Crônicas do ontem e do hoje

Ainda está marcado em minha memória, e arrisco-me até a dizer que os companheiros – que iguais a este Cabo viveram aqueles momentos tenebrosos – também lembram da época em que o Estado atravessou a sua pior crise, a qual culminou com a queda do Governador Divaldo Suruagy; oprimido e pressionado em seu próprio palácio, ante a pressão popular.
Lembro-me dos dez meses em que ser soldado nesta corporação era das missões mais miseráveis. Lembro-me de companheiros que com a “cabeça fraca” pela “barriga vazia” chegaram até a cometer suicídio.
Lembro-me da figura do Coronel João Evaristo, que na época era o comandante geral da corporação, nos dispensando do serviço diário para que pudéssemos “correr atrás” do sustento de nossa família, buscando os “bicos” e as virações das mais variadas formas como feirantes, seguranças particulares, vendedores...
Nessa época, um dos líderes da Revolta da Polícia Militar de Alagoas era o neófito Capitão Luciano Silva, sindicalista e – nas nossas fileiras – um dos mais revoltados contra o sistema opressor castrense. O sujeito chegou até a furar pneus de viaturas de nossa briosa, impedindo que as mesmas pudessem ir às ruas. Ele mesmo, companheiros: Luciano Malvadeza, o bandido (lamento ter de chamar um colega e farda desta maneira, mas quem já foi preso por cometer crime, segundo as minhas normas, é bandido) que hoje comanda a nossa instituição era um dos líderes da revolta.
Naquele dia, mais especificamente em 17 de julho de 1997, estávamos todos em frente à Praça da Catedral em uma passeata que por pouco não se transformou em um derramamento de sangue e um confronto com as tropas do Exército, que cercavam a Casa de Tavares Bastos, isto é, Assembleia Legislativa. A grade chegou a ser forçada e derrubada, tendo entre os personagens dessa cena o falecido “Cabo Coisa” (morto em 2006 na Grota da Alegria, pelo bandido conhecido como “Sandrinho”, que teve seu fim meses depois pelas mãos da Polícia Civil), cuja imagem rodou o mundo e tornou-se o símbolo daquela ocasião.
Foram momentos difíceis, mas estávamos lá unidos, oficiais e praças, todos famintos. Isso era um motim. Motim ao qual um dos líderes era Luciano Silva.
Lembro-me também que a situação só não era pior porque o próprio Coronel Evaristo negociava diretamente com o governo o pagamento de nossos salários – que não vinha em quantidade suficiente para suprir a dívida com todos os militares –, de forma esporádica e pagos pelos furriéis em dinheiro, no Estádio Rei Pelé. Quantas lágrimas derramei certo dia, quando chegou na minha vez de receber o pagamento e o dinheiro já havia acabado.
Anos depois outras revoltas se sucederam: 1998, 2001 (que culminou com a invasão do Quartel Geral), 2006, 2009 e 2011 (que por pouco não invadiu o Quartel Geral, novamente, e a Secretaria de Defesa Social, mas que causou danos e a quebra da grade da ALE, assim como a invasão da SEFAZ). Somos uma classe de coragem e de valor – e merecemos respeito em nossa atividade, bem como merecemos sermos valorizados em nossos pleitos – o que o Estado, na figura das atuais mazelas, não está por nós demonstrando.
O desrespeito e a confiança de que ficaremos quietinhos e de que nada faremos mesmo com as ameaças das associações e com as revoltas eclodindo em todos os cantos do país é tamanha que o palhaço secretário Tiririca Dário, o César (que na época destes acontecimentos era desertor da PMAL – Alô Ministério Público, vamos apurar?), manifesta-se de forma absurda e até inflamando ânimos, debochando da categoria que nunca foi dele, pois nunca trabalhou efetivamente pela PMAL, haja vista que sua vida foi ao lado de políticos, a “embalar escrotais”, em busca de alguma benesse, e conseguiu: saiu daqui 2º Tenente e voltou Major.
Do outro lado da corda, com pouco mais 21 anos de caserna, este cabo que escreve teve a sua promoção negada, pois – como o Dr. Júlio me explicou – apesar de ter “ganho” no mérito, como a Liminar em Mandado de Segurança não foi concedida, a aplicação do mérito fica condicionada à sentença transitada em julgado, e o Estado recorreu!
E, falando em “corda”...
Estava eu, neste sábado, cumprindo mais uma escala extra não remunerada quando olha só quem eu vejo todo serelepe “desgoiabando-se” no “pinto”:
Pois é, meus companheiros briosianos, fica então a lição que cada um sai “na frente daquilo que gosta”.
Sinceramente: a Polícia Militar de Alagoas e o próprio Estado não merecem estes homens que não demonstram o mínimo respeito pela sua própria história.

18 comentários :

Anônimo disse...

Dadá saiu no "Pinto de Madrugada"...

Anônimo disse...

DISCORDO, PARÊA. DADA SAIU "DO" PINTO DE MADRUGADA. KKK

Anônimo disse...

Melhor assim: Dadá saiu no Pinto da Madrugada...
Só tem um detalhe: qual é o pinto da madrugada?

Anônimo disse...

É AQUELE QUE TEM TESÃO DE MIJO. KKK

Anônimo disse...

Alguém sabe informar onde o Dr Wanderlei colocou a mão esquerda quando abraçou o Dadá?

Anônimo disse...

O Dadá saiu na frente do Pinto e foi atrás da Rolinha.
hehehehehe!

Anônimo disse...

Palavras bonitas as suas companheiro, resta saber se a tropa vai ser unida desta vez! Demoramos a agir esperando uma resposta do governo e já sabendo qual será a resposta, deixamos os movimentos enfraquecerem (PMBA e PM/CBMRJ)por puro capricho dos representantes das associações do nosso estado. Agora resta saber: o q será decidido nesta proxima assembleia???

Anônimo disse...

EU GOSTARIA DE SABER PORQUE O CEL LUCIANO É HIPÓCRITA AO PONTO DE AFIRMAR QUE A TROPA ESTÁ CONFORMADA.A TROPA ESTÁ CONTIDA POR UM COMANDO OPRESSOR, QUE ESMAGA OS PEQUENOS E PROMOVE OS GRANDES;CORONEL VOCÊ ACHA CORRETO GANHAR 15000 REAIS FORA CARRO E TELEFONE DE GRAÇA, ENQUANTO A MAIORIA DE SEUS COMANDADOS RECEBEM 1850 REAIS PARA FAZER FEIRA, PAGAR PLANO DE SAÚDE,PAGAR ESCOLA PARA OS FILHOS, PRESTAÇÃO DO CARRO,SINCERAMENTE VOCÊ NÃO VALE NADA! É UM MISERÁVEL, A PARTE PODRE DA POLÍCIA MILITAR! FORA COMANDANTE!!!

Anônimo disse...

MEU IRMAO CB.PM,DESTA VEZ VOCE ME FEZ CHORAR, RELEMBRANDO A QUELES MOMENTOS DIFICIL QUE PASSAMOS, QUE O BOM DEUS TENHA PIEDADE DO NOSSO IRMAO LEANDRO QUE ACABOU COM SUA PROPRIA VIDA E DE OUTROS INOCENTES.

Anônimo disse...

QUEM LEMBRA DA NOVELA SOBRE ESCRAVOS QUE O MAIOR PERSEGUIDOR DOS NEGROS ERA UM NEGRO INTITULADO CAPITÃO DO MATO, ACHO QUE O PERSONAGEM DO CAPITÃO DO MATO ENCARNOU NO CEL LUCIANO, MAS O MESMO NÃO TEVE UM FINAL FELIZ.

Strong disse...

Estou realmente discrente de alguma coisa boa que venha desse governo desmoralizado e mentiroso juntamente com esse comando opressor (Dário César, Luciano e Batinga) favorável a questão salaria a nos Policiais Militares, cominado com essas associações (fraca) diga-se de passagem, e com esse MAJ FAROSO a frente, exceto o Sgt BM Ramalho, estou muito desmotivado e lamento muito com as atitudes dessas entidades que nos representam, deixo minha indignação...

Sócio da ASSOMAL disse...

Vídeo: Líderes militares opinam sobre contraproposta salarial

O Governo do Estado vai apresentar até o dia 16 uma posição sobre a proposta salarial feita pelos policiais militares e bombeiros.

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

CADA MINUTO 13.02.2012
Comando solicita, mas assessorias não cedem militares para o Carnaval

Apesar de ter sido solicitado pelo Comando da Polícia Militar, algumas assessorias do estado não cederam policiais para ajudar a reforçar a segurança no período carnavalesco em Alagoas. De acordo com a assessoria de comunicação da PM, algumas assessorias militares já se comprometeram em atender à solicitação, mas outras informaram, por meio de ofício, que a convocação do Comando não poderá ser atendida.

“Não temos como dizer quais assessorias não mandaram, mas foi tudo justificado. Quem não poderá mandar informou que os policiais ou estarão guardando o patrimônio ou fazendo a segurança de autoridades durante o Carnaval”, informou a assessoria de comunicação da Polícia Militar.

A Assembleia Legislativa, o Palácio do Governo, a vice-governadoria, o Ministério Público, a Prefeitura de Maceió, a Procuradoria Geral do Estado, o Tribunal de Contas e o Tribunal de Justiça dispõem de assessorias militares. Indagada sobre o número de policiais lotados nesses órgãos, a assessoria de comunicação da PM informou que mais detalhes serão repassados amanhã durante uma coletiva, onde será apresentado o plano de segurança para o Carnaval.

Procurado pela reportagem do CadaMinuto, o comandante do policiamento na capital, Coronel Gilmar Batinga, afirmou apenas que solicitou militares ao comando e foi informado que algumas assessorias não enviariam policiais para trabalhar no Carnaval.

Anônimo disse...

Um novo "apartheid"? GALBA NOVAES - CADA MINUTO - 13.02.12

Porque a violência aumenta? Eis aqui um exemplo bem prático.

Estive neste final de semana em dois locais distintos: na orla marítima de Maceió, apreciando o famoso bloco do Pinto da Madrugada, e no Tabuleiro dos Martins, mais precisamente no Conjunto Osman Loureiro, onde participei do bloco Coco Mania.

Vamos analisar as diferenças?

Pinto da Madrugada: belíssimo, como sempre - aqui abro parênteses (-) para parabenizar os organizadores Braga Lira, Marcos Davi, dentre outros - e a cada ano que passa se consolida como o melhor e maior evento carnavalesco da nossa cidade, levando, este ano, mais de 150 mil pessoas, segundo cálculos da nossa briosa Polícia Militar, que se fez presente no evento com um grande contingente, atendendo, assim, a demanda de segurança da comunidade da orla.

Coco Mania: linda festa da região periférica da cidade, muito bem organizada – mais "dois parênteses" para abraçar cada membro responsável pela produção – que arrastou cerca de três mil pessoas para uma alegria contagiante, levantando poeira ao som de muita ‘swingueira’.

O que estes eventos têm em comum?

A mesma dedicação e seriedade nos trâmites necessários para legalizar cada uma das atividades momescas, que incluem a autorização da SMCCU, Ministério Público Estadual e Policia Militar entre inúmeras outras providências, por certo.

E no que eles diferem?

Eis a resposta: o respeito (ou a falta dele) por parte das autoridades.

Posso até ser interpretado como radical – meu sentimento e de indignação - devido a esta colocação, mas a verdade é que: no bloco do Tabuleiro dos Martins a Polícia Militar sequer deu as caras. Mais de três mil pessoas saíram ontem acompanhando o bloco sem a presença de nenhum policial, nem mesmo dos que fazem parte da Base de Policiamento Comunitário do local que, por sinal, existe só em estrutura física.

E aí já se pode imaginar o que aconteceu, né?

Os organizadores tiveram que encerrar o evento antes mesmo do previsto, devido à falta de segurança pública. Isto mesmo: não apareceu sequer um policial para retribuir o que nós pagamos de impostos que, em síntese, é o que paga seu salário.

O descaso com que é tratado o povo dos bairros pobres da nossa cidade faz com que achemos que vivemos em duas “Maceiós”: a dos ricos e a dos desassistidos.

Uma espécie de “novo apartheid*”.

Parabéns às autoridades! Continuem ignorando a periferia e contribuindo, assim, para o aumento da violência, que agora mais do que nunca deixa claramente explícita a razão pela qual cresce, cada dia mais: o descaso, a negligência e o abandono a quem já sente a exclusão na pele.

Por fim, parabéns a nós, pelo terceiro lugar em violência no mundo e o primeiro no país
.

Anônimo disse...

Na Serraria foi do mesmo jeito: UM BLOCO COM MAIS DE 2 MIL PESSOAS E NEM SINAL DE UMA VIATURA DA PM SEQUER. DEPOIS DO TRIO OS POPULARES INTERDITARAM AS RUAS COM CARROS COM SOM ALTO. FOI O MAIOR INFERNO JA VISTO NO BAIRRO DA SERRARIA. ACREDITO QUE TODO O POLICIAMENTO DEVERIA ESTAR NA ORLA. CEL BATINGA É UM RECEBEDOR DO PROPINA, ISSO SIM.

Anônimo disse...

o estado vai para o fundo do buraco graças aos nossos lideres um bocado de parasitas

Anônimo disse...

Companheiros faltou uma foto hilária do Coronel cueção R/R chefe do palácio rodeado de babões civis e militares. Muito engraçado....

Anônimo disse...

Caros leitores, sou O Sgt Braz, quero expor minhas colocações e desculpas.
1º- Estou no copom +- 05 anos, comecei desempenhando minhas funções como Operador de Rádio, passando em seguida para supervisor de Rádio Comunicação, depois Auxiliar do Adjunto ao Coordenador Operacional ao CPC, e assumindo a função de escalante há 04 meses.
2º - Nesse período a frente das escalas do copom, senti-me um tanto triste, por ter em mãos pouco efetivo e muitas dispensas médicas, onde este Sargento todos os dias estava lá na sala de Rádio comunicação, conversando com todos os pares e subordinados sobre tal escala.
3º - Ainda não vi um igual ou subordinado reclamar deste graduado no tocante ao aperto em escala, pois este graduado praticamente não tinha folga, chegava as 06h00min e me recolhia após as 15 ou 16h00min, sempre ajustando as escalas.
4º - Sempre pedi e chamei voluntários para assumir seus serviços, em virtude de vários subordinados estarem de LTS, LTSPF, férias e licença especial,e CFCP, sempre aparecia 2 ou 3 militares para cobrir as lacunas, sabendo eles que sempre seriam recompensados e assim os fiz.
5º - Após os 4 meses a frente das escalas do COPOM, retornei a minha função, que é aquela de Auxiliar do Adjunto ao Coordenador do COPOM, com a volta da pessoa responsável pelas escalas.
6º - Acho eu, muito difícil, que tais reclamações, tenham partido de pessoas, que já trabalharam no COPOM, e que não serviu para os serviços do COPOM, porque os que lá estão, apesar de tudo, estão satisfeitos, onde eles são escalados de sobreaviso, quando eles mesmos faltam ao serviço, por motivos particulares ou doenças.
7º - Peço-lhes, que divulguem em primeira página, e solicitem dos nobres colegas que trabalham no COPOM, que se manifestem e falem o acham deste graduado.
8º - Confesso que, alguns capitães tiveram problemas de saúde sim, não acredito que tenha sido por conta de estarem trabalhando no COPOM, somos Policiais dedicados ao serviço, e confesso que esquecemos até de cuidar de nossa saúde, todos nós temos problemas, seja elas, financeiros, familiar e saúde.
9º - Portanto, de qualquer forma, só tenho a agradecer, a quem enviou tais informações, sobre minha conduta, a qual me serviu de orgulho, pois nem o nosso Senhor Jesus Cristo agradou a todos e quem seria eu?
10º - Nesses 5 anos, de efetivo serviço no COPOM, nunca faltei uma escala, e tão pouco cheguei atrasado, sempre cumprindo as determinações oriundas ao serviço, nunca extrapolando ou usando lado pessoal, para qualquer pessoa que seja, sou justo, e sempre cobrarei, que meus subordinados e iguais, se apresentem pronto para os serviço, seja de Rádio Operador, Supervisor de Rádio ou Supervisor de Call Center, Segurança e Descompressão, sempre em seu padrão ( Uniforme Limpo e Passado, Barba e cabelo feito, e coturno limpo), e o principal, o respeito para com seus iguais e superiores.
11º - deixarei aqui, meu E-mail pessoal e telefone particular, apesar de não estar mais a frente das escalas do COPOM, podem mandar sugestões, pois com certeza, levarei para a titular das escalas, juntamente com o chefe do COPOM, para uma melhor solução.
jbnbraz@hotmail.com, fones: 82-8863-0375 - 9926-6488.
12º - por fim, agradeço ao pessoal do BEF, por esta oportunidade.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver