Fatores que explicam a violência

Muitos alagoanos vêm cobrando um maior combate a criminalidade no Estado, sem, contudo, saber a verdadeira causa do aumento destes índices. Vou aqui expor alguns fatores que podem explicar o porquê de nos últimos 06 anos Alagoas de se tornado a referência nacional quando o assunto é criminalidade e violência:
Falta de Efetivo: desde a eleição de Teotônio Vilela para o Governo do Estado não se realiza concurso para os quadros da SEDS. Os últimos agentes de segurança chamados forma todos oriundos do Governo Ronaldo Lessa. Faltam PMs em quase todos o Batalhões do Estado, sendo que no interior de Alagoas isso é mais visível. Como já foi dito anteriormente, o governo só tem olhos para Maceió e Arapiraca, no restante do Estado, a violência galopa sem controle. Na Polícia Civil a realidade não é diferente, muitas Delegacias nem sequer funcionam. Como combater a criminalidade se faltam policiais?
Insatisfação com os gestores: dentro da PM existe uma verdadeira ojeriza relacionada ao Comando Geral. A tropa não o vê como líder e nem o comandante faz questão ser bem quisto perante a mesma. O comando do Coronel Luciano naufraga e a violência galopa. Não se pode comandar 7 mil policiais sendo odiados pelos comandados. Frase que melhor exemplifica isso: “O coronel Luciano é igual a rainha da Inglaterra, governa, mas não manda em nada”. O coronel Luciano não se dá bem nem com outras autoridades, vejam a briga que ele arrumou com o judiciário, culminando com sua prisão...
Baixa remuneração: nossos policiais da base hoje tem um dos piores salários da região nordeste. Perdemos para Bahia, Sergipe, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Paraíba e, incrivelmente, perdemos até para a guarda municipal de Maceió. Valorizar o profissional da segurança publica não é a bandeira desse governo tucano. Todas as vezes que os policiais tentam negociar melhorias, são totalmente enrolados pelo governo.
Secretário que não entende nada de Segurança Pública: Dário Cesar nunca trabalhou na Briosa. Passou grande parte de sua vida militar fora da PMAL, servindo cafezinho e carregando mala para o ex-presidente Fernando Collor. Alguém pode lembrar alguma prisão de bandido realizada pessoalmente por Dário Cesar? Quantas vezes o tenente Dário Cesar trabalhou nas ruas ou em eventos, combatendo a criminalidade? Ops! Esqueci, ele saiu cedo dos quadros da PM, se não me falhe a memória, ficou a disposição de Collor desde que era 2º tenente. Nunca viu nada de polícia. Caro leitor, se você fosse construir o muro de sua casa, você chamaria um pedreiro ou um catador de latinhas? Se você fosse governador, e fosse colocar alguém na SEDS, chamaria um especialista em Segurança Pública ou um carregador de malas e servidor de cafezinho? Agora já sabem o porquê de não se faz nada de eficiente na SEDS...
Investimento em tecnologia: as polícias em Alagoas ainda trabalham com equipamentos iguais a da década de 90. Redes de rádio ultrapassadas, faltam celulares até para a comunicação entre as viaturas nas ruas. Viaturas inadequadas. Coletes vencidos e insuficientes. O dinheiro só aparece quando é para se fazer as belíssimas propagandas. Falta de tudo nas Delegacias e Batalhões. Tinta de impressora, papel, clipe, caneta... para citar o mais básico. Sem contar também a falta de alimentação. O que é mais ultrapassado do que buscar toda semana alimentação em Maceió para levar até Delmiro Gouveia, Arapiraca, Penedo e Maragogi. Um verdadeiro desperdício do dinheiro publico, gastando gasolina e deslocando viaturas para pegar a “feira” .Seria muito mais prático e moderno pagar o ticket alimentação aos policiais, mas aí não conseguiriam desviar o dinheiro e alimentos que sustentam os luxos da cúpula da SEDS. Qualquer semelhança com os desvio do Sistema Prisional é mera coincidência.
E vocês, caros leitores, tem mais algum fator para explicar a violência em Alagoas?

3 comentários :

Sócio da ASSOMAL disse...

Trabalho discutirá unificação das polícias Civil e Militar

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público realizará nesta terça-feira (29) audiência pública sobre a unificação das polícias Civil e Militar.

O debate foi proposto pelo deputado Chico Lopes (PCdoB-CE). “As estatísticas dos órgãos de prevenção e repressão não param de revelar o crescimento contínuo da criminalidade no País. Convém lembrar como chegamos à situação atual – o fato de haver duas polícias: uma militar, encarregada do policiamento ostensivo, e outra civil, com atribuições de polícia investigativa”, disse ele.

Para maiores informações clique aqui.

Dom Liminha Payakhan disse...

É terrível.

Bode Expiatório disse...

O Dr. Pedro Montenegro falou que o policiamento de Alagoas é burro. E ele tem razão. O BEF já falou sobre o assunto.

http://reporteralagoas.com.br/novo/?p=16948#comment-575

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver