De Denilma a Dario Cesar

Lá pelos idos da década de 90, especificamente em seu começo, Alagoas tornou-se nacionalmente conhecida como a República das Alagoas”, dada a evidência no cenário político causada pela ascensão ao governo do ex-governador Fernando Collor de Mello, o caçador de marajás.
Foi nesta época que adentrei, especificamente em 1991, na Briosa Policia Militar. Nosso Estado, então “governado” pelo lendário Geraldo Bulhões, tornava-se um sinônimo de “como não se deve fazer” ou, salvo melhor juízo, um arremedo de republiqueta nordestina, mais parecida com a Chico City – Estado fictício onde tudo se podia – dos humorísticos capitaneados por Chico Anísio nos anos 70.
Eram tempos de Maltas, Calheiros e Maias que exerciam domínio da capital ao sertão. Tempos marcantes onde o cabresto dos votos e a frieza das balas marcavam o passo retrógrado da época.
Tão ou mais caricata do que a figura daquele que governara o Estado de Alagoas no período noturno (dizem que por conta de problemas de visão cuja luminosidade do sol o agravavam), somente a indefectível figura da primeira dama, cujo busto deveria estampar como homenagem o ponto central do atual Quartel Geral: Dona Denilma Bulhões.
Até as pedras do calçamento gasto que recobre a Praça dos Martírios comentam as surras dioturnas que Dona Denilma aplicava naquela Excelência, sabe-se lá para quê ou pelo quê.
Entre uma lapada e outra de toalha molhada, Dona Denilma – a verdadeira matrona da Policia Militar de Alagoas – atendeu a muitos pedidos de jovens desempregados à época, cuja falta de instrução mínima para qualquer serviço de iniciativa privada causava problemas até mesmo para arrumar uma simples ocupação que lhes garantisse o mínimo sustento.
Dona Denilma, uma mãe para muitos que hoje compõe a PMAL (e ai incluam-se oficiais e praças) escrevia cartas de próprio punho endereçadas ao Coronel Nilton Rocha, Comandante Geral à época, para que este incluísse na corporação tais pessoas pouco competentes, que hoje, num incrível contrassenso, ocupam posições chave, de destaque e comando dentro da corporação.
Nilton Rocha deixou igualmente marcado seu nome na instituição, de positiva e negativa, onde apenas o fiel da balança pode afirmar com propriedade se sua passagem pendeu mais a para benéfica do que a mácula.
Edificou a Cavalaria, o atual Batalhão de Choque, hoje BOPE, o Cinema Floriano Peixoto, a Padaria, o CHPM, a farmácia, a APMSAM, além de investir e intermediar com o governo da época vencimentos mais adequados para os membros da nossa tropa. Foi uma época, em matéria de vencimentos, memorável.
Por outro lado, também inseriu na corporação mazelas em ocasiões impagáveis. Numa destas, em sua terra natal, a cidade de Pilar, um prostíbulo da cidade precisou ser fechado devido a problemas com a primeira-dama local. Rochinha então resolveu, com a anuência de Dona Denilma, incluir na corporação todas aquelas “meninas” que ficariam, naquele momento, desempregadas. Muitas destas passaram por nossa corporação – ingressando pela porta dos fundos – e grande parte hoje encontra-se já na inatividade.
Passadas mais de duas décadas, vemos, em 2012, uma tentativa de reinserir, ou melhor, “inserir” dentro das nossas fileiras pessoas sem a mínima qualificação, por intermédio de fraudes num concurso público onde desde o começo buscou-se manipular.
Em abril de 2012, a Procuradoria Geral do Estado vetou a realização do certame, cuja escolha pela UNB, entidade de Brasília, onde o secretário Dário César tem muitos conhecimentos da fase em que locupletou-se do poder, servindo como mão-de-obra e capanga do ex-presidente Collor, tratava-se de uma manobra para “agradar” antigos parceiros e solidificar futuros “negócios”.
Atenta a toda trama, que a princípio era apenas lesiva ao erário, a PGE barrou a contratação da Cespe/UNB exarando o seguinte parecer:
PROCESSO 2100-2008/2011 – INTERESSADO: POLÍCIA MILITAR DE ALAGOAS/PM/AL – ASSUNTO: PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO – CONCURSO PÚBLICO – DESPACHO: “Aprovo o Despacho da Coordenação da Procuradoria de Licitações, Contratos e Convênios, o qual conclui que não há justificada com plausibilidade jurídica nem fática a escolha da FNB para a realização do concurso em tela, pelas razões apontadas, pelo que devolve o processo a origem para que apresente justificativa consistente para a escolha ocorrida nos autos, uma vez que o preço da proposta vencida é melhor para a Administração Pública e partícipes, e ainda que a credibilidade da proponente é inconteste, como reconhecido pela própria Comissão Mista do Concurso, o que, em tese, deixa transparecer que o princípio da livre concorrência e da seleção da melhor proposta foi aqui desconsiderado. Sendo assim, vão os autos à Secretaria de Defesa Social (SEDS) para adoção das medidas cabíveis”.
Com o então Decreto de Urgência, assinado com o sangue do médico Alfredo Vasco, conseguiu o secretário empurrar goela abaixo dos Procuradores do Estado a contratação da “empresa-amiga”, em Maio/2012:
“O Procurador-geral do Estado, Marcelo Teixeira, emitiu, na tarde desta quarta-feira (30), parecer favorável à dispensa de licitação e à contratação da empresa Cespe-UnB para realizar o concurso público da Polícia Militar (PM) de Alagoas. A autorização para o concurso sai na mesma semana  em que protestos da população cobram soluções para a violência no Estado.
A Cespe/UnB foi aprovada pela comissão organizadora do concurso, em função de sua ‘reconhecida notoriedade’. O procurador-geral do Estado, Marcelo Teixeira, justificou seu entendimento sobre a contratação da empresa, conforme indicação da comissão.
‘O entendimento da PGE sobre a contratação do Cespe/UnB leva em consideração estarmos diante de um ente reconhecido em nível nacional em relação à execução de concursos públicos. Através de análise, foi possível concluir que a escolha é vantajosa para o Estado. Porém, não serão desprendidos recursos do erário estadual para a realização do certame licitatório’, disse Teixeira.
O parecer informa também: Aprovada a dispensa de licitação, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) – órgão ligado à Universidade de Brasília – deverá ser convocado (...). Além de estar alicerçada na legislação que cuida do certame licitatório, foi albergada e impulsionada pela necessidade de se fazer concreto o concurso público da Polícia Militar’.”
O leitor atento há de notar que houve uma mudança drástica no parecer anterior da Procuradoria. Tal mudança deixou o secretário mais a vontade para iniciar a tentativa do aparelhamento do Estado.
Competia ao Estado a guarda dos envelopes lacrados das provas que seriam aplicadas há duas semanas atrás. Tais envelopes, violados na noite anterior, teriam sido retirados do local de custódia por pessoas ligadas a Alta Cúpula da atual Defesa Social, cuja finalidade de proporcionar a pessoas previamente escritas no concurso as respostas dos testes de forma antecipada culminaria com a aprovação certa – e a consequente inserção  – pela porta da frente da PMAL.
Lucrava a empresa, Cespe/UNB, com o pagamento exacerbado pelo Estado pela realização do concurso, claramente lesiva ao interesse público, e lucrava a quadrilha armada dentro do Estado de Alagoas, que inseriria nas fileiras da Corporação Militar pessoas previamente escolhidas.
Muitos dos beneficiados desta nova falcatrua eram agentes penitenciários prestadores de serviço, inseridos à época em que o secretário assumiu a intendência penitenciaria e que estão na iminência de perder seus empregos, pela determinação superior consistente em realizar concursos públicos para corrigir a anomalia que é o uso de mão de obra terceirizada na Segurança Pública de Alagoas, além de outros agraciados cujos favores merecem ser pagos com tais cargos públicos.
Com muita propriedade o Ministério Público Estadual busca de rigor a anulação de tal certame, cujo “resultado” estava previsto para o dia 26.
Face ao exposto, e a mais um escândalo que apuramos e denunciamos, vê-se a nossa instituição mais uma vez machada e servindo como “moeda de troca” para interesses políticos, mostrando que de Denilma a Dário, muda-se o modus operandi, mas o interesse em tratar o Estado como a extensão de suas casas e, mais além, como uma entidade para servir a seus interesses próprios é ponto de convergência máximo.



14 comentários :

Anônimo disse...

Aqui no 5BPM, o comandante desta unidade, está cheio de moral, mas já descobri que ele é um oficial "denilma", ou seja, não entrou na PMAL com méritos próprios, foi jogado dentro da Briosa PMAL... Essa instituição falida que já devia ter sido exterminada pois só serve pra maltratar, denigrir, machucar, humilhar e desumanizar quem ainda tem um mínimo resquício de humanidade... Nós, as vezes, tratamos o cidadão com brutalidade, pois é só isso que agente vê por aqui.
PS: vou sondar quem são os demais "oficiais denilma" e postarei outro dia, quando tiver uma folga, pois isso por aqui é bem difícil, pois se adoecemos ( não podemos ter essa mordomia) nos colocam de hora-extra..

BlogDaVerdadeRJ disse...

#SOS_PMsDoRioDeJaneiro !!!

E AS ESCALAS DOS PMs? NO FIM DO ANO... LEMBRA CORONEL COSTA FILHO? LEMBRA CABRAL?

Veja - http://blogdaverdaderj.blogspot.com/2012/10/e-as-escalas-dos-pms-no-fim-do-ano.html?spref=tw

Anônimo disse...

SEM REPRESENTAÇÃO POLÍTICA Ñ CONSEGUIREMOS! POLICIAL VOTA EM POLICIAL!

Veja - http://blogdaverdaderj.blogspot.com/2012/09/atencao-policiais-militares-civis-e.html?spref=tw

Anônimo disse...

O CEL BATINGA É UM DESSES AFILHADOS DE DENILMA, ENTROU PELA JANELA...

Anônimo disse...

Sinceramente vcs não sabem de nada nem o Cmt do 5 BPM nem o Gilmar Batinga fazem parte da geração Denilma, é só verrificar o ano das turmas Denilma, é por isso que vcs perderam a credibildade, alem de fazerem reportagem que não traz nenehuma novidade, ficam falando coisa que todos sabem que não é verdade, sinceramente pessoal vamos melhorar, olha vcs já forma melhores, deve ser o rescaldo das eleições, pois trivram votações mediocres eestã perdidos e sem credibilidade

Anônimo disse...

GENTE A DONA DENILMA FOI A MELHOR GOVERNADORA DE ALAGOAS ,DAVA DE 2 EM 2 MESES AUMENTO ÁS PRAÇAS E AJUDOU MUITOS.FOI UMA MULHER MUITO BOA PARA NOS.O CEL ROCHA TAMBÉM,ENQUANTO AO MAJ HERMES ELE É INTELIGENTE E NÃO FOI DESSA ERA ROCHA.EU SEI QUE ELE MUDOU MUITO ,MAS NO FUNDO É UMA PESSOA BOA,EU CONHEÇO SEU CARÁTER,ELE NÃO É ASSIM .EU ORO QUE DEUS MUDE SEU CORAÇÃO ,POIS ELE É UM SERVO DE DEUS. CB JCARLOS BPESC

GM Foxtrot disse...

Na Verdade, todas Quengas da Época conseguiram entrar para as fileiras da PM AL, hoje essas são inserviveis aos Coronés da época, são as atuais quengas véia da briosa, sem falar nos maconheiros, maloqueiros e rafamé da época que hoje ocupam patentes dentro deste verdadeiro Bataclã que se Chama Polícia Mílitar de Alagoas.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cabo véio de Puliça (em homenagem a Turma da Denilma) disse...

O Soldado

Um Oficial de alta patente, por causa do seu posto, é escalado para tirar serviço no CIODS (COPOM, nos demais Estados). Só que ele é recém-casado com uma gata sem-vergonha, e, como ele é de idade avançada em relação a sua esposa, está meio desconfiado dela. Então, resolve colocar um Soldado recém formado para vigiar sua mulher no dia do seu serviço.

Serviço tirado e sem alteração, ele retorna a sua casa e a primeira coisa que ele faz é procurar o Soldado e quando o encontra:

– E aí, Soldado, o que aconteceu com minha mulher durante a minha ausência? Fala! (diz o oficial)

– Comandante – disse o Soldado – eu subiu em cima da árvore e vi um paisano dentro da sua casa...

– O quê mais, Soldado, fala logo porra! (diz o oficial)

– Meu chefe, eu estava em cima da árvore e via a sua senhora com o paisano dentro do quarto... (diz o soldado)

– O quê que eles estavam fazendo lá no meu quarto? (pergunta o cormo... ops!!!! quer dizer, o oficial)

– Meu comandante, este soldado viu o paisano e a sua mulher pelados na cama! (diz o soldado)

– O quê mais, porra? (pergunta o corno)

– Eu vi aquela bunda feminina de frente pra mim, com o “farol” piscando, a “cara” da bicha molhada e a naba entrando e saindo... (diz o soldado)

– Fala mais, o que mais que você viu?

– Eu não vi mais nada, porque na hora que eu tava tocando uma ela disse “vai, vai”, então eu gozei e cai da árvore.

Sócio da ASSOMAL disse...

Projeto concede anistia a PMs e bombeiros da Paraíba e do Piauí

A Câmara analisa o Projeto de Lei 4147/12, do deputado Major Fábio (DEM-PB), que concede anistia a policiais e bombeiros militares dos estados da Paraíba e do Piauí que foram punidos por participar de movimentos reivindicatórios por melhores salários e condições de trabalho.

A proposta altera a Lei 12.505/11, que concede anistia a policiais e bombeiros militares do Distrito Federal e de 13 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

A lei prevê anistia para punições ocorridas entre 1º de janeiro de 1997 e 11 de outubro de 2011.

Segundo o autor, a medida evita a punição de cidadãos que, de maneira legítima, participaram de movimentos reivindicatórios.

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

RAPAZ, NAQUELA PRIMEIRA FOTO ACIMA, AQUELE CIDADÃO POR TRÁS DO COLLOR (LADO ESQUERDO)É O ENTÃO TENENTE DÁRIO CESAR GRITANDO FEITO UM LOUCO? MEU IRMÃO SE FOR ELE O É O HOMO-CAMALEÃO. COMO ELE SE ADAPTA AO MOMENTO. RAPAZ, O QUE É ISSO?

Anônimo disse...

Apois num é que é ele mermo Babando o Ovo do collor!

Anônimo disse...

GM FOXTROT SÓ UMA PERGUNTA,POR ONDE ANDA A QUENGA NOVA DA SUA MULHER AGORA CÔRNO DA PESTE.

Anônimo disse...

Pois é,... Um corno desse deve ser Guarda Municipal (não tem valor de uma pitomba chupada) e vem falar da PMAL. Deixe pra quem é da PMAL, falar dela. Você recolha ao seu lugar. Que pra vocês trabalharem operacionalmente tem que ter a nossa supervisão.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver