Cabo Da Silva (outra estatística...)

Mais um policial militar foi assassinado. Dessa vez, foi o Cabo José Wellington da Silva, que era lotado no Batalhão Ambiental. Ele foi assassinado durante mais um assalto a transporte alternativo no Estado, mesmo não tendo esboçado nenhum reação. Durante o assalto a sua arma foi levada pelos assaltantes.

De acordo com os passageiros que estavam na van, ele foi assassinado por um trio (dois homens e mulher participaram) durante o assalto. Sendo que antes do assassinato o motorista foi obrigado a entrar em uma estrada secundária, no canavial, onde percorreu muitos quilômetros.

Após os disparos, os criminosos recolheram pertences dos passageiros e fugiram. Como o Cabo Da Silva ainda estava com vida, os próprios passageiros começaram a prestar socorro a ele, que ainda chegou com vida ao Hospital Geral do Estado (HGE), mas faleceu logo depois.

A família do cabo, desolada, desabafou:

“Até agora não apareceu ninguém dos Direitos Humanos, nem da OAB, nem um Coronel da Polícia para perguntar como estamos. Mas se fosse o meu irmão que tivesse matado um bandido desse estava tudo mundo aqui para afirmar que ele não era preparado...”.

A gente sabe que muito do que está acontecendo é fruto da falta de uma política de segurança pública séria, com profissionais qualificados e vocacionados com o seu mister, bem como da falta de investimentos em setores prioritários, como, por exemplo, a educação e a própria segurança pública, dentre outros. Mas nem por isso a gente vai aproveitar o momento, com a morte de um companheiro, para fazer as devidas cobranças ao governo, mesmo porque a gente sabe que não surtiria efeito algum.

A gente sabe que nada do que for feito, seja individualmente ou até mesmo no âmbito corporativo, vai amenizar a dor da família, mas ainda assim, como no caso do Soldado Valter Sá (outro policial que foi assassinado em uma van, com um tiro na cabeça), bem como no caso do Tenente Manoel Cavalcante (que foi assassinado dentro de um ônibus, também com um tiro na cabeça), uma coisa é certa: vamos agir, seguindo os nossos instintos mais primitivos, da mesma forma como fizemos pelos irmãos de farda citados. Vamos em busca de justiça! E no final, como sempre, vamos deixar alguém – o menos culpado – para contar a história aos demais.

A propósito, agora restam apenas dois envolvidos no assassinato do Cabo Da Silva (um já era).

Precisamos eleger um Deputado Estadual para representar os nossos interesses!

18 comentários :

Anônimo disse...

meu irmão o DA SILVA ,homem de bem.

Um a menos disse...

Homem que matou policial em van é encontrado morto em Marechal

"Galeguinho", como é conhecido o homem acusado de atirar e matar um policial nesta quarta-feira (5), durante assalto em uma van, na Barra de São Miguel, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (6), em mata próxima ao Trevo do Gunga, em Marechal Deodoro.

Ele é acusado de ter efetuado o disparo que resultou na morte do militar José Wellington da Silva, de 39 anos, que era lotado no Batalhão Ambiental. De acordo com a polícia, Galeguinho e mais um casal são os responsáveis pelo assalto.

Segundo relato de um policial civil da Delegacia da Barra de São Miguel, que pediu para não ter sua identidade divulgada, os três assaltantes viajavam na van, sentados nas últimas poltronas. Eles anunciaram o assalto na AL-101 Sul, na Barra, e exigiram que o motorista desviasse o rumo e entrasse na estrada de terra que dá acesso à Fazenda Andorinha. Enquanto o veículo estava em movimento, os criminosos recolhiam carteiras, celulares, dinheiro e outros pertences dos passageiros.

Ao ser abordado pelo assaltante, segunda uma das passageiras do veículo, o policial pediu para retirar o chip do celular e isso irritou Galeguinho. “Chip? O chip é esse aqui”, disse ele, disparando vários tiros à queima-roupa, segundo informou a mulher.

Anônimo disse...

Porra, bixo, o Da Silva foi assassinado...

Quem tinha que morrer era o Cel Luciano, o Batinga, o Rocha Lima...

O Da Silva não merecia isso!

Anônimo disse...

UM JÁ FOI PARA O QUINTO DOS INFERNOS,SÓ FALTA A PROSTITUTA EO OUTRO FILA DA PUTA,AGORA COMPANHEIROS QUANDO COLOCAREM AS MÃOS NELES SENTEM O DEDO PARA CIMA,E NÃO DEEM UMA DE BONZINHOS PRENDENDO ESTA CADELA E ESSA OUTRA ALMA SEBOSA.

Lei de Talião disse...

Acabou a "farra". Os policiais estão abrindo os olhos e pagando o mal com o mal, seja internamente ou nas ruas. "Deu", recebeu de volta. A gente é "otário" até certo ponto... Depois de certo ponto não dá mais.

Luiz Alves disse...

Vá em paz meu amigo, conforto a família!
Façamos a nossa parte!

Anônimo disse...

Bando de canalhas esses " comandantes", realmente se fosse o contrario, o policial tivesse matado um dos bandidos viriam os fora da lei fardados de polícia, "corregedoria e comandante geral" para investigar e até prender o policial. Canalhassssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

Anônimo disse...

Será que ninguém tá vendo que está tudo errado com a nossa justiça? Não adianta encher aa ruas de policiais, se a justiça soltará os bandidos em menos tempo que os cadeveres esfriem nos tumulos. A certa da impunidade é o que faz com que fiquemos refém desses vermes. Um país desenvolvido se faz com leis que punam severamente. PRISÃO PERPÉTUA E PENA DE MORTE JÁ!!!!!!!!!!! As penas tem ser exemplares para desencorajar os outros a não se arriscar no crime. Pois, hoje, o mais lucrativo é ser do crime.

Anônimo disse...

Nós PMs, diante da sociedade, do governo, da mídia, não somos NADA, simplesmente NADA.

Anônimo disse...

Canalhas são voces que não se identificam e se igualam aos bandidos que matam nosso policiais! Todos lamentamos a morte de qualquer pessoa, imaginem de um policial! Agora ele tava de folga e ninguem é responsável a não ser os que mataram! Quer dizer se um jornalista for morto o culpado é Fernando Collor? Se um juiz for morto o Culpado é o Ministro do Supremo? Ora bolas ! Parem de falar asneiras e vamos trabalhar par melhorar a PM!!!!!! E todos os oficiais e praças que trabalharam com ele procuraram ajudá-lo! Procure se informar!!!

2002. disse...

eu conheço uns 5 cabos 2002 que adorariam ver esse casal,penas que eles estão separados em batalhões diferentes.

Nascimento Hailton disse...

Posso dizer que tive o prazer de olhar de pertinho esse infeliz com a cara enterrada na areia, mas sobrou a vagabunda da esposa dele e outros dois filhos do cão do inferno já sabemos quem são.

Nascimento Hailton disse...

A vc guerreiro a minha última continência, aos parentes, meus mais sinceros sentimentos.

Cb Hailton

Anônimo disse...

Resposta ao anonimo,inveja mata so faz mal,procura o que faze seu desocupado porque voce nao se identifica,nos pllicias de bem lamentamos a morte do cb da silva ,mas voce anonimo que so sabe criticar e nao faz nada so inveja os outros e critica tambem e culpado por esta violencia se voce trabalhase pode ter certiza que a coisa seria diferente,procura o que fazer seu parasita.vai rezar para que deus perdoe tanta magoa seu recalcado.

Anônimo disse...

ESTÁ CERTO QUE ELE ESTAVA DE LICENÇA ESPECIAL E O COMANDO NÃO TEVE CULPA NESTE CASO. MAS E TODOS OS OUTROS PRAÇAS QUE APENAS POR ABUSO DE PODER, VÃO E VEM DE CARONA TODOS OS DIAS EM VANS APENAS PARA SATISFAZER OS COMANDANTES. O MINISTÉRIO PÚBLICO NUNCA CONSEGUE ENXERGAR ISSO? VAMOS FAZER ELES ENXERGAREM. SE NÃO TIVER MEIOS PRÓPRIOS, SE APRESENTE NO BATALHÃO. ELES QUE DISPONIBILIZEM MEIOS DE LEVAR E TRAZER OS PRAÇAS AOS GPMS. RECLAME, VÁ PARA A IMPRENSA

Anônimo disse...

cv matou um homem que amava muito os filhos, ele estava tão feliz antes de morrer, fazendo planos para o futuro é uma pena que tudo ficou no meio do caminho. Eu cheguei a falar com ele antes de morrer, duas horas depois fiquei sabendo do incidente, vá com Deus amigo. Nada é por acaso.

Ellen Melo disse...

Presa mulher que deu ordem para bandidos executarem policial militar durante assalto

As investigações que visam prender todos os integrantes da quadrilha responsável pelo assassinato do cabo da Polícia Militar (PM) de Alagoas, José Wellington da Silva, 39, prosseguem. O policial foi morto durante um assalto na última quarta-feira, 5, dentro de uma van de transporte complementar de placa NLX 6053, que fazia a linha Maceió/Arapiraca.

Neste domingo, 9, policiais da 5ª CIA/Independente de Marechal Deodoro, que desde o dia do crime intensificaram as buscas aos acusados, conseguiram localizar a mulher, acusada pelas testemunhas como a que deu a ordem para os comparsas atirarem no militar – que não reagiu ao assalto.

Maria Flaviana dos Santos, 21, presa na Avenida São José, no bairro Poeiras, em Marechal Deodoro, estava na van junto com um comparsa e durante o trajeto se beijaram várias vezes, se passando por um casal de namorados. Já o outro bandido estava no banco da frente e também não chamava a atenção. Durante o assalto os dois homens foram os responsáveis em recolher dinheiro e objetos pessoas dos passageiros e “Flavinha”, no momento que o policial – que estava à paisana – demorou a entregar seu celular, gritou para um dos criminosos que era para matá-lo.

Um dia após a morte do policial, que era lotado no Batalhão de Policiamento Ambiental, um dos criminosos foi encontrado morto a poucos metros onde aconteceu o assalto, em um trecho entre os municípios da Barra de São Miguel com São Miguel dos Campos, região Sul de Alagoas. Ednelo Alves da Silva, 19, tinha deixado o sistema prisional há poucos dias, retornado para o mundo do crime.

Durante depoimento, Flaviana, que tentou convencer os policiais que era de menor e se chamava Fernanda, terminou por confessar que a quadrilha a qual é formada por vários bandidos e assumiu ter gritado para que seus comparsas matassem o cabo José Wellington.

Mas a surpresa maior dos policiais foi quando – de forma fria – Flaviana relatou outros crimes que ela e seu bando já participaram, entre eles o que vitimou o tenente da reserva, Manoel Cavalcante da Silva executado dentro de um ônibus da empresa Real Alagoas na tarde de 2 de abril do ano passado em um dos trechos da AL-220, no município de Campo Alegre, interior de Alagoas.

Tribuna Hoje disse...

Passageiro reage e mata assaltante de van em Murici

O acusado subiu no veículo como se fosse um passageiro comum

Transporte de pessoas em vans causa temor por causa da insegurança em Alagoas

Transporte de pessoas em vans causa temor por causa da insegurança em Alagoas

Thiago Leonel da Silva, de 23 anos, foi morto quando tentava assaltar uma van que transporta pessoas de uma cidade para outra. O crime ocorreu nessa quarta-feira (12).

Thiago subiu no veículo nas proximidades da cidade de Messias, acompanhado de um adolescente e uma mulher.

De acordo com as informações policiais, um dos passageiros sacou uma arma e atirou contra o assaltante. A identificação do autor do disparo não foi divulgada.

A Polícia Militar, o Instituto de Criminalística (IC) e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados. Todos os procedimentos foram realizados, e o corpo encaminhado ao IML.

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver