“Seis por meia dúzia”

“Governador Theo Vilela troca ‘seis por meia dúzia’ no Comando Geral da PM”, esse é o sentimento de mais de 90% do efetivo da Polícia Militar.
Usamos essa fórmula [do título] quando uma pessoa faz uma troca na qual ela nada ganha ou perde exceto, eventualmente, a coletividade à qual pertence. A expressão é um belo exemplo de uma transação não histórica (ou até mesmo anti-histórica) na qual, parafraseando o velho Lavoisier "nada se cria, nada se perde" e nada se transforma, embora todos esperem o contrário.
No fundo, essa troca de seis por meia dúzia confirma um traço claro embora pouco discutido de nosso sistema de poder: o fato de que o cargo pode ser ocupado por qualquer ator, desde que ele seja devidamente empistolado ou tenha um padrinho de peso, de sorte que pouco importa se entende ou não das suas tarefas funcionais, pois essa preocupação racional corriqueira torna-se irrelevante diante do aval (ou da Bênção) do poderoso padrinho. Essa onipotente política de indicação que avilta e abusa do elo racional entre meios e fins e hoje é justamente uma dimensão que uma parcela ponderável da sociedade alagoana não suporta mais, trata-se de um “custo político” fundado nas relações pessoais mascarado por um elo partidário. Elo que, na maioria dos casos, só tem serventia para legitimar um velho sistema de parentescos e simpatias intransferíveis de modo que é o apadrinhamento travestido de coalizão que pode transformar um leigo num especialista em economia, em relações internacionais, em saúde, comunicação ou segurança pública.
Nas magias das listas, temos um dos mais fortes exemplos das desordens e irracionalidades vigentes naquilo que chamamos de “política” e, por isso a “política” é vista como uma região social na qual os valores da ética, da moralidade, da racionalidade e, sobretudo, do bom senso são subvertidos ou desdenhados. Ao persistirmos em trocar seis por meia dúzia, ao supormos que a “política” (com seus interesses imediatos, sua necessidade de manter fachadas e sua lógica de só pensar a Alagoas em termos de permanecer no poder) tudo pode, estamos retardando a transformação da nossa sociedade num sistema mais igualitário. Se o padrinho vale mais do que a educação, se o que conta no final é um partido político e não a competência, se o que efetua a troca é a bênção, então de que vale o mérito?
Ter ou não competência; servir ao papel e às instituições de modo hábil cedendo, é claro, ao bom senso tendo como objetivo o bem-estar de Alagoas; ser ou não ser um trocador de seis por meia dúzia, é uma questão a ser posta na mesa dentro da nossa caminhada em direção a uma democracia que requer gerenciamentos mais eficientes da máquina pública. Porque esse elo pouco politizado (no sentido de ser discutido) entre papéis sociais que não nos pertencem (mas são de certas instituições e corporações como secretarias e ministérios) englobam também cargos políticos que devem ir além da mera capacidade de bater um bom papo ou até mesmo de saber escolher bons auxiliares.
Você pode pensar que o poder permite isso, mas fique advertido que ele não é onipotente ou eterno. A política pode e faz, mas como estamos vendo reiteradamente nesses nossos tempos de neopopulismo, ela precisa ter um mínimo de afinidade com a competência e, acima de tudo, com a sinceridade. O mundo não funciona na base de uma República de Platão nomeando somente sábios. Aliás, conhecimento nem sempre garante sensibilidade e discernimento político. Dos políticos espera-se, sem dúvida, um mínimo de sintonia com os cargos que ocupam. Mas o que deles se exige de verdade não é apenas o gerenciamento eficiente e técnico da coisa pública. É, acima de tudo, o modo pelo qual tomam conta de nossas riquezas e ajudam a discernir o nosso futuro. Duas palavras definem esse estilo: sinceridade e ética. Elas não exigem diploma, mas tampouco são coniventes com apadrinhamentos e simpatias pessoais à custa do nosso trabalho.
Na Polícia Militar de Alagoas, a troca de comando que fez o Governador Theo Vilela quando substituiu o Coronel Luciano Silva (Malvadeza) pelo Coronel Dimas Cavalcante (Pau Mandado), nada mais fez que “trocar seis por meia dúzia”. A PM sofre não só com a falta de estrutura como também com a falta de comando. A maioria dos oficiais foram unânimes num ponto: “o problema no Comando da PM é que estão colocando coronéis “forjados” em gabinetes, quando deveriam ser especializados no contato direto com as tropas e assim estando a par do que ocorre nas ruas”.


12 comentários :

Anônimo disse...

MEU AMIGO, SEU TEXTO ESTÁ MUITO REBUSCADO!!!! APENAS O ÚLTIMO PÁRAGRAFO ESTÁ NA LINGUAGEM DA TROPA!! Quando for criar algum texto lembre-se que, quem o lê na sua maioria tem que entender!!! Deixe de sociologia e filosofia e crie textos simples e objetivos!!!

Anônimo disse...

“o problema no Comando da PM é que estão colocando coronéis “forjados” em gabinetes, quando deveriam ser especializados no contato direto com as tropas e assim estando a par do que ocorre nas ruas”.

Cite dois, apenas dois, coronéis especializados no contato direto com as tropas e assim estando a par do que ocorre nas ruas”.

ASCOM da PMAL disse...

Novo comandante quer policiamento ostensivo nas ruas

01/07/2012 Renée Le Campion

Policiamento ostensivo, com o desencadeamento de operações constantes nos horários críticos e áreas que detém os maiores índices de homicídio. É desta forma que o recém-empossado comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Dimas Barros, pretende fortalecer o trabalho da PM alagoana, que agora passa a ter suas ações integradas no plano federal Brasil Mais Seguro, lançado em Alagoas na última quarta-feira (28).

Maceió e Arapiraca são os municípios que contarão com um trabalho mais intensificado da polícia, já que são os mais violentos de Alagoas.

O Tudo Na Hora conversou com o novo comandante sobre o plano, mudanças na polícia, segurança nas eleições e outros assuntos. Confira a entrevista exclusiva abaixo:

O que muda no comando da Polícia Militar com a sua chegada?

O Estado está vivendo um momento diferenciado com o lançamento do plano, e só isto vai requerer uma mudança na postura da PM, com o policiamento ostensivo. Uma série de operações, desencadeadas desde ontem, irão atacar as áreas críticas das cidades, principalmente Maceió e Arapiraca, em face dos índices de criminalidade da região. Isso será feito constantemente.

Queremos trazer para o exercício do comando o oficialato da corporação. Já me reuni com todos os coronéis, tivemos um encontro longo e conversamos bastante. A gente quer aproveitar o que cada um tem a contribuir para melhorar a prestação de nosso serviço à sociedade. Outro meio para isto será abrir canais de diálogo com entidades representativas dos policiais militares, e estamos preparando agenda nesse sentido. Também buscamos nos aproximar mais com o comando da corporação das unidades mais afastadas do interior, vamos conversar com as Praças que estão nos diferentes municípios para sentir de cada um as dificuldades, que nós já conhecemos.


Como se dará a atuação da PM no plano? Áreas da cidade serão ocupadas?

Ontem já fizemos operação na região do Vergel do Lago e na grota do Moreira, no Jacintinho. A ideia não é exatamente ocupar pontos, mas atacar áreas com maiores índices de criminalidade, mais precisamente de homicídios. Pois são esses que colocam Alagoas no topo da violência do país, inclusive a nível internacional.

Vamos trabalhar em áreas específicas, com base no levantamento que é feito hoje, e não existia antigamente. Infelizmente, antes a polícia trabalhava de forma empírica, distribuindo o efetivo quase que equitativamente em todas as áreas. Isso porque não se tinha dados, não sabíamos que horas ocorreu o crime, qual o dia. Não havia dados estatísticos precisos para desencadear operações, e hoje temos.

Então, todas as operações serão em cima de dados, os dias da semana que tem maiores índices terão carga maior, assim como locais, horários e bairros. Temos como fazer um trabalho mais direcionado para diminuir estes índices, que infelizmente aflige todo estado.


Continua...

ASCOM da PMAL disse...

Continuação:

Como se dará a interação da PM com a Força Nacional, já que foi dito que ela teria uma atuação maior no estado?

De fato, haverá um contingente maior da FN e nós trabalhamos em conjunto. O planejamento é realizado com os comandantes da Força, do CPC e do CPA2 [Arapiraca] para emprego do efetivo da Força Nacional, com base nos índices, verificando onde há um maior número de crimes.

Iremos buscar uma parceria maior com outros órgãos, como a Polícia Civil. Nesse sentido, já conversei bastante com o novo delegado-geral, Paulo Cerqueira. Vamos fazer reuniões periódicas para interagir mais, assim como trocar contatos e informações. Iremos interagir também com a Guarda Municipal, a SMTT, e a PRF, no desencadeamento de ações conjuntas.

Não é um trabalho só da Polícia Militar, ou só da Polícia Civil, é um trabalho conjunto, de todos os alagoanos. Inclusive da sociedade, que pode ajudar com o disque-denúncia (181). Na hora em que ocorrem as operações, por exemplo, as pessoas podem denunciar e estamos tendo muitos resultados positivos a partir disso.


No que diz respeito às eleições, já existe um esquema de segurança montado? Como está a relação do comando com o TRE?

Em julho, será iniciado o planejamento para as eleições. Estamos terminando o mês de junho, um momento de festas juninas e todo o nosso efetivo foi empregado em atividades extras em festas.

Logicamente, a PM sabe que as operações Carnaval e eleições demanda todo o nosso efetivo, tanto na capital como no interior do estado.

Nos termos de relação com o TRE, nós temos e sempre teremos uma ótima relação com o órgão. Nunca nos negamos a atender qualquer solicitação e assim será. Iremos trabalhar em conjunto, tanto com o TRE, como Ministério Público, e realizar reuniões para fechar planejamentos referentes às eleições.


Como o senhor vê as bonificações aos policiais?

É muito interessante, pois houve um aumento no número de apreensões de arma de fogo, já que os PMs sabem que a arma vai gerar bonificação. Hoje, não sei falar precisamente, mas até a metade do mês já tínhamos 600 policiais recebendo bonificação por apreensão de arma de fogo e droga, fora os processos que estão em andamento.

É um “plus” a mais, um estímulo para o policial. Temos alguns que aparecem nas estatísticas com mais de 10 apreensões neste período. Até nisso podemos verificar quais são os que estão fazendo um maior número de apreensões e abordando pessoas nas ruas.

Muitas armas já foram tiradas das ruas em face dessa bonificação.


Continua...

ASCOM da PMAL disse...

Continuação:

Houve denúncia na OAB de que policiais estavam forjando provas para receber bonificação. O órgão disse que foram abertas sindicâncias. Como está esse processo?

Se esta denúncia chegou, foi para o comandante Luciano, que deve ter encaminhado à Corregedoria. Se chegou, está em apuração.

A gente sabe que as pessoas se aproveitam das coisas para poder modificar a verdadeira situação. Se você está na rua e foi encontrada uma arma de fogo, é mais fácil dizer que foi o policial que jogou na sua mão, para desmerecê-lo.

Mas tudo isso terá que ser apurado. Vale frisar que as nossas operações são cobertas pela legalidade, sempre há um relatório e controle das atividades. Mas se alguma denúncia foi feita, e comprovada, o policial será punido de acordo com a legislação.


O comandante Luciano já recebeu muitas críticas referentes ao seu relacionamento com a tropa. Como você pretende agir nesse sentido?

Pessoalmente, sempre tive um bom relacionamento com a tropa, tanto oficiais quanto praças. Não tenho restrições com ninguém. É do meu perfil e manterei isso. Como já disse anteriormente, já fiz reunião com todos os coronéis e já estou com uma agenda sendo preparada para receber associações e fazer visitas às unidades, para sentir de perto as necessidades e demandas existentes das praças no interior.

O meu trato com as pessoas sempre foi da melhor forma possível e não vou modificar meu jeito de ser em razão de ser comandante-geral. Não é questão de estilo de comando, é estilo do comandante.

SAMURAI disse...

Boas falas Coronel! Vamos aguardar pra ver.

GRUPO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA - GPSEG disse...

É disso que precisamos, abordagens diárias, com guarnições em grupo que assegure o trabalho do Policial, evite tentações ruins e um contato EFETIVO e CONTINUADO por parte do comando geral, sempre ouvindo TAMBÉM, Praças e demais graduações. PARABENS coronel DIMAS, certamente teremos melhores resultados.

Anônimo disse...

PO? E quem é que vai às ruas? O oficialato?!

Anônimo disse...

IMFELISMENTE NEN TODOS OS COMPAHEIROS DA 2ª CIA CONDIZ NO QUE SE REFERE AS FURADAS, COMO ASSIM EZITAM ALGUNS COMPANHEIROS QUE NÃO PENSAM NA INTEGRIDADES, MORAL, HONRA,E DIGNIDADES DOS PRAÇAS QUE ALI NA REGIÃO QUE PERTENCE A NOVO LINO, DESENVOLVE O SERVIÇO ATIVO EM PRO DA COMUNIDADE DOS MUNICIPÍOS DAS ÁREAS CITADAS. NÃO JULGUES TODOS POR CRITICAS OU MÁ FAMAS DIRECIONADAS A TODOS CARA. PORQUE VOCÊ SABE QUE PRA TODAS AS REGRAS HÁ EXECÇÃO NÃO?

Anônimo disse...

" GRUPO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA - GPSEG disse:

É disso que precisamos, abordagens diárias, com guarnições em grupo que assegure o trabalho do Policial, evite tentações ruins e um contato EFETIVO e CONTINUADO por parte do comando geral, sempre ouvindo TAMBÉM, Praças e demais graduações. PARABENS coronel DIMAS, certamente teremos melhores resultados. "

VOÇÊS SÃO UM BANDO DE PUCHA SACOS!!!! KKKK

ENQUANTO CEL DIMAR E BATINGA ESTIVEREM NA PMAL!!! E GREVE BRANCA!! NÃO ADIANTA, TEM QUE CORTAR O MAL PELA RAIZ!! FORA DÁRIO, DIMAS E BATINGA!!!

Anônimo disse...

VAMOS PARAR NAS ELEIÇÕES!!! VAMOS FAZER A REVOLUÇÃO!!! VAMOS NOS MOBILIZAR PARA BOICOTAR AS ELEIÇÕES!! BOTEM A FORÇA NACIONAL PARA TRABALHAR EM NOSSO LUGAR NAS ELEIÇÕES!!! ELES GANHAM R$ 300,00 X DIA + O SALARIO DELES. DEIXEM DE SER OTÁRIOS, ESTAMOS SE FERRANDO E OS CARAS RINDO DOS PM-ESCRAVOS DA PMAL!!!

Sócio da ASSOMAL disse...

Assomal parabeniza os aniversariantes do mês de julho

A diretoria da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal) parabeniza os oficiais da Polícia Militar, como também os do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas pelo aniversário de cada um neste mês de julho.


Na oportunidade, os diretores do clube desejam muita felicidade, sucesso e, principalmente saúde aos associados e não associados que fazem parte desta corporação.

Oficial, veja se seu nome está na lista e já sinta-se homenageado.

Para maiores informações clique aqui.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver