Quem será essa “socialite”?

Uma matéria especial de 10 minutos no programa Fantástico da Rede Globo, de hoje, dia 29 de setembro, revelou para o Brasil algumas denúncias do Deputado Estadual João Henrique Caldas sobre as “folhas de pagamentos” da Assembleia Legislativa de Alagoas.
De acordo com o que foi revelado pelo Fantástico, o Ministério Público Estadual busca fantasmas... Contudo, o que a imprensa alagoana vem revelando há muito tempo sobre esse caso é que socialites e empresários alagoanos estão entre as pessoas que receberam estes grandes “salários” do Poder Legislativo.
Mas o que nos chama a atenção é o fato de uma dessas socialites ser uma empresária, e esposa de um Secretário Estadual do Governo de Teotônio Vilela. Quem será esta socialite? Quem será este secretário? Enquanto não tivermos respostas concretas, vamos fazer especulações...

Amanhã pode ser você, ou alguém da sua família!

A Polícia Militar (e a Secretaria de Estado e Defesa Social) alega que os fatos dos últimos dias, onde os agentes da segurança pública apareceram como vítimas da violência, são “caos isolados”, que “o Sargento Barbosa foi quem procurou a própria morte”, que “o fato de a filha de um sargento ter sido estuprada não guarda relação com a atividade do pai dela”, que “o assassinato de um policial civil (dias depois da filha do sargento) não guarda relação com os ataques a membros da segurança pública”...
Bem, só faltou dizer que o Cabo Davi José Dantas Vanderlei, do Batalhão Escolar, é o culpado de ter recebido quatro tiros, quando da tentativa de assalto à Casa do Médico, no Farol, em Maceió.
De acordo com o que foi divulgado, o Cabo Davi foi baleado nas costas pelo parente de um policial militar (isso mesmo, o traste é parente de um militar, que tratou de entregá-lo assim que soube o que aconteceu) depois de os acusados anunciarem o assalto no interior do estabelecimento onde o Cabo se encontrava, rendendo funcionários e clientes.
Segundo o último quadro médico divulgado à imprensa, um dos disparos transfixou o fígado e também lesou a vesícula biliar, o outro penetrou no tórax e transfixou o coração (ventrículo esquerdo), ou seja, apesar de a cirurgia ter sido bem sucedida, o quadro clínico do Cabo Davi ainda é preocupante devido à gravidade das lesões.
Infelizmente, com essa cúpula nojenta, estamos entregues à própria sorte. Infelizmente, os agentes que efetuaram a prisão dos meliantes optaram pela “manutenção da ordem”, apesar de terem razões contundentes para aplicarem o verdadeiro “rigor da justiça” aos acusados. Contudo, pelo pouco que conheço da minha Polícia Militar, nem mesmo a prisão desses elementos (fotos a baixo) vai amenizar o que eles fizeram.

Afinal, “à polícia militar cabe o policiamento preventivo”, ou seja, as ruas são nossas, e a nossa sede de justiça ainda não foi saciada. Sendo assim, amanhã, antes que a próxima vítima possa ser qualquer um de nós ou algum membro das nossas famílias, precisamos “fazer algo”.
Por hora, além do sentimento de revolta, enquanto amarguramos mais essa dor, defendemos a tese
Precisamos eleger um Deputado Estadual para defender os nossos interesses!

“O próprio policial provocou essa situação”

Depois da brilhante atuação das guarnições (compostas de Praças) que conseguiram efetuar a prisão dos meliantes envolvidos na morte do Sargento Roberto Barbosa Costa, depois das críticas e das cobranças sofridas por conta da escassez de policiais e da sua incompetência à frente do Comando do Policiamento da Capital (CPC), eis que o Coronel Neuton Bóia, em nome do Comandante Geral, resolveu “mostrar serviço” atribuindo, em entrevista, a culpa do assassinato do sargento ao próprio sargento (?).
“O policial estava num local inadequado. Era mais de meia-noite e ele havia bebido. Tudo leva a crer que queriam a arma dele. O próprio policial provocou essa situação. Armou-se e voltou para o bar", declarou.
Depois dessa infeliz declaração, para não dizer outra coisa desse incompetente comandante, vou me reservar a apenas mostrar as fotos dos seis envolvidos na morte do Sargento Barbosa.

Senhores, para que outros idiotas não justifiquem a sua incompetência, atribuindo seus fracassos aos mortos, eu endosso o corro:
Precisamos eleger um Deputado Estadual para representar os nossos interesses!

Gabinete Militar paga por segurança privada

Se você falasse o que ninguém ouve, se você mostrasse o que ninguém vê, se você escrevesse o que ninguém lê, se você que quisesse que as pessoas prestassem atenção ao que você quer revelar, o que você faria?
Durante curto período da existência desse blog muita coisa errada foi revelada aqui, mas muito pouco do que dissemos foi apurado, então resolvemos adotar outras táticas. Passamos, como já dissemos em outras ocasiões, a ser colaboradores assíduos da imprensa. Eis a razão de estarmos, de certa forma, fazendo poucas postagens, ou contrário dos noticiários, que toda semana tem três ou quatro matérias bombásticas envolvendo a Segurança Pública, em especial a nossa Briosa Polícia Militar.
Em nossa mais recente colaboração, revelamos que o órgão de assessoria do Governador Teotônio Vilela Filho, o Gabinete Militar, tem 92 policiais, mas paga por segurança privada. Dito isto, vejamos que a Gazeta de Alagoas disse a respeito:
Gabinete Militar contrata segurança privada para Palácio
Só na gestão de Teotônio Vilela Filho (PSDB), o Gabinete Militar consumiu quase R$ 100 milhões. Ele existe para garantir a segurança do governador, de seus familiares e de convidados do Poder Executivo, em missão oficial. Entra no pacote da blindagem o Palácio República dos Palmares, o hangar do governo no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares e a sede do Conselho Estadual de Segurança Pública (CONSEG). Mas, mesmo com 92 policiais em sua folha salarial, o órgão contratou, este ano, duas empresas para fazer a vigilância armada dos prédios. Até janeiro de 2014, está previsto um gasto de R$ 1,5 milhão com segurança privada. Do total, R$ 900 mil já foram pagos.
O Decreto n° 4.126, de 8 de abril de 2009, dispõe sobre o Regimento Interno do Gabinete Militar. Nele, está claro: compete ao órgão, entre outras atribuições, ‘planejar, organizar, dirigir e executar, em caráter exclusivo: a segurança da área e instalações do Palácio República dos Palmares, das residências oficiais, da tribuna de honra do governador e de outros locais em que se encontre o Chefe do Poder Executivo Estadual’. No mesmo documento, o capítulo seis traz a lista de outras tarefas atribuídas ao Gabinete Militar, por meio da ‘seção de segurança’.
‘Controlar a circulação de pessoas e de veículos nas dependências e estacionamentos do Palácio, Residências Oficiais e Particulares do governador; acompanhar a movimentação do pessoal de obras, de limpeza e outros trabalhadores que realizam tarefas afins, nas dependências internas do Palácio do Governo; incumbir-se dos serviços de segurança nos acessos e portaria, recebendo as pessoas e disciplinando a circulação interna; controlar as vias de acesso aos andares do Palácio do Governo, inclusive com a gerência do monitoramento eletrônico’ são ações cuja execução deveria ser exclusiva do Gabinete Militar.”
Pode até parecer estranho, mas se formos comparar o Coronel Ronaldo (que foi Comandante Geral e Secretário-Chefe do Gabinete Militar) com o Coronel Luciano (que seguiu os mesmos passos), veremos que não há nenhuma comparação, sendo que até dá para sentir saudades do Coronel Ronaldo dos Santos...
Em face do exposto, pergunta-se: que providências serão tomadas pelas autoridades competentes quanto a isso? Resposta: só o tempo dirá!
Enquanto isso, uma coisa é certa:
Precisamos eleger um Deputado Estadual para representar os nossos interesses!

Sargento Roberto Barbosa (outra estatística...)

Aconteceu novamente: outro militar foi assassinado! A Polícia Militar alagoana amanheceu mais uma vez de luto. Isso porque nas primeiras horas da madrugada deste domingo o Sargento Roberto Barbosa – que trabalhava na Corregedoria Geral – foi assassinado a tiros, pelas costas, covardemente, em um churrasquinho localizado no Bairro do Graciliano Ramos, parte alta de Maceió.
De acordo com familiares do Sargento, “ele passou no churrasquinho apenas para comer e beber alguma coisa, antes de chegar em casa, enquanto seu filho de três anos aguardava no carro”, quando foi surpreendido por uma série de disparos de arma de fogo e morreu no local.
Ainda de acordo com as testemunhas, o policial estava chegando no local e percebeu que alguns homens estavam armados. Antes que ele pudesse reagir, um dos homens sacou uma arma e deu um tiro na nuca do sargento. Na fuga o grupo levou a pistola do sargento e ainda roubou um carro.
Pelo menos, nesse caso, a resposta foi imediata: seis dos homens que estavam no grupo que atirou e matou o sargento já foram presos (Wiliams da Silva Santos, o Lilico, 24 anos; Lucimártio Souza, 21 anos; Jose Nilton de Lima Silva, 22 anos; Jamerson Lima , 21 anos; Adailton Alves Teixeira, 23 anos; e Felipe Andrade Alves, 28 anos). Todos eles, segundo as guarnições que participaram das prisões, faziam parte da chamada “Gangue do Yuri”.
Eis mais uma razão para acreditarmos que
Precisamos eleger um Deputado Estadual para representar os nossos interesses!

A ferida que ainda doi

Julho de 2013: Três jovens dirigem-se a um pequeno comércio de materiais de consumo em escritório situado no Benedito Bentes. Um deles adentra ao imóvel e vai em direção ao balcão onde o proprietário – José Maria – está atendendo. Questiona o jovem ao balconista sobre crédito para celular. Quando este vira-se de costas, a arma sacada pelo suposto cliente grita seus projéteis e, após dias no silêncio de um leito do HGE cala-se por definitiva a voz do Sargento R/R Santos.

O crime da Avenida Bela Vista – passados quase dois meses do seu cometimento – parece ter ficado apenas na memória dos parentes e amigos do Militar Reformado, pois aparentemente sequer entrou nas estatísticas da SEDS. A pratica constante da maquiagem dos números não respeita a memória sequer de seus membros. As investigações também seguem a mesma esteira de ação onde possivelmente o resultado a ser apontado seja o mesmo atribuído a maioria dos mais de 2000 homicídios que inundam de sangue o solo do estado.

 Segundo os levantamentos preliminares constantes à versão oficial é que Santos fora executado a mando de traficantes, pelo fato de ser policial militar. Divulgado pela secretaria a órgãos de imprensa a versão de que o suposto executor teria sozinho adentrado o comércio do miliciano e deflagrado os tiros e fugido sem deixar pistas.

O BEF teve acesso a documentos que desmentem esta versão. A verdade é que os executores do Sargento Santos foram capturados pela Polícia, mais especificamente pela FNSP – que participa da fracassada execução do plano Brasil Mais Seguro – e mesmo tendo confessado a prática do odioso crime contra um membro da segurança pública, foram liberados pela polícia:


São eles “ALDO”, acusado de ter sido o autor dos disparos:


“Bicudo”, seu comparsa:


“Maxswell”, outro que auxiliou na empreitada assassina:


Como pode membros da segurança de forma discricionária liberarem confessos réus da execução covarde de um militar estadual em atitude clara de prevaricação e desídia? Quais providências tomará o secretário de insegurança com relação a tal violação da norma?

Nos do BEF cumprimos a nossa missão de não permitir que nada seja jogado para debaixo do tapete e sugerimos que os companheiros fiquem atentos para as fuças destes marginais.

Estamos sós. É preciso depor este comando omisso antes que não exista mais militares, vitimados pela bandidagem.

E visando evitar que eventos como estes tornem a acontecer, mais do que nunca...

...precisamos eleger um Deputado Estadual para defender nossos interesses!

Guardas exigem saída de secretário. E nós?

Guardas municipais da capital de nosso estado insurgiram-se nesta manha e protestaram, com direito a caminhada pelas principais ruas do centro da cidade. O cerne do protesto era basicamente a saída do secretário Cel Edmilson Cavalcante da cadeira de segurança do município.

Considerado por muitos experts em segurança pública como uma das “bolas foras” do governo de Maceió, a nomeação do Coronel Reformado fora uma contrapartida do prefeito PSDeBista Rui Palmeira ao seu partido, e uma indicação pessoal do Secretário Estadual Dário César.

Independente do legado (positivo ou negativo) que tenha deixado na corporação, e ainda alheio ao desenrolar de suas ações na segurança pública municipal, o que resta claro é que a reprodução do modelo proposto – ou a ausência deste – pelo modus operandi do secretario Dário parece ser uma unanimidade nociva tanto por parte da sociedade quanto por aqueles que realmente fazem a máquina do serviço estatal funcionar.

Reflexo disso é o número expressivo de servidores sobre a sua subordinação direta que pedem a sua saída, por imediato.

Para nós Militares Estaduais fica a lição amarga, ainda que tardia, de que sem a nossa movimentação e sem um movimento capaz de expurgar estes maus gestores de nossa caserna.

Até quando continuaremos de braços cruzados ante ao caos instalado atualmente em nosso estado?

Precisamos protestar e pedir a saída imediata destes malfeitores, e acima de tudo...

...precisamos eleger um deputado estadual para representar nossos interesses!

Guarnição da bef

Destaque nos últimos 30 dias

 
Meu Profile: Área Restrita - Somente PESSOAL AUTORIZADO pode ver