Dário César criticou o trabalho da Polícia Militar

Há alguns anos, quando ainda vivia conspirando para chegar ao poder, o então TC Dário, o César, ex-comandante do BOPE e do Comando de Policiamento da Capital, "formado" em Direito (Brasília), como bem gostava de ressaltar, criticou o método utilizado pelos Comandantes da PMAL na época, rotulando-os como retrógrados no combate à violência...
Vejamos a seguir, o artigo na íntegra:
"A cada dia estou mais perplexo com o aumento da violência em nossa terra. Entre junho e dezembro de 2006, tive a oportunidade de comandar o policiamento da capital, Maceió mais outros nove municípios (Marechal Deodoro, Barra de São Miguel, Pilar, Coqueiro Seco, Santa Luzia do Norte, Satuba, Rio Largo, Messias e Paripueira).
Naquele período tivemos uma média de 56 homicídios/mês, número que me inquietava bastante. Entretanto, em novembro fiquei especialmente preocupado, pois atingimos a marca de 65 homicídios em 30 dias. A apreensão de armas de fogo ficou na média de 51 armas/mês, chegando a 61 apreendidas em agosto daquele ano.
O período foi curto, mas suficiente para me fazer chegar à seguinte constatação: mesmo considerando que estávamos num período eleitoral, onde os ânimos ficam tradicionalmente mais acirrados, ainda fazíamos um policiamento 'à antiga' – sem levar em conta nem os dados estatísticos – onde o PM ficava sempre correndo atrás dos malfeitores. Porém, o que outrora surtira algum efeito, porque não tínhamos tantos problemas assim, levou nossos dirigentes a consagrar formas retrógradas de atuação.
Lógico que a banalização do uso do crack, droga das mais perversas ao ser humano; a falta de políticas públicas voltadas à resolução do elevado índice de desemprego, mormente na massa trabalhadora mais jovem; o apelo à aquisição dos cada vez mais modernos e atraentes bens de consumo, muitos impossíveis de serem acessados por grande parte da população; a sempre gravosa distribuição de renda; o sentimento de impunidade, dentre outros fatores respondem por parte significativa desses números. Contudo, mesmo assim, constatei que nós da Polícia Militar há muito estávamos abordando o problema de forma equivocada...
Em 2008, só nos dois primeiros meses, segundo dados veiculados pela mídia, ocorreram 260 homicídios! Uma incrível média de 130 homicídios/mês, portanto, aumento de 130% em relação ao que tínhamos há pouco mais de um ano. Lembremos que, a continuar assim, esses números elevarão Maceió ao status de cidade mais violenta do Brasil, com uma média de mais de 150 homicídios/100 mil habitantes, deixando longe o município de Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul, hoje o mais violento.
Também ficarão distante Duque de Caxias – mais violento da baixada fluminense, e Recife, atualmente a Capital com maior número de homicídios do país, cerca de 90/100 mil habitantes. Por outro lado, dados oficiais apontam para uma média de apenas 50 armas de fogo apreendidas nesses meses, a mesma dos tempos em que o número de homicídios era muito menor e a Polícia Militar não contava com os serviços dos cerca de 1.000 jovens incluídos no seu contingente no decorrer de 2007.
O que está havendo?
O grito de indignação da sociedade clamando por uma nova polícia não tem ecoado dentro da caserna, não sensibilizando seus antigos dirigentes que teimam em continuar achando que prestam um relevante serviço à segurança pública, mas sem nada de novo apresentarem que amaine essa problemática.
Temos visto algumas blitzes nas ruas, é bem verdade, mas está claro que o problema não tem sido resolvido, muito ao contrário. Então nos restam algumas indagações:
1) Será que os horários e locais dessas operações não têm sido escolhidos tão somente para encher os olhos da classe média, formadora de opinião, saudosa dos tempos em que se andava pela cidade sem se deparar com um corpo crivado de balas ou um assaltante a mão armada?
2) Será que elas não deveriam ter como referência os locais e horários de maior incidência de delitos, fazendo baixar a criminalidade e, por conseguinte, dando uma maior sensação de segurança a essa mesma sociedade?
3) Será que não se enxerga que carecemos de uma completa reformulação nas velhas práticas de se fazer polícia? Será que não nos faltam comandantes, em todos os níveis, com uma visão mais contemporânea de segurança pública? Será que não precisamos quebrar os obsoletos paradigmas nos quais ainda se pautam grande parte daqueles que nos dirigem?
As respostas, apesar de parecerem óbvias, deixo à reflexão de todos!"
Você, Dário César, com suas teorias e a sua forma inflexível de comandar os subordinados – algo típico de quem não foi moldado no seio da tropa –, conseguiu ser pior que os policiais supostamente retrógrados que você criticou. Hoje vemos de camarote o seu fiasco. E ainda haveremos de vê-lo sucumbir, cada vez mais, suplantado na sua própria arrogância!

14 comentários :

DisCRENTE disse...

SEM COMENTÁRIOS... AS PESSOAS COMO DÁRIO ESQUECEM DO QUE FALARAM NO PASSADO PQ NÃO FALARAM COM BASE EM CONHECIMENTO, NÃO FALAM O QUE ESTÃO SENTINDO, SÃO PALAVRAS OPORTUNISTAS QUE SAEM DA BOCA PRA FORA COMO O VÔMITO DE UM BEBUM: É EXPELIDO SEM QUALQUER LAPSO DE RACIOCÍNIO. ELE LOGO ESQUECE DA RESSACA E TOMO OUTRO PORRE. O PROBLEMA AQUI É QUE A MERDA QUEM FAZ SÃO ELES, O TÉO 'HOMEM DE GELO' VILELA, E ESSA CÚPULA ALEIJADA DA SEGURANÇA E NÓS É QUE CURTIMOS A RESSACA...

Claudia disse...

Temos um comandante do CPC que se acha onipotente, onipresente e oniciente. Seus auxiliares imediatos (Capitaes Santos e Souza Junior) são humilhados quase todos os dias. Os comandantes de batalhão do CPC não tem autonomia sequer para fazer uma escala de serviço. Se liberar um soldado para resolver um problema familiar tá ferrado. Nas reuniões o batinga xinga todo mundo, ng presta a não ser ele. Ta acontecendo a teoria da vaca nos batalhões do CPC. Todo mundo cagando e andando p o batinga, só esperando a hora dele cair. A quantidade de estabelecimentos que paga propina ao batinga é absurda. A Lanchonete Kascão, p ex, paga 2 mil reais por mês ao CPC. A farra tá grande e o povo que se dane. por isso a violência ta desse Jeito. o Açougue Opção das Carnes, no jacintinho, manda 12 KG de picanha para a casa do Batinga todo sábado pela manhã. Ta todo mundo com o acido úrico lá em cima na casa dele. A Infraero distribui passagens de avião de cortesia à PM em troca de policiamento 24h no aeroporto. Essas passagens vão p as mãos de quem? É só investigar.

Anônimo disse...

É o Tiririca das Alagoas... A vergonha gramatical da PMAL.

Anônimo disse...

Eleição direta para comandante? O que é isso??? Cadê a disciplina?

Claudia disse...

Alerta aos companheiros motoristas de VTR: Observem o licenciamento das viaturas e o numero do chassi. Essas locadoras pertencem ao Cel Ronaldo a ao Dário Cezar. Se constatarem alguma irregularidade chamem a imprensa falada, escrita e televisada. Uma verdadeira bomba está para estourar com relação á essas viaturas. Aguardem!

Anônimo disse...

16.01.2012 - 17h07
Dos 350 carros da PM de Sergipe, apenas 15 estão com documentos em dia, dizem policiais
3

Paulo Rolemberg
Do UOL, em Aracaju








Desde ontem (15), policiais militares de Sergipe decidiram não dirigir os carros da corporação. A medida foi tomada após eles tomarem conhecimento de que dos 350 veículos que compõem a frota da PM, apenas 15 estariam com os documentos em dia.

Segundo informação dada durante assembleia realizada no último sábado (14), a empresa responsável pela cessão dos veículos da Polícia Militar entregou todos os carros com o licenciamento anual de 2011 vencido.

Na manhã desta segunda-feira (16), alguns veículos estavam tendo sua situação regularizada. Em seguida, seriam encaminhados ao Departamento de Trânsito (Detran) de Sergipe para vistoria e colocação dos lacres.

"Carro sem licenciamento não deve rodar, se para o cidadão comum a lei tem que ser feita, nós também temos que dar o exemplo”, disse o sargento Edgar Menezes, representante dos policiais militares. “Afinal de contas, nós fazemos cumprir a lei."

Os policiais também alegam que como a situação do veículo está irregular, em caso de acidente eles não terão direito ao seguro DPVAT. Na manhã de hoje, alguns policiais fizeram ronda a pé.

No início deste ano, um veículo da Companhia de Radiopatrulha, após se envolver em um acidente, foi apreendido pelo Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) por estar com o seu licenciamento anual de 2011 vencido.

Outro lado

A assessoria de Comunicação da Polícia Militar de Sergipe informou que a situação está sendo regularizada. A polícia teria convocado a empresa responsável pelas placas.

"Os carros já estão sendo levados para uma unidade da PM para que as placas sejam trocadas, e a documentação será regularizada”, disse o assessor de Comunicação da PM, capitão Charles Victor.

Anônimo disse...

Em cada batalhão existe areas onde os comerciantes pagam ao comando mensalmente um valor em dinheiro pela segurança de seus estabelecimentos,no qual os pms que fazem as rondas rotineiras são obrigados a fazerem pb se recusarem serão postos em locais e horarios absurdos.

Anônimo disse...

Rio de Janeiro: capital com a 5ª menor taxa de homicídios

Taxa de mortes violentas no Rio baixou 53,7% entre 2000 e 2010, segundo instituto

Publicado:17/01/12 - 23h32 - O GLOBO


RIO - O município do Rio conquistou um importante espaço no ranking das capitais brasileiras segundo as taxas de homicídios. Em 2000, a cidade ocupava o sexto lugar nacional, com 56,6 casos por cem mil habitantes. Em 2010, passou para a 23ª posição, com uma taxa de 24,3 (uma queda de 53,7%) — a quinta menor do país. Os dados constam do Mapa da Violência 2012, divulgado na terça-feira pelo Instituto Sangari, entidade criada para fomentar a pesquisa científica. A cidade de São Paulo também apresentou melhora, saindo do quarto lugar (com 64,8 homicídios por cem mil habitantes) para o 27 (com 13 casos), a melhor posição do país.

Secretário de Segurança comemora pesquisa

O mapa foi divulgado na Universidade de São Paulo (USP) pelo coordenador do estudo e diretor de Pesquisas do Instituto Sangari, o argentino Julio Waiselfisz. O secretário de segurança do Rio, José Mariano Beltrame, ficou contente com o resultado do trabalho.

— É motivo de comemoração, porque mostra que a política de segurança adotada já mostra resultados significativos — disse Beltrame. — As estatísticas mostram redução também nos números de autos de resistência (mortes em confrontos com a polícia) e roubos de veículos, os menores do Rio desde o início da série histórica (em 1991).



Estudo mostra crescimento da violência no interior

Em 1995, por exemplo, nas capitais a taxa era de 40,1 homicídios por cem mil habitantes e no interior, de 11,7. Já em 2010, esse número duplica no interior (22,1) e cai nas capitais (33,6). O município de Simões Filho (BA), com uma população de 116.348 habitantes, teve em 2008 175 homicídios; em 2009, 153; e em 2010, 183. A taxa média ficou em 146,4 homicídios por cem mil habitantes, a maior em cidades com mais de dez mil moradores. Segundo o site G1, a prefeitura de Simões Filho contestou, em nota, o resultado do Mapa da Violência 2012, que apresentou a cidade como a mais violenta do país.



Entre 2000 e 2010, foi constatada outra mudança no perfil dos municípios. Enquanto capitais com índices de homicídios constantemente altos apresentaram quedas, outras tiveram crescimento explosivo, como Natal, Salvador e São Luís — nessas três, os números da violência mais que triplicaram, segundo a pesquisa.

Em Salvador, em 2000, foram registrados 315 homicídios. Dez anos depois, esse número pulou para 1.474, um aumento de 371%. São Luís também apresentou forte alta: em 2000, foram contabilizados 144 casos e, em 2010, 569 (295% a mais). Natal registrou 74 homicídios em 2000; em 2010, foram 260 crimes, um acréscimo de 251,4%.

No ranking das capitais com maior índice de homicídios, Maceió aparece em primeiro lugar. Em 2000, a cidade ocupava a oitava posição, com 45,1 casos por cem mil habitantes. Em 2010, a taxa pulou para 109,9.

Em segundo lugar ficou João Pessoa, que deixou a 13posição ocupada em 2000. Em 2010, a capital paraibana registrou 80,3 casos de homicídios por cem mil habitantes. Em terceiro ficou Vitória, em quarto Recife e em quinto São Luís do Maranhão.

O mapeamento é feito com base em pesquisas oficiais, entre elas o Censo do IBGE, e em parceria com ministérios como os da Saúde e da Justiça.

Anônimo disse...

porra meu é revoltante é por isso que o simbolo da justiça é uma mulher com as olhos vendados realmente a justiça é cega.

Anônimo disse...

estamos cercados por imcompetentes que so pensão em si, com a mente pequena,quem ja viu alguma ação dos nossos suposto chefes da area de segurança em dos menos abastados,mais mesmo assim vemos companheiros que matam e morrem por estes coroneis que ñunca boutou o pé nas ruas junto copm a tropa para emfrentar uma noite de serviço mandar é facil fazer é que são elas afinal não temos lideres e sim so chefes os senhores entenderam

Anônimo disse...

Dário Cesar seria um grande colaborador do BEF se este tivesse sido criado à época do texto.

Jenésio, o Pecador disse...

Há alguns anos atrás, quando eu era apenas uma alma em meio a tantas do Povo de Deus, eu juro que não percebia essas coisas inerentes à PM. Bastou eu fazer parte dessa corporação que agora mesmo sem querer eu vejo cada absurdo, pior até mesmo que os pecados que levam direto para o inferno. Isso escandaliza o Povo de Deus.

Coronel Dário, vossa ogeriza vai prestar conta dos seus atos ao Senhor no dia do Grande Julgamento.

Sócio da ASSOMAL disse...

Militares montam pauta de reivindicações

Os líderes militares participaram, na manhã desta segunda-feira, 23, de uma reunião para discutir a pauta de reivindicação deste ano, assim como, os altos índices de violência em Alagoas.

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

Esse dário,o cezar,é um filho da p...

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver