A corda esticada

Jornalista transforma o seu blog em porta voz do grupo governista, endossa as fracas declarações da secretária Miki e diz nas entrelinhas que “os policiais militares são os culpados pelo fracasso do natimorto Plano Nacional de Segurança Pública em Alagoas”.
Ricardo Mota, jornalista e ex-crítico dos políticos e poderosos de Alagoas, postou no dia 02 deste mês de abril uma matéria chamada “‘Greve Branca’ da PM arrefece Brasil Mais Seguro”.
O faro feminino não tardou a classificar de açucarada a postagem, onde o jornalista demonstra concordar, em gênero, número e grau, com algumas colocações fraquinhas e sem escopo da Secretária Nacional de Segurança Regina Miki. Depois, achando pouca a babada jornalística, Ricardo Mota joga pra cima de nós, militares, a responsabilidade pelo arrefecimento do tal plano Brasil mais seguro (porque alguém tem que levar a culpa e ser condenado), citando como motivo único desse fiasco a Greve Branca da PMAL.
O jornalista, como se entendesse do assunto, sugere ainda que os policiais estão precisando de uma “chacoalhada”, via mudança de alguns comandos de “agrupamentos”.
Só que o burguês conformado jornalista “esqueceu” de observar que não é possível arrefecer o que nunca foi vigoroso; o que nunca foi “quente”.
Quem não sabe fique sabendo: o Plano Brasil Mais Seguro tem sido sorrateiramente usado, aqui em Alagoas, como um grande evento politiqueiro e manto encobridor da exacerbada (descarada) incompetência do comando da Secretaria de Defesa Social, bem como da visível falência da estrutura de segurança, tudo escondido pela força do governo na imprensa e nos órgãos fiscalizadores e controladores do Poder Executivo.
Aliás, para quem ainda não percebeu – especialmente para a delegada Miki – o grande talento de Teotônio Vilela Filho é transformar todo evento ligado ao Estado em discurso politiqueiro e demagogo. O governador é um mestre da dissimulação, e não perde a oportunidade de posar de bom governante e de homem público sério, mesmo à custa de escabrosas mentiras.
Mas, para meu alívio, nos comentários à postagem de Ricardo Mota, me chamou à atenção a resposta de um internauta identificado como Felipe Gabriel, que entre outras felizes colocações disse:
“Que tal uma ‘SUPER CHACOALHADA’ nas condições de trabalho dos Policiais Militares, uma ‘SUPER CHACOALHADA’ no realinhamento dos salários, uma ‘SUPER CHACOALHADA’, nas escalas de serviço extras e abusivas???? Mestre Ricardo!!! [...] NÃO É COM ESSA ‘chacoalhada’ (MUDANÇAS DE ALGUNS AGRUPAMENTOS) QUE VAI SER MODIFICADA A POSTURA DA TROPA. ESSA TROPA ESTÁ MUITO CANSADA E NINGUÉM TRABALHA COM A CORDA ESTICADA A TODO TEMPO.”
“A corda esticada o tempo todo”. Felicíssima colocação do internauta. O que ele genialmente disse é sabido de todos nós. Nenhum ser humano deste planeta suporta trabalhar na profissão mais estressante do mundo, em escala de 12x36, dentro de uma sucata apelidada de “viatura”, sem buscar formas de escape.
A Greve Branca é um pedido de socorro. É a nossa sirene aberta a chamar a atenção do governo para os nossos antigos problemas profissionais.
A Greve Branca, assim deveria ter dito o Ricardo Mota (agora paladino do governo Teotônio), é uma consequência direta da brutalidade do sistema de terror institucional montado contra nós militares e das escalas de serviço inventadas pelo comando e endossadas pelo Conselho Estadual de Segurança, um órgão acéfalo no que tange à segurança, que nunca deveria ter se imiscuído em certas questões, porque só piorou nosso trabalho e esticou mais a corda contra a tropa de base, aquela atuante nas ruas violentas desse Estado.
Quando é para atrapalhar, o CONSEG carimba os sebosos procedimentos do Comando Geral da PM, como o foi o das escalas de serviço, só cumpridas pelos policiais militares, porque outras categorias rasgaram o equivocado parecer, que não é lei e não tem caráter impositivo.
Quando é para ajudar, o CONSEG não existe, nem se mete contra o governo. Nunca!
Bem, mas voltando ao nosso tema, ao revelar que “ninguém trabalha com a corda esticada todo tempo”, o internauta quis dizer que a tensão, o estresse, a pobreza salarial e o cansaço da tropa não podem passar despercebidos nas pomposas reuniões do GGI, e é preciso de uma vez por todas que os integrantes do grupo de monitoramento das ações do Plano Brasil Mais Seguro deixem de ser bajuladores do governo e queiram de fato encontrar as soluções para o problema.
O problema dos policiais em sua vida social e profissional é, por consequência, o problema do sistema, do GGI e do plano de segurança.
Não vou aqui falar em viaturas e condições do armamento nem da péssima estrutura física dos quartéis do atraso. O sistema sabe dessas deficiências...
Os gestores desse troço todo têm a obrigação de encontrar meios de distensionar a corda esticada contra o pescoço dos policiais militares.
Nós somos a ponta de lança do sistema, e precisamos fazer parte dos discursos da Secretária Regina Miki, porque não é possível fazer segurança sem dar uma “chacoalhada” nos direitos e nos salários dos servidores militares, pois só um imbecil não vê que todas as ações do governo são executadas por nós, e ponto final.
Será que ninguém nunca vai levantar essa bandeira a nosso favor?
Tá mais que na hora de puxar uma brasa para nossa sardinha; ninguém é de ferro.
Assim como fez o inteligente internauta, vamos sugerir aqui ações para o sucesso do Plano Brasil mais Seguro. Anota aí secretária Miki:
•    Carga horária de 30 horas semanais;
•    Pagamento das horas que ultrapassarem a jornada normal;
•    Adicional noturno;
•    Periculosidade;
•    Revisão urgente dos subsídios e reposição anual, mais ganho real;
•    Estimular os (as) policiais a irem para a rua e não a evitar o serviço-fim;
•    Acabar com o terrorismo das perseguições e humilhações;
•    Acabar com as punições por pouca coisa, principalmente as que implicam no cerceamento da liberdade dos militares;
•    Mudança geral no comando da Segurança Pública.
Epa, lembrei de uma coisa interessante. Permitam-se abrir um parêntese. Eu li uma matéria jornalística onde se afirmava que o Coronel Batinga sairia da ativa para ocupar um cargo na SEDS no setor de planejamento e estratégia. Ora, se o cara ficou mais de dois anos no CPC e não conseguiu planejar P.N. nem desenvolver estratégia alguma, como diabos ele fará isso agora? Só em Alagoas, ou no Blog do Ricardo...
Pois é, sem essas ações humanistas, a Secretária Regina Miki vai continuar perdida e o Plano Brasil mais Seguro em Alagoas vai lhe custar o cargo, apesar de toda bajulação todo apoio que recebe, porque a Presidente (sic) Dilma odeia incompetência. Cuidado Miki, a política de Alagoas é o túmulo de muitos cargos importantes.
Quanto ao Ricardo Mota, tenho a dizer que a pior covardia é alguém ter capacidade de discernimento e saber dos motivos reais dos problemas da segurança pública, e se limitar a açucarar as irrelevantes declarações governistas.
A Greve Branca vai durar enquanto durar a desvalorização e o descaso com os policiais. E mesmo quando ela terminar, ainda assim temos por convicção que
Precisamos eleger um Deputado Estadual para representar os nossos interesses!

22 comentários :

Sócio da ASSOMAL disse...

Eu, particularmente, além do que fora proposto no texto, defendo uma Mudança geral na presidência das associações

Anônimo disse...

e eu defendo a chapa do Abdi/Velames para a ACS

Alguém que ama a desgraça do Batinga disse...

Batinga, homem casado, que se diz "respeitador" da família... Que vai à igreja católica perto da sua casa... Que se diz temente a Deus... Não usa aliança, ao contrário da sua esposa, nem segue os mandamentos divinos. Eu ainda vou no seu sepultamento, quando a naba entrar em você e voltar atravessada. Eu ainda vou ver você pagar pelos seus atos, porque quem refresca ** de pato é lagoa.

Anônimo disse...

Ricardo Mota não pode falar de ninguém ele está comprometido com a elite da Pajuçara comunicações, afinal de contas quem manda por lá é o dono da socôco, thomás nonô, o ex-senador casado com a irmã do governador. kkkkkkkkkkkk Ricardo lorota cala a boca.

Anônimo disse...

Esse jornalista chamado Ricardo Mota sempre foi tendecioso no que se refere aos assuntos do governo Têo.Sempre tratou os militares como verdadeiros vilões, esquecendo que o SRº feudal Dário sempre se locumpletou de cargos e gentilezas em sua vida pública. Gostaria de saber por que o dito jornalista não comenta mais em seu blog sobre o inoperante coronel Maxuel, coronel este que nunca colocou um coturno(palavras do próprio Ricardo) será que o jornalista fez algum pacto com o irmão do Dário que trabalha na TV pajuçara para não falar mais do inoperante coronel? Outra coisa, por que o caro jornalista não comenta em seu espaço jornalistico sobre a quantidade de militares que são lotados na secretaria de defesa social, por que será? por que será que competente jornalista não comenta sobre a violência que assola nosso estado de maneira avassaladoura?senhores, esse cidadão sempre transmitiu suas notícias de acordo com as suas conveniências, tratando quem ele não gosta de maneira sorrateira.

Anônimo disse...

Temos que eleger alguém que levante essa bandeira e que lute por essas reivindicações!

Anônimo disse...

Assim como fez o inteligente internauta, vamos sugerir aqui ações para o sucesso do Plano Brasil mais Seguro. Anota aí secretária Miki:

• Acabar com as punições por POUCA COISA, principalmente as que implicam no cerceamento da liberdade dos militares.

Soldado PFem ANA, gostaria que você fizesse a gentileza de explicar o item acima.




Anônimo disse...

excelente matéria Ana, agora com relação a essa pergunta : Será que ninguém nunca vai levantar essa bandeira a nosso favor?
ta aí em baixo, a sua resposta, a minha e todos os milicianos, parentes e amigos.

é por isso companheiros - que bato na mesma tecla aqui ........... é por isso e outros motivos, que voto com o sgt brás, para quer possamos melhorar nossas policias, e unirmos cada vez, não existi bope, rp, rpmon, todos somos iguais, todos dão o mesmo sangue, e pra que, uns terem vantagens (dinheiro) e outros não, sgt brás para deputado estadual, vai mudar essa concepção medilcre,esse oficiais bagaços, e tudo mais.
atenciosamente cb costa

Anônimo disse...

Sou fã da SD Pfem Ana. Perfeita em seus posicionamentos!
Parabéns!

Anônimo disse...

DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO DESMILITARIZAÇÃO

Polícia Civil de Alagoas disse...

Polícia indicia sargento da Força Nacional por abuso de autoridade

Nilson Gonçalves ainda foi indiciado por falsa comunicação de crime, devido à abordagem feita ao policial civil Cláudio Hermes, em outubro de 2012

A Polícia Civil de Alagoas indiciou o sargento Nilson Gonçalves, da Força Nacional, pelos crimes de abuso de autoridade e falsa comunicação de crime, devido a uma abordagem violenta que teria sido feita ao policial civil Cláudio Hermes, em outubro de 2012.

O delegado Leonardo Assunção explicou que cabe agora ao Ministério Público Estadual (MPE/AL) analisar o inquérito para decidir se oferta a denúncia ou não. “Terminamos o inquérito nesta semana e concluímos pelo indiciamento. Durante as investigações, verificamos que a abordagem foi abusiva, pois, o policial se identificou e entregou a arma”, afirmou o delegado.

“O acusado se defendeu dizendo que o policial civil tinha faltado com respeito e desacatado sua equipe. Mas não foi isso que constatamos no decorrer da investigação”, emendou Assunção.

Entenda o caso

Cláudio Hermes estava em um “churrasquinho” no bairro do Jacintinho, em Maceió, quando, no dia 20 de outubro de 2012, uma equipe comandada pelo sargento Gonçalves decidiu abordar o policial. Segundo testemunhas, Hermes se recusou a colocar as mãos na cabeça e foi acusado de desobediência.

Por conta disso, ele foi algemado e levado à Central de Polícia de Maceió, situada no bairro do Prado. Na época, o caso ganhou grande repercussão, depois que o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol/AL) fez uma série de manifestações contra supostas abordagens truculentas realizadas por agentes da Força Nacional em Alagoas.

Anônimo disse...

é por isso companheiros - e outros motivos, que voto com o sgt brás, para que possamos melhorar nossas policias, e unirmos cada vez, não existindo qualquer tipo de regalias, ao bope, rp, rpmon, todos são policiais, todos dão o mesmo sangue, e para que, umas unidades tem vantagens (dinheiro) e outros não, sgt brás para deputado estadual, vai mudar essa concepção, feitas por estes calhordas e mediocres, esses oficiais bagaços,que com certeza, já obtive informações do próprio sargento brás, irá apoiar cb abdi e sua turma, para eleições da acs.
atenciosamente cb costa

12.4.13

Anônimo disse...

Esse monte de zé ruela da força nacional se acham o bambam bam, mas nós é quem começamos errados pois nunca colocamos ninguem pra nos representar nas associaçoes era só na base da amizade e outros interesses, mas dessa vez vamos lutar pra mudar isso vamos votar em quem tem condiçoes de fazer algo pela tropa e por nos praças que nos ferramos nessas escalas absurdas e com esses salários miseros, vamos a luta juntos, agora nos sofremos porque somos fracos, vamos entrar individualmente exigindo na justiça a melhoria das escalas assim como foi feito em segipe, que pode começar a mudança

Anônimo disse...

O que a Sd Ana quis dizer com: Acabar com as punições por POUCA COISA, principalmente as que implicam no cerceamento da liberdade dos militares foi. No BGo do dia 12/04/2013 um cabo ficou preso por 04 (quatro) dias por não se apresentar a um oficial, por não prestar uma continência e a prisão será cumprida. ISSO É UM ABSURDO. E ainda querem que a gente trabalhe desse jeito. kkkkkkkkkkkkkk.

Ricardo Mota disse...

As vítimas da explosão da DEIC e a crueldade do governo

Não dá para justificar com a “burocracia” de sempre.

Os moradores do entorno da DEIC, que explodiu em 20 de dezembro do ano passado, são vítimas de uma crueldade que não encontra explicação.

A culpa, da explosão e da demora no pagamento das indenizações, é do governo do Estado.

A explosão ocorreu porque alguém – autoridade, certamente – em um dado momento não cumpriu o protocolo, que deve existir para o armazenamento de explosivos. Ou alguém tem dúvidas disso?

Houve uma morte, da agente Maria Amélia Dantas, mas o erro fez outras vítimas.

O impressionante é que, quatro meses depois, o governo ainda não saiba responder quando e quanto pagará de indenização aos moradores de 110 prédios atingidos – de alguma forma – pela explosão.

O que disse o secretário do Gabinete Civil, Álvaro Machado, a quem eu apresentei várias indagações:

“Estamos aguardando a avaliação de danos, o que ficou sob a responsabilidade do Serveal”.

(Ah, é?)

“O próprio governador está incomodado com a situação e pediu celeridade no ressarcimento às vítimas”.

(Ah, é?)

“A situação é inusitada para nós, mas estamos elaborando o decreto que vai possibilitar o pagamento às pessoas atingidas”.

Quando isso acontecerá?

O mais rapidamente possível.

Não é por acaso, e está claro, que o governo é considerado leeeeeeeeeeeeeento na hora de decidir o que precisa de decisão.

Não leva em conta que a vida das pessoas atingidas – inclusive profissionalmente, mudou para pior desde aquele 20 de dezembro de 2012.

Anônimo disse...

ERA LEITOR ASSÍDUO DAS MATÉRIAS DO RICARDO; ERA, POIS, COMO LEITOR, ENTENDI QUE O MESMO MUDOU A FORMA DE TRABALHAR, SABE? $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$!

Anônimo disse...

Oh Ana Puta ah ah aha! Oh! Ana Puta ah ahahahh!

Anônimo disse...

Gostaria de dizer que sou leitor assíduo dos senhores muito bom essa forma de nos deixar informados sobre a podridão desses oficiais, gostaria em primeiro lugar de saber quem é esse sgt brás que tanto falam pois não o conheço parabéns por essas materias que publicam

Anônimo disse...

Anônimo disse...
O que a Sd Ana quis dizer com: Acabar com as punições por POUCA COISA, principalmente as que implicam no cerceamento da liberdade dos militares foi. No BGo do dia 12/04/2013 um cabo ficou preso por 04 (quatro) dias por não se apresentar a um oficial, por não prestar uma continência e a prisão será cumprida. ISSO É UM ABSURDO. E ainda querem que a gente trabalhe desse jeito. kkkkkkkkkkkkkk.

O subordinado tem a obrigação de prestar a continência e se apresentar ao superior hierárquico, além se dirigir a este de maneira respeitosa. O motivo da punição foi justo, não quer seguir as normas regulamentares procure outro emprego. kkkkkkkkkkkkkk TAMBÉM!

Anônimo disse...

Anônimo disse...
O que a Sd Ana quis dizer com: Acabar com as punições por POUCA COISA, principalmente as que implicam no cerceamento da liberdade dos militares foi. No BGo do dia 12/04/2013 um cabo ficou preso por 04 (quatro) dias por não se apresentar a um oficial, por não prestar uma continência e a prisão será cumprida. ISSO É UM ABSURDO. E ainda querem que a gente trabalhe desse jeito. kkkkkkkkkkkkkk.

O subordinado tem a obrigação de prestar a continência e se apresentar ao superior hierárquico, além se dirigir a este de maneira respeitosa. O motivo da punição foi justo, não quer seguir as normas regulamentares procure outro emprego. kkkkkkkkkkkkkk TAMBÉM!

Anônimo disse...

PARABÉNS ANA PELO TEXTO! GOSTARIA QUE VOCÊ FIZESSE UMA ANÁLISE PROFUNDA E COLOCASSE PARA NÓS O SEU POSICIONAMENTO E ENTENDIMENTO SOBRE O ASSUNTO QUE VOU ABORDAR AGORA. ESTOU PRÓXIMO A IR PARA RESERVA REMUNERADA E SEMPRE VI E ENTENDI QUE O PROBLEMA DA PMAL NÃO ESTAVA NO GOVERNADOR NEM NOS NOSSOS REPRESENTANTES (DEPUTADOS), E SIM, NOS NOSSOS OFICIAIS PORQUE SÃO ELES QUE ACEITAM TAIS SITUAÇÕES (POR SUBSERVIÊNCIA E SUBMISSÃO). DIGO ISTO COM PROPRIEDADE PORQUE VIVI BOA PARTE DO MEU TEMPO DE CASERNA DENTRO DO QUARTEL GERAL E O QUE VIA MUITO ERA OFICIAIS (SUBALTERNOS, INTERMEDIÁRIOS E SUPERIORES) SENDO CAPACHOS PELO FATO DE EXERCEREM UMA FUNÇÃO SUPERIOR.
MINHA NOBRE QUER CONHECER O HOMEM DÊ DINHEIRO E PODER. VI VÁRIOS OFICIAIS COMPETENTES E DE BOA ÍNDOLE, PORÉM QUANDO ASSUMIA O CARGO DE COMANDANTE PASSAVA PARA O LADO DO GOVERNO E NÓS ÉRAMOS VISTOS COMO VERDADEIROS INIMIGOS, POIS OS MESMOS (COMANDANTES) PASSAVAM A INCORPORAR O INSTINTO DE UM CÃO DE GUARDA E PASSAVA A PROTEJER SEU DONO (GOVERNADOR OU PADRINHO POLÍTICO) EM DETRIMENTO DE NÓS SUBORDINADOS. QUER UM EXEMPLO: O SR. CEL EVARISTO, ESTE HOMEM ANTES DE ASSUMIR O COMANDO DIZIA QUE IA FAZER E ACONTECER EM PROL DA CORPORAÇÃO E O QUE SE VIU FOI O CONTRÁRIO, PERSEGUIU, PRENDEU, FOI DESMORALIZADO PERANTE A OPINIÃO PÚBLICA, MAS MESMO ASSIM ESTAVA DO LADO DO GOVERNADOR. PENSE NUM CIDADÃO QUE FAÇO TUDO PARA APAGAR DA MEMÓRIA.
AGORA ANA SE QUEREMOS MUDAR A PMAL DEVEMOS EXIGIR SABATINA NOS NOSSOS OFICIAIS SUPERIORES ANTES DA ASSUNÇÃO DO CARGO DE COMANDANTES. VAMOS EXIGIR ORÇAMENTO PRÓPRIO PARA NOSSA CORPORAÇÃO. VAMOS EXIGIR QUE TRÊS OFICIAIS SUPERIORES APRESENTEM SEU PLANO DE TRABALHO PARA QUE ASSUMA O COMANDO DA NOSSA CORPORAÇÃO E DESSES TRÊS SAIA UM PARA COMANDAR, OUTRO PARA SER O SUBCMº E O OUTRO ASSUMA O CPC. ACHO QUE ASSIM A NOSSA INSTITUIÇÃO PASSA SER MORALIZADA E RESPEITADA POR NÓS E PELA SOCIEDADE QUE É A QUE MAIS PRECISA DA NOSSA CORPORAÇÃO SÓLIDA E FORTE COM ELA É.

Anônimo disse...

O MILITARISMO é assim safado, mentiroso, injusto, covarde, humilhador e mentiroso, vejamos: mataram o cara ( o coitado do Tiradentes), e hoje ele é patrono da PM, pode? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Isso são coisas desse MILITARISMO retrógrado e que devia ser extinto.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver