A PMAL, meus caros, tem que ser repensada, e quando isso acontecer há de se levar em consideração questões inerentes à "chefia e liderança", e, sobretudo a "valorização profissional" e o "reconhecimento", algo que nos atuais dias de ferro e fogo é confundido com "almoço com o comandante no salão nobre".

Centro Musical disse...

Parabéns Luquita o CM/Ajd Geral, lhe parabeniza pelo seu aniversário, e tem muito orgulho do seu profissionalismo e dedicação a este Centro, todo o Centro Musical se sente honrado por ter a sua pessoa em nossas fileiras.

Uma Policial disse...

Parabéns, Sd Lucas!

Anônimo disse...

O melhor presente que a PM oferece a ele, é o fato de, apesar de ter feito concurso para trabalhar nas ruas, combatendo a criminalidade, o Policial está combatendo a monótona vida cultural da sociedade. Em comandos passados este soldado teve muiiiiiiiiiiitas regalias. Agora a fase é outra, se ele têm potencial que estude e faça outro concurso.

Anônimo disse...

A questão da valorização profissional está atrelada ao seu oposto, o que no caso são as perseguições. E é justamente por conta das perseguições que muitos policiais estão trilhando o caminho das dispensas, ficando agregado para forçar uma aposentadoria. E isso vem causando mal estar da porra no comando. Eles perceberam que perseguir não adianta, só que agora não querem e não podem recuar, pois demonstraria fraqueza. Com isso, quem perde é tanto a corporação quanto a sociedade, pois uma boa quantidade de policias vai forçar a aposentadoria, mesmo não tendo chegado à metade do tempo de serviço, ou, em alguns casos, sem ter nada.

Centro Musical disse...

Para o anônimo, O melhor presente que a PM oferece a ele....
cara vc é um merda que usa do anonimato para ataca as pessoas, o Sd Lucas é um profissional respeitado e cumpre suas obrigações, para seu entendimento o Centro Musical, também trabalhamos na operacionalidade, somos escalados para eventos como: Carnaval, São João, Eleições, então antes de atacar procure se atualizar seu merda, a música é dom de Deus e poucos são os que à tem, e somos privilegiados por isso, o Centro Musical onde chega com sua música agrega valores morais as pessoas que nos ouvem, chegamos em lugares onde o policiamento convencional não chega, somos uma tropa disciplinada, procure saber na corregedoria a situação dos nossos bravos policiais e veja a diferença, por isso antes de atacar nossa tropa lave sua boca suja!

Anônimo disse...

A PMAL só terá seu serviço feito à contento, quando ela começar a valorizar o seu profissional, deixar de trato-lo como um bicho, ou pior que um.

Jenésio, o Pecador disse...

Parabéns pelo anivesário Lucas. O musical é um dom divino, que você tem usado muito bem. A PM perderá muito com a sua saída.

Sd PM Lucas Rojas disse...

Boa Tarde a todos, fiquei sabendo da matéria através de diversos amigos e amigas que me ligaram parabenizando pela passagem de meu aniversário e pela homenagem feita pelo briosa em foco. Desde já, agradeço a equipe deste meio de comunicação pela lembrança e pela consideração de mencionar uma matéria exclusiva em relação a minha pessoa. Muito obrigado.
Fico muito feliz em saber que meu trabalho chega verdadeiramente à diversas pessoas e fico mais ainda em saber que a corporação me proporciona esse liame. Agradeço de coração as pessoas que direta e indiretamente contribuem para o trabalho que realizo em pro da sociedade, no melhor que eu posso fazer. Pois devemos saber do poder que nossa profissão tem de influenciar na vida das pessoas e isso é fundamental para aqueles que querem contribuir para um mundo melhor, não importa qual tamanha contribuição, o que importa é contribuir.
Ao colega anônimo que citou que em outros comandos eu vivia em "regaaaaalias", lamento, mas não é aceitável utilizar-se de um meio de comunicação para levantar um falso testemunho, e ainda, no anonimato. As críticas sim são sempre bem-vindas, pois elas enaltecem e amadurecem o homem. Faço-lhe um convite, sai do anonimato e compareça ao Centro Musical e verifique de perto o relevante trabalho que realizo e que todo o Centro Musical vem realizando.
Nem esse Comando, nem outros me proporcionaram "regaaalias", que todos eles têm é respeito e consideração pela contribuição que faço à Instituição Polícia Militar, e farei isso enquanto nela pertencer, com muito amor e dedicação. O que existe é uma relação de reciprocidade com o atual Comando, com os que passaram e com certeza com os que virão.
Tenho orgulho de fazer parte desta família miliciana e por tudo que ela gratuitamente me oferece. Sei que aqui eu tenho amigos de verdade, do Comandante ao colega mais recruta, pois vestimos a mesma farda.
Aproveito o ensejo para desejar um feliz natal e um próspero ano novo a todos que fazem dessa corporação o orgulho de muitos alagoanos. Em tempos difíceis temos que acretidar que dias melhores virão, com muita fé e crença no Deus Supremo que tudo sabe de nossas vidas.
Que Ele traga LUZ DIVINA a todos os bravos militares e a seus familiares.
Obrigado pelos comentários, obrigado ao BRIOSA EM FOCO e enquanto estiver vestindo, com muito orgulho, essa farda darei o melhor de mim para elevar o nome da PMAL e contribuir com a melhoria do nosso Estado.

Att,

Sd PM Lucas Rojas

Anônimo disse...

Caro Lucas é por Pessoas como vc que continuo acreditando e fazendo o que posso para enaltecer o nome da PMAL!! Felicidades Sempre meu amigão!
Sd PM Barros

Agenário Velames disse...

Parabéns pela aprovação na OAB, Lucas. Agora tenho certeza que você vai em busca da sua valorização profissional. Espero que você tenha tanta habilidade como advogado como tem como músico.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver