Corrupção Ativa

Semana passada, acho (desculpe, mas minha noção de tempo em relação a certos casos é complicada), eu vi uma reportagem de um jornal aqui de Alagoas, onde um cinegrafista amador filmou policiais militares supostamente pegando dinheiro de condutores de moto e carro, que estariam dirigindo os veículos com o documento atrasado, sem carteira de habilitação, enfim, pessoas que não andam conforme determina a Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997.
Na matéria, uma dessas pessoas supostamente extorquidas foi apresentada pelo repórter que disse: “Agora vocês vão ouvir uma vítima da extorsão”.
Apareceu uma pessoa com o rosto escondido falando: “Eu estava sem o documento do carro e tive que pagar R$ 50 reais para poder ser liberado”.
Espere aí senhor digníssimo repórter, “vítima de extorsão”? Desculpe-me, mas o senhor tem que estudar um pouco mais, pois isso aí é um cabra de peia que cometeu o crime de corrupção ativa.
Corrupção ativa: é oferecer ou promover vantagem indevida a funcionário público, para determiná-lo a praticar crime contra a administração pública.
E a pena para isso é de 2 a 12 anos de reclusão mais multa.
Reparem que não estou defendendo o policial militar, mas se ele errou – e certamente deve ser punido pelo que fez – o cidadão que deu o dinheiro e confessou isso publicamente também tinha que ser responsabilizado pela sua conduta delitiva.
Pelo que estou vendo, e a julgar pelo que sempre acontece, só o policial que será penalizado...
Engraçado, quando eu ingressei no curso de direito eu aprendi que a justiça era representada por uma mulher de olhos vendados, a deusa Themis (daí o significado das palavras “temer”, “temor”...), que segurava em uma das mãos a espada da justiça e na outra a balança da imparcialidade, mas me parece que a imparcialidade e a justiça deixaram de ter significado faz tempo, porque onde já se viu a “justiça” punir apenas o policial e não punir as pessoas – que são filmadas e ainda assumem – que também cometeram crime?
Certamente, se fizermos uma análise mais acurada, concluiremos que a culpa não é de todo da justiça, pois a ação para o crime de corrupção ativa é “pública e incondicionada”. Logo, o Ministério Público tem também a sua responsabilidade (por omissão) nesse caso.
Infelizmente, uma boa parte da sociedade que fala mal da polícia são as mesmas pessoas que andam erradas e já com o dinheiro na mão para “comprar” o mesmo policial que eles tanto falam mal. Inobstante a isso, todos se esquecem que além do policial também estão errados: o cidadão, o Ministério Público e, finalmente, a justiça – que é quem menos tem culpa!
Vocês precisam eleger um Deputado Estadual para representar os seus interesses!

14 comentários :

Anônimo disse...

Boa matéria. Parabéns ao autor.

Anônimo disse...

Doutor Júlio, a verdade ta aí, só não ver quem não quer, olha um verdadeiro homem de caráter e postura... sgt brás..................é por isso e outros motivos, que voto com o sgt brás, para quer possamos melhorar nossas policias, e unirmos cada vez, não existi bope, rp, rpmon, todos somos iguais, todos dão o mesmo sangue, e pra que, uns terem vantagens (dinheiro) e outros não, sgt brás para deputado estadual, vai mudar, o regulamento disciplinar e outras coisas mais. at. cb costa

Conversa para boi dormir disse...

VEJAM SÓ AS BESTEIRAS QUE UM ZÉ RUELA DISSE:

Polícia está pronta para combater crime cibernético

Seção faz parte da Deic e segundo delegado possui efetivo suficiente e preparado para atender demanda


Entrou em vigor ontem a Lei Carolina Dieckmann, que define como crime a invasão de dispositivos eletrônicos. A Polícia Civil de Alagoas possui um setor dentro da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) que, de acordo com o delegado responsável, Mário Jorge Barros, possui toda a estrutura necessária para investigar crimes como esses.

O gerente da Seção de Crime contra o Patrimônio Financeiro, Crimes de Internet, Direitos Autorais e Outros em Geral (Serb) - que está ligada à Deic, delegado Mário Jorge Barros, afirmou que a Polícia Civil está preparada para a nova lei, de crimes cibernéticos.

O delegado explicou que crimes de menor potencial, como crime de calúnia na internet, serão distribuídos para os distritos de cada bairro. “Mas a nossa seção não deixa de dar apoio aos distritos”, ressaltou.

Segundo Mário Jorge, no setor existem pessoas altamente preparadas para assessorar os policiais e delegados.

Em relação aos crimes mais complexos, como roubo de senhas bancárias, por exemplo, a Serb realiza todas as investigações. “Nesse caso todas as providências são com a gente”.

Mário Jorge afirmou que não pode divulgar o número do efetivo que está preparado para investigar crimes cibernéticos em Alagoas, no entanto afirmou que a Polícia Civil está pronta para atender a sociedade. “Não posso divulgar para os criminosos as armas que nós temos”, alegou.

Ele ainda acrescentou que a demanda é grande e orientou que as pessoas não se exponham tanto nas redes sociais.

***

SE A PCAL É TÃO EFICAZ ASSIM, PARA ELUCIDAR CRIMES CIBERNÉTICOS, PORQUE É QUE O SECRETÁRIO DÁRIO CESAR NÃO DESCOBRIU OS AUTORES DO BRIOSA EM FOCO?

ASCOM da PMAL disse...

Entrevista com o comandante do policiamento da capital, coronel Neuton Bóia

O coronel Neuton Bóia assumiu nesta última terça-feira (02) o comando de policiamento da capital em substituição ao coronel Gilmar Batinga. O nome do mais novo comandante foi publicado na segunda-feira (1), no Boletim Geral Ostensivo n° 059.

Neuton Bóia, que até então estava na função de comandante de outro grande comando da corporação, no caso o CPAI-II, responsável pelas Unidades que realizam o policiamento na região agreste e do baixo São Francisco, tem 28 anos de carreira na Polícia Militar e sua formação no curso de oficial ocorreu na Academia Militar do Paudalho, localizada no estado de Pernambuco, entre os anos de 1986 e 1988.

Além do CPAI-II, o coronel Neuton teve a oportunidade de comandar o 6º BPM, sediado em Maragogi, o Batalhão de Polícia Rodoviária e o Batalhão Ambiental. Na condição de oficial subalterno e intermediário, passou por unidades de área e especializadas, a exemplo do 5º BPM e do antigo Choque, atual Bope.

Confira abaixo a entrevista concedida à Assessoria de Comunicação da PMAL:

O senhor vem de um grande comando, no caso o CPAI-II, responsável basicamente pelo policiamento da região agreste e baixo São Francisco, nesse sentido, há alguma inovação ou experiência a qual pretende trazer para o CPC?

É necessário fazer um comando participativo, onde haja uma maior integração entre os comandantes de Unidades e SubUnidades com este Comando, seguindo as diretrizes do policiamento ostensivo. Pretendo também incentivar e ampliar a confecção do Termo Circunstanciado de Ocorrência, o qual apresentou grandes resultados nas Unidades do CPAI-II.

Um grande avanço conquistado no comando do coronel Gilmar Batinga foi a atualização das estatísticas e mapeamento das áreas abrangidas pelo CPC. Nesse sentido, o senhor pretende dar continuidade a este avanço?

Com certeza. Atualmente a região metropolitana já está toda mapeada, com os pontos críticos traçados e pré-determinados, inclusive com os horários de maior incidência criminal, além do tipo de delito mais comum por região, por isso vamos utilizar esta ferramenta para melhor direcionar o efetivo proporcionando maior sensação de segurança à população.

Com relação as ações do programa “Brasil mais seguro – Alagoas”, o senhor pretende desenvolver ações específicas de segurança pública no sentido de otimizar o policiamento, não só na periferia da capital alagoana, mas também nos demais municípios que o CPC abrange?

Continuaremos a executar as ações do programa, porém será necessário um enfoque maciço na área de inteligência, de forma integrada com ações da Polícia Civil e Força Nacional, tendo por objetivo dinamizar o emprego do efetivo na ponta de linha, a fim de que ele não seja empregado aleatoriamente no terreno, possibilitar também o estreitamento dos laços com os órgãos que compõem a segurança pública do estado.

Quais são as suas expectativas e metas no comando do CPC?

Primeiramente aumentar a ostensividade nos bairros onde a violência é latente, de acordo com a visão estratégica do CPC, tais como o Jacintinho, Benedito Bentes, Cidade Universitária, Santos Dumond, Clima Bom, Village Campestre, Gama Lins, Vergel do Lago, Vale do Reginaldo, municipios que fazem parte da grande Maceió como Pilar, Rio Largo e Marechal Deodoro, utilizando as OPMs de área, unidades especializadas, com o apoio da demais forças de segurança. Outros pontos que considero fundamentais são: a otimização do emprego do efetivo; a política de valorização dos policiais que estão na atividade operacional; emprego do efetivo administrativo em ações operacionais; manter e apoiar em sua doutrina o policiamento comunitário a ronda cidadã, tendo em vista o modelo de aproximação da PM com a comunidade, e como já citado investir no serviço de inteligência integrado.

ASCOM da PMAL disse...

Comando se reúne com Associações militares para tratar de assuntos referentes à Corporação

A reunião entre as representações de militares da reserva e da ativa com o comandante-geral, na tarde desta terça-feira (02) foi considerada produtiva. Em discussão foi colocada uma pauta de reivindicações que visam benefícios para todas as patentes, priorizando a Lei de Promoção e a jornada de trabalho, num primeiro momento, bem como o realinhamento salarial.

As lideranças apresentaram ao Comando vários pontos que defendem e que querem debater para se chegar a um consenso a exemplo do serviço extra voluntário, o Código de Ética da corporação, acesso à primeira graduação, AL Previdência, entre outros. Porém, para qu e não houvesse um atropelo, todos concordaram em expor e discutir imediatamente o que estaria incomodando mais a tropa, requerendo, portanto, mais urgência.

No tocante ao realinhamento, na tabela proposta pela Secretaria de Gestão Pública (Segesp) até abril de 2014 juntando os 3%, o IPCA e o realinhamento, um cabo passaria a receber R$ 2.870,00. Os militares rejeitaram e, somente com o IPCA e os 3% já agora em maio estarão com esse mesmo valor em salário.

O comandante também achou viável debater a Lei Orgânica e se prontificou a discutir com os policiais a questão relativa à licença especial. Duas comissões foram criadas com o intuito de dar celeridade às avaliações e aos debates entre as associações e o comando. Os policiais lembraram a importância de se ter acesso ao comandante para discutir problemas relacionados à base.

“O líder da tropa é o comandante. Se tiver um comandante que diga vamos puxar isso aqui, a gente vai até o fim. Esse momento é importante porque, ao contrário do comandante anterior, o senhor nos recebeu e se dispôs a intermediar as coisas. Esperamos que resulte em êxito”, afirmou o cabo Wagner Simas.

O coronel Dimas entende que a grande dificuldade era a separação da tropa. “Tudo se complicava porque existia o grupo dos oficiais e o grupo das praças. Pensamos, como uma instituição pode crescer se ela não pode aproveitar o que cada um tem de melhor? Temos que criar dentro da corporação um clima para evoluir, aqui não existe o que serve e o que não serve. Todos têm algo para contribuir e temos de agregar valores. Trabalhamos em prol da corporação e mostrando para a sociedade a nossa competência. Ninguém trabalha para o comandante, se tiver pensando assim e fazendo, está errado”, lembra.

E continua: “Não posso evoluir,, fazer nada sem discutir. Independentemente dos posicionamentos que tomaram ou que tomam. Eu não posso levar o posicionamento das associações para o campo pessoal. Todos nós acertamos e erramos”, concluiu o comandante.

Para discutir a Lei de Promoção foram indicados o sargento Ramalho, do Corpo de Bombeiros, o cabo Wagner Simas, da Aspra, sargento Teobaldo, da Associação dos Subtenentes e Sargentos (Assmal) e o major Fragoso, da Associação dos Oficiais Militares (Assomal).

A comissão para encontrar alternativas com o Departamento de Pessoal, juntamente com o coronel Albino, para as licenças especiais, jornada de trabalho e outros é formada pelo sargento Teobaldo, o subtenente Edvaldo e o cabo Filho.

Os militares expuseram para o coronel Dimas que está havendo disparidade no tocante às licenças causando desvantagens a alguns batalhões. “Antes não havia regra, agora é feito um estudo para que não haja injustiças, vamos fazer uma reavaliação e levar à mesa para discutir”, afirma o coronel. Ficou acertado que, por conta da data já marcada pelo Governo do Estado para a apresentação das propostas militares, dia 13 de maio, as discussões ocorrerão em sequência, todas as terças-feiras entre o comando e as lideranças militares.

Com Correio de Alagoas

Anônimo disse...

Onde foi essa reportagem? já procurei que só essa reportagem e não achei

Anônimo disse...

que reportagem? diga qual!

Anônimo disse...

Faltam policiais militares para atender a Alagoas

Para deputados, problema vai além da segurança: falta educação

Uma sessão pública realizada no final da tarde desta quarta-feira (3) na Assembleia Legislativa de Alagoas se propôs a discutir o Plano Brasil Mais Seguro, que visa diminuir a violência no Estado. A principal crítica foi à falta de contingente da Polícia Militar para atender a demanda alagoana quando os policiais da Força Nacional forem dispensados.

“Realmente faltam policiais, tanto é que o Governo abriu concurso para suprir essa carência. A intenção agora é fazer com que todos os anos haja concurso para repor os PMs que forem se aposentando porque, se a Força Nacional sair agora, a situação vai piorar”, afirmou o Comandante da Polícia Militar de Alagoas, Coronel Dimas.

Para o deputado Ricardo Nezinho (PMDB), o problema vai além da falta de policiais: não há educação e saúde, além da segurança pública, o que torna impossível extinguir o problema. Outros parlamentares concordaram com a opinião do peessedebista.

“É preciso usar as escolas como arma contra a violência. Já sabemos em quais bairros estão os maiores índices de homicídios, quais dias da semana esses crimes mais ocorrem e a faixa etária das vítimas, que é de jovens. É preciso levar esportes às escolas, médicos, cursos de capacitação e tudo que tire essas pessoas das ruas e lhes dê algo com o que se ocuparem”, disse o deputado Ronaldo Medeiros (PT), que presidiu a sessão.

O presidente do Conselho de Segurança (Conseg), Juiz Maurício Brêda, afirmou que é necessário ajustar o número de PMs designados para a segurança da Casa de Tavares Bastos, que atualmente contaria com mais homens do que necessita. “Entre os policiais que designados para cá, está um médico, o que é irregular. Apenas soldados combatentes podem ficar aqui. Os especializados são necessários para o trabalho diário do CPC”, argumentou Brêda.

Anônimo disse...

PEGA UM TRECHO DO QUE VOCÊ PROCURA E PESQUISA NO GOOGLE. E MESMO QUE A ENTREVISTA TENHA SIDO DELETADA, VOCÊ A LOCALIZA PELO "EM CACHE" OU ENTÃO COM OUTRAS FERRAMENTAS DO PRÓPRIO GOOGLE.

PMAL disse...

4ª Companhia homenageia policiais militares em Atalaia

Na manhã desta quarta-feira (3), o comando da 4ª Companhia Independente realizou uma homenagem aos policiais militares que compõe a subunidade, além de enaltecer cidadãos da cidade. O evento ocorreu no plenário da Câmara Municipal de Atalaia.

Durante a solenidade foram entregues certificados pelo destaque operacional, administrativo, bem como homenagens aos policiais militares que foram para a reserva.

No início foi apresentado um vídeo pelo sargento Jeldson, com o tema “Que tipo de soldado nós somos?”, logo após foi lida uma mensagem especial sobre o desempenho correto do serviço policial.

O comandante da 4ª Cia, capitão J. Paulo destacou a importância dessa solenidade e o papel preponderante que os integrantes da subunidade têm para o município e região, que resultou a diminuição dos índices de violência. “Parabéns aos policiais militares que compõem a 4ª Companhia da Polícia Militar Independente”, frisou o comandante da subunidade.

Ainda na cerimônia, os policiais que foram para a reserva receberam homenagens, logo em seguida, os destaques operacionais e administrativos. Foi prestado um reconhecimento ao senhor Renildo Pereira de Oliveira e José Márcio Castro Franco, pelos préstimos e apoio aos policiais militares da 4ª Cia.

Por fim ocorreu uma homenagem, ao major J. Cláudio, pelos serviços prestados a frente do comando da Companhia. Onde durante o comando, resultou na diminuição dos índices de violência no município e região. “É com muita alegria, que recebo esta placa e certificado, pelo serviço realizado em prol dos cidadãos da região do vale do paraíba, e também parabenizo os todos integrantes da companhia, pelo empenho e dedicação. Muito sucesso na caminhada”, encerrou o major J. Cláudio.

O cabo Amaro, que completou 30 anos de serviço na PM, citou que estava muito contente por completar o tempo de serviço e por ter trabalhado com esta equipe, bastante competente e esforçada. “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé”, se despediu o cabo José Amaro.

Estiveram presentes o prefeito de Atalaia, Manoel da Silva Oliveira, além de vereadores e secretários.

Homenageados:

30 anos – Reserva


Sargento Edilson Rodrigues de Melo
Cabo Juarez Alves Correia
Cabo José Amaro dos Santos
Cabo José Galba Martins Mendes
Cabo José Avelino Pereira Filho

Destaque Operacional

Sargento Paulo Jorge da Silva
Sargento Cícero Paulo Alves de Oliveira
Cabo Iranildo Amaro da Silva
Cabo Braulino José de Barros Neto
Cabo José Marcelino dos Santos Júnior
Soldado Carlos Henrique Minervino da Silva
Soldado Kleverson Barros Moreira da Silva
Soldado Cícero Teixeira da Silva Júnior

Destaque Administrativo

Sargento Manoel Cabral da Silva Filho
Sargento Jeldson dos Santos Alves
Soldado Ernaldo Maurício dos Santos
Soldado Antônio M. Firmino de O. Rodrigues

Homenagens aos Oficiais:

Tenente Antônio Augusto Moreira Correia
Tenente Aleandro Ferreira Caitano
Tenente Anderson Ricardo Januário da Silva

Homenagem Especial:

Cabo Carlos Henrique do Livramento Silva
(Tornou-se bicampeão na VI Copa América de Taekwondo realizada no mês de janeiro deste ano, no município de São José dos Campos/SP).

Cabo Joel dos Santos Lima
(Por ter no dia 19 de março deste ano, em uma ocorrência policial, ter agido de maneira destemivel, não atentando para sua própria vida, chegando a ser alvejado com um disparo de arma de fogo em defesa da comunidade atalaiense).

Major José Cláudio do Nascimento
(Pelo serviço executado a frente do comando da 4ª Cia Independente).

Anônimo disse...

É disso que precisamos: matérias inteligentes.

cabo pm 2002 disse...

querem uma polícia melhor ???
sejam pessoas melhores primeiro !!!!

Anônimo disse...

BOA MATÉRIA BEF,POIS DO JEITO QUE ESTÁ A SITUÇAO, E SE VOCE , PELA PROFISSÃO, TIVER ALGUM INIMIGO, SERÁ MUITO FÁCIL ESSA PESSOA PEGAR UM MALOQUEIRO E MONTAR UMA "COCO", FILMAR E A SUPOSTA VÍTIMA DAR UMA ENTREVISTA NO ANONIMATO PARA PREJUDICAR O PM. A RESPONSABILIDADE CRIMINAL TEM QUE SER DE AMBOS, ATIVO E PASSIVO.

Anônimo disse...

KKK,A NOSSA POLICIA TÁ CHEIA DESSES VCIOS ,BASTA FILMAR AQUI NO CLIMA BOM OS PMS DO 4BPM ,DO 5 NO BILL ,BPTRAN ,1BPM E RP QUE VAI PEGAR MILHARES E MILHARES FAZENDO ISSO E SE ACHANDO OS ESPERTOS .UM DIA A CASA CAI.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver