O Marajá que Collor não caçou

Chegamos ao mês de setembro com a marca nefasta de 1.330 mortos vítimas da violência no nosso Estado. Até ai nenhuma novidade, dado aos “avanços” do Plano Nacional de Segurança – cujos pífios resultados tanto nós quanto a imprensa convencional já vem mostrando as sobejas – e a política de “pão e circo” praticada pelos patetas que gestionam a Segurança Pública como um “negócio”, tais quais as similares negociatas praticadas no fictício bordel da obra de Jorge Amado, o Bataclã.
Longe das analogias televisivas, o que vamos mostrar não se trata de fofoca, fuxico ou mera ilação; trata-se de dados públicos cuja veracidade pode ser aferida diretamente em sua fonte: o Portal da Transparência Ruth Cardoso.
Vamos mostrar como é fácil “desviar”, ou – salvo melhor juízo – “jogar fora”, o dinheiro público que em um dos Estados mais pobres da Federação, num esquema que, se não é fraudulento (posto que contraria a Constituição Federal, em seu artigo 37, IX), é, no mínimo, nepótico, obsceno e imoral, lançando às raias da vergonha toda uma tropa de fardas puídas e baixos soldos que abnegadamente trabalham em solo caeté.
Todos conhecem o Secretário de Segurança Dário César. Polido e subserviente com os poderosos, cruel com os subordinados, tão ou mais bandido do que os clássicos malfeitores que combatemos. Inculto, ignorante e mal versado nas artes do conhecimento, não saberia diferenciar um despacho judicial de um despacho de macumba não fosse a ajuda de seus assessores diretos – um reflexo da cadeia hierárquica de bajulação padrão; em suma, por definição: um ASNO!
Entretanto, quando se trata de desviar dinheiro público, o homem é um catedrático: Não há quem entenda mais do assunto do que o próprio!
O esquema é simples: Após a eleição para governador, onde ocorrera a reeleição do atual governador tucano, Dário recebera a paga por toda a sua ajuda no pleito eleitoral (quando afastou as principais lideranças policiais espalhando-as por todo o Estado de Alagoas) que se não fora decisiva, em muito influenciou a derrocada do pretérito candidato de oposição, e ex-patrão, o Senador Fernando Collor de Mello.
Por sua vez, esta fora a “recompensa” que o atual governador dispensou a pessoa do tão abnegado servidor:
Verifiquem que Alagoas, Estado que passou por vários escândalos e vexames públicos, sendo frequentemente comparado a países africanos e às mais violentas cidades mexicanas, recompensa generosamente a incompetência de um (ex)batedor de carteiras estatal, remunerando-o com o supersalário faraônico de 30 mil reais, acima até do presidente do Supremo Tribunal Federal – STF, cujo salário circula no valor aproximado de R$ 24.000,00.
Seria mais que justo que o Tiririca das Alagoas, o Marajá que nem mesmo Collor de Mello conseguiu caçar, devolvesse todo o dinheiro que surrupia indenizando não somente os cofres públicos, mas como também a família de cada jovem que ele, com a sua conversa leviana, “matou” – vitima de suas políticas “profícuas e exitosas”.
Em continência, seria interessante que o Ministério Público Estadual fizesse, por sua vez, cumprir o que dispõe a Constituição Federal no seu artigo 37, inciso XI:
“a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos Defensores Públicos”.
Enquanto não nos virmos livres desses ladrões comuns, jamais teremos um novo amanhecer.


13 comentários :

Anônimo disse...

eu acho é tome,esse fio do cão enchendo o rabo de dinheiro aos bestas fazendo grandes apreenções de drogas nas ruas e se gabando nas entrevistas a imprensa continuem assim o cara de buraco eo dadá agradecem,parabéns secretário continue apertando que os babacas pm,s mostram serviço.

Anônimo disse...

Alguém viu esse "plano de segurança" por ai? se virem me digam onde está pra eu ver, ok?

Anônimo disse...

Temos é que tirar o Téo do poder e seus comparsas para que esse faz nada Dário ( o Cesar) e o Luciano ( cel.Lampiano) desapareçam de vez de nossa PMAL.

Anônimo disse...

Meus amigos, o negócio só vai mudar quando uma revolução violenta tomar conta desse país assim como ocorrido em outras nações. O povo que se oprime pelas más escolhas é o povo que se rebela. Voltaremos ao "Estado de Natureza" e neste dia, salve-se quem puder! Poderíamos mudar a história antes disso, mas para quê? Para parecermos um grupo de loucos, rebeldes e revolucionários ou para inicarmos a regressão natural a que me refiro acima e darmos continuidade a sequência de violência que nos acomete? A verdade é que essa cúpula só tripudia porque não há uma reação baseada e organizada nos princípios Newtonianos como fora em outras épocas (Obviamente, por outros motivos). Se quisermos lutar somente com a inteligência que ela seja usada com todos os meios e forças para levantar os escândalos e assim balançar a cúpula que se perpetua no poder, do contrário falemos, falemos que o tempo passa e a filosofia se firma como ciência "mater".

Cb PM Hailton disse...

Aos cabos 2002 que passarão a receber menos do que quando soldados:

Art. 37. CF.

X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) (Regulamento)

Art. 39. CF.

§ 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI.

Ah! Então quem recebe salário sob forma de subsídio não pode receber gratificação? E as Assessorias? E os míseros R$ 98,00 do BOPE e RP? Quer dizer também que meu subsídio deve obrigatoriamente ser reajustado anualmente e na mesma data e ainda com o mesmo índice para toda a categoria? Cadê as datas bases dos anos anteriores? Ei! De quanto foi mesmo o reajuste dos soldados recrutas? E dos graduados?

Peraí, mas aí nesse parágrafo a polícia militar nem é mencionada!!

Então prossigamos...

Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:

I - polícia federal;

II - polícia rodoviária federal;

III - polícia ferroviária federal;

IV - polícias civis;

V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.


§ 9º A remuneração dos servidores policiais integrantes dos órgãos relacionados neste artigo será fixada na forma do § 4º do art. 39. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

Olha e num é que nosso subsídio deve ter as características mencionadas no parágrafo 4º do art 39 da constituição Federal!!


ACS, Soares, já que vc anda dizendo por aí que tá distribuindo ar condicionados, colchões e etc às unidades, que tal dispor um pouco desse dinheiro para ajuizar ação pedindo a aplicação do mesmo índice aplicado ao reajuste dos soldados mais recrutas ao reajuste dos graduados em observância ao que dispõe a CF.

GRUPO DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA - GPSEG disse...

Programa Segurança Em Debate que irá ao ar nessa quinta-feira, dia 06/09/12, debaterá o tema TRÂNSITO DE MACEIÓ, VERDADEIRO CAOS.

Veja ainda o descaso do governo estadual com a SAÚDE do POVO ALAGOANO: II Centro de Saúde permanece fechado há mais de 2 anos.

TV FAROL, canal 16 - das 19:30 h às 20:30 h - segunda a sábado.

Anônimo disse...

Brasil Mais Seguro avança em AL, mas não reduz crimes contra negros

Gestores da Segurança Pública encara esse ponto como grande desafio atual

Lançado há dois meses com a tentativa de reduzir os índices de criminalidade em Alagoas, o programa Brasil Mais Seguro ainda não apresenta resultados satisfatórios sobre a violência praticada contra a população negra. Levantamentos apontam que 80% do total de ocorrências policiais registradas no estado têm como vítimas pessoas dessa raça. Durante entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (05), números parciais da implantação do programa foram apresentados, mas os gestores confirmam que há muito que ser feito, embora alguns avanços foram comprovados.

Tanto o governador Teotonio Vilela, como a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, e o secretário de Estado da Defesa Social, Dário Cesar, reconheceram que os crimes contra negros já se tornaram o grande desafio do Brasil Mais Seguro. Além disso, a violência segue atormentando a maioria absoluta de homens (são 95% do total de ocorrências), das quais 62% são praticadas contra jovens de 15 a 29 anos.

A crescente onda de delitos no município de Rio Largo também foi lamentada pelas autoridades da Segurança Pública. Isso já motivou a expansão das ações do programa para algumas áreas metropolitanas, a exemplo daquela cidade. De acordo com Regina Miki, há pendências nestas localidades que o programa precisaria atingir nos próximos meses. Outra necessidade seria o aprofundamento nas motivações dos crimes cometidos. Na avaliação da secretária, será preciso trabalhar para que a “polícia seja mais preventiva e não repressiva”.

Ainda conforme Miki, não se tem prazo para que as ações do programa surtam o efeito pretendido. Por enquanto, os testes da implantação continuariam em Alagoas e, a depender de uma avaliação completa, ano que vem o Brasil Mais Seguro chegaria a outros estados da Federação.

Entre os números apresentados que os gestores apontam como avanços, foi mencionado que nos últimos dois meses 80% dos inquéritos instaurados pela Polícia Civil já possuem a autoria conhecida. Dos 3 mil mandados de prisão em aberto, foi divulgado que 57% deles foram cumpridos. Foram ainda 246 armas apreendidas entre 27 de junho a 27 de agosto do ano passado. Em 2012, já com o programa, o mesmo período teve 285 apreensões.

Anônimo disse...

Suspeita de fraude adia novas celas em presídio

Governo federal suspende repasse de verba para Alagoas e mais sete Estados após detectar fragilidades em projeto

Módulo de segurança inaugurado em Maceió

A fina espessura das paredes e a falta de armação das lajes do teto de módulos prisionais de segurança máxima fabricados pela Verdi Construções S.A. foram tomadas como indícios de superfaturamento em projetos de presídios de Alagoas e de mais sete Estados do Brasil.

O fato chegou ao conhecimento do governo do Estado em junho deste ano, mesmo mês em que foi assinado, no dia 27, a súmula do contrato de R$ 3,6 milhões para a ampliação do módulo alagoano, entre a Secretaria da Defesa Social e a gaúcha Verdi Construções, com dispensa de licitação. Mas somente agora os alagoanos ficam sabendo da determinação do governo federal de suspender a duplicação, em mais de 96 vagas, do módulo inaugurado há exatamente um ano, no Complexo Penitenciário de Maceió.

De acordo com matéria publicada na edição de ontem do jornal Folha de S. Paulo, as celas poderiam ser derrubadas com um golpe de marreta e há riscos de desabamento da estrutura.

A medida de suspensão do trabalho da Caixa na análise - após aprovação dos novos projetos, orçados em R$ 176 milhões para os Estados - foi tomada em junho pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), responsável pelo programa de financiamento dos presídios bancados, com R$ 1,1 bilhão em recursos do Ministério da Justiça. E teve como base, segundo a Folha, os laudos elaborados pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, após análise das unidades erguidas em Santa Catarina.

O motivo da fragilidade é a espessura do concreto previsto no projeto, de apenas 3,5 cm. O previsto em projeto seria de 7,5 cm, metade da largura normalmente usada na construção das celas.

“O normal são paredes de 15 cm para mais. De 3,5 cm, com uma marretada, dá para ser aberta. É fina demais, é difícil até para executar”, disse à Folha Claudio Gil, identificado como engenheiro civil especializado em estruturas de concreto e dono de empresa que já atuou na construção de presídios.

Anônimo disse...

INSEGURANÇA. Homicídios caem na capital e crescem no interior

Violência “migra” para região metropolitana

Primeiro balanço parcial do Plano Brasil Mais Seguro foi apresentado durante audiência pública na Câmara Municipal de Maceió

Rio Largo será a próxima cidade a receber reforço de policiamento e outras medidas do Programa Brasil Mais Seguro, por ser um dos cinco municípios da região metropolitana de Maceió que registraram aumento de 14% dos homicídios. O crescimento seria motivado pela “migração” do crime, decorrente da adoção dessas medidas na capital, estima a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Mikki.

A representante do Ministério da Justiça foi ouvida na última audiência pública da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Câmara que apura a criminalidade e violência em Maceió.

Entre os números que apresentou dos dois meses de atuação do programa, que está em prática em Maceió e Arapiraca, disse que houve pagamento de cerca de R$ 150 mil em bônus a policiais, por apreensão de armas de fogo (iniciativa que elogiou), aumento de 200% das ligações do disque-denúncia – para ela, indício da credibilidade que o programa tem alcançado.

Anônimo disse...

CAÇADA. Ação mobiliza a Polícia Militar e o comando do Gecoc

Ladrões roubam carro do TJ/AL e são presos

Uma verdadeira caçada, ontem, com a utilização de dois helicópteros e várias viaturas, mobilizou a Polícia Militar de Alagoas e o comando do Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual, para prender dois homens, acusados de tomar em assalto um veículo oficial do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL). Além da recuperação do veículo e da prisão de três suspeitos, a operação pode ter impedido um assalto à agência da Caixa Econômica Federal no município de Coruripe.

A dupla – identificada como João da Silva e José Darlan Silva – que durante a fuga teria se juntado a outros dois comparsas, praticou o crime no bairro da Serraria, em Maceió, mas acabou encurralada num canavial em Coruripe. Há suspeitas de que o carro, modelo Honda Civic, de número 011, utilizado pelo desembargador Otávio Praxedes, fora roubado para ser usado no assalto à agência bancária.

“Estávamos prevendo o assalto, diante das circunstâncias da investigação”, disse o promotor de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça, coordenador do Gecoc. Ele revelou que o trabalho investigativo vinha sendo feito juntamente com o Comando do Policiamento de Capital (CPC), que tem à frente o coronel PM Gilmar Batinga. A ação para evitar o assalto à agência da Caixa foi precipitada com o roubo do carro do TJ/AL.

Sócio da ASSOMAL disse...

Noite Dançante da Assomal ocorreu na sexta (31)

No dia 31 de agosto, às 22h, foi realizada mais uma tradicional Noite Dançante, evento tranquilo em um ambiente seguro e arejado que ocorreu no salão social da Associação dos Oficiais Militares em Alagoas (ASSOMAL), e que, como sempre, reuniu centenas de associados, seus familiares e sócios civis.

Para maiores informações clique aqui.

por "Reportagem" disse...

Depois dessa matéria, alguém na gazeta se inspirou e fez uma matéria a respeito. Vejam o jornal Gazeta de Alagoas, edição do domingo.

Segura essa, Dadá, depois chupa que é de uva.
Mas não esquenta, que é de menta.
E caso vá bem fundo, aguenta...

É só o começo. uuuuuiiiiiiiiiiiiiiiii

Ademar Cipriano disse...

isso é reflexo de instituições que não fiscalizam umas as outras.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver