PMAL FURTA ELETROBRÁS

Na noite do dia 05 de julho, uma sexta-feira, a Polícia Militar de Alagoas, numa ação coordenada pela Secretaria de Estado da Defesa Social, realizou uma grande operação na área do 1º batalhão, que compreende os bairros localizados na orla marítima e lagunar da capital alagoana.

A ação consistiu em diversos pontos de bloqueio com o objetivo de abordar carros, motocicletas e coletivos. Nesse sentido, o Detran forneceu o apoio, enviando a equipe responsável pela blitz da “Lei Seca”.

Concomitante aos pontos de bloqueio, policiais militares do 1º Batalhão, com o apoio operacional do Batalhão de Trânsito (BPTran) e do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), empreenderam ações de saturação de área com ênfase em abordagens a bares, boates e estabelecimentos comerciais, tendo o apoio de equipes da SMCCU; SMTT; Conselho Tutelar e Eletrobrás. A cobertura do perímetro de segurança ficou por conta da Força Nacional.

Como se pode ver, foi uma operação que envolveu um grande aparato policial e diversos órgãos públicos. E a presença da Eletrobrás Distribuição Alagoas, na operação, teve por objetivo combater o furto de energia elétrica no Estado de Alagoas. Essa foi a razão de a empresa ter ampliado o número de equipes, passando a ter 80 técnicos focados na região metropolitana, e outras 72 duplas nos municípios do interior do Estado – todos estes profissionais devidamente qualificados para atuar nas inspeções e ações de recuperação de perdas da Eletrobrás junto aos diversos grupos de clientes, principalmente os de grande porte, concentrados nas classes comerciais e industriais.

Ressalte-se que, no ano passado (2012), a empresa fechou com 27% de perdas globais, redução de 3% – considerada a maior da história. Traduzindo em números, a Eletrobrás deixou de perder cerca de R$ 25 milhões de sua receita, antes não faturada. Ainda assim, a perda anual da empresa permanece em mais de R$ 100 milhões, o que justifica a necessidade de intensificação dos seus investimentos. E para este ano os desafios são ainda maiores. A meta é atingir 22,58%, com a redução de 4,42%.

Nesse liame, para que a Eletrobrás possa realizar as inspeções em residências e pontos comerciais, como bares, restaurantes, pizzarias, pousadas e mercadinhos ela conta com o apoio da Briosa Polícia Militar, como no caso da operação acima citada.

Contudo, o que fazer quando a “amiga” Polícia Militar também furta a Eletrobrás?

Pressupondo que o Comandante Geral da Polícia Militar não vá ser conivente ou condescendente com esta denúncia, e que irá tomar as providências necessárias para a elucidação da prática criminosa, que está ocorrendo escancaradamente no entrono do QCG, presumimos que o mesmo deverá cortar na própria carne e responsabilizar as pessoas envolvidas na prática criminosa – independente da função ou do posto que ocupa. Isso porque, o nosso Código Repressivo equipara a energia elétrica (ou qualquer outra energia que possua valor econômico) a coisa móvel.

Art. 155. Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel:
Pena. Reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.
§ 1º (...)
§ 2º (...)
§ 3º Equipara-se à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico.

É bem verdade que o nosso Código Civil de 2002, em seu art. 83, inciso I, considera coisa móvel para efeitos legais as “energias que tenham valor econômico”, esvaziando assim a importância que detinha no passado o § 3º do art. 155 do Código Penal de 1940. O anteprojeto do Código Penal de 1999, no seu art. 184, § 1º, alargou a equiparação da coisa móvel incluindo no tipo o “gás e a água fornecidos por empresa pública ou privada”.

Diante do exposto, e de tudo mais que consta nos autos, esperamos que o CONSEG, na pessoa do seu presidente, o Dr. Maurício Brêda, bem como o Corpo de Bombeiros Militar e o Assistente da Diretoria Comercial da Eletrobrás, o Sr. Almir Pereira, tomem, também, as devidas providências – isso porque, além de crime previsto no Código Penal Brasileiro, o furto de energia pode causar graves acidentes, como choques elétricos e incêndios, além de comprometer a rede elétrica e a segurança da população.

Eis mais uma razão para que eu defensa a tese:

Vocês precisam eleger um Deputado Estadual para representar os seus interesses!

24 comentários :

Anônimo disse...

Essa agora foi foda! Essa galera do briosa não perdoa nem os gatinhos do QCG.

Anônimo disse...

Chega de tanto sofrer ,vocês presidentes de associações tire a BUNDA da cadeira e façam ,engendrem,gerem conflitos na cabeça desses coronéis pós é inexplicável essa questão de passar 30 anos de serviço e ir para reserva com uma só promoção (CABO) ,outro paradoxo é :’’PM responde a conselho de disciplina e é inocentado ,o comandante descorda de três 3 oficias, e pede a punição sem investigar absolutamente NADA’’ isso não existe e não tem presidente de associação que faça alguma coisa para mudar esses absurdos .

Anônimo disse...

Pms voltam a denunciar chefe da Seção de Polícia Disciplinar
Entidades de defesa dos policiais militares de Alagoas, a exemplo da Associação de Cabos e Soldados em Alagoas, (ACS/AL), voltaram a receber reclamações contra as atitudes do atual chefe da Seção de Polícia Disciplinar, (SPD), da Polícia Militar, (PM), chamados por alguns pms de “arrogante” e que mantém o costume de “humilhar” policiais de menor graduação que a sua.

Nos últimos meses são várias as denúncias de militares que se dizem destratados pelo oficial após pedirem alguma informação.

Revoltados como são tratados alguns, se dizendo vítimas do chefe da SPD procuram a corregedoria da PM onde denunciaram o coronel.

De acordo com advogados que trabalham no setor jurídico da ACS os militares “agredidos” temem divulgarem seus nomes publicamente, mas antes a situação era pior, uma vez que eles não levavam o caso à frente e aceitavam permanecer calados diante das atitudes do coronel.

O URGÊNCIA190 tentou por varias vezes manter contato com o oficial, mas na SPD ninguém aceitou informar onde estava o coronel.

Anônimo disse...

Se fosse o pracinha, era preso por 72 horas, e responderia um PAD. Com a resposta nosso Cmt.

Anônimo disse...

porque a porra da policia têm que dar exemplo de tudo se for assim,a eletrobrás têm que botar para empenar em todos sem destinção ou seja na mansão da procuradora federal,no deputado estadual,no juiz,no promotor,no desembargador,no governador,no senador,no vereador ou os senhores acham que estas nobres figuras,também não roubam a eletrobrás então se nimguém da exemplo porque a pmal vai dar,vamos deixar de hipócrisia ok.

Anônimo disse...

No 2º BPM foi detectado pelo pessoal da Eletrobrás, não um gato, mas um tigre, e dos grandes. Tudo foi fotografado e encaminhado ao Comando Geral pelo Maj Valdenildo. ATÉ HOJE NINGUÉM FOI RESPONSABILIZADO.

Claudio Tavares disse...

Segundo a assessoria de comunicação da Eletrobras Alagoas, o prédio da PM foi inspecionado e todo o consumo passa pela medição. Tem que ver se essa instalação é mesmo um desvio.

Anônimo disse...

Quem fez a matéria não conhece a verdade, vamos investigar e não vamos utilizar a prática da imprensa do nosso Estado.

Anônimo disse...

Nós policiais, não queremos respeitar a lei, não queremos trabalhar, não queremos receber ordens, não cumprir com o dever Institucional, não queremos saber de fazer uma boa imagem da PMAL, não queremos que as coisas sejam apuradas e não queremos quase nada. Agora sim: queremos furar, queremos bater no povo, queremos atirar a vontade, queremos entrar de graça nos locais pagos, queremos andar com armas sem registro, queremos ter carros de estouro ou produto de furto, queremos falar mal de todos, queremos nos embriagar em serviço, queremos intimidar e ameaçar a todos que estejam nos nossos caminhos. Tudo isto porque somos Policiais Militares e acho que estamos acima da lei. Será que por isso eu também tenho direito a receber bem

Anônimo disse...

Ao anônimo que disse "Quem fez a matéria não conhece a verdade"... Cara, na boa, tem dois gatos ligando os ares-condicionados à fiação da rua, diretamente, e você vem dizer que isso é uma "prática da imprensa alagoana? Você está alienado ou cego?

Na certa deve ser algum oficial babão do comando. Só faltou você dizer o seu nome para ser escolhido por "indicação".

É cada uma....

Anônimo disse...

NÓS QUE NÃO ATESTAMOS ESSES FALSOS LÍDERES QUEREMOS DIZER QUE NA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMAL, TAMBÉM, TEM GATO E A ELETROBRAS TEM QUE INVESTIGAR. NOS QUE NÃO ATESTAMOS ESSES FALSOS LÍDERES NÃO CONCORDAMOS E NEM ACEITAMOS ESSE TIPO DE CRIME NAS NOSSAS ASSOCIAÇÕES. VAMOS ATÉ A ELETROBRAS PARA DENUNCIAR E SE POSSIVEL MOSTRAR AOS FUNCIONÁRIOS DA EMPRESA ELETROBRAS ONDE FICAM OS GATOS.

Anônimo disse...

CAROS BRIOSIANOS QUEREMOS DIZER QUE A PM NÃO SÓ FURTA ENERGIA COMO TAMBÉM RESOLVE COLOCAR PRESOS DA JUSTIÇA PARA FAZER OS SERVIÇOS GERAIS NAS SUAS INSTALAÇÕES, PONDO EM RISCO A SEGURANÇA DA SOCIEDADE E DO PRÓPRIO PM.
COMO PODE COLOCAR PRESO PARA FAZER SERVIÇOS GERAIS DENTRO DOS QUARTÉIS. ESSES PRESOS COM CERTEZA VÃO ESTUDAR AS NOSSAS INSTALAÇÕES E ENVIAR INFORMAÇÕES PARA AQUELES PRESOS QUE ESTÃO NO PRESÍDIO. NÃO SEJA SURPRESA UM DIA QUADRILHAS INVADIREM OS QUARTÉIS COM JÁ FAZEM NOS NOSSOS GPMS. ACORDA COMANDANTE! ACORDA COMANDANTE! ACORDA COMANDANTE!

Anônimo disse...

VCS QUE FAZEMESSA MERDA DO BRIOSA EM FOCO SÃO UM BANDO DE FRUSTADOS NA VIDA .POR QUE VCS NÃO PEDEM PRA DEIXAR APM? TEM MEDO DE PASSAR FOME É? AO INVÉS DE COLOCAR NOTICIÁS QUE ELEVEM A CLASSE POLICIAL FICA COLOCANDO FOFOQUINHA DE MULHER SEM MARIDO.SOU CABO E TENHO ORGULHO DE SER PM ,POIS É DELA QUE TIRO O SUSTENTO MEU E FAMILÍA.PEDE PRA SAIR SEUS FRUSTADOS.

Anônimo disse...

Segundo à Eletrobras esta ligação é feita após a medição de energia ou seja, é rede própria da Policia só que externa.

Anônimo disse...

Nada contra a esse tipo situacao,ate pq na minha residencia tb tem um GATO,kkkkkkkkk

Anônimo disse...

DANO EXISTENCIAL QUEM TRABALHA A MAIS DO QUE O CONTRACHEQUE ORDENA TEM PLENO E TOTAL DIREITO

Empresas devem indenizar funcionários por excesso de trabalho



Em algumas empresas é comum que os empregados sejam obrigados a cumprir uma jornada diária de trabalho superior a legalmente permitida, que é de 8h diárias. As horas excedentes devem ser pagas como hora extra, e não poderão exceder às 10h de trabalho por dia.

Havendo a necessidade que o empregado, eventualmente elasteça sua jornada de trabalho para além das 8h diárias, é devido a ele o recebimento ao fim do mês, do valor da hora trabalhada acrescido de, no mínimo 50%.

Contudo, alguns empregadores exploram demasiadamente o trabalhador, exigindo-lhe que cumpra jornadas de trabalho sobre humanas, havendo casos em que já foi exigido do empregado o cumprimento de 15h de trabalho em um só dia.

O excesso de horas trabalhadas constitue uma agressão física e psicológica ao trabalhador, que podem desencadear doenças físicas e mentais como a depressão.

A jornada de trabalho excessiva também impede a liberdade de escolha do trabalhador e compromete a realização de outros projetos, não permitindo que tenha uma vida normal, ou melhor, que tenha vida fora do ambiente de trabalho, já que lhe sobram poucas horas no dia para dedicar-se a qualquer outra atividade.

Cansado e deprimido, o empregado que é obrigado a trabalhar em excesso, abdica de atividades que desejaria realizar, como por exemplo, estar próximo a seus familiares, acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos filhos participando de sua educação, visitar um familiar que está doente, manter uma atividade física ou religiosa ou matricular-se em um curso, suprimindo-lhe uma parte da vida.

Diante desse contexto, a Justiça tem entendido que o prejuízo suportado pelo trabalhador caracteríza um dano existencial, que ocorre quando o indivíduo, por um motivo injusto causado por outra pessoa, não conseque por em prática os planos que tem para a sua vida, lhe causando imensa frustração pessoal.

Por este motivo, o empregador poderá ter que pagar ao empregado não só o valor correspondente às horas extras trabalhadas, mas também uma indenização pelo dano sofrido, geralmente estabelecido em valores bem expressivos, com o objetivo de ressarcir o empregado e educar o empregador para que não continue a exploração de outros funcionários.

Anônimo disse...

DANO EXISTENCIAL QUEM TRABALHA A MAIS DO QUE O CONTRACHEQUE ORDENA TEM PLENO E TOTAL DIREITO

Empresas devem indenizar funcionários por excesso de trabalho



Em algumas empresas é comum que os empregados sejam obrigados a cumprir uma jornada diária de trabalho superior a legalmente permitida, que é de 8h diárias. As horas excedentes devem ser pagas como hora extra, e não poderão exceder às 10h de trabalho por dia.

Havendo a necessidade que o empregado, eventualmente elasteça sua jornada de trabalho para além das 8h diárias, é devido a ele o recebimento ao fim do mês, do valor da hora trabalhada acrescido de, no mínimo 50%.

Contudo, alguns empregadores exploram demasiadamente o trabalhador, exigindo-lhe que cumpra jornadas de trabalho sobre humanas, havendo casos em que já foi exigido do empregado o cumprimento de 15h de trabalho em um só dia.

O excesso de horas trabalhadas constitue uma agressão física e psicológica ao trabalhador, que podem desencadear doenças físicas e mentais como a depressão.

A jornada de trabalho excessiva também impede a liberdade de escolha do trabalhador e compromete a realização de outros projetos, não permitindo que tenha uma vida normal, ou melhor, que tenha vida fora do ambiente de trabalho, já que lhe sobram poucas horas no dia para dedicar-se a qualquer outra atividade.

Cansado e deprimido, o empregado que é obrigado a trabalhar em excesso, abdica de atividades que desejaria realizar, como por exemplo, estar próximo a seus familiares, acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos filhos participando de sua educação, visitar um familiar que está doente, manter uma atividade física ou religiosa ou matricular-se em um curso, suprimindo-lhe uma parte da vida.

Diante desse contexto, a Justiça tem entendido que o prejuízo suportado pelo trabalhador caracteríza um dano existencial, que ocorre quando o indivíduo, por um motivo injusto causado por outra pessoa, não conseque por em prática os planos que tem para a sua vida, lhe causando imensa frustração pessoal.

Por este motivo, o empregador poderá ter que pagar ao empregado não só o valor correspondente às horas extras trabalhadas, mas também uma indenização pelo dano sofrido, geralmente estabelecido em valores bem expressivos, com o objetivo de ressarcir o empregado e educar o empregador para que não continue a exploração de outros funcionários.

Anônimo disse...



Anônimo disse...
Tua hora vai chegar MÉDICO MONSTRO Audir Marinho, o Soldado que voce está perseguindo no processo de ISO, que tem 04 ATESTADOS DE MÉDICOS PSIQUIATRAS (dois particulares, um do SUS e um do Dr.Abel - Psiquiatra Militar) descrevendo RELAÇÃO DE CAUSA E FEITO LABORAL DE ACORDO COM A PATOLOGIA APRESENTADA já comunicou o fato que VOCE DISSE QUE NÃO TINHA RELAÇÃO DE CAUSA E EFEITO e encaminhou os atestados ao MINISTÉRIO PUBLICO e em breve voce vai responder CRIMINALMENTE, como BANDIDO QUE VOCE É. HISTÓRICO : Um Soldado PM que está INVALIDO TOTAL E PERMANENTE PARA TODO E QUALQUER SERVIÇO e que 04 médicos psiquiatras declararam que ele sofreu ESTRESSE PÓS TRAUMÁTICO SOFRIDO NO EXERCÍCIO DE SUA ATIVIDADE LABORAL ENQUANTO POLICIAL MILITAR e por isso desenvolveu uma doença chamada de ESQUIZOFRENIA PARANOIDE e no processo de ISO O SR. AUDIR JOSEPH MENGELE MARINHO afirmou que NÃO TEM RELAÇÃO DE CAUSA E EFEITO LABORAL, contrariando O LAUDO DE 04 MÉDICOS PSIQUIATRAS E DE DOIS PSICÓLOGOS ( Um dos Laudos da psicologa da PM) ou seja este senhor misto de MÉDICO E MONSTRO se acha Dr. em todas as especialidades médicas, inclusive de PSIQUIATRA. (embora seja completamente incompetente na sua especialidade) o problema é que através destes atestados se COMPROVARAM ASSÉDDIO MORAL NA POLICIA MILITAR DE ALAGOAS, E ASSIM O MEDICO MONSTRO AUDIR não quer assinar a ISO COM CAUSA E EFEITO LABORAL, sendo desta forma um DEUS, pois é ONIPRESENTE E ONIPOTENTE, E SUA PALAVRA É ORDEM E LEI. Um médico que tem a função apenas de aplicar uma injeção (anestesia) e vive deixando as pessoas em estado vegetativo ou matando elas por choque anafilático não tem competencia nem para ser ESCRIVÃO DE ISO, quanto mais Rsponsável pela ISO. Mais tua hora vai chegar, este processo de ISO que estás com PERSEGUIÇÃO vai te quebrar e o Ministério Público vai agir e depois será realizado processo no CRM, para quebrar teu galho e também PEDIDO DE DANOS MORAIS pela tua PERSEGUIÇÃO E FALTA DE TRATAMENTO ADEQUADO com o Paciente. Eu mesmo sou testemunha ocular dos maus tratos que voce realizou com este paciente que foi tratado por voce de forma desumana e irei fazer questão de prestar meu testemunho no Ministério Público e diante de qualquer Juiz.

Anônimo disse...

BRIOSA EM FOCO NÓS QUE NÃO ATESTAMOS ESSES FALSOS LÍDERES QUEREMOS QUE SENHORES COLOQUEM PARA O LEITOR AS NOSSAS OPINIÕES. POR GENTILEZA PUBLIQUEM, POIS NÓS SÓ TEMOS ESSE ESPAÇO PARA EXERCER O ART. 5º DA CF. A LIBERDADE DE EXPRESSÃO. OBRIGADO.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Estes fios são da rede interna, logo, o consumo passa pelo medidor.

Anônimo disse...

É A PALAVRA DO BRIOSA CONTRA O LAUDO TÉCNICO DA ELETROBRÁS

Técnicos especializados da Eletrobrás – Distribuição Alagoas realizaram na tarde desta quarta-feira (17) uma vistoria em todos os padrões de ligação e nos medidores de energia elétrica do Quartel Geral da PM, localizado no bairro do Centro.

De acordo com o laudo emitido ao final da vistoria, ficou constatado que os padrões estão em acordo com as normas estabelecidas, não apresentando qualquer irregularidade. De acordo com o gerente do Departamento de Medição e Fiscalização da Eletrobrás, engenheiro eletricista Givanildo Duarte, todos os medidores encontram-se ativos e realizando o registro da energia consumida de maneira correta. “Observamos todos os padrões de ligação e os medidores de energia elétrica do Quartel Geral e pudemos constatar que tudo está em acordo com as normas e a fiação encontra-se devidamente isolada, não representando qualquer perigo à vida”, informou.

O engenheiro explicou ainda que, na lateral do quartel, não há rede de baixa tensão 380/220 Volts, há apenas rede trifásica de média tensão 13.800 Volts. “Torna-se impossível haver qualquer situação de furto de energia neste caso”, acrescentou.

Confira, ao final desta matéria, o laudo emitido pela equipe de técnicos especializados da empresa.

Parceria

O engenheiro eletricista Givanildo Duarte resaltou ainda a parceria existente entre a Polícia Militar e a Eletrobrás. Segundo ele, nos últimos 16 meses, durante as operações em conjunto, foram presas mais pessoas do que na última década, em decorrência do furto de energia.

“Rotineiramente, contamos com a participação da Polícia Militar nas operações de fiscalização, que foram intensificadas, o que vem trazendo resultados positivos no combate a crimes desta natureza”, frisou.

Anônimo disse...

Bestão, aquela fiação é 380 se instalar ar ali estoura tudo.

Anônimo disse...

BLOG DULCE MELO EM27.7.13
O ex-comandante do Policiamento da Capital, coronel Gilmar Batinga, retorna para a ativa após pouco mais de dois meses na reserva. O entendimento foi o de que ele precisa concluir o tempo de serviço enquanto coronel fechado, já que são exigidos cinco anos no posto.

Embora ao completar 30 anos de serviço, o militar tenha a obrigação de 'pendurar a farda' no caso dos coronéis 'fechados', último posto da corporação, devem permanecer nele por cinco anos. Na situação do coronel Batinga, mesmo com o tempo exigido de trabalho, na função ele só tinha dois anos e meio. Logo, terá que trabalhar mais dois e meio para, definitivamente, e sem equívocos, ir para a reserva.

O indeferimento do processo da reserva do coronel foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (25).

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Este espaço é seu!
Não se omita, deixe a sua participação.

Se quiser fazer contato por e-mail, escreva para contatobriosaemfoco@gmail.com

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver