O Secretário "Narciso"

Estive refletindo sobre o episódio envolvendo o Cabo Samuel... Claro que as suas ações são abomináveis, e o que quer que ele venha alegar não justifica. Mas o que também não tem justificação é a forma como o Secretário de Defesa Social Dário, o César, agiu quando tratou de rapidamente denegrir a imagem do Cabo. Um erro não justifica o outro. Ambos erraram.
Amadorismo e sensacionalismo. Isso você não vê em locais como o Distrito Federal. Se um episódio como esse tivesse acontecido em São Paulo ou no Paraná, por exemplo, somente após o acontecido e com todas as informações pertinentes é que alguém em nome da Corporação, e ainda assim de forma imparcial, se pronunciaria a respeito do assunto.
Para que os amigos tenham uma noção dessa situação, basta observar nos telejornais nacionais “quem é que” representa a corporação e “como” se apresenta para o público, bem dizer a imprensa de modo em geral, para tratar de assuntos pontuais, seja de grande ou até mesmo de pequena repercussão. Tais situações, que em outros centros são até motivo de temas jurídicos – ao contrário de Alagoas –, costumam ser profundamente debatidas por pessoas qualificadas. A exemplo do que aconteceu depois na Cracolândia, onde a sociedade, autoridades do meio jurídico e a Polícia Militar de São Paulo se mobilizaram para analisar as questões pertinentes.
Por falar na PMSP, recentemente tive a oportunidade de conhecer o seu Comandante Geral, o Coronel Álvaro Camilo, uma pessoa que demonstrou bastante conhecimento sobre o que acontece com as demais Corporações Policiais Militares. Numa de nossas conversas pude perceber que ele trata apenas de assuntos internos da Corporação, deixando as ações de imprensa com a ASCOM (deles).
Sobre essa situação, conforme me foi confirmado pelo seu assessor, em eventos onde a Polícia Militar de São Paulo precisa se dirigir à imprensa é designado sempre o policial mais capaz, o que necessariamente não quer dizer que deva ser um oficial, pois na maioria dos casos o representante da área ou o que esta em contato direto com a ocorrência pode representar a instituição. A única ressalva que se faz é que o pronunciamento seja técnico e imparcial.
E para confirmar essa filosofia de atuação da polícia coirmã, o Secretário de Segurança de São Paulo nem sequer aparece na TV. “Essa questão de aparecer em mídia, isso é coisa Tiririca”, revelou-me um major da daquela PM.
Mas, voltando à nossa realidade... Bem dizer, “a nossa triste realidade”... A imprensa alagoana é uma das principais responsáveis pela manutenção desta cúpula nefasta responsável pela segurança em nosso Estado. Veja a reportagem no blog do jornalista Bernardino Souto Maior, de 22/02, onde ele enaltece a capacidade do atual secretário (clique aqui). O que revolta é saber que isso tudo é pura bajulação, e essa bajulação é o respaldo que o nosso Secretário Narciso precisa para dar continuidade às suas ações.

39 comentários :

Tenente Stive disse...

Em tempo: externo os pêsames ao Sargento Macena, bem como rogo a Deus que o conforte, assim como à sua família.

Sd PM 2006 disse...

Jasiel, cabra de pêia, quem anda errado não deveria punir os iguais... Você não tem moral nem para dar Parte e nem para apurar qualquer procedimento, seu pilantra.

Ass: alguém que já trabalhou como seu patrilheiro e que ainda vai vê-lo se dar mal por conta de tantos erros.

Anônimo disse...

ESSE JASIEL É O JASIEL TROMPETE? PORQUE SE FOR, VIXI, AS ESTRELAS SUBIRAM PARA A CABEÇA...

JASIEL, MEU ><((((º> TOME CUIDADO KKKK, SENÃO VAI TOMAR...

Anônimo disse...

Samuel, o mau filho à casa prisional torna...

Esse é o processo do cabo Samuel: http://www2.tjal.jus.br/cpo/pg/show.do?processo.codigo=010000Z960000&processo.foro=1

Para saber quem é o juiz do caso, basta ver quem era o juiz da 11ª Vara Criminal da Capital há 10 anos atrás.

Soldado atento disse...

Isso demonstra a falta de profissionalismo de muitos "gestores" de segurança pública do nosso Estado.Usam as redes sociais e a imprensa para tecer, de forma irresponsável, comentários acerca de um fato que ainda vai ser apurado.

Anônimo disse...

O Dário é que esta certo,ta na sua curtindo uma de gente importante sempre de terno e gravata todo pomposo ganhando bem comendo nos melhoras retaurantes tudo por conta. E o Luciano com aquele bum-bum impinado todo arrogante, bossal até parece um oficial daqueles que tem o sangue ariano. Coitado não sabe nem quem é o próprio pai. E os dois tão ai de boa curtindo sob a proteção do Téo como eles mesmos afirmão.
Errados somos nós que ficamos a criticar e viver de fofocas nos quarteis, onde deveriamos fazer uma paralização, não para mendigar reajustes e sim para tiralos do comando. NÒS NÃO TEMOS O PODER DE COLOCALOS
MAS TEMOS O PODER DE TIRALOS.

Cadaminuto disse...

Morte de PM acirra discussão sobre bico. "São 8 mil irregulares"

"Se o projeto fosse aprovado não tinha morte" diz vereador

por Michelle Farias

Com a intenção de melhorar o salário dos policiais e ‘regularizar’ o que já é feito há vários anos, o projeto Bico Legal, de autoria do presidente da Câmara de Maceió, Galba Novaes continua dividindo opiniões. O projeto prevê que os policiais de folga trabalhem dentro da legalidade prestando serviço ao município e recebendo um adicional que pode chegar até R$1300,00.

No último dia de Carnaval, uma briga no tradicional Bloco “Tudo Azul”, em Murici, envolvendo o cabo da PM afastado, Samuel Souza, que deflagrou vários tiros de pistola 380 que atingiram de forma fatal o jovem Bruno Macena, o pai dele, o sargento Macena e um amigo conhecido como Marcone.

As primeiras informações deram conta que o cabo estaria fazendo a segurança do bloco, um trabalho conhecido como “bico”, informação divulgada pelo Secretário de Estado da Defesa Social, Dário César. Porém, a própria Polícia Militar afastou a possibilidade do cabo está trabalhando, mesmo informalmente, o que apontaria uma irresponsabilidade do militar, uma vez que não estaria de serviço.

Cerca de oito mil pessoas fazem segurança privada ou pública de forma irregular, contra apenas cinco mil que estão empregadas de forma legal. Para o secretário jurídico do Sindicato dos Vigilantes de Alagoas, José Cícero Ferreira, para a profissão é preciso ter curso preparatório.

“Temos cursos específicos para cada segurança, como por exemplo para bancos. O poder público tem que pagar um salário melhor para os policiais, para que eles possam tomar conta da sociedade. E nós somos treinados para fazer outro tipo de segurança, como no caso dos blocos”, afirmou Ferreira.

O sindicato é totalmente contra a regularização do ‘bico’. “Se temos oito mil sem estar legalizado, imagina se isso for aprovado. Vamos perder nossos empregos. Para um vigilante regularizado paga-se R$85,00, mas para quem é ilegal paga-se em média de R$30,00. Eles querem economizar sem pensar na segurança da população”, frisou o secretário.

O secretário Dário César já deixou claro que é contra a aprovação do projeto. “Bico legal” é a antítese da ilegalidade, e que a concepção da ‘ideia’ foi errada, ao colocar o Servidor da Segurança Pública de ‘serviço no horário de folga’.

O projeto ‘Bico Legal’ foi implantando em São Paulo, e desde então, os índices de criminalidade diminuíram 70%. O presidente da Câmara de Maceió, Galba Novaes, afirmou que o fato que aconteceu um Murici reforça ainda mais a implantação.

“Se o projeto fosse aprovado, não teria acontecido nada disso. O policial estaria fardado, com sua arma e pronto para atender a população. Fui a São Paulo e os resultados são mais que positivos basta apenas boa vontade do governo do estado”, afirmou.

Galba disse ainda que legalidade do ‘bico’ é apenas para registrar o que já acontece. “A maioria das pessoas que fazem a segurança são policiais, que trabalham na irregularidade. Se aprovado, além dos policiais ganharem mais, ainda trabalhariam na legalidade com toda uma situação a favor.

O presidente da Câmara disse ainda que há uma confusão e que a provação não deixaria os vigilantes desempregados. “Estão divulgando de forma errada a informação. O vigilante cuida do patrimônio, os policiais fazem a segurança da população. Eu quero que o governador possa dar mais segurança para o estado”, finalizou o presidente da Câmara de Maceió, Galba Novaes.

Tudonahora disse...

PM vai investigar licença de cabo por problemas de saúde

O secretário de Defesa Social, Dário Cesar, afirmou, na manhã desta sexta-feira (24), que o afastamento do cabo Samuel Silva Souza, de 42 anos, por problemas psicológicos também será investigado pela Corregedoria da Polícia Militar. O policial é acusado de ter matado o jovem Bruno Macena, de 21 anos, e ferido outras duas pessoas, entre elas um oficial da corporação, durante um bloco de Carnaval na cidade de Murici, na última terça-feira (21).

Segundo Dário Cesar, é preciso que seja esclarecido como um policial militar, que estava afastado de suas funções por problemas de saúde, estava armado, dentro de um bloco carnavalesco e com sintomas de embriaguez. "É preciso que isso seja apuardo porque é mais uma conduta grave", ressaltou.

O secretário confirmou que Samuel Souza já cumpriu pena por homicídio, mas que não perdeu a farda porque o juiz do processo não aplicou a pena acessória de perda do cargo. "Ainda tentamos expulsá-lo administrativamente, mas ele conseguiu ser reintegrado por determinação da Justiça", esclareceu.

A expectativa do secretário é de que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) dê parecer favorável em um outro processo que pede a demissão de Samuel Souza pelos crimes de extorsão e formação de quadrilha. Este já com trâmites concluídos pela Corregedoria. "Agora, ele já tem mais um novo processo por homicídio e dupla tentativa praticados em Murici", disse.

Entenda o caso

Na última terça-feira, durante o desfile do bloco Tudo Azul, em Murici, o cabo Samuel da Silva Souza sacou sua arma e disparou várias vezes. Um tiro matou Bruno Macena da Silva, filho do sargento PM Ernande Macena da Silva. Outros disparos feriram o major PM Marcelo Araújo de Souza e outro cidadão identificado como Marcone da Silva.

O policial foi preso pelo comandante do policiamento de carnaval no local, tenente Darllynson Nascimento dos Santos, e encaminhado à Delegacia Regional de União dos Palmares, onde foi autuado em flagrante, pela delegada Maria Tereza Albuquerque, por homicídio e dupla tentativa de homicídio.

Na madrugada da quarta-feira, o militar foi levado para o IML para fazer o exame de corpo de delito e, em seguida, conduzido por guarnições do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) para a Casa de Custódia para policiais militares, localizada no presídio Baldomero Cavalcanti, onde permanece preso.

Bruno Ribeiro Mário disse...

Aos companheiros e companheiras um grande abraço.

Até quando os policiais civis e militares dos estados serão tratados com tanto preconceito, a hora e de ação e não de omissão, vamos nos unir e exigir isonomia já, ou ficaremos de braços cruzados esperando cair do céu. disse assim Rui Barbosa "quem não luta por seus direitos, não tem direito algum".
Manuelito - Cap PMBA

R E P A S S E M

O porque desta diferença? Cadê as Policias dos Estados?

Será que a segurança pública só é feita no DF ????
Os policiais dos estados (civis e militares) não sangram igual aos do DF?

As entidades e políticos que respondam!!!

Policiais Militares do DF conseguem reajuste salarial e implantar carreira única e militares das FFAA a ver navios.

PM/DF tem aumento salarial e é a primeira a implantar carreira única no Brasil.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 62 da Constituição da República Federativa do Brasil, adota a seguinte medida.

Art. 1º - Fica instituída a carreira única da Polícia Militar do Distrito Federal a qual inicia-se como soldado de 2ª classe e encerra-se como Coronel de Polícia.

Art. 2º – A polícia Militar do Distrito federal criará normas e mecanismos para a ascensão profissional.

Art. 3º – Unificam-se todos os quadros da Polícia Militar ao Quadro de Policiais Militares Combatentes, exceto o Quadro dos médicos que permanecesse conforme se encontra na lei.

Art. 4º – Deixa de existir o número de vagas para promoção, havendo progressão funcional conforme tabela em anexo.

Art. 5º – Todos os benefícios contidos nesta lei estendem-se aos policiais militares inativos, da reserva remunerada e as pensionistas.

Art. 6º – Deixa de existir o interstício e passa a ter progressão funcional conforme tabela do anexo I.

Art. 7º – Estabelece o Mês Março como sendo a data base do reajuste dos Policiais Militares do Distrito Federal.

Art. 8º – Institui o reajuste anual para os Policiais Militares no mesmo percentual concedido ao Fundo Constitucional.

Art. 9º – A promoção para 2º Ten. será exclusiva dos subtenentes ou, quando não houver subtenente habilitado, deverá ser primeiro Sargento obedecendo ao critério da antiguidade.

Art. 10º – Cria-se a gratificação para os policiais militares que estejam exercendo função de monitor, instrutor e ou comandante de pelotões dos cursos de formação e profissionalização.

Continua...

Bruno Ribeiro Mário disse...

Continuação:

Art. 11º – Cria-se a gratificação de escolaridade para curso acima de 120horas/aulas no mesmo valor pago referente a um serviço voluntário.

Art. 12º – Para efeitos do disposto no Inciso I do Art. 86, ficam estabelecidas as equivalências de cursos conforme aplicado nesta lei no Art. 105 aos Bombeiros Militares do Distrito Federal.

I – a Curso de Formação de Praças, o Curso de Formação de Soldado;
II – a Curso de Aperfeiçoamento de Praças, o Curso de Formação de Sargentos;
III – a Curso de Altos Estudos de Praça, o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos;
IV – a Curso de Formação, os cursos superiores exigidos para o ingresso dos militares dos Quadros de Oficiais Militares QOPMA e ESPECIALISTAS.

Art. 13º – O Policial Militar, quando completar trinta anos de efetivo serviço à Corporação, será promovido automaticamente ao posto ou graduação seguinte na escala hierárquica.

Art. 14º – Cria-se a gratificação de escolaridade para os cursos de pós-graduação, mestrado, doutorado, bacharelado no valor pago referente a dois serviços voluntários por cada certificado apresentado.

Art. 15º – Para a progressão funcional ao posto de coronel será exigido os cursos de bacharel em direito, Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, Curso de Altos Estudos de Oficiais, curso superior de oficial, que serão ministrados a partir do posto de capitão pela PMDF e CBMDF.

Art. 16 – autoriza a venda das licenças especiais e férias não gozadas total ou parcial para aquisição da casa própria, aquisição de veículos, custear despesas médicas para tratamento de saúde própria ou dependentes, pagamento de dívida com entidade e ou órgãos do governo, aquisição de imóveis.

TABELA DOS QUADROS DE POSTOS E GRADUAÇÕES DA PMDF E SEUS RESPECTIVOS VENCIMENTOS APÓS A PUBLICAÇÃO DA REESTRUTURAÇÃO em 22 de fevereiro de 2011 10:55.

Coronel PM

NÍVEL ÚNICO R$ 23.275,00

Tenente-Coronel PM
* 03 ANOS /NÍVEL 03 R$ 21.413,00
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 20.947,50
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 20.482,00

Major PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 20.016,50
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 19.561,00
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 18.852,75

Capitães PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 18.387,25
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 17.921,75
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 17.456,25

Primeiro-Tenente PM
* 03 ANOS/NÍVEL 01 R$ 17.400,00
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 17.300,00
* 01 ANO/NÍVEL 03 R$ 17.223,50

Segundo-Tenente PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 17.117,00
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 16.687,00
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 16.257,00

Subtenente PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 15.827,00
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 15.361,50
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$14.430.50

1º Sargentos PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 13.965,00
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 13.499,50
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 13.034,00

2º Sargentos PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 12.568,50
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 11.870,25
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 11.404,75

3º Sargentos PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 10.939,25
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 10.473,75
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 10.008,25

Cabos PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 9.692,70
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 9.310,00
* 01 ANO/NÍVEL 01 R$ 9.298,00

Soldado PM
* 03 ANOS/NÍVEL 03 R$ 8.238,20
* 02 ANOS/NÍVEL 02 R$ 7.000,00
* 1 ANO/NÍVEL 01 R$ 5.952,20

Soldado de 2ª classe Receberá o valor de 60% dos vencimentos do Soldado NÍVEL 03 COM TRÊS ANOS DE SERVIÇO. R$ 4.942,28.

Esta medida entra em vigor na data de sua publicação e revogam-se todas as disposições em contrário.
22 de fevereiro de 2011

Peço que os leitores briosianos façam a máxima divulgação do presente documento, de interesse de todos os policiais civis e militares, ativos e inativos, e pensionistas e os demais familiares.

Antecipo meus agradecimentos.

QUE CUMPRAM A LEI DE 1969, E A CONSTITUIÇÃO, ISONOMIA COM A POLÍCIA DE BRASÍLIA.

SE NÃO HOUVER AÇÃO, NÃO HAVERÁ REAÇÃO.

Sd PM 2002 disse...

Esse Ten. Andrade, vulgo jasiel trompete, é um cabinha de peia, foi ameaçado de morte quando estava no BPE, saiu corrido com medo de morrer, cuidado meu peixe, sei que vc gosta de invadir as casas dos outros, dar tapa em homens de bem, torturar, meu irmão vc como um cristão evangélico deveria ter mais temor a Deus, vá reger sua bandinha na Assembléia de Deus no farol, que é melhor que vc faz!!!!

Anônimo disse...

Será que toda sociedade Alagoana esta vivendo em outro mundo ou tá todo mundo mundo louco. Dizer que se o atual Secretário de Defesa Social não resolver os problemas da insegurança de Alagoas ninguém mais resolver é no minimo uma Piada de mal gosto.
O que ele deveria fazer era pagar uma passagem de ida sem volta para o seu amigo e ex funcionário ir para bem perto dele e para bem longe de Alagoas. Honestamente nunca se fez tanta besteira na Insegurança neste Estado.

Anônimo disse...

Eu queria ver se fosse o autor da matéria que tivesse perdido um filho por conta desse marginal fardado. Pimenta no dos outros é refresco.

Mensagem do coronel Álvaro Batista Camilo - Parte 01 disse...

A Polícia Militar de São Paulo criou uma espécie de manual com orientações aos policiais sobre como se portar em redes sociais, como Facebook, Twitter, Youtube, Orkut, Flicker e blogs.

Segundo o comandante-geral da corporação, coronel Álvaro Batista Camilo, as recomendações buscam garantir a segurança do policial e da sua família, preservar a imagem da PM e também prevenir incidentes que possam gerar investigações contra a conduta do policial e até mesmo sanções penais e administrativas, como em casos de incitação à greve.

“Não são normas obrigatórias, são orientações que decidi divulgar porque houve casos recentes que nos preocuparam, como o de um cabo que foi ameaçado por criminosos, que pegaram no Facebook o endereço da escola da sua filha e começaram a enviar mensagens”, contou Camilo ao G1.

Entre as recomendações estão o cuidado com declarações que possam atingir ou prejudicar pessoas ou instituições, o uso indevido de imagens ou vídeos sobre ocorrências, a não divulgação de dados particulares, como endereços, nomes de filhos e horários de viagens ou deslocamentos, além de não aceitar amizade de desconhecidos. Todos os PMs receberam no email as recomendações, que também foram colocadas na intranet e nas redes sociais da corporação e no perfil de Camilo no Facebook.

“O policial pode achar que está conversando com amigos, mas acaba expondo dados que podem lhe prejudicar pessoalmente ou a própria instituição. Algumas vezes há divulgação de imagens mórbidas, que nada acrescentam e expõem coisas que não precisam”, acrescenta o comandante, que lembra que os criminosos podem fazer uso das informações para planejar crimes ou atentados.

“Em um caso mais extremo, avisamos os policiais envolvidos sobre uma suposta incitação a greve ao compartilhar informações no Facebook. O PM, quando coloca uma foto fardado, está representando a instituição. Ele se identifica como PM e ao fazer declarações agressivas a outros, está assumindo uma responsabilidade”, afirma Camilo.

Na PM paulista há o uso institucional das redes sociais. Camilo incentivou batalhões, companhias e unidades a criar perfis para divulgação de informações sobre a corporação. “Nestes casos, os comandantes respondem pelo que é postado”, explica.

Continua...

Mensagem do coronel Álvaro Batista Camilo - Parte 02 disse...

Continuação

Veja as recomendações enviadas aos PMs pelo comandante:
"Cuidado no uso das redes sociais

A modernização tecnológica faz com que as informações e notícias circulem de maneira quase que instantânea aos acontecimentos, através da internet e redes sociais. Hoje todos têm um celular com recursos de fotografar, filmar e gravar.

Muito cuidado com o material que disponibiliza ou compartilha nas redes sociais, principalmente se o seu perfil é profissional ou se você se identifica como Policial Militar. Ao disponibilizar imagens fardado ou com peças e locais que identifiquem a Instituição, lembre-se que não está apenas representando você, mas também sua família e uma Instituição inteira!

Use sempre o bom senso e mantenha a postura que tem no dia a dia também nas redes sociais e não se esqueça de orientar seus filhos.

Seguem algumas orientações:
- cuidado com o que você coloca nas redes sociais;
- não poste algo que possa ser usado contra você. Pense muito bem antes;
- cuidado para não expor você, sua família e a sua Polícia Militar;
- cuidado para não fazer declarações que podem prejudicar as pessoas;
- tudo que você faz na rede fica registrado e pode ser usado judicialmente;
- lembre-se que as postagens podem ser repassadas a qualquer um;
- existem programas que vasculham redes sociais;
- marginais rastreiam redes sociais, muitas vezes se fingindo de amigos;
- não coloque fotos ou informações que identifique onde você mora;
- não coloque fotos ou informações que identifique escola dos seus filhos;
- não coloque informações sobre onde você está: locais, viagens, faça isso depois;
- não diga que saiu de casa para algum compromisso;
- não aceite amizades de pessoas que você não conhece;
- não coloque endereço e número de telefone nas redes sociais;
- não poste fotos que mostram suas coisas de valor, marginais estão de olho nisso.
Independente de filmagens ou qualquer outro tipo de registro da ação policial na internet ou não, paute sempre suas ações dentro dos princípios que regem nossa Instituição. Suas ações devem sempre ser revestidas de profissionalismo, legalidade e respeito à vida, à integridade e à dignidade das pessoas, pois além de você e sua família, você sempre representa a imagem da Polícia Militar.

Faça sua parte, obrigado pelo seu bom trabalho e continue fazendo acontecer.

Continue acreditando que sempre é possível fazer mais e melhor

Forte abraço e que Deus lhe proteja.
Conte sempre com o Comando"

Briosa em Foco disse...

Para o @Anônimo que falou: "Pimenta no dos outros é refresco"

Leia o texto com atenção, pois em nenhum momento foi defendido o ato do (ainda) cabo Samuel. O que foi abordado na matéria é a forma precipitada como os nossos gestores agem, ainda mais quando se deparam com algum assunto que envolva membro das forças de segurança pública. Independente do que o cabo Samuel fez, as leis lhe asseguram direitos, os quais se forem violados irá gerar reparação pelo dano, podendo até invalidar o processo em alguns casos - violação de direitos: eis a razão de muitos militares excluídos voltarem para as fileiras da nossa corporação. Agora se o amigo pensa diferente, recomendamos que faça justiça com as próprias mãos, ou então que viole os direitos dos presos/marginais que estiver sob a sua custódia.

Sócio da ASSOMAL disse...

Bloco Guarnição da Alegria desfila na orla de Pajuçara dia 27

Mesmo após o carnaval, a folia não acabou e os militares alagoanos terão a oportunidade de desfilar no próximo domingo (27), a partir das 10h30 na orla de Pajuçara com o Bloco Guarnição da Alegria, que está sendo organizado pela Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (ASSMAL).

Para maiores informações clique aqui.

Sócio da ASSOMAL disse...

Redução de homicídios é consequência de valorização profissional

“Motivação dos policiais e bombeiros militares melhoraram índice de segurança no Estado de Alagoas”, diz Fragoso

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

Eu venho sempre falando enquanto não se valorizar e dar melhores treinamentos e equipamentos tudo vai continuar assim.Enquanto um coronel ganha um bom salário e fica em sua sala com ar condicionado,motorista,refeição,os praças estão nas ruas levando tiro,cuspida na cara,e tem que ouvir e aguentar muitos disaforos e ameaças.cumprem com seu dever e,ainda escutam de seus comandantes que ele vai ser investigado pela corregedoria.Soldado DF quase 6 mil,cabo AL 21 anos de serviço menos de 2 mil.

TC Jordânio disse...

Um casal chega ao consultório de um terapeuta sexual.
O médico pergunta:
- O que posso fazer por vocês?

O rapaz responde:
- Você pode ver a gente a fazer sexo?
O médico olha espantado, mas concorda. Quando o sexo termina, o médico diz:
- Não há nada de errado na maneira como vocês fazem sexo.
E então, cobra €70,00 pela consulta.
Isto repete-se por várias semanas!
O casal marca horário, faz sexo sem nenhum problema, paga ao médico e
deixa o consultório. Finalmente o médico resolve perguntar:
- O que vocês estão a tentar descobrir?
O rapaz respondendo, diz:
- Nada. O problema é que ela é casada e eu não posso ir à casa dela.
Eu também sou casado e ela não pode ir até minha casa.
No Hotel Vila Galé, uma suite custa €140,00. No Hotel Ibis custa
€100,00. Aqui nós fazemos sexo por €70,00 e com acompanhamento médico.
Recebo um atestado para faltar ao trabalho, sou reembolsado em €42,00
pelo seguro ou segurança social e ainda consigo uma restituição no IRS
de €19,20. Tudo calculado o custo é de €8,80.

Anônimo disse...

Fragoso vc é FDP...

Anônimo disse...

Toda proibição gera clandestinidade. Se não for possível controlar efetivamente o objeto da proibição, em alguns casos, é mais saudável eliminá-la, pois as clandestinidades são ambientes escuros, onde toda sorte de ilegalidades pode aparecer, praticadas por derivação da atitude proibida, ou mesmo por oportunismo. Levando em consideração o caso da proibição de greves praticadas por policiais e bombeiros militares, o que isso nos faz entender?

O fato é que o policial militar ou bombeiro militar que faz greve atualmente está cometendo uma ilicitude. Para não ser apanhado na transgressão, sempre o faz de maneira a difundir a responsabilidade, escondendo-se e desonerando-se de qualquer responsabilidade pelo movimento. Ou faz isso, ou corre o risco de perder o emprego quando o movimento acabar. Por isso as lideranças de greves PM/BM geralmente são da reserva, políticos e/ou ex-policiais.

É neste esconderijo necessário à realização da greve que a “bagunça” e o vandalismo muitas vezes se instala. Já ocorreu de policiais envolvidos com o crime, ou mesmo aqueles com tendências “baderneiras” aproveitarem a sombra que a greve proporciona para cometerem atrocidades. Este é um dos motivos pelos quais considero que deve ser legalizada a greve praticada pelas organizações militares estaduais.

“A sociedade não pode ficar a mercê da criminalidade em virtude de reivindicações classistas”. Concordaria plenamente com a assertiva, muito usada por governantes e pela “opinião pública” para desclassificar os movimentos reivindicatórios dos militares estaduais, caso estivéssemos falando, por exemplo, de juízes que deixassem de condenar criminosos para reivindicar melhorias salariais. Mas este raciocínio não pode ser aplicado aos policiais e bombeiros.
Por quê? Porque estamos falando de exposição da vida, estamos falando de classes trabalhadoras que colocam seu principal bem à disposição da sociedade – algo intrínseco à profissão. Não há como ser policial sem arriscar-se em todos os dias do seu serviço (risco real, constante e iminente). Quem acha que brigar por reconhecimento e condições mínimas de vida para aqueles que inevitavelmente se arriscam em seu trabalho é algo ilegítimo, por favor, faça uma campanha em defesa da escravização dos policiais e bombeiros militares brasileiros – é o que deve defender quem acha que nada justifica uma paralisação das polícias e bombeiros militares.

Continua...

Anônimo disse...

Continuação...

A greve é um mecanismo mundialmente aceito como controlador dos abusos do empregador (em nosso caso, os governos). Salvo nos países em que as ditaduras prevalecem, esta é uma das únicas formas de impor uma mudança de postura no trato com os trabalhadores. O instituto da greve pode ser visto como um símbolo da democracia nas relações trabalhistas.
Por isso a Constituição Federal de 1988 distribuiu este direito a todos os trabalhadores, exceto aos militares, enquadrados aí os militares estaduais, policiais e bombeiros, aqueles que são responsáveis por gerir a cidadania, inibir a violência e promover a ordem pública.
Mas como exigir dos trabalhadores da segurança pública que façam valer os direitos, se eles próprios têm direitos limitados, são cidadãos pela metade, menores?

“Em vez de legalizar a greve, é melhor criar mecanismos legais para obrigar o Estado a valorizar os policiais e bombeiros brasileiros”: este é o argumento de quem parece viver no paraíso, ou nos discursos politiqueiros de ocasião. Quais mecanismos se criarão para obrigar o Estado a valorizar os servidores militares, se o próprio Estado desobedece a lei?

Quem acha que esses “mecanismos” podem ser criados, deve defender a extinção do direito de greve dos demais trabalhadores, haja vista que todas as greves trazem algum transtorno social.

Por fim, é preciso dizer que a desvalorização e a desídia com os policiais e bombeiros militares geram violência, omissão, corrupção e outros tantos efeitos que a sociedade vive repudiando nas polícias. Deste modo, a criação de um mecanismo eficaz de controle da omissão governamental no campo da segurança pública, o direito de greve, é fundamental para que menos vidas sejam perdidas, e instituições policiais em acordo com o que a democracia prega sejam formadas.

. disse...

POLICIAIS MILITARES, POR FALAREM A VERDADE SOFREM PERSEGUIÇÃO, SIM OU NÃO?

Participe dando sua opnião clicando aqui.

Participe. A sua participação é muito importante

Anônimo disse...

Vai volta nao meu amigo! Samuel n depende de parecer da PGE! Afinal nao responde a extorsao e formacao de qudha como informaram os desinformados coroneis: veja acórdo tjal 50387-2010, nessa fantasiosa e sensacionalista operacao cmdda pelo irresponsavel Del Paulo Cerqueira hj sub secretario, denominada ESTANQUE o prendeu 2 vezes sem provas. Digo sem provas porquer o Deic invadiu sua casa duas veses em 90 dias, teve 2 veses preso, a mülher gravida de 8 meses. Depois o CD da PM que é pior pscologicamente q o processo adoeceu, ta desequilibrado. Ta de LTS. E para o presidio tem que ir a autoridade que o liberou após apresentar atestado de desiquilibrio mental, sem sua arma recolher e o acompanhar dever de td istituiçao... E tem mais n pode admttvte rerponder a novo CD estando de LTS. Resumindo é primario e nesse processo mp n o denucior cm afirmou o mal SDS. Uê BG0 149 de 12.08.10.

Anônimo disse...

Vai volta nao meu amigo! Samuel n depende de parecer da PGE! Afinal nao responde a extorsao e formacao de qudha como informaram os desinformados coroneis: veja acórdo tjal 50387-2010, nessa fantasiosa e sensacionalista operacao cmdda pelo irresponsavel Del Paulo Cerqueira hj sub secretario, denominada ESTANQUE o prendeu 2 vezes sem provas. Digo sem provas porquer o Deic invadiu sua casa duas veses em 90 dias, teve 2 veses preso, a mülher gravida de 8 meses. Depois o CD da PM que é pior pscologicamente q o processo adoeceu, ta desequilibrado. Ta de LTS. E para o presidio tem que ir a autoridade que o liberou após apresentar atestado de desiquilibrio mental, sem sua arma recolher e o acompanhar dever de td istituiçao... E tem mais n pode admttvte rerponder a novo CD estando de LTS. Resumindo é primario e nesse processo mp n o denucior cm afirmou o mal SDS. Uê BG0 149 de 12.08.10.

Anônimo disse...

Esses comandantes não entendem é porra nenhuma de pública.

Soldado Combatente disse...

Rapaz...eu conheço este Ten Andrade e não é isso que vcs etão falando, o kra é muito competente, e outra coisa, vcs esqueceram que quem puni é o comandante e não quem apura o PDO. Isso que estão falando do kra é inveja, vão estudar e conseguir o sucesso que ele alcançou, parabéns Tenente, eu sou soldado, com orgulho, mas o Senhor serve de exemplo para mim e para muitos nesta corporação.

Anônimo disse...

Demolição de presídio militar é contestada - GAZETA DE ALAGOAS 25.02,2012

Por: FELIPE FARIAS - REPÓRTER

O mesmo Conselho de Segurança que determinou a desativação do presídio militar pode receber representação de entidades de classe da categoria questionando a demolição da unidade. O principal motivo de questionamento é que, com o presídio demolido, militares presos estão tendo de ser transferidos para unidades do sistema prisional, como o Presídio Baldomero Cavalcanti – o que, segundo elas, viola o Estatuto da corporação.

Na última quinta-feira, a OAB em Alagoas divulgou material informativo confirmando ter sido a autora do pedido para que o prefeito afastado de Traipu, Marcos Santos (PTB), preso acusado de desvio de recursos públicos, fosse transferido, deixando esse mesmo presídio.

Ele passou a ocupar uma sala de Estado Maior, na Academia da Polícia Militar.

A alegação da OAB é de que o Estatuto da Advocacia, que rege sua atividade profissional, prevê que advogados presos têm direito não apenas a acomodações especiais, mas à sala de Estado Maior, acomodação destinada a oficiais de patentes superiores.

Gazeta disse...

Ex-policial militar é executado no Tabuleiro do Martins
Miguel Oliveira foi assassinado com mais de oito tiros de pistola 380

Mais um homicídio na capital alagoana, aumenta a estatística da violência no estado. Desta vez a vítima foi o ex-policial militar Miguel Francisco Gomes de Oliveira, 45 anos. Ele foi assassinado na noite deste sábado (25), dentro de seu veículo, um kadet de placa HZM 4351, na avenida Durval de Góes Monteiro, em frente a escola Rotary, Tabuleiro do Martins.

Ele vinha de uma reunião de trabalho no conjunto Cleto Marques Luz em direção ao Eustáquio Gomes onde residia, quando o carro, conduzido por sua esposa, Adriana Malta Cavalcante, foi alcançado por elementos em duas motos que deflagraram mais de oito tiros de pistola calibre 380. O ex-PM, que estava no banco do carona, morreu na hora com tiros no pescoço, cabeça e tórax.

Segundo a polícia, a esposa só não foi baleada porque se abaixou ao volante na hora dos disparos. Os elementos tomaram destino ignorado. Após o crime, ela ainda conseguiu sair do carro e correr desesperada pela avenida para pedir ajuda. Foi quando uma viatura da PM que vinha passando a socorreu.

Atualmente Miguel exercia a profissão de corretor e estava afastado da Policia Militar, onde serviu por aproximadamente 16 anos ao 5º Batalhão, localizado no bairro do Benedito Bentes, de acordo com informações da irma Francis de Oliveira. Após exames da Perícia Criminal, o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML). O caso será investigado pela delegacia do 5º Distrito Policial.

Sócio da ASSOMAL disse...

Miguel Francisco já havia sido preso, junto com um grupo de militares acusados de pertencer a Gangue Fardada que era comandada pelo ex-coronel Manoel Cavalcante, por coincidência Cavalcante saiu da cadeia, após 14 anos, justamente este mês...

Jean Pierre Lopes da Silva disse...

Vá anotando o nome destes políticos para nas próximas eleições fazermos campanha contra eles; e não esqueça precisamos de representatividade política se engaje na expansão do nosso partido, o PSPC Nr 56.

PEC300 EM PAUTA NA PRÓXIMA SEMANA

Postado por Moderadora em 23 fevereiro 2012 às 10:00
Enviar mensagem Exibir blog

A PEC 300, que unifica os pisos dos salários de policiais e bombeiros militares e policiais civis de todo o país, voltará à discussão na Câmara dos Deputados na próxima semana.

O ex-governador Anthony Garotinho (PR-RJ) e o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), interlocutores assumidos do movimento grevista dos policiais militares, se encarregarão de reacender o fogaréu. Há outros políticos envolvidos com o movimento. Em Brasília, o deputado Izalci Lucas (PR-DF) e o ex-deputado Alberto Fraga, presidente regional do DEM, foram identificados como incentivadores do movimento de policiais militares e civis do Distrito Federal.

Na semana que antecedeu o carnaval, no Rio de Janeiro, na presença da presidente Dilma Rousseff, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), ouviu um apelo de oito governadores para não pôr a PEC 300 na pauta de votação. Sérgio Cabral (PMDB-RJ), Eduardo Campos (PSB-PE), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Jaques Wagner (PT-BA), Rosalba Ciarlini (DEM-RN), Renato Casagrande (PSB-ES), Marcelo Déda (PT-SE) e Cid Gomes (PSB-CE) acreditam que isso detonará uma greve nacional.

Ocorre que a PEC tramita na Câmara desde 2008, assim como outros projetos que tratam do direito de greve de servidores públicos, inclusive os militares. E foi aprovada em primeira votação em 2010, quando recebeu apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do atual vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), então presidente da Câmara, que deram legitimidade à reivindicação de um piso salarial unificado para todos os estados. Era véspera de eleição...

Direito de greve

A Constituição inclui os policiais e os bombeiros na categoria de militares. Cabe a eles preservar a ordem e garantir a segurança. Profissionais que portam armas, segundo a Constituição, não têm direito à sindicalização e à greve. Há controvérsias sobre a validade da lei para policiais civis; em relação aos policiais e bombeiros militares, ela é claríssima. Porém, há estados que pagam uma miséria aos seus policiais e, por isso mesmo, fecham os olhos para a corrupção na tropa. É famoso o causo do ex-governador de São Paulo Ademar de Barros, ao recusar aumento para seu secretário de Segurança: “Já te dei a carteira e o revólver”.

Governadores

A existência das polícias militares com a estrutura atual é um entulho do regime militar, mas seu envolvimento com a política é muito mais antigo. Vem da República Velha e do coronelismo. Governadores gostam de tecer relações nos altos escalões da polícia militar. Sem o apoio da corporação, por exemplo, o golpe que derrubou João Goulart, em 1964, seria mais difícil. Não haveria a escalada de radicalização política patrocinada pelos governadores Carlos Lacerda, na antiga Guanabara, e Magalhães Pinto, em Minas, e coadjuvada por líderes de esquerda como Leonel Brizola e Luiz Carlos Prestes. Todos tinham seu “dispositivo militar”.

O piso

Aprovado em primeira votação pela Câmara em 2010, o piso nacional de policiais e bombeiros militares e policiais civis, no valor de R$ 3,5 mil para soldados e R$ 7 mil para oficiais, teria um impacto nas folhas de pagamento de R$ 43 bilhões

Fonte: Coluna Brasília-DF, Correio Braziliense, desta quinta-feira, 23

Fonte:FAXAJU

Anônimo disse...

agora este tal de tenente andrade encontra-se no lugar certo comandando"alguns marginais fardados na rocom da rp"que só sabem bater,invadir,torturar e não achando pouco assaltar os outros em suas abordagens;ainda bem que também existem os homens de bem na mesma rp.

Anônimo disse...

soldado combatente já que você gosta tanto assim do tenente andrade,leva ele para sua casa desmoralizado.dé sua mulher para ele passar uma horinha.

Anônimo disse...

resumindo,o valor da comida foi de RS8,8O TC jordanio onde se faz em casa e sai mais barato porque não paga nada.kkkkkkk

MILITAR QUERENDO DIREITOS disse...

QUANDO PENSAMOS QUE TUDO TERMINOU, EIS QUE SURGE UMA LUZ NO FIM DO TUNEL
PRESIDENTE DA ASPRA WAGNER SIMAS

Militares discutem fechamento de tabela para reajuste com a Segesp

Os representantes das associações militares de Alagoas que defendem cabos e soldados voltam nesta quarta-feira (29), às 9h, a se reunir com a secretária, em exercício, da Secretaria de Gestão Pública (Segesp), Ricarda Calheiros. Eles discutem, dessa vez, o fechamento da tabela com reajuste salarial para os cabos, já que no último encontro apenas os soldados foram contemplados.
“Vamos tentar fechar a tabela porque a única coisa que ficou definida foi o alinhamento do soldado”, afirma o cabo Wagner Simas, presidente da Associação das Praças Militares (Aspra/AL).
Porém, apesar de ter havido consenso entre os representantes e de a assembleia ter aprovado o reajuste que garante um salário de R$ 2.156 para os soldados, além do resíduo de 7% dividido em três vezes, mais os 6,5% e o ganho real , Wagner Simas garante ter havido um equívoco nos cálculos e que é necessário uma nova discussão para reparos.
“Precisamos contestar alguns números no alinhamento porque analisando a tabela detectamos que, nesse realinhamento, tem soldado que terá acrescido em seu salário apenas quarenta e oito reais. E não podemos permitir que alguém saia no prejuízo”, enfatiza o presidente da Aspra.
Pelo agendamento, no dia 05 de março serão discutidos os valores para salários de subtenentes e sargentos e, no dia 12, por fim, para os salários dos oficiais.

Fonte: J2012

VALEU SIMAS!!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Olho Vivo disse...

Olho Vivo !
Rapaz conheço bem o Ten Andrade esse o qual vcs estão fazendo mau juízo,o cara é muito empenhado nas suas obrigações e sempre faz o possível para ajudar os praças, mas infelizmente sabemos q existem policiais de verdade q horam a farda q veste e marginais vestidos de policiais ,esses todos nos devemos repugnar e são esses q odeiam o trabalho daqueles q prezam pela honestidade ! Meus Parabéns Ten Andrade a sociedade alagona agradeçe pelos seus bons serviços prestados a essa honrosa corporação q é a Policia Militar ! aqueles q o criticam é porque não tem nenhuma condição de estar na condição de prestar serviço de segura a população Alagona. continue desenvolvendo suas atividades, q criticas todos terão principalmente quando se destaca positivamente na função q desenvolve, saõ os opositores e os maus Policiais seus opositores! PARABÉNS por sua competência a polícia deveria ter ums 3 (três) assim como vc !!

Anônimo disse...

"Olho vivo" dá a tua mulher p/ ele tirar raça, babão safado, procure o seu lugar, já viu algum oficial gostar de praça! só se for a praça onde ele come a sua mulher.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver