Sem Acordo

Todo mundo já deve estar sabendo que a contraproposta que os presidentes das nossas associações militares apresentaram ao governo foi rejeitada pela sua representante na SEGESP. Por consequência, como “retaliação” a isso, a proposta do governo também foi rejeitada pelos presidentes classistas, sob a desculpa de que a tabela precisaria ser refeita, sendo que cada um apresentou uma razão diferente.
Vejamos alguns pensamentos dos três principais “líderes”:
Estamos obtendo avanço junto ao governo e esperamos que no dia cinco de março tenhamos uma resposta definitiva, pois a tropa não aguenta mais tantas reuniões sem um resultado concreto. A tabela apresentada não é viável para a categoria, mas espera-se que na próxima reunião tudo seja definido. (...) Todos os militares, ao que tudo indica, terão o realinhamento até junho deste ano, além do IPCA que será por volta de 5,8 % e dos 3% de resíduo que está previsto para abril deste ano”, disse o presidente da ACS, o Cabo José Soares.
Discordamos da tabela apresentada. Queremos que primeiro seja aplicado o percentual de 3%, oriundos do acordo com o Governo em 2012. Em seguida seja feito o realinhamento para depois ser implantado o IPCA de 5,8%. Isso não foi feito na tabela apresentada pela SEGESP. Por isso, pedimos que os valores fossem recalculados”, explicou o presidente da ASSMAL, o Sargento Teobaldo de Almeida.
A ASSOMAL só aprova o realinhamento em que todos tenham a mesma proporção de percentual acrescido na mudança de nível, para não corrermos o risco de erro cometido no passado, e não podemos permitir que quem está no último nível de tempo de serviço não seja contemplado”, afirmou o Major Fragoso.
Resumindo: foi agendada uma nova reunião, para o dia 05 de março, às 15h, no mesmo local, ocasião em que o governo vai apresentar uma nova proposta.
Moral da história
Salvo umas duas exceções, somos representados por pessoas fracas, sem atitudes em prol da tropa, mas que são capazes de articular reuniões na calada na noite, na ASSOMAL (no dia anterior ao da reunião, bem dizer algumas horas antes), para ver a melhor forma de negociar os seus interesses particulares com o governo. E a única maneira de virar essa maré a nosso favor é por meio de um esforço da tropa, bem orquestrado, para banir esses “líderes” das nossas associações.
Se os militares que se mostrarem dispostos a representar a tropa, fazendo oposição ao Cabo José Soares, ao Cabo Wagner Simas, ao Sargento Teobaldo Almeida, e ao Major Fragoso (este último em especial), quiserem o nosso apoio, nós nos colocamos à disposição. Enviem material contra os mesmos, para contatobriosaemfoco@gmail.com, que a gente solta a lenha.
Esses presidentes de associações, politiqueiros fracos, dependem de suas reputações, e como eles não estão nos representando altivamente, vamos expô-los na mídia e nas redes sociais, inclusive por meio de anúncios de publicidade e pesquisas de opinião.
Queremos começar pelo Cabo Soares (que antes era um “Zé Ruela”, mas que agora está metido a “Zé Playboy”), que representa a base Tropa Miliciana, porém até agora não personificou os atributos do cargo de Presidente da Associação de Cabos e Soldados – a entidade que, sozinha, pode definir o rumo das negociações. Em seguida queremos partir para o Cabo Simas, que representa a Associação das Praças Militares, e o mesmo com os demais...
Amigos briosianos, paciência tem limite. Que fique claro que nós não temos nada contra a pessoa de cada um dos presidentes das associações e sim com as suas atuações. É por isso que vamos fazer barulho contra os mesmos. Enquanto isso, a Greve Branca continua: continuemos fazendo corpo mole no serviço.
Ass: Todos os membros do Blog Briosa em Foco

32 comentários :

Anônimo disse...

Moral da história: “O Cabo Soares é um apagado (“Zé Catenga”), o Sargento Teobaldo é o mais lúcido, e o Major Fragoso é aloprador” (e usurário).

Sócio da ASSOMAL disse...

Governo promete reformular proposta de realinhamento

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Gestão Pública (Segesp), apresentou, na tarde desta quinta-feira, 21, uma contraproposta sobre o realinhamento da tabela de subsídio dos policiais e bombeiros militares.

Durante a reunião, a tabela apresentada pela secretária adjunta, Ricarda Calheiros, que também já foi analisada pelo secretário da Fazenda, Maurício Toledo, não foi aceita pelos representantes da categoria, pois não está de acordo com o percentual que eles haviam acertado com o governo. Entretanto, Ricarda Calheiros e sua equipe se mostraram abertas a novas reformulações na tabela objetivando encontrar a solução para atender a categoria.

O presidente da ASSOMAL, Maj Wellington Fragoso, foi enfático em dizer que da maneira que o governo apresentou a tabela não há possibilidade alguma de ser aceita pela categoria dos militares, porque diverge da negociação que estava sendo trabalhada até o momento, como também em nome da ASSOMAL, não pode aprovar tabela que venha trazer prejuízo aos tenentes coronéis, majores e cabos, que estão com os níveis de reajuste implantados a menor do que os demais postos e graduações.

“A ASSOMAL só aprova o realinhamento em que todos tenham a mesma proporção de percentual acrescido na mudança de nível, para não corrermos o risco de erro cometido no passado, e não podemos permitir que quem está no último nível de tempo de serviço não seja contemplado”, afirmou o Maj Fragoso.

A tabela apresentada pelo governo reduz de sete para três os níveis de vencimentos, ficando de 0 a 10 anos, 10 a 20 anos e 20 a 35 anos, prevendo a implantação para maio e novembro de 2013 e abril de 2014, que foi totalmente rejeitada pela categoria.

A contraproposta da categoria é que primeiro seja aplicado o percentual de 3%, oriundos do acordo com o Governo em 2012, em seguida seja feito o realinhamento dos níveis, para depois ser implantado o IPCA de 5,8%, conforme entendimento anterior.

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

Fagoso, FDP, tu pode até ter ganho as eleições na ASSOMAL, mas é pior que o último colocado no pleito. PQP

Anônimo disse...

SARGENTO TEOBALDO É O MAIS LÚCIDO PELO CONTRÁRIO ESSE CIDADÃO É O PIOR DE TODOS. ELE É UM BANDIDO DESFAÇADO DE BOM MOÇO. EM BREVE OS SENHORES CONHECERÃO A BIOGRAFIA DESSE MOCINHO. FORA SOARES! FORA SIMAS! FORA TEOBALDO! FORA FRAGOSO!

Anônimo disse...

Não vou mais a nenhuma reunião, pois estes "representantes" não passam de comedores de bola do governo além de terem o rabo preso com o Téo, pois todos eles tem familiares( mãe, pai, irmãos, mulher, filhos, etc) com cargos comissionados no estado... Que força e moral terão contra o governo?

Sócio da ASSOMAL disse...

Que é isso, companheiro? Vamos respeitar o nosso presidente!

General responde a Miriam Leitão disse...

RESPOSTA DO GENERAL DE DIVISÃO REFORMADO DO EXÉRCITO FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO À MIRIAM LEITÃO

À Senhora Jornalista Miriam Leitão

Li o seu artigo "ENQUANTO ISSO", com todo cuidado possível. Senti, em suas linhas, que a senhora procura mostrar que os MILITARES BRASILEIROS de HOJE, são bem diferentes dos MILITARES BRASILEIROS de ONTEM.

Penso que esse é o ponto central de sua tese. Para criar credibilidade nas suas afirmativas, a senhora escreveu: "houve um tempo em que a interpretação dos militares brasileiros sobre LEI E ORDEM era rasgar as leis e ferir a ordem. Hoje em dia, eles demonstram com convicção terem aprendido o que não podem fazer".

Permita-me discordar dessa afirmativa de vez que vejo nela uma injustiça, pois fiz parte dos MILITARES DE ONTEM e nunca vi os meus camaradas militares rasgarem leis e ferir a ordem. Nem ontem nem hoje. Vou demonstrar a minha tese.

No Império, as LEIS E A ORDEM foram rasgadas no Pará, Ceará, Minas, Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul pelas paixões políticas da época. AS LEIS E A ORDEM foram restabelecidas pelo Grande Pacificador do Império, um Militar de Ontem, o Duque de Caxias, que com sua ação manteve a Unidade Nacional. Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem. Pelo contrário.

Vem a queda do Império e a República. Pelo que sei, e a História registra, foram políticos que acabaram envolvendo os velhos Marechais Deodoro e Floriano nas lides políticas. A política dos governadores criando as oligarquias regionais, não foi obra dos Militares de Ontem, quando as leis e a ordem foram rasgadas e feridas pelos donos do Poder, razão maior das revoltas dos tenentes da década de 20, que sonhavam com um Brasil mais democrático e justo.

Os Militares de Ontem ficaram ao lado da lei e da Ordem. Lembro à nobre jornalista que foram os civis políticos que fizeram a revolução de 30, apoiados, contudo, pelos tenentes revolucionários, menos Prestes, que abraçou o comunismo russo.

Veio a época getuliana, que, aos poucos, foi afastando os tenentes das decisões políticas. A revolução Paulista não foi feita pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos paulistas que não aceitavam a ditadura de Vargas.

Não foram os Militares de Ontem que fizeram a revolução de 35 (senão alguns, levados por civis a se converterem para a ideologia vermelha, mas logo combatidos e derrotados pelos verdadeiros Militares de Ontem); nem fizeram a revolta de 38; nem deram o golpe de 37.

Penso que a senhora, dentro de seu espírito de justiça, há de concordar comigo que foram as velhas raposas GETÚLIO - CHICO CAMPOS - OSWALDO ARANHA e os chefetes que estavam nos governos dos Estados, que aceitaram o golpe de 37. Não coloque a culpa nos Militares de Ontem.

Veio a segunda guerra mundial. O Nazismo e o Fascismo tentam dominar o mundo. Assistimos ao primeiro choque da hipocrisia da esquerda. A senhora deve ter lido - pois àquela época não seria nascida -, sobre o acordo da Alemanha e a URSS para dividirem a pobre Polônia e os sindicatos comunistas do mundo ocidental fazendo greves contra os seus próprios países a favor da Alemanha por imposição da URSS e a mudança de posição quando a "Santa URSS" foi invadida por Hitler.

O Brasil ficou em cima de muro até que nossos navios (35) foram afundados. Era a guerra, a FEB e seu término. Getúlio - o ditador - caiu e vieram as eleições. As Forças Armadas foram chamadas a intervir para evitar o pior. Foram os políticos que pressionaram os Militares de Ontem para manter a ordem.

Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem. Chamou-se o Presidente do Supremo Tribunal Federal para, como Presidente, governar a transição. Não se impôs MILITAR algum.

General responde a Miriam Leitão disse...

O mundo dividiu-se em dois. O lado democrático, chamado pelos comunistas de imperialistas, e o lado comunista com as suas ditaduras cruéis e seus celebres julgamentos "democráticos". Prefiro o primeiro e tenho certeza de que a senhora, também. No lado ocidental não se tinham os GULAGs.

O período Dutra (ESCOLHIDO PELOS CIVIS E ELEITO PELO VOTO DIRETO DO POVO) teve seus erros - NUNCA CONTRA A LEI E A ORDEM - e virtudes como toda obra humana.

A colocação do Partido Comunista na ilegalidade foi uma obra do Congresso Nacional por inabilidade do próprio Carlos Prestes, que declarou ficar ao lado da URSS e não do Brasil em caso de guerra entre os dois países. Dutra vivia com o "livrinho" (a Constituição) na mão, pois os políticos, nas suas ambições, queriam intervenções em alguns Estados, inclusive em São Paulo. A senhora deve ter lido isso, pois há vasta literatura sobre a História daqueles idos.

Novo período de Getúlio Vargas. Ele já não tinha mais o vigor dos anos trinta. Quem leu CHATÔ, SAMUEL WEINER (a senhora leu?) sente que os falsos amigos de Getúlio o levaram à desgraça, eles eram políticos. Os Militares de Ontem não se envolveram no caso, senão para investigar os crimes que vinham sendo cometidos sem apuração pela Polícia; nem rasgaram leis nem feriram a ordem.

Eram os políticos que se degladiavam e procuravam nos colocar como fiéis da balança. O seu suicídio foi uma tragédia nacional, mas não foram os Militares de Ontem os responsáveis pela grande desgraça, sabe bem disso!

A senhora permita-me ir resumindo para não ficar longo. Veio Juscelino e as Forças Armadas garantiram a posse, mesmo com pequenas divergências. Mais uma vez eram os políticos que queriam rasgar as leis e ferir a ordem e não os Militares de Ontem.

Nessa época, há o segundo grande choque da esquerda. No XX Congresso do Partido Comunista da URSS (1956) Kruchov coloca a nu a desgraça do stalinismo na URSS. Os intelectuais esquerdistas ficam sem rumo.

Juscelino chega ao fim e seu candidato perde para o senhor Jânio Quadros, a Esperança da vassoura, Desastre total. Não foram os Militares de Ontem que rasgaram a lei e feriram a ordem. Quem declarou vago o cargo de Presidente foi o Congresso Nacional. A Nação ficou ao Deus dará. Ameaça de guerra civil e os políticos tocando fogo no País e as Forças Armadas divididas pelas paixões políticas, disseminadas pelas "vivandeiras dos quartéis" como muito bem alcunhou Castello.

Parlamentarismo, volta ao presidencialismo, aumento das paixões políticas, Prestes indo até Moscou afirmando que já estavam no governo, faltando-lhes apenas o Poder. Os militares calados e o chefe do Estado Maior do Exército (Castello) recomendando que a cadeia de comando deveria ser mantida de qualquer maneira. A indisciplina chegando e incentivada dentro dos Quartéis, não pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos de esquerda; e as vivandeiras tentando colocar o Exército na luta política.

Revoltas de Polícias Militares, revolta de sargentos em Brasília, indisciplina na Marinha, comícios da Central e do Automóvel Clube representavam a desordem e o caos contra a LEI e a ORDEM. Lacerda, Ademar de Barros, Magalhães Pinto e outros governadores e políticos (todos civis)incentivavam o povo à revolta. As marchas com Deus, pela Família e pela Liberdade (promovidas por mulheres) representavam a angústia do País. Todo esse clima não foi produzido pelos MILITARES DE ONTEM. Eles, contudo, sempre à escuta dos apelos do povo, pois ELES são o povo em armas, para garantir as Leis e a Ordem.

General responde a Miriam Leitão disse...

Minas desce. Liderança primeira de civil; a era Magalhães Pinto. Era a contra-revolução que se impunha para evitar que o Brasil soçobrasse ao comunismo. O governador Miguel Arraes declarava em Recife, nas vésperas de 31 de março: haverá golpe, só não sabemos se deles ou nosso.

Não vamos ser hipócritas, a senhora, inteligente como é, deve ter lido muitos livros que reportam a luta política daquela época (exemplos: A Revolução Impossível de Luis Mir - Combates nas Trevas de Jacob Gorender - Camaradas de William Waack - etc) sabe que a esquerda desejava implantar uma ditadura de esquerda. Quem afirma é Jacob Gorender. Diz ele no seu livro: "a luta armada começou a ser tentada pela esquerda em 1965 e desfechada em definitiva a partir de 1968".

Não há, em nenhuma parte do mundo, luta armada em que se vão plantar rosas e é por essa razão que GORENDER afirma: "se quiser compreendê-la na perspectiva da sua história, A ESQUERDA deve assumir a violência que praticou". Violência gera violência e os políticos sempre jogam a responsabilidade em manter a ordem aos militares. Afinal eles levaram a desordem.

Castello, Costa e Silva, Médici, Geisel e João Figueiredo com seus erros e virtudes desenvolveram o País.

Não vamos perder tempo com isso. A senhora é uma economista e sabe bem disso.

Veio a ANISTIA e João Figueiredo dando murro na mesa e clamando que era para todos, pois Ulisses Guimarães não desejando que Brizolla, Arraes e outros pudessem tomar parte no novo processo eleitoral, para não lhe disputarem as chances de Poder. João bateu o pé e todos tiveram direito, pois "lugar de Brasileiro é no Brasil", como dizia.

Não esquecer o terceiro choque sofrido pela a esquerda: Queda do Muro de Berlim, que até hoje a nossa esquerda não sabe desse fato histórico.

DIRETAS JÁ! Sarney, Collor com seu desastre, Itamar, FHC, LULA e chegamos aos dias atuais.

Os Militares de Hoje, silentes, que não são responsáveis pelas desgraças que vivemos agora, mas sempre aguardando a voz do Povo.

Não houve no passado, nem há, nos dias de hoje, nenhum militar metido em roubo, compra de voto, CPI, dólar em cueca, mensalões ou mensalinhos. Não há nenhum Delúbio, Zé Dirceu, José Genoíno, e que tais. A corrupção e a desordem estão ficando acima da lei e da ordem!

O que já se ouve, passamos a escutar, é o povo dizendo: SÓ OS MILITARES PODERÃO SALVAR A NAÇÃO.

Pois àquela época da "ditadura" era que se era feliz e não se sabia... Certo, houveram excessos contra os civis. Então me diga: Como controlar o que o país vivia naquela época? Com vários grupos, uns querendo o comunismo, outro o socialismo, outro o presidencialismo e a maioria a democracia. Se chegaria a um concenso na conversa? Existia controle social para tal?

Mas os Militares de Hoje, como os de Ontem, não querem ditadura, pois são formados democratas. E irão garantir a Lei e a Ordem, sempre que preciso.

General responde a Miriam Leitão disse...

Os militares não irão às ruas sem o povo ao seu lado. OS MILITARES DE HOJE SÃO OS MESMOS QUE OS MILITARES DE ONTEM. A nossa desgraça é que políticos de hoje (olhe os PICARETAS do Lula!) - as exceções justificando a regra - são ainda piores do que os de ontem. Estamos sem ética e sem moral, estão esquecendo os bons princípios e mais, os políticos são despudorados.

O Brasil vem sofrendo, não por conta dos MILITARES, mas de ALGUNS POLÍTICOS - uma corja de canalhas, que rasgam as leis e criam as desordens, desrespeitam a todos e só pensam na sobrevivência política, independente do preço a ser pago pelo povo!

Como sei que a senhora é uma democrata, espero que publique esta carta no local onde a senhora escreve os seus artigos, que os leio atenta e religiosamente, como se fossem uma Bíblia. Perfeitos no campo econômico, mas não muitos católicos ou evangélicos no campo político por uma razão muito simples: quando parece que a senhora tem o vírus de uma reacionária de esquerda.

Atenciosa e respeitosamente,

GENERAL DE DIVISÃO REFORMADO DO EXÉRCITO
FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO

12 de março de 2012

Anônimo disse...

O problema é que essas reuniões irão se arrastar por todo o ano, mês a mês, pois o que o governo quer é protelar. A Secretaria Adjunta disse que a gestão pública tve um erro em não ter implantado os R$ 44,00 ( 2% ) mais não disse que será pago o valor retroativo disso, enquanto o governador teve o retroativo de um ano de aumento pago em única parcela. Nós ficamos calados, não vamos as reuniões, criticmos os lideres (que realmente são incompetentes) mais não fazemos número nas reuniões, então não podemos EXIGIR NADA, pois só ficamos esperando acontecer, cair do céu. Somos acomdados, não lutamos, nem apoiamos ninguém, merecemos passar por tudo que passamos.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Respeitar um fuleiro desse, esses caras ñ merecem nada vamos nos desligar dessa associação companheiros.

Anônimo disse...

Companheiros a cada dia eu me sinto envergonhado de ser da PMAL, é uma vergonha o que nossos representantes fazem com agente, é humilhante o que o governo faz com agente e ninguém faz nada, PUTA QUE PARIU!!!! É muito triste e vergonhoso.....

Anônimo disse...

Vou só lembrar um episódio, no ano passado durante a manifestação da praça deodoro no movimento unificado dos servidore público do estado o sargento teobaldo após a reunião com o governo ligou para os seus diretores ordenando que os mesmos tirassem os militares da praça e informassem que a reunião seria na assmal enfraquecendo o movimento dos servidores que estava dando certo para favorecer o governo, logo após surgiu rumores de os lideres teriam recibo propina do govero para agir dessa forma, é esse tipo de liderança que vocês querem no comando da ASSMAL,pois bém, não precisamos de eleição para tira-lo da presidência da nossa entidade, fora Teobaldo

É Téo, é Téo, é Téo (Teobaldo) disse...

“Governo não tem compromisso com os militares”, diz Asmal Associação diz que militares não abrem mão da implantação do reajuste prometido pelo Executivo em 2012

“Não abrimos mão do acordo formalizado ano passado. O Estado prometeu e não cumpriu com a palavra sobre a implantação do nosso reajuste salarial. Isso é uma prova de que o governo não tem compromisso com os militares. Chega de ficar empurrando o problema com a barriga e vamos buscar uma solução para isso”. Foi assim, em tom de condenação, que Teobaldo Almeida, presidente da Associação dos Sub-Tenentes e Sargentos de Alagoas (Asmal), pronunciou-se, na tarde desta sexta-feira (22), durante assembleia da categoria.

No encontro com a base, a entidade repassou à tropa o que fora definido durante a última reunião. “Em 2012, o acordo foi para que o Executivo implantasse 7% de aumento, com mais o índice do IPCA. Entretanto, ele só concedeu 4% e o IPCA. Então, queremos os outros 3% e que o IPCA perdido também seja atualizado. E ainda estamos brigando pelo realinhamento nas carreiras, que também foi prometido para o ano passado. O grande problema é que o governo sugeriu essa implantação em pequenas parcelas para 2014, mas nós queremos isso até junho deste ano”, detalhou Teobaldo Almeida.

Aquartelamento pode ocorrer a partir de março

A assembleia desta sexta-feira, porém, não debateu a possibilidade de aquartelamento, ao menos por enquanto. “Não vamos fazê-lo neste momento. O encontro teve como objetivo passar os informes e sentir os anseios da categoria. Todavia, no dia 05 de março, faremos uma reunião para votar o aquartelamento. Esperemos para saber qual será o resultado”, alertou o sindicalista.

“O que podemos afirmar neste momento é que há falta de compromisso do Estado para com os policiais militares. Nós temos um papel muito importante na sociedade, que é zelar pela segurança da população. Será que não merecemos uma remuneração digna?”, questionou o presidente da Associação dos Sub-Tenentes e Sargentos de Alagoas.

Anônimo disse...

conpanheiros só a uma soluçao,e todos sedesligaren das asossiaçoes e nos unimos con osque tem corage de lutar e irmos as ruas lutar pelos nossos direito,pois nossos direito ven de uma forma ou de outra,FORRA GOVERNO LADRAO E PRESIDENTES DE ASOSSIAÇOES>

SARGENTO DEPUTADO DOS PPMM disse...

Se todos concordarem, antes do dia 5, melhor no dia 30 desse mes vamos fazer uma passeata em frente ao palacio republica dos ladrões no centro de maceio.
Vamos chamar a atenção da sociedade, que é disso que esses bandidoa tem medo, SOCIEDADAE, quero que compareçam as 9;00 horas da manhã, em frente a praça deodoro, quando tivermos um bom numero de no minimo 1500 a 2000 mil homens vamos pecorrer a barão de penedo, joão pessoa e finalmente pararemos no palacio.
Vamos mostrar a essa corja de bandidos do colarinho branco que se estivermos unidos por um salario melhor e digno, somos mais fortes.
Eu sempre escrevi aqui q eles iriam modificar as datas até pararem de zombar dessa tropa sem CMT GERAL, sem ASSOCIAÇÕES, sem homens e mulheres UNIDOS POR UM SALARIO MELHOR.
NÃO VAMOS ESPERAR PARA O DIA 05, ELES SE FAÇAM SUAS REUNIÕES MAQUIAVÉLICAS, NÓS SEREMOS INDEPENDENTES.
VAMOS PARAR OS SERVIÇOS DE RADIO PATRULHAMENTO, P.O. NO CENTRO DA CIDADE, VAMOS FECHAR AS BASES COMUNITÁRIAS, VAMOS CRUZAR OS BRAÇOS AGORA DIA 28 DE FEVEREIRO.
PONTO FINAL.
SEM DISCUTIR, QUEREMOS O REALIAMENTO JÁ
QUEREMOS OS QUINQUENIOS PARA TODOS JÁ
QUEREMOS OS 25% Q OS POLICIAIS CIVIS TIVERAM JÁ.
ESTAREI LÁ PELA ULTIMA VEZ DE 09:00 ATÉ A CARA DESSE DESGOVERNADOR FICAR LISA.

Anônimo disse...

Bibi (Bpesc): Soares seu Playboy de merda, vc nao sabe nada de ADMINISTRAÇAO, TOMA VERGONHA NA CARA E VAI FAZER UM CURSO SUPERIOR NESSA AREA, seu fantoche manipulado pela cupula do Teo. Nao se preocupe nao, que as proximas eleiçoes virao. Fora Teobaldo. Ninguem vai trabalhar nessa policia desmoralizada nao.

Anônimo disse...

MAIS UMA VEZ O GOVERNO DESMORALIZA AS ASSOCIAÇOES, E EU AXO É TOME,POIS TODOS SABIAM QUE ESSE DESGOVERNO DO TÉO, IRIA FAZER TODOS DE PALHAÇOS MAIS UMA VEZ. ESSE CARA DE BURACO,SÓ VAI NO APERTO, NA RADICALIZAÇAO. É POR ISSO QUE O NOSSO ESTADO É CAMPEAO EM TUDO O QUE NAO PRESTA. CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE.

Anônimo disse...

OXE! E NESSA PULIÇA NÃO TEM 2º SGT NÃO É? ATÉ ISSO O TÉO QUER ACABAR? O GOVERNO PESTE!!

Sócio_ disse...

SE O GOVERNO QUER DIVIDIR O REALIMENTO EM PARCELAS ATÉ 2014, A CATEGORIA DEVE ACEITAR SIM. SERIA BURRICE DESCARTAR ISSO. OS ESTADOS NÃO DÃO MAIS REAJUSTES EM GRANDE MONTANTE, PRINCIPALMENTE PARA GRANDES CATEGORIAS. ISSO ACABOU, GENTE! SE O GOVERNO DER OS 3% RESTANTES E O IPCA DE 2012 + O REALIMENTO PARCELADO, TEREMOS UMA SITUAÇÃO DIFERENTE NO FINAL DE 2014. O QUE NÃO PODE É REJEITAR O PARCELAMENTO E FICAR SEM NADA. AÍ, A FALTA DE COMPROMISSO PARA A SER DAS ENTIDADES REPRESENTATIVAS.

Sócio da ACS disse...

Depois de publicar uma matéria falando merda (http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000790), e imediatamente retirá-la do site, agora vem o Fragoso querer pousar de bom moço, fingindo defender os Cabos da PM e do CBMAL (http://www.assomal.com.br/noticia.php?id=00000000795).

Vejam:

Governo promete reformular proposta de realinhamento

O presidente da ASSOMAL, Maj Wellington Fragoso, foi enfático em dizer que da maneira que o governo apresentou a tabela não há possibilidade alguma de ser aceita pela categoria dos militares, porque diverge da negociação que estava sendo trabalhada até o momento, como também em nome da ASSOMAL, não pode aprovar tabela que venha trazer prejuízo aos tenentes coronéis, majores e

CABOS

, que estão com os níveis de reajuste implantados a menor do que os demais postos e graduações.

“A ASSOMAL só aprova o realinhamento em que todos tenham a mesma proporção de percentual acrescido na mudança de nível, para não corrermos o risco de erro cometido no passado, e não podemos permitir que quem está no último nível de tempo de serviço não seja contemplado”, afirmou o Maj Fragoso.

Quem não te conhece é que compra as suas farofas, Fragoso.

Sócio da ASSMAL disse...

Senhores, vejam a parte da tabela proposta no site da ASSMAL:

http://www.assmal.com.br/component/content/article/38-slide/500-policiais-e-bombeiros-montam-agenda-de-mobilizacoes.html

Anônimo disse...

Militares se organizam e preparam mobilizações

Na tarde desta sexta-feira (22) foi realizada uma assembleia geral dos policiais e bombeiros militares na sede da Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (ASSMAL) com a finalidade de repassar à categoria o resultado da última reunião ocorrida entre os representantes da categoria e a Segesp.

Ficou decidido que até o dia 05 de março, data da próxima reunião com o Governo de Alagoas sobre o realinhamento da tabela de subsídio da categoria, a tropa realizará diversas manifestações.

Inicialmente as lideranças militares irão visitar as unidades do Corpo e Bombeiros e Polícia Militar. Neste encontro vão ser repassadas informações para a categoria sobre as negociações. Além disso, os militares serão convocados para participar das manifestações.

Caminhada

Em 28 de fevereiro, os militares vão sair em caminhada pelas ruas do Centro de Maceió, a fim de chamar a atenção da sociedade para o descaso com a os policiais e bombeiros militares. A concentração será às 14 horas na Praça dos Martírios, no Centro.

Vigília

No dia 04 de março, a partir das 18 horas, a categoria dará início a uma vigília na porta da Secretaria de Gestão Pública (Segesp), no Centro. A mobilização só acabará na terça-feira (05) de março, após a reunião entre a secretária adjunta da Segesp, Ricarda Calheiros e as lideranças militares.

As esposas dos militares também vão engrossar o movimento e irão acompanhar às negociações de perto em apoio aos seus maridos. “Esta é uma briga nossa também, pois queremos dignidade para nossas famílias. Queremos educar e alimentar nossos filhos de forma honrada. Por isso, convoco todas as esposas para se juntar ao movimento”, disse a esposa de policial, Maria Amélia.

Além disso, os motoristas de viaturas só sairão com os veículos oficiais no dia cinco de março, caso possuam o curso de condução de veículos de emergência.

MOVIMENTO UNIFICADO DOS MILITARES

Anônimo disse...

SOU CABO DA RP E FUI À REUNIÃO QUE CONVOCAVA TODOS E TAL E NÃO VÍ NADA DE CONCRETO.AQUI NA RP JÁ DISCUTIMOS E SE FOR PARA AQUARTELAR A GENTE AQUARTELA,DESDE QUE SEJA JÁ!NÃO EM MARÇO OU ABRIL,MAS JÁ! PRA QUE DEPOIS?PRA DAR MAIS TEMPO AO GOVERNO COMER MAIS UM POUQUINHO?SE FOR BORA MERMÃO!!!!DEIXEM DE BAITOLAGEM E PRONTO!!!!!

Anônimo disse...

Nós não atestamos os movimentos realizados por esses falsos líderes (Cb Soares, Cb Simas, Sgt Teobaldo, Maj Fragoso, etc), pois há muito tempo deixaram de ser líderes das categorias para apostarem nos seus projetos pessoais se vendendo ao governo, a exemplo do Senho Sargento Teobaldo que não só se vendeu como fez campanha para que o Téo Vilela se relegesse, inclusive, colocando toda a estrutura da ASSMAL a serviço do governo tucano. Fora Teobaldo! Fora Simas! Fora Soares! Fora Fragoso, etc. Nós não vamos comparecer ao movimento, pois não somos massa de manobra de calhordas.

Assessoria Briosa em Foco disse...

... Ao comentarista que cobrou a publicação dos comentários que fez...

Assine os comentários com uma conta Google, para que possamos permitir a publicação. Faça isso, que a gente solta tudo o que você disser da pessoa a quem se referiu.

No mais, lembre-se: desconfie das evidências, pois elas podem te conduzir por um caminho errado.

Prova disso é a seguinte matéria: http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vEditoria=Pol%EDcia&vCod=107433

Sócio da ASSOMAL disse...

SEGESP PEDE MAIS UM PRAZO ATE O DIA 19 PARA APRESENTAR TABELA

Em reunião no gabinete do Cmt Geral da PMAL neste dia 05 (cinco), o Secretário de Gestão Pública Alexandre Lages, a Subsecretária Ricarda Calheiros e a Assessora Rafaela, explicaram que ainda não podem apresentar a tabela aos militares, como estava programado, devido a Secretaria da Fazenda ainda não ter reavaliado a nova proposta.

Segundo o Secretário Alexandre Lages, o Governador do Estado já determinou que a SEGESP e a SEFAZ viabilizassem o realinhamento dos militares que é um compromisso que o Governo não pode falhar, contudo pediu que a categoria aguardasse mais um pouco, até o dia 19 de março para que possa ter uma resposta definitiva sobre o realinhamento.

O realinhamento consiste em enxugar os níveis salariais dos militares, para apenas 03 (três), de 0 a 10 anos, 10 a 20 anos e 20 a 35 anos, onde todos que estiverem dentro de cada nível serão automaticamente conduzidos para o topo.

A ASSOMAL cobrou mais uma vez do Secretário, que fosse verificado o percentual de cada militar na mudança de nível, para que todos, sem distinção, obtenham a mesma proporção ao mudarem de níveis, para evitar prejuízos em alguns militares, como os tenentes coronéis, majores, tenentes e cabos.

Para maiores informações clique aqui.

Anônimo disse...

agora eu vi que agente, so servimos pra sermos mandados e gobrados.vamos mudar isso paralizacao ja

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver