Processem Dimas, Mário e Gilmar por Dano Existencial

Os Indiferentes
Não sou e nunca fui militar, mas nem por isso sou indiferente aos problemas vivenciados por quem, com abnegação e vocação, optou por seguir a carreira miliciana. Mesmo nunca tendo colocado uma farda militar, sei perfeitamente o que acontece na caserna, em especial na PM de Alagoas. Por isso, deixo no ar as seguintes indagações:
Será que o Comando da PM tem mesmo esse poder de brincar com a força de trabalho da Tropa Miliciana criando ou autorizando escalas de serviço do jeito que bem entender? Será que os militares de Alagoas não estão sabendo lutar contra isso? Por acaso os militares da nossa PM são diferentes dos outros seres humanos? Quem sabe, será que os militares alagoanos são uma criação diferente de Deus, feita pra trabalhar 12 ou mais horas seguidas, sem descanso?
O que tem acontecido no Estado, que se orgulha em dizer que é “A Terra da Liberdade”, é um absurdo. Enquanto em outras corporações, na capital alagoana, a realidade é bem melhor; só temos visto essa perversão social na PM. Confiram:
Sistema penitenciário: escala de 1x3 para os não concursados e 1x4 para os efetivos.
Guarda Municipal de Maceió: toda escala de 24 dá três dias de descanso.
Saúde: escalas de 1x4, no mínimo 1x 3. Há casos diferentes, mas são raros.
Tudo isso, infelizmente, é tolerado pelos próprios militares e pelos órgãos de controle que acham que a força militar é imaculada, e não comete erros, como estes aqui declarados pelo BEF.
Só na cabeça quadrada do Coronel Batinga, o “Senhor dos Quadrantes”, do Comandante Geral, o Coronel Dimas, e do seu Sub, o Coronel Mário da Hora (cuja esposa não concorre à escala que ele inventou), assim como de outros coronéis que os seguem, não cai essa ficha.
E o que os militares podem fazer? Primeiro, exigir das associações uma postura mais clara sobre o que os seus “representantes” andam fazendo para melhorar essa realidade incômoda que está fazendo com que centenas de militares da Briosa sejam afastados das atividades por motivo de doença com relação de causa e efeito com o serviço. Depois, levar essas informações ao conhecimento da sociedade, bem como aos órgãos competentes para que as medidas cabíveis sejam tomadas.
E juridicamente? Impetrar Mandado de Segurança requerendo uma escala de serviço com uma jornada menor, a exemplo do que fizeram alguns militares do CPI, há alguns anos atrás, bem como processar o Comando do Policiamento da Capital e o Comando da PMAL pelo mal emprego da tropa por “Dano Existencial”.
Vejam o comentário sobre esse tipo de ação, que recentemente foi julgada pelo Tribunal Regional do Trabalho do RS:
TRT-RS manda Walmart indenizar por dano existencial
A rede de supermercados Walmart deve indenizar em R$ 24,7 mil uma trabalhadora que sofreu dano existencial. Durante mais de oito anos, ela foi submetida a jornadas de trabalho com duração entre 12 e 13 horas diárias, com intervalo de apenas 30 minutos e uma folga semanal. A determinação (clique aqui) é da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul, em sessão de julgamento que aconteceu no dia 14 de março.
Para os desembargadores do TRT-RS, a jornada excessiva causou danos ao convívio familiar, à saúde e aos projetos de vida da empregada, gerando prejuízo a sua existência.
Fonte: http://www.conjur.com.br
Contrassenso
Enquanto o Estado-juiz rejeita e pune o excesso de trabalho, o Estado-policial desrespeita abertamente e cinicamente os direitos dos policiais militares de terem jornada justa e compatível com os riscos e os fatores prejudiciais da atividade.
Quem sai ganhando com todo esse sacrifício? O governo tucano, claro, que aproveita o quanto pode a promoção de liquidação do Comando Geral: que paga a um PM pelo trabalho de dois (conforme foi dito pela Soldado Ana, na postagem anterior).
E tome adiar concurso público.
Se você é dos que gostam de buscar os seus direitos, parece ótima a ideia de ingressar em juízo para processar o Coronel Gilmar Batinga, o Comandante Geral e o seu Sub, pleiteando REPARAÇÃO DE DANO EXISTENCIAL E MORAL por excesso de trabalho e tratamento desigual, porque os oficiais-coronéis, que são militares também, trabalham bem menos do que os condenados das Unidades Operacionais.
A inversão de valores é óbvia: quem trabalha nas ruas arriscando o pescoço, é mais castigado pelo sistema, mais oprimido, e trabalha muito mais do que os outros.
Pense bem sobre isso...
Se uma funcionária do setor privado acionou o patrão, por que então vocês, servidores estáveis, não fazem o mesmo com o Estado-PM opressor?
Vocês precisam eleger um Deputado Estadual para representar os seus interesses!

16 comentários :

PM MAIS SEGURA disse...

Senhores do BEF: Sugiro aos mesmos que observem as escalas de serviço de Coordenador Operacional ao COPOM (antigo superior de dia), pois esta trata de forma diferenciada majores de tenentes-coroneis. Estes só tiram serviço durante o dia e no decorrer da semana, enquanto que os majores trabalham sempre a noite e aos finais de semana. Já nas unidades operacionais, aspirantes, tenentes e capitães estão concorrendo à mesma escala. Se existe o principio constitucional da isonomia, pq essa dicotomia? Ao meu ver todos deveriam concorrer à mesma escala.

Futuro ex-capitão, com fé em Deus disse...

O Direito não acolhe aquele que dorme.

Anônimo disse...

ATÉ SEGUIRIA ESTE CONSELHO SE A JUSTIÇA NESSE ESTADO DESMORALIZADO DE ALAGOAS,NÃO FOSSE COMPRADA,VAI QUE O JUIZ É PEIXE DO CARA DE BURACO E SUA CUPÚLA NOJENTA.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Mais uma matéria de muita relevância em nosso meio, parabéns briosa em ter deixado as fofocas de lado e estar fazendo matérias objetivas, focadas, usando não o disse-me-disse mais A LEI para mostrar que A CULPA DE NOSSOS PROBLEMAS É DA NOSSA PRÓPRIA INÉRCIA, pois somos nós que reclamamos, mais continuamos a tolerar todas as arbitrariedades que são cometidas contra nós. Ninguem está falando dos 2% que tem que entrar esse mês, ninguém fala da tabela que foi apresentada ao comando e não foi apresentada aos principais interessados : A TROPA. DE QUEM É A CULPA? É NOSSA CLARO. SOMOS INERTES, FALAMOS, CRITICAMOS, MAIS NA HORA DE SE POSICIONAR, TODO MUNDO TIRA O SEU DA RETA.

Anônimo disse...

CONCORDO, O PROBLEMA HOJE É QUE A TROPA ESTÁ COMPLETAMENTE INERTE, QUANTO MAIS FICOU "EVOLUIDA - POLICIAIS COM CURSOS SUPERIORES" FICOU MAIS ACOVARDADA, MAIS MEDROSA. SE FALA MUITO QUE OS 2002, OS 2006, OS 2010 SÃO MAIS BEM INFORMADOS E EVOLUIDOS E ATÉ AGORA NÃO FIZERAM NADA, JUNTANDO ELES JÁ DÁ PELO MENOS 2.500 PRAÇAS, QUASE 50% DOS POLICIAIS ATIVOS, E ATÉ AGORA NÃO HOUVE AQUARTALAMENTO, NÃO HOUVVE NENHUM LÍDER DE VERDADE ENTRE ELES. O SIMAS NÃO MERECE MAIS CREDIBILIDADE, MAIS AO MENOS SOUBE NA ÉPOCA CONQUISTAR E LIDERAR A TROPA, ARRISCOU O PRÓPRIO PESCOÇO, DEPOIS DELE, QUEM MAIS? NINGUEM. BANDO DE MEDROSOS, POR ISTO ESTAMOS NA MERDA.

Anônimo disse...

São pessoas com estes pensamento fraco e covarde como o seu que transformam a Polícia Militar de Alagoas neste mar de merda de hoje. São pessoas como voce que não saem do ostracismo, que ficam acomodados em ganhar míseros 2.200,00 o resto da vida se submetendo a todo tipo de escala humilhante, são pessoas como voce que na primeira oportunidade dão ratsteiras no colega, que entregam o colega na hora do aquartelamento, são pessoas como voce, desprezíveis, que a BRIOSA POLÍCIA MILTIAR DE ALAGOAS não precisa.

Anônimo disse...

Concordo, somos frutos de nossas ações, se hoje estamos ganhando mal, tendo escalas piores, sendo ignorados na hora de cobrar um aumento pelas associações( em 25 anos de PMAL nunca vi tamanho descaso das associções com seus associados), se hoje estamos nos submentendo a todo tipo humihante de escala e trabalho escravo, é por nossa própria culpa e nosso total merecimento. Ficamos botando culpa no Governador, nos Juízes, no Secretário de Defesa Social e nos "esquecemos" que juntos somos muito mais fortes, que quando paramos toda a atenção no Estado e no Brasil se volta para nós e a partir daí somos ouvidos. Mais para isso tem que se ter união, nos unimos em 2006 e ganhamos 93% de aumento. HOje somos uma das piores policias em termos de salário, até o Estado do Maranhão está pagando mais que a Alagoas.

Anônimo disse...

Se 10% da tropa seguisse estes excelentes conselhos da BRIOSA nossa PMAL já seria outra, teriamos melhores escalas, melhores salários. Fico triste em ver esta desunião que ocorre na PM. A polícia civil seja em reivindicações seja em corporativismo é totalmente unida, já a PM é uma desunião, um desânimo, um marasmo, uma acomodação sem limites. Vemos que os policiais que tem curso superior chegam dizendo que vão revolucionar, vão fazer isso e aquilo, depois de alguns meses, dizem que não querem complicação pois estão fazendo outros concursos e que vão sair da PMAL, daí tem o curso de cabo e todos vão fazer o curso ( não vão sair, fazer o curso para que? )daí vão ficando e daqui a pouco, a exemplo dos 2002, ficam com dez anos de polícia e não vão mais sair, ficam acomodados, esperando as vãs promoções, daí aquele curso superior que fizeram ficam só de enfeite nas estantes, pois na corporação NÃO SERVE DE NADA. Depois, nos corredores ficam se lamuriando, pelas escalas. É MERECIDO, tem que ter escala pior para quem não é HOMEM SUFICIENTE PARA REIVINDICAR SEUS DIREITOS

Anônimo disse...

Sou do 5bpm e estou exausto dessa minha escala e só não reclamo por medo de ser transferido. Já fui até ameaçado pelo comando desse batalhão e por isso aguento tudo calado. Mas, já estou desenrolando ai uma tática: um amigo meu é psiquiatra e já estou quase ficando doido, kkkkkkkk, é assim que eles querem, é assim que vou fazer.

sgt Del disse...

Diante de tudo isso, continuva uma luta incasavel de enxugar gelo, nunca conformado com o molhado que se formava,dinate do imenso bloco de agua congelada... ou fervente, quem sabe não é gelo e sim um caldeirão borbulhante, com suas espuma transbordando. E sempre perseguido por algo que é beneficiario dos horrores, sou polícia e tenho isso na veia, fazer como para evitar isso. mas minhas forças foram ao chão, literalmente, quando em uma ocorrencia, quem estava comigo sabe, que fui ao asfalto duro, e de longe ouvia sussuros, olha o policial ta caíndo.... Por um momento vaguei no pensamento, que forma de partir, mas me resta um pouco de forças que estou para me recuperar

Anônimo disse...

TEMOS QUE COLOCAR, EM PRIMEIRO LUGAR ,ESSES TAIS PRESIDENTES DE ASSOCAÇOES PARA FORA,POIS ESSAS ASSOCIAÇOES PARECEM MAIS,QUE OS SEUS PRESIDENTES SAO VITALICIOS. JA ESTAO RICOS E ACOMODADOS E NAO TEEM MAIS INTERESSE EM DEFENDER A TROPA.

Anônimo disse...

Denuncia:

NO CHOA a ST Rosália foi pega "pescando" pelo instrutor do curso e seria desligada pelo fato.Mas como é esposa do OUVIDOR- TC Wellington teve o pedido aceito pelo TC Comandante da Academia ( um ligou TC ligou para o outro ).
Se fosse qualquer outro seria desligado do Curso e PUNIDO.Como a Macetosa nunca deu um tapa numa BROA e só vive dando " seus pulos " Nada Ocorreu!
Se fosse você, perderia o curso e seria punido.
RAÇA DE HIPÓCRITAS!!!!

Anônimo disse...

Vamos apurar, essa mulher não pode ficar nessa...

Anônimo disse...

Alagoas... Terra de ninguém; O policial não é ninguém; A lei não é ninguém; O povo não é ninguém; Os juízes concursados não são ninguém; Quem cumpre a lei não é ninguém; os corajosos da tropa não não são ninguém.
Senhores somos um bando de hipócrita que criticamos quem nos pisa e cospe, mas não deixamos de abrir os dentes como as putas que sorriem para quem as fode;
Somos um bando de covardes que não vamos em massa às portas da meretríz OAB exigir, pacificamente, que eles tomem uma atitude;
Somos pilantras porque muitos estão pendurados nos ovos das autoridades, nós os criticamos, quando queríamos estar no lugar deles.
Por isso eu digo aqueles que tem pouco tempo de serviço segurem por que o calvário está terminando e aqueles que tem muito tempo que nem eu dê um jeito de sair porque eu estou dando o meu.
Porque eu quero me olhar no espelho e não me sentir um merda por obedecer um bosta estrelado que não estudo e competência para ser meu engraxate;
Não quero ouvir grito de um cara que se fosse na rua, sem sermos policiais, ele não gritava porque eu empurrava o murro na cara dele.
Quero sair da PM e ver que merda eu fiz da minha vida, poder dizer na rua que na PM só tem babão, furão e cabra de pêia, com a convicção de que fui um de vocês. Pois, para aturar tudo isso sem nos unirmos...é porque somos tudo o que não presta. Porque até os viados tem mais voz e clamor que a gente, eles fazem uma parada que arrasta milhões para *** (trecho suprimido pelos moderadores do BEF), e a gente não arrasta mil para mandar o governo pagar por nossos direitos.

Anônimo disse...

excelente texto.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver